Redação Pragmatismo
Compartilhar
Homofobia 14/Jun/2016 às 13:04
22
Comentários

Atirador de boate gay tinha tendências homossexuais, diz ex-esposa

Atirador da boate Pulse, em Orlando, frequentava o local há anos e era usuário de aplicativos de relacionamentos homossexuais. Ex-esposa afirma que Omar Mateen era, provavelmente, um 'gay enrustido'

Omar Mateen boate gay orlando
(Imagem: Omar Mateen)

A ex-mulher de Omar Mateen, atirador que matou 49 pessoas em Orlando afirmou que ele “pode ser homossexual” e que deve ter alguma razão psicológica para o ataque à boate gay Pulse.

A declaração de Sitora Yusufiy à emissora americana CNN nesta terça-feira joga nova luz sobre a relação de Omar Mateen com a comunidade gay.

A tese de uma possível homossexualidade de Mateen surgiu em vários jornais americanos, podendo complicar o processo para compreender os impulsos psicológicos que o levaram a cometer o pior ataque a tiros da História dos EUA.

Sitora Yusufiy revelou ainda que o pai de Omar Mateen o chamava de ‘gay’ repetidamente.

A PROPÓSITO: Pesquisa indica que homofóbicos sentem excitação por homossexuais

Testemunhas e frequentadores regulares da boate Pulse afirmaram terem visto Omar Mateen outras vezes na casa noturna e em aplicativos de encontros gays.

Em entrevista ao jornal “Orlando Sentinel”, Ty Smith afirma que chegou a ver Mateen dentro da boate pelo menos 12 vezes. Segundo ele, o atirador entrava na boate e ficava bebendo sozinho em um canto da pista.

“Outras vezes ele ficava tão bêbado que ficava estridente e agressivo. Não falava muito com ele, mas lembro de coisas como o que ele falava sobre o pai e sobre ter mulher e uma filha”, disse Smith.

Cord Cedeno e Chris Callen também afirmam terem sido testemunhas destes momentos de agressividade de Mateen dentro da Pulse. “Certamente era ele. Ele frequentava a balada há anos e as pessoas o conheciam”, disse Cedeno.

Outro frequentador da Pulse, Kevin West, disse ao “Los Angeles Times” que ele trocou mensagens com o atirador por um ano no aplicativo gay Jack’d. Ele afirma nunca ter se encontrado pessoalmente com Mateen.

“Quando ele falou comigo pela primeira vez, me perguntava sobre as melhores baladas e lugares para ir. E eu lembro de ter dito a ele que bastava olhar na internet, porque eu não saio muito”, disse.

No entanto, reconheceu o atirador quando ele entrou na boate por volta de 1h de domingo, uma hora antes do ataque. West disse ainda que ele tomou uma bebida antes de sair e invadir de novo a casa noturna com as armas.

Na manhã de segunda (13), ele mostrou as mensagens trocadas para o FBI. Questionado pela imprensa, o chefe de polícia de Orlando, John Mina, disse não ter conhecimento deste histórico do atirador.

com agências internacionais

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. José Ferreira Postado em 14/Jun/2016 às 16:04

    Hummmm... Boiola. Bem "bicha louca" mesmo.

    • amanda Postado em 14/Jun/2016 às 17:30

      ????????????????

      • Thiago Teixeira Postado em 14/Jun/2016 às 21:37

        Coxinha sendo coxinha.

    • Víctor Postado em 14/Jun/2016 às 18:56

      Você também parece estar precisando de ajuda.

    • herbert Postado em 15/Jun/2016 às 10:57

      São pessoas com a sua postura, se é que pode-se chamar postura, que puxam o gatilho diariamente.

      • José Ferreira Postado em 16/Jun/2016 às 13:40

        Agora vai querer me culpar por atos de "lobos solitários" do Estado Islâmico. Poupe-nos.

    • alex Postado em 15/Jul/2016 às 20:51

      Como confiar numa fonte assim?

  2. Thiago Teixeira Postado em 14/Jun/2016 às 16:09

    Esse AMERICANO (é isso que ele é, pois o papinho da Globo e extremista de estado islâmico, filho de um amigo de um conhecido da Al Qaeda não cola) não pega ninguém na boate, deve passar horas jogando Counter-Strike, ficou alucinado, comprou armas na maravilhosa política imperialista de vender armas a vontade, de grosso calibre, para quem um tiver dinheiro em mãos, e fez isso. O resto é conversa e tentativa de desviar o foco de culpa da política e sociedade americana com seus efeitos colaterais.

    • José Ferreira Postado em 14/Jun/2016 às 17:22

      Armas não matam. Quem mata são as pessoas. Nos Estados Unidos há mais armas e habitantes do que o Brasil, mas morre-se menos por tiros. O cara pode até não ter vínculos com o Estado Islâmico, mas agiu inspirado no grupo terrorista, além da questão do cara não se aceitar como gay.

      • Alex Postado em 15/Jul/2016 às 20:55

        É óbvio que lá matam menos, pois prisão perpétua ou execução são as penas para assassinato. Penas menos rígidas geram mais criminosos, assim funciona nos países de terceiro mundo. Esse atirador, possivelmente não era gay, e algumas partes da notícia eu não encontrei em outros sites, eu verifico sempre pelo menos três fontes antes de acreditar em tudo numa notícia.

  3. Bruno Postado em 14/Jun/2016 às 17:14

    Que matéria sensacionalista e reducionista! Pelo amor de deus querem agora culpar gays pela tragédia movida pela cultura da homofobia? Este fato não é um caso isolado, parem de procurar explicações individuais ou pior ainda de relacionar qualquer comportamento homosexual com distúrbio psicológico. Está matéria é um desserviço à comunidade LGBT que sofre diariamente com a violência e o preconceito alimentado por assimilações ridículas como esta

  4. sandro Postado em 14/Jun/2016 às 17:48

    Por isso bostanaro odeia gays????

    • Rita Candeu Postado em 15/Jun/2016 às 06:54

      Bolsonaro, Malafaia e Feliciano e demais "pessoas de bem" amigos do Frota

    • Ione Postado em 15/Jun/2016 às 16:48

      Será?

    • poliana Postado em 15/Jun/2016 às 21:23

      com certeza...ele e todos os demais q a rita citou.

  5. Luis Postado em 14/Jun/2016 às 17:56

    Então não foi motivado por homofobia, simples assim. Homofobia significa aversão, preconceito, medo ao homossexual. Gay enrustido, pessoas que sentem excitação por homossexuais, por mais que queiram incluir no balaio, obviamente não se enquadram no termo.

  6. Flavia Fernandes Postado em 14/Jun/2016 às 23:13

    "Onde há muita raiva, há também muito desejo" Sigmund Freud

  7. alisson Postado em 15/Jun/2016 às 00:41

    Claro que sim.

  8. joziel miranda Postado em 15/Jun/2016 às 10:06

    Pode ser verdade, eu mesmo já fiquei com homem que se diz hétero e até mesmo mesmo meu irmão que me odeia quando me comporto como o gay que sou , descobri recentemente que ate de orgias com homens ele ja participou, coisa que eu nunca fiz, COM CERTEZA esse aí era um enrustido...

  9. Ronan Postado em 15/Jun/2016 às 15:12

    Ta, mas o que Cs tem a ver com isso?Seu demente.

  10. Paulo Postado em 16/Jun/2016 às 11:49

    Querido, a homofobia é muito maior que o seu agente. Gays enrustidos podem ser, sim, homofóbicos. Isso é uma cultura enraizada, sem solução de continuidade, em que todos estamos inseridos. Não separe uma coisa da outra. E outra: o que a esquerda tem a ver com isso? Defender direitos inalienáveis devia ser o objetivo de toda verve política. Mas, se só a esquera se interessa por essas pautas, como você diz, então isso diz muito da direita: conservadores retardados, que só se chateiam quando o assunto lhes interessa. Falta de empatia devia ser o lema da Casa da Direita, então.

    • José Ferreira Postado em 16/Jun/2016 às 13:38

      A esquerda se contorce para não falar a verdade: que um gay que não se aceitava praticou um ato terrorista em nome de sua religião. Veja o que o Estado Islâmico faz contra os gays nas terras que eles dominam. Ele se simpatizava tanto com o EI que não suportou a ideia de ser um gay.