Redação Pragmatismo
Compartilhar
Corrupção 30/Jun/2016 às 17:30
6
Comentários

CPI da merenda em São Paulo deve acabar em pizza

Presidente da CPI da Merenda inocenta Fernando Capez (PSDB) mesmo antes de apuração. Esquema de corrupção envolvia superfaturamento, pagamento de propina e desvio de recursos em contratos de merendas escolares no governo Geraldo Alckmin

Fernando Capez merenda
(Imagem: Fernando Capez, acusado de líderar o esquema de desvio de dinheiro público da merenda em São Paulo)

Revista Fórum

Na última terça-feira (28), o presidente da CPI da Merenda, Marco Zerbini (PSDB), inocentou o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), Fernando Capez (PSDB). O parlamentar, que foi citado em delação premiada, é suspeito de participar do esquema de superfaturamento, pagamento de propina e desvio de recursos em contratos de merendas escolares no governo do também tucano Geraldo Alckmin.

Em entrevista coletiva, Zerbini defendeu o colega de partido. “Eu sei que quem foi acusado de forma injusta tem desespero grande em provar sua inocência”. Ele disse ainda que “o dano causado à imagem de Capez é um dano que não pode ser revertido mesmo comprovando sua inocência”. Ao ser questionado por jornalistas sobre a afirmação, o deputado alegou ter sido “mal compreendido” e que quem se declara inocente é o próprio presidente da Alesp.

Para Alencar Santana (PT-SP), único membro que faz oposição ao governador presente no colegiado, a declaração de Marco Zerbini deixa evidente as intenções da CPI. Para o deputado, inocentar um acusado em delação sem sequer ter escutado testemunhas ou ter acesso aos documentos do Ministério Público e da Polícia Civil é um pré-julgamento com finalidade definida: “blindar Capez”.

Antes, o presidente da CPI havia declarado que só começaria a escutar testemunhas quando tivesse acesso e estudasse os documentos da Polícia Civil e do Ministério Público. Além do posicionamento de Zerbini, a escolha do relator da CPI também gerou preocupação.

O governo, que já conta com o presidente e vice-presidente da comissão como aliados, ganhou agora um reforço com a escolha do deputado Estevam Galvão, do DEM, para relator. O Democratas é um partido historicamente alinhado ao PSDB, do qual faz parte Capez e o governador do Estado.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Alan Kevedo Postado em 01/Jul/2016 às 10:06

    PAÍS de maioria religiosa é assim mesmo. Neles, crianças, velhos e mulheres vivem no FIO DA NAVALHA.

  2. Maurício de Souza Matos Postado em 01/Jul/2016 às 12:06

    E que dia você viu uma CPI contra o PSDB terminar que não seja em PIZZA?

  3. Eduardo Ribeiro Postado em 01/Jul/2016 às 12:08

    Tucano envolvido em coisa que não presta, dentro do reino de Alckmin...tem que ser muito novato, tonto, muito ingênuo pra achar que a casa vai cair pro lado de alguém. Mais certo que a morte: isso vai dar em nada. Parabens aos envolvidos. Palminhas pra vocês, BOÇAS que garantiram 24 anos ininterruptos de estupro tucano sobre o povo paulista.

  4. sandro Postado em 01/Jul/2016 às 13:56

    Por onde andam as pessoas de bem, que envergavam magnificamente as camisas canarinhos de 400 reais.

  5. Deisi Postado em 01/Jul/2016 às 13:57

    Quando se trata de corrupção do PSDB sempre termina em pizza, em São Paulo vira rodízio. Serra e Alckmin são exemplos.

  6. Deisi Postado em 01/Jul/2016 às 13:57

    Quando se trata de corrupção do PSDB sempre termina em pizza, em São Paulo vira rodízio. Serra e Alckmin são exemplos.