Redação Pragmatismo
Compartilhar
Ciência 08/Jul/2016 às 14:53
0
Comentários

Por que alguém tentou matar o cérebro mais brilhante do planeta?

Mulher americana é condenada a quatro meses de prisão por querer matar Stephen Hawking. Ela também foi proibida de se aproximar a menos de 500 metros do cientista ou de manter contato com ele por meio de redes sociais

Stephen Hawking matar assassinato
Stephen Hawking

Uma mulher americana foi condenada a quatro meses de prisão na Espanha por ameaças de morte contra o físico e cosmólogo britânico Stephen Hawking.

A mulher de 37 anos, que poderá cumprir a pena em liberdade, também foi proibida de se aproximar a menos de 500 metros do cientista ou de manter contato com ele por meio de redes sociais pelos próximos oito meses.

A prisão da mulher ocorreu em um hotel na ilha espanhola de Tenerife, onde Hawking participava de uma conferência. Ela havia assediado Hawking via redes sociais antes de segui-lo até a Espanha.

Segundo a imprensa local, mensagens ameaçadoras começaram a inundar perfis do físico nas redes sociais e uma de suas caixas de correio eletrônico na última terça-feira.

A mulher, identificada pela imprensa espanhola como Jenny Teresa C., tinha dito ao físico que o mataria durante o festival Starmus, que teve participação de vencedores do Prêmio Nobel, astronautas e músicos como Brian May, guitarrista do Queen, e Brian Eno.

Ao ser presa, na quarta-feira, a mulher tinha entre seus pertences um mapa com o itinerário de Hawking durante sua visita à ilha.

Jenny Teresa C. disse à polícia que estava apaixonada por Hawking e que nunca o machucaria.

Segundo a agência de notícias Europa Press, investigadores acreditam que a mulher possa ter problemas psiquiátricos.

Por causa das ameaças antes do evento, a polícia espanhola já havia providenciado segurança adicional a Hawking.

Durante sua participação no evento, Hawking previu que os humanos não irão sobreviver por mais mil anos na Terra por causa da fragilidade do planeta.

BBC

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários