Redação Pragmatismo
Compartilhar
Religião 09/Jun/2016 às 17:49
17
Comentários

Vereadores de São Paulo aprovam o "Dia de Combate à Cristofobia"

Projeto que inclui o "Dia de Combate à Cristofobia" na relação de datas comemorativas é aprovado em São Paulo. Eduardo Tuma (PSDB), autor da proposta, alega que "se se considera a homofobia um crime, a cristofobia também é um crime e também deve ser punida"

cristofobia bancada evangélica protesto projeto
(Imagem: Protesto contra os deputados da bancada evangélica durante a parada LGBT)

Por unanimidade, em votação simbólica, os vereadores da Câmara Municipal de São Paulo aprovaram projeto de autoria do vereador Eduardo Tuma (PSDB) que inclui o “Dia de Combate à Cristofobia” na relação de datas comemorativas.

A proposta, que será levada à sanção do prefeito Fernando Haddad (PT), marca a data para 25 de dezembro, o Dia de Natal.

Tuma alegou que seu papel é defender “minorias” de perseguições.

“Hoje, o cristão, principalmente o evangélico, tem suas ações tolhidas. Você tem uma minoria sendo tolhida de seus direitos, como liberdade de expressão e, até mesmo, às vezes, liberdade de culto. O cristão, hoje, não pode falar qualquer coisa relacionada à homoafetividade que ele é caracterizado como um homofóbico. Ou seja: falou que é contrário à prática da homossexualidade, ele é homofóbico”, afirmou.

“Se se considera a homofobia um crime, e é um crime que se deve punir, a cristofobia também é um crime e também deve ser punida”, continuou o vereador.

O Legislativo municipal ainda aprovou, em primeira votação, um projeto de lei que isenta advogados do rodízio municipal de veículos.

Também avançaram, em primeira análise, uma proposta que obriga maternidades, além de estabelecimentos de saúde, municipais e privados, a permitir a presença de doulas (assistentes de parto, com ou sem formação médica) durante todo o processo de parto e um texto que altera o nome do Minhocão para Elevado João Goulart.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Ricardo Postado em 09/Jun/2016 às 19:03

    Melhor renomear para "Dia de Reafirmação da Cultura Dominante". Aí soa mais sincero, pelo menos.

  2. Ricardo Postado em 09/Jun/2016 às 19:05

    Daqui a pouco vai ter religião reclamando de discriminação porque "é proibida de ser contrária aos direitos civis" ou "proibida de ser contrária à democracia"... O problema é que tem estúpido que não vê problema nesse "argumento".

  3. Denisbaldo Postado em 09/Jun/2016 às 19:18

    Afinal o numero de vitimas da cristofobia nao para de crescer no Brasil! Hahaha. Logo mais vem nosso amigo citar casos do Cazaquistao, Bosnia, Ira, etc.

  4. Eduardo Ribeiro Postado em 09/Jun/2016 às 22:25

    Como se combate o que não existe? Vai ter vagabundo homofobico bandido sem carater dando soco no vento nas ruas do país, brigando com o inimigo imaginário? Mais uma invenção genial com o DNA da Boçalandia. A vanguarda dessa vergonha inominável não podia estar em outro lugar que não fosse São Paulo. Parabéns aos envolvidos.

  5. Sergio Carneiro Postado em 10/Jun/2016 às 04:32

    Contra a cristofobia? Qual será o próximo passo ? "Dia de combate a cultura do estupro"?

    • eu daqui Postado em 10/Jun/2016 às 12:06

      Que tal decretar o dia mundial da diabofilia?

  6. Lucas Alves Postado em 10/Jun/2016 às 08:41

    quem viver verá o Brasil sendo transformado em um república fundamentalista cristã, nos moldes da Arábia Saudita.

    • Deisi Postado em 10/Jun/2016 às 13:57

      Lucas, com Malafaia, Feliciano e os vereadores de São Paulo caminhamos a passos largos para uma república fundamentalista.

  7. SILVIO MIGUEL GOMES Postado em 10/Jun/2016 às 09:59

    TEM que ser aprovada com urgencia uma lei que obrigue religiosos a passar por exame clínico de psiquiatria e tratamento se necessário. Esse parlamentares que elegemos nos últimos anos não valem nada. Câmaras de Vereadores, Assembléias e o Congresso tem em sua grande maioria lixo puro.

  8. Leonardo Postado em 10/Jun/2016 às 10:39

    A única verdade que emerge de iniciativas como essa é a constatação de que os fariseus modernos estão mais atuantes. O que essa gente defende é exatamente o contrário do que Jesus pregava.

    • Fernando Postado em 10/Jun/2016 às 12:29

      Assino embaixo, Leonardo. Cristo não tem nada a ver com essas heresias. Se esse povo soubesse o tamanho do karma que estão arranjando não brincariam com a mensagem de perdão, tolerância e amor que o Mestre nos legou.

    • Deisi Postado em 10/Jun/2016 às 13:58

      Concordo plenamente Leonardo!

  9. ricardo vaz Postado em 10/Jun/2016 às 13:26

    É muita burrice homofóbica (parece que burrice e homofobia têm uma forte correlação). Quem disse a esses estúpidos que não há homossexuais cristãos? Creio que seja a maioria. Será que eles se auto-discriminam?

  10. Maximilien Postado em 10/Jun/2016 às 15:52

    Só faltou exigirem o direito de queimar pessoas vivas novamente.

  11. Antonio Carlos Postado em 10/Jun/2016 às 22:34

    Isso é algo perturbador, porque vem parecendo algo idiota, sem sentido as vezes meio infantil vindo de pessoas rancorosas e mal resolvidas. Mas debaixo disto e uma manifestação de ódio e intolerância um primeiro passo para justificar perseguições e uma certa guerra que depois irão inventar algum nome.

  12. sidney Postado em 10/Jun/2016 às 23:27

    Sou pastor Batista e nunca vi tantas tolices com o evangelho como agora.

    • Ricardo Postado em 13/Jun/2016 às 18:40

      Pois é, Sidney. Eu também sou protestante e fico abismado com o que estão fazendo "em nome de Cristo"...