Redação Pragmatismo
Compartilhar
Impeachment 04/Jul/2016 às 14:58
15
Comentários

FHC provoca vergonha alheia e dá vexame internacional em entrevista

Em entrevista internacional, FHC dá vexame e provoca vergonha alheia ao tratar do impeachment no Brasil. Ex-presidente fica sem respostas quando jornalista da mais importante TV do mundo árabe expõe hipocrisias do processo do afastamento de Dilma Rousseff

fhc impeachment dilma al jazeera

Em uma entrevista de dez minutos, o jornalista Mehdi Hasan da rede de televisão internacional Al Jazeera deixou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) sem resposta algumas vezes.

O programa tinha o intuito debater sobre a situação política no Brasil e Hasan começou questionando se a presidente eleita Dilma Rousseff teria sofrido um golpe.

Logo em uma das primeiras perguntas, Hasan começou questionando porque para o governo Rousseff o atraso em pagamentos seria um crime (as chamadas pedaladas fiscais – que uma perícia já provou não terem sido responsabilidade de Dilma) se ele próprio havia cometido o mesmo ato em 2001, quando era presidente.

“Ela manipulou o orçamento fiscal”, argumentou Fernando Henrique. No entanto, Hasan retrucou: “Mas você também”, criando um certo constrangimento.

O constrangimento aumentou quando o jornalista da rede de televisão internacional questionou se não existiria uma hipocrisia no fato do presidente interino Michel Temer (PMDB) também ser alvo de um pedido de impeachment, e de tanto ele quanto o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), que lideraram o processo, terem sido citados em delações como beneficiários de propinas.

FHC considera que houve oportunismo por parte do PMDB e que eles se utilizaram dos protestos populares para derrubar uma presidente com base em outros interesses: “Eles têm outra razão, diferente da minha, para apoiar o impeachment”, alegou.

“Mas você não vê ironia no fato de eles liderarem o impeachment?”, insistiu o jornalista, claramente indignado.

Hasan também notou que se o critério fosse a opinião popular, como defendeu FHC em uma das respostas, Temer também não teria legitimidade, já que uma pesquisa Datafolha de abril mostrava que 58% dos brasileiros queriam o impeachment do interino. Hasan então questionou se FHC seria a favor do impeachment também do interino.

“Você apoia o impeachment de Temer pelas mesmas razões? 68% querem Temer impedido, segundo uma pesquisa. Se você ouve o povo, tem de apoiar.”

Fernando Henrique alegou não ter conhecimento daquela pesquisa que o jornalista britânico citava. “Sim, é do Datafolha”, responde Hasan. “Você apoia o impeachment de Temer?”, insistiu, sem obter uma resposta clara.

Assista ao vídeo abaixo (clique para ativar as legendas):

A seguir, leia o texto de Pablo Villaça sobre a entrevista de FHC:

Não há jornalismo na grande mídia brasileira. Nas redações, temos colunistas que, em sua maior parte, confundem “análise” com “lamber saco dos patrões”; nos grandes portais, as matérias são destacadas ou escondidas de acordo com os interesses corporativos em vez de critérios jornalísticos; na TV, os âncoras nada mais são do que leitores de teleprompter que fotografam bem e querem apenas garantir seus milionários salários pagos pelas cinco famílias que dominam todos os veículos do país.

É por isso que O Globo noticia que “Dilma tem 62% de reprovação”, mas, quando se trata de Temer, a manchete se transforma em “Temer tem aprovação de 13% dos brasileiros”. É por isso que nenhuma denúncia envolvendo tucanos ganha destaque por mais de alguns minutos – e, se ganha, são diluídas pela linguagem: Alckmin vira “governador” (sem nome ou partido), Aécio entra no meio de “senadores” e assim por diante – ao passo que, lembrem-se, o UOL chegou a falar, certa vez, sobre um crime cometido “por médico que atendeu Lula no passado”.

O que nos traz às entrevistas, que, quando feitas com tucanos, nada mais são do que recitações de perguntas pré-aprovadas – e quando alguém sai da zona de conforto, como Marcia Peltier fez com José Serra há alguns anos, o resultado é um piti adolescente (linkarei no fim do post).

Foi exatamente isso que aconteceu agora com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Habituado a entrevistas com jornalistas brasileiros, que se limitam a levantar a bola para que ele corte em movimentos ensaiados, FHC teve suas posições confrontadas por um âncora da Al Jazeera e, como resultado, deu um vexame internacional similar àquele de alguns anos atrás em um programa da BBC (também linkarei no fim do post).

No espaço de apenas dez minutos. o ex-presidente se embaraça repetidas vezes, chegando a contradizer a narrativa que seus comparsas golpistas vêm insistindo ao falar do “impeachment”.

Aliás, FHC já abre a entrevista admitindo que Dilma NÃO cometeu crime “no sentido penal”. E completou “ela cometeu um crime POLÍTICO”. O que não deixa de ser interessante, já que não há nada na Constituição que defina “crime político” ou o impeachment como pena.

Aí o entrevistador aponta que FHC pedalava 300 milhões POR ANO, inspirando a seguinte e inacreditável resposta: “No meu caso, foi diferente. Estávamos nos ajustando”.

Em seguida, o âncora aponta como Cunha, Temer e demais cúmplices são acusados de corrupção e pergunta se FHC não vê ironia no fato destes liderarem o “impeachment”. O ex-presidente começa a gaguejar, murmura algo sobre “foi o ‘povo’ que liderou” e diz que talvez Temer/Cunha sejam oportunistas. É então que o entrevistador o interrompe e diz: “Ok, então você aceita oportunismo” e muda de assunto.

TOIM.

O que vem a seguir é a melhor isca. “O senhor disse que o impeachment foi por causa do povo. 58% do povo quer que Temer saia. Você apoia o impeachment de Temer, então?”

FHC começa a gaguejar e tenta mentir sobre a pesquisa. Entrevistador o corta e o corrige. O seguinte diálogo é travado:

FHC: “Eu não conheço essa pesquisa”.

“Estou te informando agora.”

“Você precisa ter mais informações.”

“O SENHOR é que não conhecia a pesquisa!”

Mas o melhor momento: o jornalista aponta que a Lavajato revelou corrupção na Petrobrás na época do governo FHC e este enlouquece:

“No, no, no. I protest!” E diz que foi denúncia “política”.

E dá um piti que vocês não imaginam. Têm que ver pra crer.

A seguir, entrevistador fala da gravação de Jucá dizendo que precisam tirar Dilma e colocar Temer pra parar o sangramento da Lavajato. FHC primeiro tenta mudar de assunto; entrevistador insiste. O político então diz (juro): “Qual foi o resultado (da conversa)? Zero.”

“ZERO”?! O resultado foi EXATAMENTE O QUE ELES DISCUTIAM NA GRAVAÇÃO!

Para finalizar, o entrevistador menciona a investigação sobre a denúncia de que FHC usou a Brasif pra pagar mensalmente a ex-amante na França.

FHC: “É mentira.”

“Então por que está havendo investigação?”

“Porque o PMDB pressionou politicamente o MINISTÉRIO DA JUSTIÇA!”

Em outras palavras: o cérebro de FHC para de funcionar sob a pressão.

Que entrevista DESASTROSA. Em resumo: admitiu que não há razão criminal pro impeachment; que a questão é só política; …que todas as denúncias contra Dilma são reais, mas contra ele são motivadas politicamente e ainda gaguejou, deu piti e não soube responder.

Mas vejam vocês mesmos: https://www.youtube.com/watch?v=8d8yEi3iDA8

A entrevista à BBC: https://www.youtube.com/watch?v=j12QIWbVT-k

O piti de Serra: https://www.youtube.com/watch?v=n-pn-45FcwQ

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. the book is on the table. Postado em 04/Jul/2016 às 15:22

    Wizard pra ele!

  2. Phelipe Postado em 04/Jul/2016 às 15:50

    Vão de dizer que a al Jazeera e toda a imprensa Internacional é Petista e só a imprensa nacional é isenta de partidarismo.......Acostumados com nossa "imprensa", fica cada vez mais difícil viajar pelo exterior, tendo em vista que precisam responder perguntas que não são elaboradas em conjunto com a própria equipe.....que o diga o Dono da FOLHA, O Frias, e agora o FHC!

  3. robson francescato Postado em 04/Jul/2016 às 16:19

    Isto é jornalismo, ladies and gentlemen, não o que fazem por aqui. Este tipo de entrevista lá fora é popularmente chamado de `grilling` porque é como grelhar mesmo kkk Jeremy Paxman, ex-BBC era o meu ídolo quando morava no RU. Ele sim sabia como fazer isto com requintes de crueldade, exibindo todas as incongruëncias do entrevistado e fazendo-o se borrar nas calças ao vivo e a cores. A mídia no Brasil é VENDIDA!

  4. Leonardo Araújo Postado em 04/Jul/2016 às 16:22

    FHC, a grife da hipocrisia.

  5. Eduardo Ribeiro Postado em 04/Jul/2016 às 16:31

    É por isso aí que nossas elites ficam com fogo no rabo? É esse o "Estadista" multi-poliglota, viajado, que coleciona livros, sabe a estrutura aromática de vinhos, a ordem dos talheres na mesa, e sabe dar Nó Eldredge na gravata importada? O vexame começa quando ele aparece no porão com fone de ouvido que veio de brinde no achocolatado do neto...filho duma puta foi presidente do país e se apresenta assim, no maior estilo "correspondente de jornalzinho fuleiro"? Aí tem o inglês mequetrefe, indigno de um "venerável sábio poliglota dos antigos picos das neblinas"...patético...e o que é "moving a process", Dr. Poliglota? O que porra é isso???? E por fim, a SURRA ÉPICA que levou. É de dar pena do senil. No primeiro jornalista sério que encontrou, perguntas duras, sem medo nem rabo preso, FHC teve TODAS as pregas arrancadas em público e se borrou perna abaixo. "Ái prôutést!!", gritou o indigente Boca de Sovaco, quando o estupro já estava consolidado. Somente aqui no Brasil, com os macacos terceiro-mundistas da direita bananeira, um pulha como esse, um vira-latas, TRAIDOR DA NAÇÃO, paga de "intelectual" e é levado a sério.

    • poliana Postado em 04/Jul/2016 às 20:17

      esse é o príncipe da sociologia q a elite nacional e a classe média alta amam idolatrar, eduardo!!! dá pra acreditar!!!!!!!??? o q seria desse senhor sem os barões da mídia, hein!!?? estarrecida com tamanha estupidez desse senhor!!! é o cúmulo do mau caratismo!!!!!

      • Eduardo Ribeiro Postado em 05/Jul/2016 às 10:45

        A vergonha do "Dr. Sorbonne super intelectual poliglota da galaxia" foi monumental, cavalar. É coisa pra entrar nos anais da política brasileira. O cidadão quase saiu correndo chorando no meio da entrevista. O tal do Hasan "garrou" no pescoço do FHC, meteu os caninos na jugular e não largou mais. Se nossa elite e classe media tivessem um pinguinho de vergonha na cara, poderiamos afirmar que a máscara de FHC caiu.

  6. John Jahnes Postado em 04/Jul/2016 às 16:44

    De boca fechada FHC é uma vergonha mundial. Abrindo a boca, FHC fede como fossa séptica. http://www.tijolaco.com.br/blog/quem-e-o-grizzo-da-argeplan-e-do-michel-temer/ QUEM É O GRIZZO, DA ARGEPLAN E AMIGO DO TEMER? PERGUNTEM AO MORO (esse mesmo doutor Moro que é implacável contra os petistas na Lavajato) (POR FERNANDO BRITO • 04/07/2016) Depois da sensacional revelação de hoje do Paulo Henrique Amorim, em seu Conversa Afiada, de que a origem do conglomerado empresarial do coronel reformado da PM paulista João Baptista de Lima, apontado pelo delator José Antunes Sobrinho, sócio da Engevix, como intermediário na arrecadação de recursos ilícitos em um dos contratos da Eletronuclear, como “pessoa de total confiança de Michel Temer” que teria favorecido a contratação da empresa Argeplan para as obras de Angra 3 era uma modestíssima empresa de paisagismo, de apenas 500 reais de capital social, o Tijolaço foi atrás da história do famoso Lima, já que a nossa investigativa imprensa não vai. E acabou encontrando outra incrível coincidência, como você verá adiante. Lima, como se sabe, é o citado como “sócio de Temer” numa caixinha de propinas do porto de Santos, que apareceu numa ação de pensão alimentícia movida pela ex-mulher de outro propineiro. Amorim mostra que ele tinha sociedade numa pequena empresa de paisagismo, a PDA – Projetos e Direção de Arquitetônica e, com ela, criou a PDA – Participações e Administração, uma holding empresarial (veja aqui a certidão da Junta Comercial de SP), com capital de R$100 mil, em 31 de outubro de 2011. Um mês e meio antes, em 15 de setembro, Lima havia se tornado sócio da Argeplan, uma empresa voltada originalmente para projetos de arquitetura, o que pode ser comprovado pela reprodução de uma das páginas de sua ficha cadastral na Jucesp (veja aqui). Tanto a Argeplan não se voltava para a área de construções que não tinha, como manda a lei, um diretor-técnico para isto. Só passou a ter quando para esta função foi indicado o senhor Geraldo Grizzo, como você pode verificar na reprodução do registro da Junta Comercial ao lado. E o que tem o senhor Grizzo? Uma história bem interessante. É o presidente do PMDB de Jaú, em São Paulo, e no jornal Correio de Jahu diz ter intimidade com Temer: Grizzo, que esteve com Temer há pouco mais de um mês, pretende agendar audiência no Planalto de que participarão Agostini e o vice-prefeito Sigefredo Griso (PMDB). A intenção é destrancar a principal vitrine do governo federal em Jaú – as obras de mais de R$ 40 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Talvez tenha mesmo, porque foi um modesto doador (R$ 1,5 mil) da campanha de Temer a deputado federal, em 2006. Mas não é só isso. Grizzo esteve metido em boas confusões. Na Operação Curaçao da Polícia Federal, seu nome apareceu como um “laranja” de US$ 24 milhões. É o que escreveu ninguém menos do que o Dr. Sérgio Fernando Moro, o mesmo da Operação Lava Jato: 34) conta aberta no FCIB em nome de Geraldo Grizzo (fls. 90-92 do apenso I e apenso XII): – movimentação de USO 24.299.138,00 em cerca de 1.205 transações; – ramo de atividades do titular da conta identificado no cadastro do FCIB “business services”, e endereço do controlador da conta em Jáu/SP, especificamente na Rua Anselmo Walvekens, 162, e em São Paulo/SP, especificamente na Av. Brigadeiro Faria Lima, 2961; – documentos da conta com as assinaturas de Geraldo Grizzo; Pelo que se depreende da documentação, a conta era controlada por Geraldo Grizzo, que a controlava a partir de São Paulo. Em 2014, um laudo da Polícia Federal, no STJ negando que fossem dele as assinaturas e que seu nome fora usado – não se sabe por que infeliz coincidência, claro – como “laranja” serviu para o arquivamento do processo contra Grizzo. Grizzo também teve sorte no processo em que o juiz 2ª Vara Cível de Jaú, Leonardo Labriola Ferreira Menino, o condenou, em 2011, a ressarcir os cofres da Prefeitura da cidade, entre 1989 e 1992, por conta do superfaturamento de uma empresa que ganhou todas as 34 licitações de recapeamento asfáltico do município. Em 2013, o Tribunal de Justiça de São Paulo absolveu todos os condenados. O Dr. Grizzo, havendo repórteres, seria um personagem interessante para eles.

  7. julio Postado em 04/Jul/2016 às 19:49

    Aí nas eleições a pessoa vai e vende o voto!!??vai entender

  8. cristiane ribeiro Postado em 04/Jul/2016 às 22:54

    hahahahah...gostei demais do teu comentário...

  9. João Paulo Postado em 05/Jul/2016 às 01:27

    "Doutô" FHC, volte às suas entrevistas para a Rede Bobo. Para o seu próprio bem.

  10. Aristóteles Postado em 05/Jul/2016 às 21:46

    Esse FHC, se tomar um laxante, a cabeça murcha, imediatamente! Tenho dito!

  11. Arnaldo Ribeiro ou Israel Postado em 05/Sep/2016 às 16:03

    IMPEACHMENTDE DILMA ROUSSEF Depois de nove meses de penosa gestação indesejada, eis que vimos o renascer da esperança por dias melhores , graças a Providência Divina: E na verdade, O Grande Arquiteto do Universo é o Autor desse livramento, embora o parto haja ocorrido num decantado hospício babilônico, onde a inconsequência conseguiu fechar um processo político-jurídico com chave de ouro, impondo a inadmissível substituição de dispositivo constitucional, por queda de burro sem coice, preservando os direitos políticos da Presidenta caçada: Esse fato seria Cômico, se não fosse trágico; (RM.4.3) POIS QUE DIZ A ESCRITURA? (IS.59.16) O SENHOR VIU ISSO, E DESAPROVOU O NÃO HAVER JUIZO; (LE.28.7) PORQUE A CORRUPÇÃO E A MORTE ESTÃO A CAIR SOBRE AQUELES QUE QUEBRANTAM OS MANDAMENTOS DO SENHOR: (OS.4.2) O QUE SÓ PREVALECE É PERJURAR, MENTIR, MATAR, FURTAR, E ADULTERAR, E HÁ ARROMBAMENTOS E HOMICÍDIOS SÔBRE HOMICÚDIOS; (RM.10.30) PORQUANTO DESCONHECENDO A JUSTIÇA DE DEUS, E PROCURANDO ESTABELECER A SUA PRÓPRIA, NÃO SE SUJEITARAM A QUE VEM DE DEUS: (IS.46) .LEMBRAI-VOS DISTO E TENDE ÂNIMO, TOMAI-O A SERIO Ó PREVARICADORES; (MT.5.20) PORQUE VOS DIGO, QUE SE A VOSSA JUSTIÇA NÃO EXCEDER EM MUITO A DOS ESCRIBAS E FARISEUS, JAMAIS ENTRAREIS NO REINO DOS CÉUS: SITUAÇÃO AUAL E O FUTURO DO BRASIL oi companheiros, diante desse cenário politico tão perturbador eu fico muito preocupada com o futuro desse país. queria saber o que vocês pensam sobre como um pequeno grupo de pessoas mau intencionadas pode prejudicar um país de milhões e como que a espiritualidade pode permitir isso tudo. me consolem por favor porque estou mesmo desanimada com medo do futuro. um abraço a todos. Oi, Sabrina, prazer em te receber no Fórum. Parabéns por abordar o assunto sem citar nomes e instituições; Sabe, toda crise tem seu lado bom, mesmo que meio amarguinho. Enquanto a gente fica sabendo dos escândalos de mentira, traição e roubo, também pode se perguntar: – E eu? Até que ponto sou verdadeiro, fiel e incapaz de roubar? Muita coisa que parece sem importância pode ser roubo e traição. Quantas vezes a gente não roubou confiança dos outros? E a boa-fé? – Ah!, aquilo foi só uma mentirinha boba. Pode ser, mas mentira é uma forma de traição e roubo. ________________________________________ Potencialmente, o Brasil é um dos países mais ricos do planeta. Rico, ingênuo e generoso. Desde séculos, a terra brasileira foi espoliada e despojada de riquezas minerais, vegetais, animais e riquezas do coração. Sim, quantas vezes comunidades nativas ou brasileiras tiveram sua esperança levada embora? Na Europa, as guerras e misérias contínuas tiraram a alegria e a confiança dos povos. Somente as novas gerações conseguiram se livrar um pouco do pessimismo de seus pais e avós. Já o Brasil sempre foi por caminhos mais leves. A humanidade brasileira não se abate, mesmo nas crises inevitáveis. Pra não te deixar sem algo esperançoso, eis alguma coisa boa já prevista pro Brasil. Dom Bosco: Foi um expoente da Igreja no Século 19. Tinha sonhos proféticos. Uma vez, preocupado em construir uma sede na América do Sul, ele dormiu e sonhou. Era a noite de 30 de agosto de 1883. Sonhou que viajava num trem pela lombada da Cordilheira dos Andes, desde o Norte ao Sul. Olha o que ele escreveu: "Eu enxergava nas vísceras das montanhas e nas profundezas da planície. Tinha, sob os olhos, as riquezas incomparáveis dessas regiões, as quais, um dia, serão descobertas. Eu via numerosos minérios de metais preciosos, jazidas inesgotáveis de carvão de pedra, de depósitos de petróleo tão abundantes, como jamais se acharam noutros lugares. Mas não era tudo. Entre os graus 15 e 20, existia um seio de terra bastante largo e longo, que partia de um ponto onde se formava um lago. E então uma voz me disse, repetidamente: – Quando vierem escavar os minerais ocultos no meio destes montes, surgirá aqui a Terra da Promissão, fluente de leite e mel. Será uma riqueza inconcebível.” Nos anos 50, o Presidente Kubitschek parecia fã da famosa previsão de Dom Bosco. Tanto que fez construir um lago bem no meio do tal "seio de terra largo e longo" (Planalto Central Brasileiro). Seria o lago do Paranoá, em Brasília. Engraçado é que Brasília fica bem no começo da tal faixa de D. Bosco, entre as latitudes 15º e 20º Sul. Emmanuel e Humberto de Campos (Chico Xavier): Também deixaram previsões muito boas sobre o Brasil. Ramatis (Hercílio Maes): Avisou que o Brasil conquistaria seu equilíbrio econômico e financeiro, já previsto pelo Alto. Que também seria tipo um líder moral da humanidade, em parte graças à simpatia que seu povo tem pelo Espiritismo. Ramatis (América Paolielo): Escreveu o livro Brasil, terra de promissão. Prevê a atuação decisiva do povo brasileiro nos momentos difíceis de transformação do planeta. Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/off-topic/o-futuro-do-brasil-52211/#ixzz4IqoyXtcW

  12. Arnaldo Ribeiro ou Israel Postado em 26/Sep/2016 às 15:53

    AFORMOSEAMENTO DO ESPÍRITO A “mediunidade com Jesus” é concedida àqueles que se esforçam por vivenciarem o Amor, que se entregam ao serviço de servir ao próximo, que buscam remover das entranhas da alma as imperfeições morais, mediante o esforço constante de burilar as mazelas íntimas, diluindo-as, à medida em que consolida – gradativamente – as bem-aventuranças, conforme o Mestre Jesus expôs no Sermão da Montanha. No trabalho mediúnico de qualidade é fundamental a sintonia com a Luz inapagável, apresentando-se os medianeiros com o propósito de auxiliar com devotamento aos irmãos de caminhada evolutiva, desenvolvendo a alegria de serem médiuns do Bem, mesmo quando as lágrimas estiverem presentes, porque é essencial esse posicionamento que possibilita “interiorizar” o desejo de servir incondicionalmente. Nos tempos atuais encontramos muitos médiuns trabalhando anonimamente nos laboratórios mediúnicos dos Centros Espíritas, servindo de forma incansável sob o amparo de Benfeitores Espirituais, amenizando as dores de obsessores e obsidiados, libertando fascinadores e fascinados, alforriando subjugadores e subjugados com muito carinho, paciência e determinação, e enquanto aliviam os sofrimentos de desencarnados e encarnados, também emancipam-se de suas próprias dores e sofrimentos. O nosso Brasil atravessa dores coletivas, o povo está exausto de lutar pela sobrevivência, amarga um nível de desemprego que ultrapassa a alarmante cifra de 12 milhões, as preocupações avultam-se, as dívidas crescem, o desespero dessas famílias tem desequilibrado muitos lares, razões pelas quais cabe-nos o dever de auxiliar para que os cidadãos tranquilizem-se, retornando a sociedade à normalidade. Como auxiliar nossa Pátria nesse tempo de crise política e econômica? O caminho para a recomposição do equilíbrio e da harmonia social passa pela paciência com que enfrentamos a problemática citada. O que precisamos fazer para resolver a “crise moral nacional”? É preciso exemplificarmos condutas morais elevadas, mudar nossa “cultura de ausência de firmeza” para com certos comportamentos considerados indesejáveis em nossa coletividade, como por exemplo as permissividades morais para com a corrupção e lavagem de dinheiro, pressionarmos para que os governantes dêem exemplos de dignidade. Em tempos de crises, como esta que varre o território nacional, devemos recorrer à oração diária, solicitando à Espiritualidade Superior inspirar-nos e intuir-nos para que tenhamos ideias e pensamentos que nos auxiliem a movimentarmos esforços morais, para encontrarmos soluções que nos ajudem a vencer as dificuldades éticas, que se nos apresentam nas condutas diárias. Esses contratempos, contrariedades, aborrecimentos e desgostos estão previstos como desafios existenciais, convidando-nos a busca das alternativas possíveis para sairmos do comodismo que se instalou em nossa intimidade e, por consequência, na vida da sociedade. Assim como o temporal provoca com seus ventos estragos e as inundações levam ao desespero muitas criaturas humanas, as crises políticas e econômicas atingem com a “recessão” outros milhares de seres humanos, todos – sem exceção – sendo convidados pelas Leis Sublimes da Vida a lembrarem-se de Deus, a desenvolverem a esperança, a cultivarem resignação, burilar o orgulho milenar, desbastar o egoísmo multisecular, ajudando-nos a compreender que a nossa indiferença para com o sofrimento de nossos irmãos sinaliza-nos o endurecimento de nossos corações e o descaso com que temos nos posicionado com relação aos ensinamentos de Jesus – Modelo e Guia da Humanidade. Essa crise brasileira tem sido necessária para permitir ao povo brasileiro conscientizar-se de suas responsabilidades morais para com o destino de nossa Pátria, que no dia de amanhã – 07 de setembro de 2016 – comemora a independência do Brasil. Todavia, continuamos reféns de imensas dívidas contraídas no cenário internacional pelos nossos representantes políticos que, infelizmente, não souberam aplicar corretamente esses recursos para possibilitar o crescimento da sociedade, o desenvolvimento econômico, porque os interesses pessoais, de classes, de grupos partidários interferiram intensivamente, causando desperdícios, fomentando outras crises que se apresentaram e não foram devidamente equacionadas. Como ilustração do que estamos nos referindo, mencionamos os problemas relacionados com os Fundos de Pensão, que identificados trazem prejuízos para os aposentados, bem como as dificuldades de administração do INSS que exige dos trabalhadores precaverem-se, com aposentadorias complementares, para evitarem futuras dificuldades de sobrevivência digna no amanhã. Por estes motivos, que fazem parte de um Planeta de Provas e Expiações, recomendamos aos irmãos reservarem alguns momentos para refletirem e meditarem sobre o conteúdo destas linhas traçadas com singeleza, sobre a necessidade de desenvolverem novas habilidades profissionais, reciclarem-se academicamente, valorizarem os atuais empregos, melhorarem-se eticamente e educarem-se para superarem estas e outras crises que – certamente – apresentar-se-ão, convidando-nos a busca de alternativas e opções que viabilizem a superação das dificuldades presentes, na atualidade, que afligem a sociedade. Esses desafios existenciais, previstos pela “Lei de Destruição”, ajuda-nos no desenvolvimento de outros valores intelectivos e morais, que estão adormecidos em nossa intimidade e que necessitam das crises materiais, emocionais e psíquicas para despertar-nos da letargia, incapacidade de reagir e de expressar emoções e sentimentos, estado de profundo e prolongado desinteresse, apatia e inércia, para com o despertamento consciencial, a fim de alcançarmos novos patamares evolutivos, mais rapidamente. Quando estamos acomodados, não valorizamos as bênçãos que recebemos diariamente, não agradecemos ao Pai Celestial – generoso e compassivo -, e quando chegam as “crises materiais” que nos alertam para mudanças de qualidades morais que precisamos efetuar, voltamos os nossos pensamentos para o Pai Misericordioso que, através da inspiração e intuição, ajuda-nos a encontrarmos as soluções para com nossos compromissos individuais e coletivos. O Planeta Terra é escola abençoada, com disciplinas técnicas-morais, específicas, para que nos tornemos Homens de Bem. Após vencidos esses testes de aferições morais, compreenderemos – claramente – as limitações intelectuais, emocionais, morais e espirituais que somos portadores e precisamos superar, dentro do processo evolutivo no qual estamos inseridos. Saibamos nos comportar, da melhor maneira possível para adquirirmos os créditos éticos, que a experiência terrena nos tem possibilitado. Relembramos que o Mestre Jesus é o Governador Espiritual deste Orbe e só passamos pelas experiências que nos ajudam no aformoseamento do Espírito Imortal. Leopoldo (Página recebida, psicograficamente, por Renato Mautoni, na noite de 06 de setembro de 2016, no Instituto Espírita Léon Denis, em Juiz de Fora, Minas Gerais.) Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/meditacao-diaria/aformoseamento-do-espirito/#ixzz4LHWzHz3A

  13. Pedro Accioli Postado em 06/Jul/2016 às 09:49

    Perdeu porque tinha uma Rede Bobo ainda mais poderosa e manipuladora para as eleições!