Redação Pragmatismo
Compartilhar
Polícia Militar 21/Jun/2016 às 17:55
19
Comentários

Moradores saem de casa para celebrar a morte de um menino de 10 anos

Moradores de São Paulo saem de casa no domingo a noite para aplaudir os “heróis” da Polícia Militar que assassinaram um menino de 10 anos. Manifestação de apoio ocorreu durante a reconstituição da cena do crime

menino 10 anos assassinado polícia
(IMAGEM: Familiares e amigos presentes no enterro do menino de 10 anos assassinado pela PM-SP)

Entre 80 e 100 moradores da Vila Andrade, na zona sul de São Paulo, foram, na noite deste domingo (19), ao local onde a polícia matou, com um tiro na cabeça, o menino de 10 anos que havia furtado um carro em um prédio, no dia 2 de junho. Os PMs voltaram ao local para fazer a reconstituição da cena do crime foram recebidos com aplausos e gritos de “heróis”.


Segundo O Estado de S. Paulo
, moradores da Vila Andrade, na zona sul de São Paulo, foram convocados para o ato e se abriram em elogios à atuação da PM que tem as versões oficiais contestadas em investigação:

“Tudo leva a crer que os policiais agiram corretamente. Mas há uma inversão de valores, a criminalidade é que dita o ritmo da nossa segurança pública”, disse o engenheiro Milton Venderamini, que mora na frente do local onde o menino foi morto.

A empresária Fernanda Guerra, também segundo o Estadão, apoiou também a ação:“Ninguém sabia que era uma criança (que estava ao volante). Os policiais só estavam fazendo seu trabalho”.

O G1 registrou outra fala, também de uma moradora da região que foi apoiar os PMs. Diz a psicóloga Angélica Lima.

“Infelizmente acabou com a morte desse menor, mas na verdade o policial só tava fazendo o trabalho dele. A gente tá aqui pra apoiar o trabalho da polícia e dizer que estamos a favor da ação deste policial. Não porque mataram o menino, mas porque acreditamos que foi só um desfecho infeliz. Ele tava fazendo o trabalho dele. A polícia tá aqui pra defender a gente”.

Cena do crime

A reconstituição promovida pelos peritos do DHPP – que investiga o caso – refez desde o roubo do veículo pelos dois meninos, em um condomínio da região, até o momento em que foram abordados pela PM e houve o disparo que matou o menino de 10 anos. Tudo foi fotografado, filmado e gravado em áudio.

Os PMs envolvidos na ação alegam que revidaram tiros que teriam sido disparados pelo garoto de 10 anos. Mas o amigo de 11 anos que também teria participado do roubo, em uma de suas versões, afirma que os dois estavam desarmados.

O menino sobrevivente está no Programa de Proteção à Criança e Adolescentes Ameaçados de Morte (PPCAAM) e deixou São Paulo com a família na semana passada. Ele não participou da reconstituição.

Entenda o caso

O menino de 10 anos foi morto dentro de um carro furtado, na Vila Andrade, na zona sul da capital. Os policiais sustentam que a criança atirou contra eles enquanto fugia. Laudo pericial mostrou que as mãos do garoto continham rastros de pólvora, mas a luva que ele supostamente usava, não.

Outro menino que participava da ação, de 11 anos, parceiro do garoto morto, disse, no terceiro depoimento prestado, ter sido agredido e ameaçado antes de gravar um vídeo reforçando essa versão. Em outro depoimento, afirmou que o colega estava desarmado. A testemunha e sua família entraram no Programa de Proteção à Criança e Adolescentes Ameaçados de Morte (PPCAAM).

Laudo divulgado na terça-feira (13) pela Secretaria da Segurança confirmou que o projétil que acertou a criança na cabeça saiu da arma de um dos policiais militares.

informações de Agência Estado, G1 e HuffPost Brasil

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Guilhermo Postado em 21/Jun/2016 às 20:37

    Imaginem viver sem a polícia! Medo.

  2. Antonio Carlos Postado em 21/Jun/2016 às 21:31

    A criminalidade só tende a aumentar, esse tipo de coisa vai acontecer novamente erro ou não. Mais a policia precisa de apoio também, porque são eles que estão na rua, eu não acredito que as pessoas estavam aplaudindo a morte de uma criança. mas sim aqueles que ninguém quer precisar chamar, mais quando o bicho pega são eles que vem nos acudir

    • Jaqueline Postado em 22/Jun/2016 às 12:20

      Eu não dou apoio à criminosos. De farda ou sem farda. Não foi um acidente. Existiam outras maneiras de parar o carro, de deter as crianças naquele momento. Já se concluiu que a criança não estava armada. Foi crime. E eu sou contra o crime.

      • MARCO BRITO Postado em 22/Jun/2016 às 15:23

        Parabéns Jaqueline! Impressionante como a cada dia se tem que ter mais coragem para defender a justiça e simplesmente ter humanidade. Não há pena de morte no Brasil, e mesmo que tivesse não cabem aos policiais julgar, condenar e aplica-la. Atirassem no veículo até que ele parasse. Abordassem o carro, pois é inimaginável que duas crianças pré-adolescentes sejam mais hábeis ao volante do que policiais supostamente profissionais e capacitados para o desempenho do ofício. Está tudo errado no Mundo. Há uma inversão de valores imensos onde bens materiais são mais importantes do que a vida humana, sobretudo, de duas crianças. Graças e Luz, Jaqueline!

  3. Eduardo Ribeiro Postado em 22/Jun/2016 às 10:36

    Vila Andrade, vulgo "Novo Morumbi". Bairro de branco novo rico. Isso explica absolutamente tudo. Eu lamento demais que o outro lado, o lado desse menino e de tantos outros - o lado sofrido, espoliado, humilhado, oprimido, ou seja, o lado correto da questão - , tenha optado por ser apaziguador, pois são pessoas boas, trabalhadoras, humildes e de coração pacífico, que não sabem a força que tem. O correto a se fazer era juntar uns 40 e sair descendo a sarrafada - civilizadamente, óbvio - em todo ser de pele alva, com seus bolsos cheios de onça e garoupa, que estivesse ali APLAUDINDO A EXECUÇÃO DE UMA CRIANÇA. Chegar quebrando a madeira, sem se explicar, sem maneirar na força e sem olhar direito onde pega a paulada. Coisa civilizada, moralizadora.

    • José Ferreira Postado em 22/Jun/2016 às 16:59

      Tá nervosinha, tá. Tem outros bandidos que ainda estão vivos para você dar carinho. O "Fat Family" está na rua agora.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 23/Jun/2016 às 10:36

        Agora porque eu não bato palma para EXECUÇÃO DE CRIANÇAS eu tenho que passar a mão na cabeça de marmanjo chefe do tráfico de drogas de morro do Rio? Você é doente? Puta que me pariu, qual a relação entre essas coisas? Marque o que você é: ( ) burro, ( ) sequelado ou ( ) safado? Eu tenho que agradecer a todos os deuses por não conviver com "gente" como você no dia a dia. Se tivesse, ia "assinar o 129" em no máximo 2 dias de convívio.

      • José Ferreira Postado em 23/Jun/2016 às 11:39

        Beleza.

  4. Ricardo Postado em 22/Jun/2016 às 12:24

    O sujeito tem que ser ou muito burro ou um perfeito sociopata para comemorar a morte do menino. O mínimo que se espera é lamentar que um menino, que deveria estar brincando e estudando, tivesse se envolvido com o crime. O mínimo que se espera de um espírito minimamente humano. Quando se aplaude a violência como solução, vemos cada vez mais distante a solução para a violência.

  5. João Paulo Postado em 22/Jun/2016 às 13:54

    Não me convenço com lágrimas de quem abandona filho na rua ... A alegria de uma pensão-esmola compensará a perda.

  6. José Ferreira Postado em 22/Jun/2016 às 15:38

    Meninos nada. Se é homem para cometer crimes, é homem para sofrer as consequências. Muitos pais de família foram salvos, pois o bandido de 10 anos) iria assassinar alguém daqui a alguns anos.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 22/Jun/2016 às 17:23

      Veio do futuro? Alem de Istoriador, e além de ter gozado na tela do computador lendo sobre o assassinato de uma criança, é viajante do tempo? Está afirmando com tamanha certeza que o menino, a criança, iria matar alguem daqui uns anos se vivo continuasse...de que buraco sujo saiu tamanha certeza?

      • José Ferreira Postado em 23/Jun/2016 às 09:02

        De novo: Tá nervosinha, tá. Tem outros bandidos que ainda estão vivos para você dar carinho. O "Fat Family" está na rua agora. Corra, antes que a polícia o pegue.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 23/Jun/2016 às 12:06

        ""O Istoriador do Futuro"". Eu já falei sobre Fat Family. Já lecionei. O problema é que você é muito, mas muito mesmo, ( ) burro, ( ) sequelado ou ( ) safado (marque o "X"), pois além de aplaudir EXECUÇÃO DE CRIANÇAS, você comparou ouro com merda. Uma criança de 10 anos executada pela PM e um marmanjo chefe do tráfico de drogas são coisas completamente diferentes, bruxão. Somente na cabeça (ou outro orgão do corpo) de uma "pessoa" como você essa comparação estúpida e descabida faz algum sentido. Agora pegue seu DeLorean, retorne pro ano 2058 e se tiver mais informações relevantes do futuro, traga-as para nós.

      • José Ferreira Postado em 23/Jun/2016 às 14:28

        "Eu não vou te procurar, por que o 'Istoriador' vai falar. Eu não vou não. Não vou... Eu não vou nãããão". Você fala assim, mas, com a Polícia matando o "Fat Family", você, Eduardo Ribeiro, vai dar aquele discursinho do "PSOL" de que a Polícia é fascista, genocida e lá vai...

  7. Everson Postado em 22/Jun/2016 às 16:51

    Sou negro e já fui abordado varias vezes em meu carro com armas engatilhadas na minha direção, sem motivo algum para tal, somente averiguação de rotina. Vendo as imagem do policial jogando a moto no chão e partindo para a ação com o carro parado, impossibilitado de andar, se a criança de 10 anos tivesse atirado anteriormente (dirigindo um carro grande e atirando com um revolver calibre 38) seria muita loucura a atitude do policial se expondo a levar tiros. Pois quem esta comemorando tal atrocidade, nunca se viu na mira de uma arma que hipoteticamente deveria lhe proteger, a violência que gera violência, cada nova manchete um novo ato violento dos dois lados, vai comemorando.

    • Roberto Pedroso Postado em 23/Jun/2016 às 12:10

      Parabens Everson só mesmo aqueles que andam pelas ruas das grandes metropoles Brasileiras que caminham e transitam pelas ruas sabe de fato como a força publica se comporta, este fato desmascara e descortina um fato que é de conhecimento de todo cidadão atento e de bom senso a policia,repito em todos os grandes centros urbanos do Pais, tem como forma padronizada de ação atirar primeiro e perguntar depois,este é mais um caso que se soma a tantos outros,, enquanto o comportamento da policia não for discutido e reavaliado com seriedade continuaremos a ver noticias tragicas como esta, algo que é inadmissível em uma sociedade realmente democratica.É fato que a sociedade como um todo falhou com este garoto o que culminou em uma verdadeira tragedia.

      • José Ferreira Postado em 23/Jun/2016 às 14:30

        Falhei nada. Não mandei ninguém ser bandido. Não vem colocar a culpa em nós.

  8. sandro Postado em 23/Jun/2016 às 10:37

    São todos seguidores do bolso bosta pra terem essa atitude.