Redação Pragmatismo
Compartilhar
Educação 03/Aug/2016 às 12:10
0
Comentários

Programas do governo são fundamentais para jovens ingressarem na universidade

Metade dos jovens brasileiros dependem de programas do governo para cursar universidade. Pesquisa inédita realizada pela ABMES revelou que, embora os jovens sonhem com o diploma, mais da metade deles, 50,5%, afirmou que a família não tem condições de pagar uma faculdade particular

estudantes ensino superior políticas públicas governo

Revista Fórum

Uma pesquisa inédita realizada pela Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior (ABMES) divulgada no fim do mês de julho mostra que 50,5% dos jovens que pretendem ingressar em curso superior de universidade não têm condições de pagar as mensalidades e precisam da ajuda de programas de financiamento do governo.

37,3% dos entrevistados informaram que poderiam pagar as mensalidades e 12,2% disseram que talvez tenham condições de pagar. O estudo ouviu mil jovens de 18 a 30 anos, com ensino médio completo, de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Florianópolis, Salvador, Fortaleza, Manaus, Recife e Belém.

Segundo a pesquisa, 81% dos jovens entrevistados pretendem cursar o nível superior dentro dos próximos 3 anos. Embora sonhem com o diploma, mais da metade deles, 50,5%, afirmou que a família não tem condições de pagar uma faculdade particular.

Dentro deste grupo que pretende cursar uma graduação, 57,9% dos jovens esperam contar com o ProUni e 50,3%, com o Fies para atingir seu objetivo. A maioria destes estudantes, 71,9%, cursou o ensino médio em escolas públicas e 62,9% deles acredita que os estudantes de escolas públicas não têm as mesmas condições que os alunos das particulares para ter acesso às universidades públicas.

Leia também:
Novo ministro da Educação sinaliza privatização do ensino superior
Ministro ouve dicas de Alexandre Frota e Revoltados Online para a educação
A melhor educação do mundo é 100% estatal, gratuita e universal

Também é unânime a opinião de que o governo federal deve aumentar o número de vagas do Fies (90,2%) e do ProUni (91,9%); e 75% não considera justo que o governo reduza os investimentos em programas educacionais com o objetivo de controlar os gastos públicos.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários