Redação Pragmatismo
Compartilhar
Impeachment 02/Sep/2016 às 12:59
4
Comentários

Editorial do El País condena destituição de Dilma: "Golpe baixo"

"Golpe baixo". Editorial do jornal espanhol El País condena destituição de Dilma Rousseff: "Estamos diante de fraude que lança grave sombra sobre futuro imediato do Brasil"

el pais condena golpe impeachment dilma

O jornal espanhol El País publicou na quarta-feira (31/08) um editorial intitulado “Golpe baixo no Brasil” em que alerta para os danos que a destituição de Dilma Rousseff pelo Senado pode ter para as instituições brasileiras.

A destituição da presidenta brasileira, Dilma Rousseff, aprovada ontem pelo Senado do país por 61 votos a favor e 20 votos contra constitui um golpe baixo ao funcionamento institucional de um país que, durante décadas e com esforço, se converteu em exemplo de democracia consolidada para toda a região [América Latina]”, diz o veículo.

Para o El País, os partidos políticos de oposição a Dilma “ajustaram a jogos políticos” o procedimento de impeachment, “sem se importar com o dano que causaria à legitimidade democrática”.

O jornal acredita que o impeachment, mecanismo previsto na Constituição brasileira, só pode ser usado em “casos excepcionais” e “extremamente graves”, visto que pode provocar uma “grave crise política e institucional”.

Mas este não é o caso com Dilma Rousseff”, afirma a publicação. “Ao ser impossível encontrar uma prova de implicação no escândalo da Lava Jato, uma rede de corrupção generalizada na qual estão implicados destacados membros de partidos que ontem votaram contra ela, os legisladores recorreram a um motivo (…) que, ainda que previsto na Constituição, carece de suficiente força política para justificar a destituição de Rousseff e o trauma e divisão que estão caindo sobre o país”.

Leia também:
O primeiro discurso de Dilma Rousseff após ter o mandato cassado
Temer é empossado e empresários já falam em usurpar direitos e conquistas sociais
Dilma julgada pelo dono do helicóptero do pó, por um algemado e por um cassado
Joaquim Barbosa diz que impeachment de Dilma foi “espetáculo patético”

Segundo o El País, o fato de Dilma ainda estar habilitada a ocupar cargos públicos — justamente o contrário do que prevê o impeachment, isto é, inabilitação política por oito anos — “demonstra que o Congresso brasileiro aplicou as normas sobre destituição com objetivos bem diferentes aos que a norma determina”.

Estamos diante de uma fraude de lei que lança uma grave sombra sobre o futuro imediato do Brasil, mais necessitado de unidade perante a crise econômica e política do que de divisões irreconciliáveis”, concluiu o jornal espanhol.

Opera Mundi

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Leonardo Araújo Postado em 02/Sep/2016 às 16:03

    De um coxinha: mais um maldito jornaleco do esquema desses malditos petralhas!

    • Vinis Postado em 02/Sep/2016 às 17:12

      "A Europa está dominada por comunistas e muçulmanos!" - direitoso brasileiro.

  2. Eduardo Ribeiro Postado em 02/Sep/2016 às 17:38

    A corja anencéfala paneleira precisa que a História diga que foi golpe. São incapazes de enxergar isso agora. Precisa a Globo vir daqui a 40 anos "ih, foi malz aê...mas em 2016 foi golpe sim, e nós pedimos perdão de novo...hihihi", e ainda assim vão duvidar. Se abrissem o olho um pouquinho........ """""Foi sancionada e publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (2) a Lei 13.332/2016, que flexibiliza as regras para abertura de créditos suplementares sem necessidade de autorização do Congresso. Crédito suplementar é um reforço a uma despesa já prevista na lei orçamentária.""""". .... Tá aí MAIS UMA prova cabal do golpe, seus trouxas. Aquilo que anteontem mal e porcamente validou um impeachment e feriu de morte a democracia, hoje 2 dias depois é legalmente amparado, proporcionando anistia coletiva à todos os governos que usaram amplamente das assim chamadas "pedaladas". Quem afirma precisar do aval da História pra aceitar que houve golpe é BURRO ou CANALHA. Parabens aos envolvidos.

  3. Sergio Carneiro Postado em 05/Sep/2016 às 04:38

    Um editorial vindo do El País não pode ser considerado sério, ele esta apenas fazendo o seu papel como: o The Guardian, NYT entre outros.