Redação Pragmatismo
Mídia desonesta 04/Dec/2016 às 10:18
0
Comentários

Jornal Nacional é criticado por cobertura do velório dos jogadores da Chapecoense

Jornal Nacional extrapola todos os limites na cobertura da tragédia da Chapecoense e vira alvo de críticas nas redes sociais. Principal telejornal do Brasil brindou o espectador com um momento de exploração grosseira do drama das famílias. Repórter invadiu área do velório com câmera escondida

Jornal Nacional Chapecoense velório
Jornal Nacional faz cobertura abusiva do velório da Chapecoense

O Jornal Nacional foi duramente criticado nas redes sociais após exibir uma reportagem na noite deste sábado (3) na qual entrevista familiares das vítimas do acidente com o avião da Chapecoense dentro de um ônibus, a caminho do aeroporto — onde receberiam os corpos –, e depois em direção ao velório, no estádio.

Consciente da invasão de privacidade que estava prestes a cometer, a repórter Kiria Meurer, da RBS TV, afiliada da Globo, informou: “Eu consegui um lugarzinho aqui no ônibus, vou acompanhar esses familiares. A partir daqui, a nossa câmera, com o nosso cinegrafista, não pode gravar. Então vou gravando com o meu celular”, disse ela.

No momento mais constrangedor, ela abordou uma mulher e perguntou: “Você é parente de quem?” A moça informou: “Sou esposa do fisioterapeuta, Rafael Lobato”. A repórter, então, fez a observação cretina: “Finalmente, então, acabou a espera”. Ao que ouviu: “Não. O pior vem agora”.

Diante da imagem de uma moça chorando, Kiria disse: “Do lado de fora, encontramos a namorada de uma das vítimas, que recebeu atendimento médico”. Em seguida, ouvimos o depoimento da jovem, entre lágrimas, dizendo que havia prometido buscar o namorado no aeroporto, mas não imaginava que seria desta forma.

Filmando a si mesma enquanto percorria a área do velório (imagem no alto), Kiria descreveu os bastidores do ambiente como se estivesse visitando um ponto turístico de Chapecó.

Redes sociais

Nas redes sociais, a matéria de quase seis minutos feita por Kíria Meurer dividiu opiniões: enquanto alguns classificaram como “desnecessária”, “invasiva” e “sensacionalista”, outros avaliaram que Kíria estava apenas cumprindo seu papel.

Gravar as famílias indo para o enterro de seus familiares é algo que não precisava, esse momento de dor merecia respeito”, afirmou um internauta. “Achei desrespeitoso o ‘Jornal Nacional’ mostrando a dor dos familiares no momento tão íntimo. Como no ônibus e naquela área reservada [dentro do estádio]”, disse um outro tuiteiro.

O acidente com o avião da Chapecoense deixou 71 mortos e seis pessoas sobreviventes, entre eles os jogadores Alan Ruschel, Follmann e Neto e o jornalista Rafael Henzel.

Além da equipe e da delegação da Chapecoense, morreram ainda parte da tripulação e outros 20 profissionais de imprensa (produtores, cinegrafistas, repórteres, narradores e comentaristas), de vários veículos, (como Globo, FOX Sports e RBS TV).

VEJA TAMBÉM: Especialista explica procedimento que salvou sobrevivente em voo da Chapecoense

com informações do UOL

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários