Redação Pragmatismo
Compartilhar
Exploração Trabalhador 14/Jul/2016 às 11:19
7
Comentários

Ratinho é condenado por trabalho escravo em fazenda

Tribunal Superior do Trabalho condena Ratinho por manter trabalhadores em situação análoga à escravidão em uma de suas fazendas em Minas Gerais. O aprsentador também foi acusado de aliciar trabalhadores no Maranhão e na Bahia

Ratinho trabalho escravo
(Imagem: Carlos Massa, popularmente conhecido como Ratinho)

Apresentador do “Programa do Ratinho”, no SBT, Carlos Massa, conhecido como Ratinho, foi condenado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) por manter trabalhadores em fazenda de Minas Gerais em situação semelhante ao trabalho escravo.

Segundo o Tribunal, Ratinho deixou de fornecer equipamentos e locais de refeição para a fazenda, localizada na cidade de Limeira do Oeste, no triângulo mineiro.

A propriedade, de nome Esperança, é a principal produtora de cana-de-açúcar para uma empresa da região. Ratinho vai ter que pagar R$ 200 mil em uma ação coletiva movida por vários trabalhadores que buscavam seus direitos.

Segundo eles, a direção da fazenda de Ratinho deixou de fornecer equipamentos de proteção e locais adequados para as refeições dos empregados, que comiam no banheiro da localidade.

Além disso, Carlos Massa também foi acusado de aliciar trabalhadores no Maranhão e na Bahia, sem adotar medidas legais e corretas para a suas contratações.

Vale ressaltar que, na mesma ação civil, Ratinho já havia sido condenado a pagar R$ 1 milhão por conta das mesmas acusações. Porém, o apresentador recorreu, e conseguiu excluir a condenação de danos morais coletivos.

Mas o Ministério Público do Trabalho de Minas Gerais foi a instância superior, o TST, e provou que Ratinho violou artigos claros da constituição trabalhista.

Na decisão, a ministra do TST, Dora Maria da Costa, diz que “não restam dúvidas da conduta ilícita praticada pelo empregador, causando prejuízos a certo grupo de trabalhadores e à própria ordem jurídica, cuja gravidade dos fatos e do ato lesivo, impõe o reconhecimento do dano moral coletivo”.

Em nota divulgada, a assessoria de Ratinho comenta que o apresentador do SBT não é mais proprietário da fazenda desde abril de 2010, e que foi réu na ação pública em questão.

informações de O Globo e Natelinha

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Deisi Postado em 14/Jul/2016 às 14:41

    Acho a multa irrisória, deveria ser bem maior, esse rato e um tremendo de um hipócrita. Um cara que leva no.programa Boldonaro ,Malafaia, entrevista, Guilherme de Pádua, chuta assistente de palco e a última trabalho escravo. Sem dúvida um tremendo mal caráter.

  2. João Paulo Postado em 14/Jul/2016 às 15:02

    É um palhaço. Noutros sites, é espantoso o comportamento bizarro e a burrice da população coxinha, que defende o sujeito alegando se tratar de "perseguição" petista. Nesses vídeos do youtube, havia um programa do vagabundo defendendo um amigo (agora, é fácil entender o porquê) de uma condenação sob a alegação de trabalho análogo ao de escravo. Disse que o sujeito mora em São Paulo e não tem como saber o que acontece em suas fazendas em Goiás. E tem gente que acredita nisso. Aliás, não acredita. Quem faz coro a isso, é filho da puta mesmo. Mau caráter. Enquanto houver lucro, fodam-se as fazendas, fodam-se os escravos, fodam-se os estupros, etc. Se houver prejuízo, ele monta residência lá e manda matar se alguém cometer a ousadia de desviar algumas migalhas. Vi em outra reportagem que parece que o TST não qualificou como "trabalho análogo de escravo" e entendeu se tratar de irregularidades, ou seja, aliviaram. Ainda sim, R$ 200.000,00 para alguém com a capacidade econômica dele que se autoproclama arauto da moralidade é um mero puxão de orelha.

  3. Eduardo Ribeiro Postado em 14/Jul/2016 às 15:30

    Isso aí é ídolo do cidadão de bem brasileiro. Trabalhadores foram tratados LITERALMENTE como animais, os principios mais basilares da dignidade humana foram violados. Punição: pífios 200K. Isso aí ele ganhou enquanto eu digitava. Dinheiro de troco que, longe de inibir, estimula a explorar ainda mais.

    • poliana Postado em 15/Jul/2016 às 15:45

      eduardo, pior é o povo doente dizendo q isso é um absurdo, pura perseguição por parte da esquerda ao apresentador.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 15/Jul/2016 às 16:44

        Devem achar bonito a cena de trabalhadores se alimentando dentro de um banheiro. Gente sem um pingo de humanidade, incapaz de sentir a dor alheia, de se colocar no lugar de um trabalhador que, mais que explorado, foi animalizado. A idiotização tomou conta de tudo..

      • Vinis Postado em 15/Jul/2016 às 17:21

        Ainda botam a culpa no trabalhador falando que ele não se esforçou pra melhorar sua situação

  4. Vinis Postado em 14/Jul/2016 às 20:35

    Safado, manipulador e que ainda defende a agressão à professores!! E ainda banca o paladino da moral na televisão...