Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mundo 09/Sep/2016 às 11:10
6
Comentários

Coreia do Norte faz seu maior teste nuclear e EUA prometem 'sérias consequências'

Explosão atômica de 10 quilotons de energia foi a mais potente desde a bomba atômica lançada sobre Hiroshima em 1945; teste provocou terremoto de 5,3 graus na escala Richter. EUA reagem e prometem sérias consequências. Confira como se posicionaram outros países

Coreia do Norte teste nuclear
Teste nuclear da Coreia do Norte causou sismo de 5,3 graus na escala Richter.

Organizações e líderes mundiais condenaram, nesta sexta-feira (09/09), o quinto teste nuclear realizado pela Coreia do Norte. A explosão atômica, confirmada pelo governo de Kim Jong-um, foi a mais potente desde a bomba atômica lançada sobre Hiroshima em 1945, segundo especialistas.

A AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica), ligada à ONU, advertiu que o anúncio de Pyongyang representa uma “clara violação” das resoluções do Conselho de Segurança da ONU e um ato “preocupante e lamentável”.

“Peço categoricamente à Coreia do Norte que aplique totalmente todas as resoluções pertinentes do Conselho de Segurança da ONU e da AIEA”, afirmou em comunicado Yukiya Amano, secretário-geral desse organismo da ONU.

A pedido dos Estados Unidos, do Japão e da Coreia do Sul, o Conselho de Segurança da Organização da ONU realiza nesta sexta uma reunião a portas fechadas sobre o tema.

Em comunicado, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, qualificou o teste como uma “provocação” e sugeriu aos países “aliados e parceiros” que o teste nuclear tenha “sérias consequências” para a Coreia do Norte.

SAIBA MAIS:
Coreia do Norte ameaça ‘ataque nuclear preventivo’ após exercício dos EUA

A presidente sul-coreana, Park Geun-hye, condenou “energicamente” o teste, que representa uma “clara violação” das resoluções da ONU e também um “ato de desafio contra a comunidade internacional”.

O governo alemão convocou o embaixador da Coreia do Norte em Berlim. Em entrevista coletiva à imprensa, o porta-voz da Chancelaria, Steffen Seibert, condenou “com toda contundência” um teste com o qual a Coreia do Norte procura de maneira “irresponsável” avançar na desestabilização do nordeste asiático.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, descreveu o programa de testes da Coreia do Norte como uma “grave ameaça” para o Japão.

O chanceler russo, Serguei Lavrov, declarou estar seriamente preocupado com o teste. “As resoluções do Conselho de Segurança devem ser estritamente implementadas e devemos enviar esta mensagem de maneira muito forte”, disse.

A China, único grande parceiro do governo de Kim Jong-um, condenou a ação e informou que irá notificar a Coreia do Norte.

O governo da Coreia do Norte confirmou nesta sexta-feira ter realizado seu quinto teste nuclear, o mais potente até então.

“A detonação atômica aconteceu com sucesso”, disse a locutora Ri Chun-hee, encarregada de divulgar os principais anúncios do regime, em um informe especial exibido na televisão estatal KCTV.

De acordo com a locutora, o novo teste atômico é uma “medida de resposta aos EUA e a nossos inimigos que nos sancionaram, negando nosso status de orgulhosa potência nuclear e criticando nossas ações baseadas no direito à autodefesa”.

Chun-hee acrescentou que os norte-coreanos vão “continuar reforçando nossas capacidades para impulsionar nossa força nuclear”.

A explosão, realizada no dia em que a Coreia do Norte comemora o 68º aniversário de sua fundação, ocorreu na base de Punggye-ri, no nordeste do país, mesmo local onde o país havia detonado explosivos nucleares em 2006, 2009, 2013 e em janeiro deste ano, que lhe causaram fortes sanções do Conselho de Segurança da ONU.

O teste nuclear realizado nesta sexta teria liberado 10 quilotons de energia – o dobro do verificado quarto teste realizado pelo país, segundo cálculos do Exército sul-coreano.

VEJA TAMBÉM:
O que vi quando visitei a Coreia do Norte

Segundo especialistas, essa foi a maior explosão atômica desde a bomba lançada pelos Estados Unidos sobre a cidade de Hiroshima em 1945, que liberou cerca de 15 quilotons.

O teste causou também um terremoto de 5,3 graus na escala Richter.

EFE e Opera Mundi

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Fábio Silva Postado em 09/Sep/2016 às 13:57

    há um erro no artigo, esse é o maior teste nuclear realizado pela coréia do norte e não o mais poderoso já realizado no mundo desde hiroshima. Lembrando que em 30 de outubro de 1961 a URSS testou um artefato de 50 megatons, ou seja 5000x mais poderoso que este teste norte coreano. Sem querer amenizar e muito menos justificar o teste norte coreano, esse tipo de artigo é terrivelmente parcial, enquanto a coréia do norte testa um pequeno artefato de 10Kt os EUA possuem mais de 1500 ogivas, parte armazenada no japão, sendo que estas ogivas possuem acima de 40x mais poder destrutivo que o artefato testado pelos norte coreanos.

    • Luiz Postado em 09/Sep/2016 às 16:11

      Exato Fabio. Impedir nações de terem artefatos nucleares sendo que eles detém a maior reserva desde tipo de armamento no mundo é no mínimo hipocrisia...

  2. Thiago Teixeira Postado em 09/Sep/2016 às 19:59

    Declaro total apoio ao meu comandante Kin Jon Un. Desgraça e sofrimento eterno a todo imperialismo e direita mundial golpista. (ops, capaz da PF me prender por comentários terroristas, como fizeram com os coitados muçulmanos do nordeste antes das olimpíadas).

  3. enganado Postado em 09/Sep/2016 às 22:56

    Se pode USA, i$$$raHell, Arábia Maudita, Inglaterra, ....(Ocidente Maravilha) etc. Então pode todo mundo! Ou será que o SOL não nasceu para todos? Essa turma pensa que o Mundo é __braziUS__ , como que o SOL daqui do braziUS, só nasce para a DIREITA. Parabéns """COREIA DO NORTE""". Mais umas 15 bombinhas destas e os USraHell vão pensar duas vezes em invadi-los. Vide: Líbia / Iraq / Afganistão / Síria / Vietnã do Norte / Laos / Cambdja / GAZA / CISJORDÂNIA / Mostrar mais: https://br.sputniknews.com/asia_oceania/20160909/6273525/teste-nuclear-coreia-norte.html

  4. Felipe Postado em 12/Sep/2016 às 22:38

    "Declaro total apoio ao meu comandante Kin Jon Un." O.o ? Que bizarro!

  5. João Paulo Postado em 02/Oct/2016 às 01:33

    Nem todo país é uma republiqueta de capachos-fêmeas como o brazil, Tio Sam!