Redação Pragmatismo
Protestos 27/Mar/2017 às 15:32
0
Comentários

O fracasso das manifestações de 26 de março

Ao contrário do Dia Nacional de Paralisações realizado no último 15/03, manifestações deste domingo (26/03) convocadas pela direita fracassaram e causaram desavenças internas. Kim Kataguiri e Janaina Paschoal discursaram para menos de 300 pessoas. Frota se queixou. Azevedo soltou os cachorros

manifestação avenida paulist 26 03a
(Imagem: Av Paulista, Frota e Kim Kataguiri)

As manifestações que aconteceram neste domingo (26), organizadas pelos grupos MBL e Vem Pra Rua, os mesmos que convocaram as passeatas pelo impeachment de Dilma, foram um fracasso de público e provocaram desavenças até mesmo entre a direita.

Os protestos preservaram a figura do presidente Michel Temer e pediram o “fim do desarmamento”, o “fim do foro privilegiado” e o “fim dos ataques contra a Lava Jato”.

No palanque montado na Paulista, estiveram presentes a advogada que assinou o pedido de impeachment de Dilma, Janaína Paschoal e o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), um dos poucos políticos presentes.

A advogada discursou. Kim Kataguiri, do MBL, também falou para menos de 300 pessoas.

O ex-ator pornô Alexandre Frota, que se tornou uma figura admirada por boa parte da direita brasileira, ficou decepcionado com o ato e reclamou nas redes sociais.

Ele publicou uma foto em que aparece com expressão de frustração, acompanhada da seguinte legenda: “Quando esses movimentos Vem p Rua, Nas ruas, MBL fazem manifestação pautados por partidos e políticos o povo não aparece, por isso MCC não veio”.

Reinaldo Azevedo, blogueiro da Veja, foi mais agressivo em sua crítica. Segundo o jornalista, a convocação da manifestação foi “a crônica de um clichê anunciado”.

“A Lava Jato nunca esteve e não está sob ataque. Essa é uma das fantasias criadas pelo lado vicioso da operação. A direita xucra ressuscitará as esquerdas. Acertei. E os xucros escoicearam. Há gente que anseia ser a vanguarda do retrocesso. Não é de hoje”, escreveu Azevedo.

Rio e Brasília

Na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, o público foi de 630 pessoas, nas contas da Polícia Militar (PM).

Na orla de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, o ato teve menos de mil pessoas.

O ex-humorista Marcelo Madureira discursou no ato do Rio. Irritado pela baixa adesão popular na manifestação, ele proferiu xingamentos diversos.

“Seu vagabundo, Lula da Silva, nós não temos medo! Sua ladrona, sua vagabunda, mentirosa, Dilma Rousseff, nós não temos medo!”, bradou.

Mídia tentou

A Globo, timidamente, ainda tentou atrair gente para o ato com entradas ao vivo em sua programação, mas não deu certo.

A Folha de S.Paulo também apelou: publicou uma foto dos protestos do ano passado em suas redes sociais como se fosse do ato de domingo. Também não funcionou.

As manifestações convocadas pela direita no dia 26 de março fracassaram.

VEJA TAMBÉM: O dia em que o Brasil parou sem a ajuda da Globo

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários