Redação Pragmatismo
Compartilhar
Religião 07/Jul/2016 às 10:25
4
Comentários

Pastor R.R. Soares é obrigado a devolver passaporte diplomático

Justiça manda pastor R.R. Soares entregar passaporte diplomático concedido por José Serra. Esposa do líder da Igreja Internacional da Graça de Deus também terá de devolver a regalia

Pastor R.R. Soares passaporte diplomático
(Imagem: Pastor R.R. Soares)

A Justiça Federal em São Paulo determinou liminarmente a suspensão dos passaportes diplomáticos concedidos ao pastor R. R. Soares e a sua mulher, Maria Magdalena Ribeiro Soares, da Igreja Internacional da Graça de Deus, concedidos pelo ministro das Relações Exteriores José Serra (PSDB) na última semana.

A decisão liminar acata o pedido em ação popular movida pelo advogado Ricardo Abraão Amin Nacle questionando a concessão do benefício aos pastores.

Na decisão, o juiz da 7ª Vara Federal Cível Tiago Bologna Dias dá cinco dias para os pastores entregarem o documento à Justiça e aponta que a concessão do benefício aos religiosos representa uma “confusão entre Estado e religião incabível”.

“Na Ordem Constitucional vigente o Estado é laico, há separação plena entre Igreja e Estado, de forma que é efetivamente incompatível com a Constituição que líder religioso, nesta condição e no interesse de sua instituição religiosa, seja representante dos interesses estatais brasileiros no exterior”, assinala o magistrado.

Tiago Bologna Dias contesta o argumento do Ministério das Relações Exteriores de que a concessão do benefício aos pastores atende ao “interesse do país”, uma das justificativas previstas na legislação sobre o tema.

Para o magistrado, ainda que a legislação deixe em aberto algumas possibilidades para a concessão do benefício, “isso não quer dizer arbitrariedade, vale dizer, a opção de conveniência e oportunidade deverá respeitar os parâmetros constitucionais, legais e regulamentares incidentes e sua conformidade com os fins do instituto”.

Além disso, o juiz apontou que, além do alegado interesse do país, o Ministério deve explicar os motivos de forma mais detalhada para autorizar os passaportes, o que não foi feito na portaria envolvendo R. R Soares e sua mulher.

Na prática, o passaporte diplomático permite a R. R Soares e a sua mulher entrarem e saírem de alguns países com relação diplomática com o Brasil sem a necessidade de visto ou qualquer outra burocracia. O passaporte, contudo, não dá imunidade diplomática a eles.

Agência Estado

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Alan Kevedo Postado em 07/Jul/2016 às 11:39

    SABIA QUE NÃO TINHA DIREITO À ESSA REGALIA DE PASSAPORTE DIPLOMÁTICO, MAS , NA MAIOR CARA DE PAU, CORREU PARA "EMBOLSAR" AGORA O VEXAME DE TER QUE DEVOLVER !!! TOMA !!!

  2. daniela Postado em 07/Jul/2016 às 17:47

    O que pensava o Senador e agora Ministro José Serra ao lhes conceder esse benefício?????????

    • Felipe Postado em 07/Jul/2016 às 21:45

      O mesmo que o ministro da Dilma quando concedeu.... era uma renovação do passaporte concedido em 2013 mas naquela época ninguém achou ruim não, porque será q mudaram de opinião?

  3. Deisi Postado em 08/Jul/2016 às 18:44

    Ufa! Até que enfim um juiz de bom senso.