Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mulheres violadas 03/Aug/2016 às 11:33
0
Comentários

Jornalista agride mulher e não se arrepende: "barraqueira merece apanhar"

Jornalista agride mulher e diz que ela mereceu: ‘Barraqueira, merece, sim, levar umas bordoadas’. Agressor ainda reforçou que não se arrepende da atitude: “Ainda terei o prazer de ler a Lei de Proteção aos Direitos do Homem”

assem neto jornalista agressor sindicalista
Mensagens em redes sociais do agressor (Imagem: Pragmatismo Político)

Revista Fórum

A diretora do Sindicato dos Trabalhadores do Acre (Sinteac), Márcia Lima, foi agredida no último mês de julho pelo assessor de comunicação Assem Neto, que também trabalhava na entidade. Ela contou que o jornalista ficou irritado quando pediu para ele fazer correções em uma matéria. Foi quando se exaltou e deu um soco no olho da diretora. O comportamento explosivo, segundo a sindicalista, já acontecia há algum tempo, mas esse é o primeiro caso de agressão física por parte de Neto, que acabou demitido.

Ele foi solto após duas horas na Delegacia de Flagrantes (Defla) e deve responder por lesão corporal. Nas redes sociais, o assessor disse não estar arrependido da atitude. “Mulher barraqueira merece, SIM, umas bordoadas, principalmente quando não sabe ser rejeitada e ainda chama tua mãe de puta. Cultura vem de berço. Quando o bagaço se diz educadora, pior ainda. A Lei Maria da Penha pune sem observar causas e consequências. Ainda terei o prazer de ler a Lei de Proteção aos Direitos do Homem”, escreveu.

assem neto jornalista agressão física márcia lima

Logo, ele voltou a se manifestar sobre o caso. “Continuem as críticas à minha atitude. Nada vai mudar a minha ideia. Repito: há limite para tudo. Quem se vale dessa lei vagabunda para provocar, ousar, tirar proveito da situação, aparecer na mídia, ainda que com olho roxo, tem que aprender a respeitar. Não é diferente de um assaltante que invade sua casa quando vc e sua família estão dormindo. Mereceu”, disse.

assem neto jornalista agressão física márcia lima

O presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Acre (Sinjac), Victor Augusto, publicou uma nota de repúdio a Assem Neto, pedindo punição ao agressor. O Sinteac também saiu em defesa da diretora e afirmou que “as educadoras têm sido vítimas de alunos, marginais e de familiares, o machismo ainda é muito presente em nossa sociedade”.

A entidade afirmou ainda que a diretora é uma “ótima sindicalista, também é uma mãe dedicada, uma filha atenciosa, uma profissional competente, respeitada e querida por todas as suas colegas de trabalho e por toda a direção”.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários