Redação Pragmatismo
Compartilhar
Michel Temer 30/Sep/2016 às 13:15
5
Comentários

O que disse Michel Temer na época do massacre do Carandiru

Cinco dias após o massacre do Carandiru, o atual presidente Michel Temer foi nomeado secretário de Segurança do Estado de São Paulo. Confira o que ele disse ao assumir o posto, em outubro de 1992

michel temer carandiru secretário segurança sp
Michel Temer (reprodução)

Cinco dias após o massacre do Carandiru, o atual presidente Michel Temer foi nomeado secretário de Segurança do Estado de São Paulo. Ao assumir o posto, em outubro de 1992, Temer afirmou que recomendaria ao comando-geral da Polícia Militar repouso e meditação para os envolvidos em ações como o massacre.

Os militares envolvidos em confrontos como os do Pavilhão 9 da Casa de Detenção, em casos de perseguição, cercos, tiroteios, merecem repousar depois de ações como essas e ser submetidos a tratamento psicológicos. O choque do dia-a-dia é uma tarefa ingrata e eles precisam de repouso e meditação. Vou recomendar ao comando-geral da Polícia Militar esse tratamento“, disse, segundo reportagem veiculada na época.

Na época, Temer prometeu uma ação policial sem excessos, mas não negou o uso da violência.

Se a polícia for recebida com violência ela usará os mesmos métodos, pois a toda ação deverá responder de maneira igual, é, claro, sem excessos”, disse.

Em maio deste ano, em uma reunião ministerial, Temer recordou o período em que foi secretário de Segurança.

Eu fui secretário de segurança pública duas vezes em São Paulo e tratava com bandido, então eu sei o que fazer com o governo.”

Massacre

Nesta terça-feira, o Tribunal de Justiça de São Paulo anulou os julgamentos que condenaram 73 policiais militares pelo massacre. Ao votar pela anulação, o relator do processo, desembargador Ivan Sartori, afirmou que não houve massacre, “houve legítima defesa”.

Em 2 de outubro de 1992, a Polícia Militar foi de São Paulo invadiu o Pavilhão 9 da Casa de Detenção, durante uma rebelião. Para controlar os presos, a PM matou 111 presos. Os réus alegavam que os presos estavam armados. Eles foram condenados a penas que vão de 48 a 624 anos.

Leia também:
Anulação da condenação de PMs no massacre do Carandiru é vergonhosa
As sete maiores vergonhas do Brasil em todos os tempos
Massacre do Carandiru: “escalei montanha de corpos”
Massacre do Carandiru: “fiquei com sangue até no meio da canela”

Grasielle Castro, Brasil Post

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Pedro Postado em 30/Sep/2016 às 15:00

    O que ele falou que não esteja de acordo com os Direitos Fundamentais e demais normas vigentes?

  2. João Paulo Postado em 30/Sep/2016 às 20:15

    Nada demais. E, honestamente, ninguém que morreu ali fez falta.

    • Plínio Rocha Postado em 30/Sep/2016 às 23:37

      João Paulo é pai ou filho de alguém que morreu no acontecido? Será que todos que morreram ou estavam no local eram bandidos de alta periculosidade? E isso não se trata apenas de direitos humanos, mas também de bom senso.

  3. JOHN J. Postado em 02/Oct/2016 às 01:12

    PRIVATARIA A técnica criada pelo professor que só deu algumas aulas na USP e se tornou o professor mais rico do mundo, o tucano F H C e que foi amplamente usada e comandada pelo vampiro político JOSÉ S E R R A, funciona assim: - eles tomam conta das empresas pública, colocam elementos da quadrilha TUCANALHA em todos cargos da empresa que tem algum poder de decisão e aos poucos vão saqueando tudo que podem em todas Áreas da empresa. O mais poderosos da empresa, tomam providências para que a empresa comece a ter problemas de falta de grana até para comprar papel higiênico para os funcionários e para todos serviços de manutenção e dizem que ela, a empresa, está deficitária e dando prejuízo. Assim, saqueada e sucateada, a empresa começa a aparecer na mídia como um ELEFANTE BRANCO, algo inútil que precisa ser descartado como lixo, para evitar mais prejuízos. Seus amigos empresários, interessados nas empresas, são contatados e as regras são reservadamente firmadas, quase sempre em reuniões no exterior, principalmente em países considerados paraísos fiscais. Após todas tratativas serem efetuadas, sempre NO LIMITE DA IRRESPONSABILIDADE, os elementos da quadrilha marcam um LEILÃO dessas empresas, para dar ao povo, que eles já manipularam, via TV,Revista e Jornais, comprando donos dessas mídias e jornalistas aéticos. Faz-se o leilão e eles, gloriosamente, festejam o fato de terem vendido a empresa por valor acima do valor mínimo, e também festejam o fato de emprestarem aos compradores o dinheiro que eles vão pagar pela compra, com dinheiro do povo brasileiro, via banco público, o BNDES. Os empresários também festejam, pois compraram verdadeiras minas de ouro, sem usar nenhum dinheiro de seus bolsos, nada, pois não precisaram dispor de um centavo sequer dos seus, e só gastarão, é claro, os depósitos que farão em nomes dos elementos da quadrilha em bancos e offshore no exterior como pagamento pela benesses recebidas da quadrilha. Isso aconteceu em todas PRIVATARIAS que a quadrilha TUCANALHA executou no governo FHC e tenho certeza que é esse o mesmo plano do atual governo golpista, que está tentando seguir r o mesmo molde, saqueando, sucateando, desqualificando e mostrando na mídia uma realidade diferente da que é a realidade. Esse é o modelo dos ladrões que inventam essa técnica, os TUCANOS DO FHC.

  4. a.ali Postado em 02/Oct/2016 às 16:18

    Pois esse é o Temeroso, URURPADOR do poder, frouxo que foi votar bem antes do previsto(e alguém acreditou na agenda dele?)para não ser vaidao e que sabe "lidar com bandidos" disso sabemos nós pois até seus homens de guarda são ladrões... E.T.: estava impossível acessar as noticias do "conversa afiada" agora não é possível nem acessar o blog, porque será, hem, hem???