Redação Pragmatismo
Compartilhar
Direita 23/Sep/2016 às 14:06
11
Comentários

Alunos declaram apoio a Jair Bolsonaro em escola e são suspensos

Alunos alegam que foram suspensos após publicarem foto com declaração de apoio ao deputado extremista Jair Bolsonaro (PSC). Secretaria Estadual de Educação nega a suspensão

estudantes ceará Bolsonaro foto
(Imagem: Estudantes de escola pública do Ceará prestam homenagem a Bolsonaro)

Um grupo de estudantes da escola estadual Professora Alda Façanha, na região metropolitana de Fortaleza, diz que foi suspenso após publicar uma foto nas redes sociais em que declara apoio ao deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

A foto dos estudantes em posição de continência com a mensagem “Bolsonaro 2018” é uma adesão à campanha da página no Facebook Direta Ceará, que pede educação sem doutrinação.

A imagem viralizou no último dia 13 e a direção da escola optou por punir os estudantes, que não quiseram tirar a foto do ar.

“Quando nos recusamos a apagar a foto, afirmaram que nós tomaríamos consequências de nossos atos, por isso nos suspenderam”, disse um dos estudantes ao Tribunal do Ceará.

A Secretaria Estadual de Educação, no entanto, nega a suspensão.

“A Secretaria da Educação informa que não houve por parte do núcleo gestor da Escola Estadual de Ensino Profissional (EEEP) Professora Alda Façanha, em Aquiraz, pedido para que fossem apagadas mensagens nas redes sociais, bem como suspensão dos estudantes. O ambiente escolar é um espaço plural e democrático. A escola incentiva a convivência pacífica e o diálogo entre os que adotam ideologias e comportamentos políticos diferentes.”

Escola Sem Partido

A proposta da Escola Sem Partido é incentivar uma educação sem enviesamento político. O projeto, defendido por Jair Bolsonaro, entretanto, vai na contramão do que se entende por metodologia de ensino. Contraria a noção de que a escola também é civilizatória e o conceito de ensino de Paulo Freire, de que toda educação é política.

Para o defensor do projeto, que tramita na Câmara dos Deputados, deputado Izalci (PSDB-DF), a ideia é evitar que os professores aproveitem a “audiência dos alunos” para incliná-los a determinado partido político ou conduta moral. O projeto foi apelidado do “Lei da Mordaça”.

Huffpost Brasil

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Vinis Postado em 23/Sep/2016 às 16:28

    Infelizmente daqui pra frente a tendência é termos muito mais casos como esse.

  2. Thiago Lopes Postado em 23/Sep/2016 às 18:41

    Que linda a nossa juventude hitlerista

    • Diana Tavares Postado em 24/Sep/2016 às 10:10

      Mais lindo ainda é saber que essa iniciativa partiu de um grupo de jovens latino - americanos, a praga que o Fuher tentou combater com tanto esmero. Adolfinho está chorando de orgulho lá do Inferno.

  3. Thiago Lopes Postado em 23/Sep/2016 às 18:49

    Engraçado eles baterem continência, pois de fato é com o militarismo que a individualidade, a liberdade e o pensamento autônomo são reprimidos até à sua total aniquilação.

  4. marcio ramos Postado em 23/Sep/2016 às 18:58

    O que a TV nao conseguiu fazer a internet promete.

  5. Eduardo Ribeiro Postado em 24/Sep/2016 às 09:05

    Jovens saudáveis, bonitos, bem cuidados, tudo na mão, e venerando um FASCISTA. Nessas horas me lembro dos safados, dos bandidos que falam tanto em """""doutrinação marxista""""" nas nossas escolas.

  6. Tatiana Lima Postado em 24/Sep/2016 às 10:24

    Não entendo eles querem uma escola sem partido, mas tiram foto com uniforme da escola, dentro do ambiente escolar apoiando membro de partido político... Que coisa não!

  7. kitwalker Postado em 24/Sep/2016 às 10:50

    " pede educação sem doutrinação".......kkk

  8. Thiago Teixeira Postado em 24/Sep/2016 às 17:37

    Achei idiota a atitude da Escola, as pessoas devem escolher suas ideologias políticas livremente.

  9. Marcos Torres Postado em 24/Sep/2016 às 18:32

    A suspensão evidencia a doutrinação ideológica nas escolas tão bem já denunciada. Bolsonaro é extremista tanto quanto Jean Willis.

  10. Aristóteles Postado em 25/Sep/2016 às 11:11

    Perguntar não ofende, né? Não seria esse o início do tão sonhado programa tucano/fascista/nazista intitulado Ponte Para o Futuro? Se for isso; nada de novo, em se tratando do golpe judiciário/midiático/legislativo!