Redação Pragmatismo
Compartilhar
Barbárie 13/Jun/2016 às 14:16
7
Comentários

Vítima de atentado em boate gay dos EUA registrou momento do ataque

Vítima de ataque a boate gay registra momento dos tiros no Snapchat. Amanda Alvelar gravou vídeo que revela instante do ataque que deixou 50 mortos, incluindo ela própria

ataque boate gay orlando eua

Ao menos 17 tiros em cinco segundos são ouvidos em vídeo gravado dentro da boate Pulse, em Orlando, EUA, onde 50 pessoas morreram em ataque na madrugada deste domingo (12).

Uma das vítimas fatais foi Amanda Alvear, estudante de enfermaria na Universidade do Sul da Flórida de 25 anos que registrou os disparos em curta gravação no seu Snapchat, rede social de compartilhamento de fotos e vídeos curtos.

Amanda estava registrando pequenos trechos de diversão na rede social. Mas no último trecho, ela parece falar a palavra “shooting” (tiroteio) antes de os disparos serem ouvidos e abafarem sua voz.

O irmão de Amanda, Brian, compartilhou o vídeo em sua conta no Facebook confirmando sua veracidade. Ele diz que depois do último registro, Amanda ainda recebeu e atendeu a uma ligação. Antes, Brian havia dito ao jornal da Flórida Ledger que a última coisa que ouviu da irmã é que ela estaria se escondendo no banheiro na boate.

Horas depois de iniciar os disparos, Omar Mateen, de 29 anos, que teria ligação com o Estado Islâmico, foi abatido por uma equipe da SWAT. Ele portava um rifle e uma pistloa comprados legalmente.

Obama

O presidente dos EUA, Barack Obama, afirmou em pronunciamento que o ataque foi um ‘ato de terror e um ato de ódio’.

“Apesar de as investigações ainda estarem no início, sabemos que esse foi um ato de terror e um ato de ódio. Ainda não fechamos posição sobre as motivações do crime”, afirmou.

Segundo Obama, o FBI está no caso e lidera as investigações junto com as forças policiais locais. Elas seguem a linha de que o aconteceu foi um ato de terrorismo.

“Hoje é um dia especialmente triste para nossos amigos, nossos companheiros americanos que são lésbicas, gays, bissexuais ou transgênero”, afirmou Obama.

O presidente norte-americano voltou a pedir um maior controle na compra de armas no país. É pelo menos o 15º pronunciamento que Obama faz após ataques em massa feitos com armas de fogo.

VÍDEO:

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Pereira Postado em 13/Jun/2016 às 15:22

    O terrorista muçulmano era filiado desde 2006 ao partido democrata. Eleitor da Hilary clinton e Obama. E por aqui, conseguiram por a culpa no Bolsonaro e no Trump. Piada !

    • joão batista Postado em 15/Jun/2016 às 13:31

      Mostre isso Pereira! a filiação dele ao Democratas!

  2. Sergio Carneiro Postado em 13/Jun/2016 às 18:38

    Membros desse grupo já crucificaram cristãos, sequestraram crianças, escravizam mulheres, mataram jornalista, decapitaram ocidentais e a bola da vez foi uma boate gay. Aproveitadores surgiram gritando: "Foi um ato de homofobia".

  3. Aline Postado em 13/Jun/2016 às 22:02

    Os três homofóbicos acima não são inocentes. A tragédia que matou 50 pessoas não é importante, importante é defender o bolsonaro, negar que foi homofobia e por aí vai. Procurei ajuda, vocês estao doentes.

  4. felipe Postado em 13/Jun/2016 às 22:21

    no ISIS gay é condenado a morte.. abraço retardado..

  5. sandro Postado em 14/Jun/2016 às 06:48

    Elemento homofóbico que mata com armas legais,tudo que um certo político filho de uma p*** defende.

  6. Eduardo Ribeiro Postado em 14/Jun/2016 às 10:21

    Eu sou um abençoado: não conheço na vida real UM, nem unzinho que reproduza esses discursos que li acima. Papai do céu foi bondoso e me privou do convívio com Pereiras, Abujamras e Carneiros.