Redação Pragmatismo
Compartilhar
Religião 01/Jul/2016 às 17:25
15
Comentários

Haddad veta 'Dia de Combate à Cristofobia' e frustra evangélicos

Haddad veta 'Dia do Combate à Cristofobia'. Prefeito de São Paulo diz que proposta é inconstitucional e não ajuda no entendimento entre cristãos, as demais religiões e a comunidade LGBT. Projeto pretendia “garantir a liberdade” dos cristãos, que estariam sofrendo “perseguições” ao criticar homossexuais

Haddad Cristofobia religião sp tuma
Fernando Haddad (esq), prefeito de São Paulo. Ao lado, o vereador Eduardo Tuma (PSDB), autor do projeto da Cristofobia, acompanhado pelo líder evangélico Silas Malafaia

“A proposta revela-se oposta ao interesse público e aos princípios constitucionais basilares, vale dizer, a construção de uma sociedade livre, justa e solidária, a redução das desigualdades sociais, a promoção do bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação, e a prevalência dos direitos humanos”. Assim, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), justificou o veto ao Projeto de Lei 306, de 2015, que propunha a criação do Dia de Combate à Cristofobia na cidade, a ser comemorado em 25 de dezembro.

De autoria do vereador Eduardo Tuma (PSDB), o projeto pretendia “garantir a liberdade” dos cristãos, que estariam sofrendo “perseguições” ao criticar os homossexuais. “Hoje, o cristão, principalmente o evangélico, tem suas ações tolhidas por algumas opiniões. Você tem uma minoria sendo tolhida de seus direitos, como liberdade de expressão e, até mesmo, às vezes, liberdade de culto”, declarou o vereador em 8 de junho, quando o projeto foi aprovado.

Para Haddad, ao se pretender vítima e garantir especial atenção a um grupo que, na verdade, é majoritário na sociedade brasileira, “o projeto demonstra a intenção de provocar os defensores dos direitos das minorias”. “Além disso, ao escolher o dia de Natal para tanto, a iniciativa beira a blasfêmia”, prosseguiu o prefeito.

O prefeito destacou ainda que outras crenças religiosas minoritárias sofrem perseguição cotidianamente no Brasil. E como forma de combater isso, foi estabelecido o Dia de Combate à Intolerância Religiosa, celebrado em 21 de janeiro. “Assim, na medida em que o projeto em questão limita-se a fazer referência apenas à discriminação contra as crenças de origem cristã, ele acaba por prestigiar a maior força religiosa do país e que, como tal, possui amparo social suficiente para ser professada”, afirmou Haddad.

Na justificativa de veto, o chefe do Executivo ainda destacou a recorrência de referências à população LGBT como sendo uma das limitadoras à liberdade de expressão dos cristãos. “A iniciativa legislativa induz a uma leitura perigosa, capaz de desvirtuar ganhos obtidos com o avanço do combate à LGBTfobia.”

Haddad lembrou que também vetou a criação do “Dia Municipal do Orgulho Heterossexual”, considerando que não fazia sentido “comemorar o orgulho de pertencer a uma maioria que não sofre discriminação”. “Mais do que isso, constatou-se, como agora também se verifica, que, ao invés de promover o entendimento das diferenças, a proposta legislativa militava a serviço do confronto e do preconceito”, completou.

O vereador Tuma declarou que vai reapresentar a proposta na Câmara Municipal.

RBA

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Salomon Postado em 01/Jul/2016 às 17:55

    Quer dizer que esses palhaços que não saem do armário perseguem os homossexuais e dizem que são eles os perseguidos pelos homossexuais.

  2. João Paulo Postado em 01/Jul/2016 às 19:06

    Quanto dinheiro público é desperdiçado no Brasil ...

  3. André Nelson Postado em 01/Jul/2016 às 20:21

    Como cristão evangélico entendo que essa racinha que diz representar-nos está muito distante do que Cristo ensinou e requer de seus seguidores. Estão representando o interesse de uma massa de manobra que invariavelmente pertence a grupos neopentecostais e outros que desconhecem a doutrina de Cristo.

  4. Salomon Postado em 02/Jul/2016 às 00:18

    Jesus foi um camponês judeu de pele escura, analfabeto, de pai desconhecido, que nasceu numa favela chamada nazaré, varrida pelo vento e pela miséria. Mas foi forçado mesmo a nascer em belém, numa manjedoura, cercado de astrólogos, tipo olavo de carvalho, de uma virgem engravidada pelo espírito santo, só para cumprir as profecias de um tal de miqueias, se não me falha a memória. O evangelista diz que o menino fugiu para o egito com o fim de escapar de uma chacina que não houve, somente para voltar de lá como o novo moisés, com uma nova lei, tudo isso também pra cumprir profecia de uns malucos de miolos torrados pelo sol, que andavam falando sozinho no calor do deserto, e ouviam vozes, muitas vozes! Jesus, também ele ouvia vozes, foi discípulo de joão, o batista, outro doido de pedra, porque naquele tempo não tinha rivotril, mas, só gafanhoto e mel. O nazareno de belém, depois de perambular por sinagogas que jamais existiram, e de clarear os olhos e os cabelos, com um maquiador italiano chamado franco zeffirelli, reuniu em torno de si um bando de miseráveis pra invadir o templo em jerusalém, promovendo o maior barraco, porque, como tantos outros contemporâneos, jesus tinha a ideia fixa de se tornar o rei dos judeus (o messias) e reunificar israel, como fez o rei davi, livrando o povo do pesadelo dos tributos romanos. Foi crucificado por isso, pois rei dos judeus só mesmo o divino imperador em roma. Nem de longe jesus conversou com pilatos, que esse crucificava messias era todo o santo dia, e nem queria saber por que. Era tipo o Sérgio Moro. Tempos depois, Paulo, o de Tarso, um cara estudado e tal, com mestrado e doutorado, que dizia ter um espinho na carne, provavelmente esquizofrenia, depois de conversar com deus, resolveu escrever umas cartas dizendo que jesus era o verbo feito carne, o cristo, que o reino dele era de outro mundo, e coisa que o valha. Teve que colocar na boca do nazareno um montão de palavras difíceis que, em verdade, o JC nunca teria podido pronunciar, mas que ficavam bem bacana e agradavam o império romano, tipo: dai a césar o que é de césar. Com isso, Paulo fundou uma nova religião, mas foi morto por causa daquela rusga que tinha com são pedro. Aliás, uma porrada de gente foi morta por causa das maluquices desses caras. Depois que o cristianismo de são paulo foi alçado à condição de religião oficial do império, aí é que morreu gente pra caralho. Dois mil anos de assassinatos, perseguições e intolerância, tudo por causa dessa gente pirada, sem noção e sem nenhum apreço pela vida, dos outros, é claro, porque o pessoal da igreja vivia bem demais da conta, obrigado. Aliás, vida boa mesmo é a do céu, e quem não der a cara pra bater vai arder no fogo do inferno, que é o lugar dos infiéis, ateus, comunistas, petistas, espíritas, gays, lésbicas, etc. Né Malafaia? Depois veio o Lutero, outro fanático extremista sem noção. Ainda tem uns caras no congresso nacional que querem pegar textos judaicos da época da infância da aracy de almeida e usar como base para fazer leis. Leis que vão reger nossa vida. Uns dizem que não pode usar camisinha. Outros que mulher estuprada não pode abortar. E outras idiotices que tais. Tudo com base na bíblia. Resumo da ópera: Cunha é evangélico. Bolsonaro aceitou Cristo como seu salvador. Eles têm eleitores aos montes, fiéis dizimistas, que adoram o deus mercado. A Janaina Paschoal, evangélica, vendeu sua alma por 45 moedas, está endemoninhada, mas é antipetista, aí tudo bem. O Temer é um judas, mas é antipetista, então tudo bem, né.

    • Flávio Brant Postado em 02/Jul/2016 às 01:41

      Genial, Salomon! Dá vontade de copiar, postar e "horrorizar" uns amigos do meu Face, rssssss

    • Moacir Postado em 02/Jul/2016 às 10:08

      Tem certeza que "Rivotril" é melhor que gafanhoto e mel? E que Temer é mesmo um judas?

    • carlos Postado em 02/Jul/2016 às 10:24

      Olá Salomon, geralmente não respondo textos de desconhecidos... tenho minhas crençasque divergem das suas, mas tenho que te parabenizar pelo que escrevestes...uma visão muito lúcida e bem escrita...penso um pouco diferente, mas tenho admiração por idéias e opiniões bem colocadas e com analogias coerentes. Novamente, parabéns.

    • paulo Postado em 02/Jul/2016 às 11:26

      Gostei. Bem isto. Tudo pura hipocrisia.

    • Délcio Postado em 02/Jul/2016 às 12:09

      Genial esse comentário. Rolei de rir e copiei no meu computador.

    • Tato Drummond Postado em 02/Jul/2016 às 13:23

      Salomon, estou me divertindo até agora com seu texto, inclusive copiei e vou espalhar, pois é muito criativo e "explicativo".

  5. Alan Kevedo Postado em 02/Jul/2016 às 01:54

    DUAS COISAS : A qual Jesus eles se referem? Ao loirão, com cara de Brad Pitt, legado das religiões ocidentais, ou ao Jesus, com cara de árabe de quem somos devotos? Isso de ficar de papagaio imitando os outros, só porque aprenderam o significado de FOBIA é muito feio, Mas nós também aprendemos e votamos pelo dia do DIZIMIFOBIA. Isso, garanto, nos causa MEDO.

  6. CLÁUDIO LUIZ PESSUTI Postado em 02/Jul/2016 às 09:46

    Parabéns ao prefeito!

  7. Eduardo Ribeiro Postado em 02/Jul/2016 às 14:24

    Falar de Cristofobia é vagabundice, bandidagem, sem-vergonhice, putaria. Haddad mandou um "aqui não", e eu não esperava nada diferente deste belo prefeito.

  8. Alexandre Labatut Postado em 03/Jul/2016 às 01:11

    Ninguém mais precisa de dias disso e daquilo. Porra, o autor desse projeto LIXO, deveria ir carpir um alqueire. É muita falta do que fazer.

  9. Galvão Postado em 03/Jul/2016 às 12:52

    Manda esse Tuma, tuma no cú e fazer alguma coisa útil para a população.