Redação Pragmatismo
Compartilhar
Homofobia 21/Jul/2016 às 11:33
15
Comentários

Primeira cena de sexo gay na TV Globo ainda repercute e provoca ódio

Primeira cena de amor entre homossexuais na história da tv aberta brasileira provocou uma série de elogios e críticas. Protagonista e autor falam da importância de discutir preconceitos e debater a intolerância

caio blat cena sexo gay novela
Atores Caio Blat e Ricardo Pereira protagonizaram cena de sexo que gerou elogios e críticas na mesma proporção

A internet ainda repercute a cena de sexo protagonizada pelos atores Caio Blat e Ricardo Pereira na novela ‘Liberdade, Liberdade’, que foi ao ar na última semana na TV Globo.

Inédita na história da TV aberta no Brasil, a cena foi muito elogiada nas redes sociais, uma vez que tentou colocar em pé de igualdade o amor entre heterossexuais e entre pessoas do mesmo sexo.

“Dois atores imensos em uma surpreendente cena de amor, marco para a TV Brasileira!”, escreveu uma internauta. “Que cena maravilhosa; deixou a família tradicional brasileira louca”, publicou outro. “É hoje que a bancada evangélica corta os pulsos? Não vou mentir, ADOOOOORO!”, dizia outro comentário.

O ator Ricardo Pereira, protagonista da cena, disse que olha com naturalidade a relação homossexual entre os dois personagens. “Já fiz muitas cenas de amor e é assim que eu vejo a cena entre eles. Foi o ápice de uma relação contida, proibida e repleta de sentimentos. Mas talvez o mais desafiador do Tolentino [personagem] seja a dúvida dele em relação ao que sente, a dor de amar alguém e não entender isso, porque na cabeça dele e das pessoas daquela época era um crime condenado à morte”, disse.

Críticas

As críticas à cena surgiram em proporção equivalente aos elogios. Muita gente ficou inconformada com uma relação sexual entre dois homens sendo exibida em uma novela – sinal claro de que precisamos, sim, de mais diversidade na TV. Confira alguns dos comentários que repudiaram a cena:

— Quando tem cena gay nas novelas da Globo ela deixa de ser golpista e passa ser a queridinha da galera de Esquerda (Juliana Santos)

— Não gostei muito da cena de #liberdadeliberdade, talvez um pouco longe d+, mas enfim… (Williender Viana)

— Por isso cada dia eu menos vejo as programações da Rede Globo. Uma vergonha! Audiência lixo (I.Coutinho)

— Realmente a globo se superou foi de última baixaria total (Ametista Alves)

— Globo apelando pela audiência da comunidade LGBT (Lila Feitosa)

— Globo fez isso pra ganhar audiência, mas podia ter sido 2 mulheres, ia ganhar muito mais, afinal, tds gostam de mulher (Cadu)

— Eu não sabia que ter uma opinião contra era ser homofóbico,mas é assim né, a ditadura ideológica do séc XXI. Que nojo (Júnior Antonio)

— Essess caras se pegando, que ridículo. Respeitar homossexuais? SIM. Achar normal dois homens se pegando? Não. (Leonardo)

Amor

Mário Teixeira, autor da trama, explicou que a proposta da história de amor entre dois homens na novela é justamente discutir preconceitos e debater a intolerância.

“Trazemos a história de duas pessoas que tem sentimentos, mas não podem vivê-los, pois este é um período em que as relações do mesmo gênero eram proibidas por lei”, disse.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. José Ferreira Postado em 21/Jul/2016 às 13:16

    "Muita gente ficou inconformada com uma relação sexual entre dois homens sendo exibida em uma novela" - sinal claro que não se deve exibir uma relação sexual entre dois homens em uma novela. O PP está a querer enquadrar os opositores como "homofóbicos". Nessa hora não tem "Fora Globo", "Globo Fascista", "Globo Golpista", "Globo Manipuladora"...

    • Eduardo Ribeiro Postado em 21/Jul/2016 às 14:55

      """"Muita gente ficou inconformada com a Lei Áurea sendo sancionada. Sinal claro de que não se deve libertar negros escravos nem extinguir oficialmente a escravidão no Brasil. O PP está a querer enquadrar os opositores como "racistas"."""" RIADOR, Isto. 1888.

      • José Ferreira Postado em 21/Jul/2016 às 17:46

        Não confunda "crocodilo" com "cocô de grilo", caro Eduardinho.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 21/Jul/2016 às 21:09

        Meu bonecao de sparring mordeu a chumbada....vou fazer outro falando de CLT ou sufrágio universal pra você se morder um pouco mais. Foi bem divertido.

      • José Ferreira Postado em 21/Jul/2016 às 22:32

        Falou aí, Eduardinho.

  2. Eduardo Ribeiro Postado em 21/Jul/2016 às 14:38

    Bolsonaretes e moralistas religiosos devem ter enfiado meia dúzia de giletes no cutuvelo, de tanto ódio que sentiram. Agradeço a papai do céu por eu ser um felizardo que não convive e sequer conhece UMA pessoa que tenha ficado "inconformada" com tal cena. Fico feliz por todos do meu convívio terem superado o estágio bestial, por estarem vivendo no mesmo século que eu, por terem mais o que fazer da vida, e por encararem uma relação sexual entre dois homens da mesma forma como encaram o processo de fervura da água: algo normal, natural, cotidiano e banal.

  3. gustavo0 Postado em 21/Jul/2016 às 16:15

    Se essas pessoas, as que cultivam o ódio, soubessem o mal que fazem a si e aos outros, jamais odiariam tanto. O ódio é o veneno mais tóxico para a sociedade, infelicita os indivíduos, tanto os recebedores do ódio quanto os espalhadores, que já são intrinsecamente infelizes. Tantas coisas a se fazer, amores pra viver, lugares para explorar, projetos realizar. O ódio ocupa um espaço que não deveria, lamentavelmente, pois é uma opção propagá-lo. Dizem que o cigarro é a maior causa evitável de câncer, mas eu acredito mesmo que seja o ódio.

    • José Ferreira Postado em 21/Jul/2016 às 17:45

      Foi dessa forma que a Luísa Bairros morreu. De tanto odiar gente branca, ela morreu de câncer. Foi essa mesma que disse, em tom de ódio, que ser contra os "rolezinhos" é coisa de "gente branca".

      • eu daqui Postado em 22/Jul/2016 às 15:01

        Tanto estudo pra tanto ódio...........é melhor ser analfa

      • José Ferreira Postado em 22/Jul/2016 às 17:26

        Eu sei, a Luísa Bairros estudou bastante, mas isso não fez com que ela se tornasse tolerante. Que descanse em paz.

    • eu daqui Postado em 22/Jul/2016 às 14:50

      Então brasileiro é toxico pq o que mais há por aqui é ódio. E inveja também.

  4. pedro Postado em 21/Jul/2016 às 20:36

    Sempre existiu Homossexual desde o começo da humanidade, na antiga Grecia os homens ja transavam entre si,observem as esculturas Gregas, acho que falta um pouco de esclarecimento do povo,a opção sexual é de cada um, o mais importante e enxergar a Alma humana.

  5. Telmo Postado em 22/Jul/2016 às 09:58

    A discriminação pode ocorrer onde menos se espera: "Narcisismo, homofobia e discriminação na política."

  6. enganado Postado em 26/Jul/2016 às 18:28

    Pensei que fosse aquele encontro, a noite, entre o CÚnha e RATAZANA-Temer no Palácio 4/Julho (Jaburu). Sorte que ninguém viu nada, o general, ministro da Secretaria de Segurança não permitiu que ninguém se aproximasse para não interromper o idílio.

  7. Luciano Postado em 31/Jul/2016 às 00:39

    A mim não causou nenhum incomodo, alem de eu não ser fiscal da sexualidade alheia eu durmo cedo para acordar as 4:55 da manhã para encarar o batente.