Redação Pragmatismo
Compartilhar
Direita 14/Sep/2016 às 11:27
17
Comentários

Neonazista assumido lança candidatura pelo partido de Bolsonaro e Feliciano

Partido de Bolsonaro e Feliciano (PSC) lança candidatura de neonazista para vereador no Rio de Janeiro. Marco Antônio Santos, conhecido como “Professor”, costuma aparecer publicamente vestido de Adolf Hitler e pertence ao grupo extremista DAP

bolsonaro neonazista professor rio de janeiro
Amigo de Bolsonaro e assumidamente neonazista, Marco Antônio Santos é candidato a vereador no Rio de Janeiro pelo PSC

Agência Democratize

O Partido Social Cristão, mais conhecido como PSC, coleciona um verdadeiro mar de polêmicas por causa de seus nomes mais ilustres.

Se Jair Bolsonaro e sua família, que agora integram o partido, já não fossem motivo de discussão o bastante, a sigla parece ter permitido não apenas a entrada, como também a candidatura de um homem que propaga o nazi-fascismo nas redes sociais.

Seu nome é Marco Antônio Santos — se apresentando como “Professor”. Ele é candidato pelo PSC para a Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro. É possível verificar seus dados no cadastro do site Eleições 2016: tem 52 anos, divorciado, e trabalha como Analista de Sistemas. Apesar de se auto-intitular professor, Marco tem apenas o ensino médio completo.

Marco já havia causado polêmica por duas vezes no ano passado.

A primeira foi após tirar uma foto com o deputado Jair Bolsonaro — algo que foi duramente replicado nas redes sociais, já que o “professor” naquele momento já estava travestido de sósia do ditador alemão Adolf Hitler.

Posteriormente, Marco voltou a ser assunto após comparecer por convite do vereador Carlos Bolsonaro (filho de Jair, do mesmo partido) na Câmara dos Vereadores, durante sessão da Comissão de Direitos Humanos.

Além de Marco, outros 5 simpatizantes da ditadura militar foram convidados pelo vereador do PSC. A sessão tratava do projeto de Carlos Bolsonaro, sobre a exclusão de conteúdos políticos das escolas públicas do Rio.

VÍDEO:

A presença de Marco causou uma série de discussões no plenário. O presidente da casa, Jefferson Moura (Rede), impediu que o “professor” falasse na sessão — conforme planejado por Carlos Bolsonaro. “Num parlamento democrático não há espaço para apologia ao nazismo. É inadmissível um indivíduo fantasiado de Adolf Hitler usar a tribuna do plenário para se expressar”, disse Jefferson.

“Ele queria provocar, era um Hitler fake”, disse o historiador Milton Teixeira, em entrevista ao Jornal O Dia. Segundo Milton, o “professor” usava broches que lembravam o nazismo, mas nenhum daqueles símbolos realmente era do período de trevas da História mundial.

Marco é integrante do grupo Nacional Democracia (DAP), que tem uma página com poucas centenas de curtidas no Facebook.

Nas postagens, homenagens ao ex-torturador Coronel Brilhante Ustra, além de críticas contra o governo Dilma Rousseff.

Um post que chama a atenção é sobre uma campanha do Ministério da Saúde no carnaval de 2015: “Este é o lixo moral, que travestido de campanha de conscientização, faz claramente apologia ao homossexualismo, com uma série de mensagens subliminares”, aponta o texto.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Jonas Schlesinger Postado em 14/Sep/2016 às 11:52

    Se é uma tribuna democrática, por que não deixaram ele falar? O cara vai todo no estilo Hitler, o que é por si só algo que não se deve levar a sério, e pensam que ele vai propagar o nazismo livremente? No mínimo seria levado por quatro guardas (um segurando em cada membro) e jogado na sarjeta. Porém o simples fato dele se fantasiar ou integrar a um grupo de extrema direita não se pode impedi-lo de manifestar suas ideias.

    • Salomon Postado em 14/Sep/2016 às 18:55

      Jonas, apologia ao nazismo é crime: Lei 7.716/89.

    • carlos adonias Postado em 16/Sep/2016 às 15:12

      Se não ó levam a sério por que deveriam deixá-lo falar?

  2. Henrique Postado em 14/Sep/2016 às 12:06

    Esse sujeito quer publicidade. Essa matéria dá o que ele quer. Talvez, melhor seria ignorá-lo.

    • Salomon Postado em 14/Sep/2016 às 18:53

      Henrique, desprezo foi o que fizeram com aquele ex cabo do exercito alemão. Baixinho, raquítico, com penteado á moda emo, com um bigodinho engraçado e com um olhar de doido furioso. Ninguém se dignou encarar os fatos, nem puxar-lhe o tapete. Foi subestimado, ignorado mesmo. O resto da história você já sabe.

  3. tatiana Postado em 14/Sep/2016 às 12:18

    Ariano sulamericano?

  4. Salomon Postado em 14/Sep/2016 às 12:45

    Existe um livro muito interessante chamado "o julgamento de nuremberg". Existe o filme também, aliás muito bom. Tem inclusive no youtube o documentário do julgamento com imagens reais. Seria de se recomendar aos trouxinhas que querem a volta da ditadura, etc; mas, desgraçadamente, coxinha não lê, nem se interessa por história, nem por cultura, senão novelas e seriados da globo. Mas, recomendo a todos os que querem o melhor para as futuras gerações, que entendam, como de fato começou o nazismo e o ódio às minorias. As coincidências entre o Brasil de hoje e a Alemanha de 1930 são impressionantes.

    • Alex Sandro Postado em 14/Sep/2016 às 14:45

      As posturas extremistas estão pululando no mundo, desde a Ucrânia até EUA. Partidos de tendências totalitárias e populistas estão tomando corpo por ai. Estejamos atentos.

  5. Bruno Silva Postado em 14/Sep/2016 às 12:56

    Sempre a mesma empolgação... Os seres humanos são brilhantes e ao mesmo tempo patéticos. O discurso caloroso de ódio englobando a razão na insensatez que leva as sementes do horror é do desespero. A historia na mão.

  6. Nelson Teixeira Postado em 14/Sep/2016 às 13:23

    Eu só entrei na página para ler o insuspeitável. Isso significa que eu não curti nada, e nada absolutamente poderia curtir. Nelson Teixeira

  7. Thiago Teixeira Postado em 14/Sep/2016 às 13:27

    Partido Sionista Coxinha.

  8. poliana Postado em 14/Sep/2016 às 17:15

    Me dá asco só de ver a imagem!!! Meu deus!!!!!!!!!!!!

  9. Eduardo Ribeiro Postado em 14/Sep/2016 às 17:40

    Que dureza...de vez em quando dá uma vontade (passageira) de desistir do Brasil...olha esse macaco terceiro-mundista brincando de nazista, no Brasil, aos 52 anos...e além de tudo queria falar no plenário? Queria ser ouvido durante sessão da CDH?? É escárnio demais.

  10. Ana Lima Postado em 15/Sep/2016 às 18:05

    Os sionistas devem estar apoiando eles apoiam a indústria do holocausto. Procurem Norman Finkelstein.

  11. Leka Postado em 14/Sep/2016 às 13:57

    Presidiário 2018!! Chora Bolsominion!!! Bostanaro é bandido!!!

  12. Alex Sandro Ribeiro Soare Postado em 14/Sep/2016 às 14:42

    Praticamente homônimo do dito cujo, hein? Deve se encher de brotoeja só por isso. Mas fique tranquilo, seu arremedo de füher não tem a menor chance.

  13. Ferreira Postado em 14/Sep/2016 às 15:15

    Caramba, que argumentos...