Redação Pragmatismo
Barbárie 25/Mai/2019 às 16:51 COMENTÁRIOS
Barbárie

“Me obrigaram a jogar ela”, diz mãe que atirou filha do 5º andar

Publicado em 25 Mai, 2019 às 16h51

“Me obrigaram a jogar ela”, disse a estudante de 29 anos durante as negociações para se entregar à polícia. Em seguida, a mulher colocou fogo nas cortinas da casa. Menina de 3 anos foi arremessada do 5º andar

mãe jogou filha quinto andar
Momento em que a mãe coloca fogo no apartamento e depois se joga

A estudante de 29 anos que arremessou a própria filha do 5º andar do prédio onde moram estaria em “surto psicótico”, alegam bombeiros que participaram do resgate e das negociações para que ela se entregasse.

O episódio aconteceu na madrugada da última sexta-feira (24) em Jaguaré, na Zona Oeste de São Paulo. A criança de 3 anos de idade sobreviveu após ter a queda amortecida por um carro.

“E ela teve traumatismo?”, perguntou a mãe à equipe. “Não teve, filha. Olha que coisa boa! Ela caiu sobre um carro e não se machucou”, tranquilizaram.

A mãe continuava nervosa. “Mas eu vou sair daqui presa?”, perguntou. “Não, você vai sair comigo. Sou enfermeira”, se identificou uma profissional que estava junto ao resgate. “Me obrigaram a jogar ela [filha]”, justificou a mãe.

A negociação não foi bem sucedida e, em seguida, a mulher ateou fogo nas cortinas de casa. Neste momento, os bombeiros arrombaram a porta do apartamento e tentaram segurá-la, mas ela pulou da mesma janela em que havia atirado a filha.

A mulher não teve a mesma sorte da filha de 3 anos e se machucou gravemente. Ela teve múltiplas fraturas e, até a tarde deste sábado (25), permanece internada em estado crítico.

Vizinhos relataram que a mulher chegou para morar no prédio recentemente, mas que já ouviram comentários de que não é a primeira vez que ela tem surtos parecidos.

Entenda o caso

Na madrugada desta sexta-feira, às 00h:30, a PM foi chamada para atender uma ocorrência de uma criança que havia sido jogada da janela de um apartamento no quinto andar.

A criança foi amortecida por um carro que estava entrando no edifício e sobreviveu. Um vizinho prestou o primeiro socorro. O policial militar Daniel César Garcia, que esteve na hora da ocorrência, disse que chegou a conversar com a criança após a queda.

“Perguntei se ela se lembrava do que tinha acontecido, ela me disse que não, que tava dormindo e que só acordou quando chocou com o carro”, disse.

Depois de jogar a menina, a mãe se trancou sozinha no apartamento e os bombeiros tentaram negociar a saída dela. Por volta das 2h30, a mulher tentou incendiar o apartamento e também se jogou quando os bombeiros tentaram contê-la.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários

  1. Jefferson Lessa Postado em 06/Jul/2019 às 00:44

    "Me obrigaram" é o cacete. ninguém acredita nisso. Só gente muito má. Muito tosca. Muito burra.

  2. Johnny Rot Postado em 06/Jul/2019 às 00:44

    A pessoa claramente não estava normal, um surto psicótico é algo muito grave Dev ser tratado, basta ler a respeito. Julgar sempre é o caminho mais fácil

  3. Aliança Nacional Libertadora Postado em 06/Jul/2019 às 00:44

    A pessoa da sinais antes....geralmente em casos como esse a intenção nem é matar....mas imputar sentimento de culpa no ex-cônjuge....atitude deveras covarde....em utilizar a vida dos filhos para atingir o alvo da obsessão.....seja homem ou mulher.....essas pessoas frequentemente estabelecem relacionamentos abusivos....