Redação Pragmatismo
Compartilhar
Impeachment 10/May/2016 às 10:21
19
Comentários

Protestos contra o impeachment acontecem por todo o Brasil

Manifestantes ocupam vias em protesto contra o impeachment em vários estados do Brasil. Grupos bloqueiam pistas e erguem cartazes com os dizeres “não vai ter golpe”

protesto contra impeachment dilma brasil

Manifestantes contrários ao impeachment da presidente Dilma Rousseff promovem, na manhã desta terça-feira (10), protestos no Distrito Federal e em, pelo menos, treze estados (BA, CE, ES, MA, MG, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RS, SP e no DF).

Liderados pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), eles ocuparam rodovias, como a Via Dutra, que liga Rio de Janeiro, e a Rio-Santos. Fotografias divulgadas pela CUT em sua rede social mostram pneus queimados e manifestantes segurando faixas com dizeres “Não vai ter golpe” e “Câmara contra o golpe”.

Também houve ocupação na Marginal Tietê, nas imediações da ponte do Tatuapé, em São Paulo. Mais cedo, os integrantes de movimentos sociais haviam interrompido o trânsito nos dois sentidos da Avenida 23 de Maio, próximo ao Terminal Bandeira, na Marginal Pinheiros, perto da ponte do Brooklin, e na Rodovia Hélio Schmidt, que dá acesso ao Aeroporto Internacional de Guarulhos.

Os atos começaram simultaneamente por volta das 6h30 da manhã. No entanto, às 7h30 a Rodovia Hélio Schmidt e a Marginal Pinheiros, na região do Morumbi, permaneciam parcialmente ocupadas por manifestantes.

O coordenador da Central de Movimentos Populares (CMP), Raimundo Bonfim, contestou a argumentação usada para o processo de destituição de Dilma. “Eles podem dizer que é uma violência fechar uma avenida como a 23 de Maio e outros pontos na cidade de São Paulo. Mas não é uma violência em comparação com o que eles estão fazendo com a Constituição brasileira. Está tendo um processo de impeachment que não tem embasamento jurídico, essa é a maior violência”, ressaltou em entrevista logo após o fim do bloqueio próximo ao Terminal Bandeira.

As principais preocupações dos movimentos, segundo ele, são em relação aos direitos trabalhistas e aos programas sociais. “Um eventual governo Temer já sinalizou que será um governo de ataque às conquistas dos trabalhadores, no sentido das leis trabalhistas e previdenciária, dos programas sociais e da própria soberania do nosso país”, disse Bonfim.

ABR e Congresso em Foco

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Isabela Postado em 10/May/2016 às 13:03

    Nem a galera contra o golpe que trabalha nas estradas concorda com essa meia duzia de idiotas fazendo besteira que não adianta nada.

    • Ricardo Postado em 10/May/2016 às 17:06

      Isso aí. Vamos ficar na Internet digitando groselha e manifestando nosso descontentamento. Certamente os políticos vão ouvir... Sabe de nada! É como ocorreu com os direitos trabalhistas: toda forma de pressão era vista como crime. Só que os trabalhadores não cederam, então tiveram de sentar e conceder o que reivindicavam.

  2. Eduardo Ribeiro Postado em 10/May/2016 às 15:06

    """""""ainnn não consegui nem dirigir meu carro....tive que desligar minha SUV em plena marginal....isso não é protesto, esses vagabundos tem que protestar na hora que EU quiser e no local que EU determinar"""""""....tenho fé de que o verdadeiro POVO vai tomar as ruas, e assim que acontecer, episódios como o de hoje serão coisa pequena e banal, serão lembrados como apenas o princípio das dores.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 10/May/2016 às 17:50

      Não, filho. A exclusividade é da reclamação, do ato de reclamar. Não das "vias". Meu problema não é com o "onde" os manifestantes queimam pneus. Meu problema é com o "quem". Quem reclama de trânsito quando o POVO toma as ruas? Será que são os mesmos que vestem camisa amarela, que tem geladeira cheia, que batem panela, e estão magoadinhos porque este ano não conseguiram viajar pra Miami e tiveram que se contentar com Maceió? Não vou nem ser besta de dizer que o povo não reclama, mas aí é a velha questão: "quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser o opressor". Coitado sai de casa 4 da manhã pra trabalhar num sub-emprego, fruto de uma educação que por décadas foi sucateada, do outro lado da cidade, volta pra casa 10 da noite, aguenta o fdp do patrão o dia inteiro o esfolando, sua fonte de informação é o Jornal Hoje na hora do almoço ou o Jornal Nacional quando acontece um milagre e dá tempo de ver....eu não sou safado a ponto de exigir consciência política destes brasileiros humildes. Consciencia política pra ele é dinheiro no bolso pra pagar as contas e fechar o mês. Pra eles o mundo é como a Globo conta pra eles. E pra Globo, "tem um bando de folgados atrapalhando o direito de ir e vir". Aí ele introjecta essa bosta e reclama. É natural, e eu não cobro nada desse brasileiro. Mas do vagabundo sentado no ar condicionado que reclama porque "minha SUV está parada por causa desses mortadelas que não gostam de trabalhar", ah....esses tem seu lugar reservado no bom e velho paredão do mestre Iasi.

    • felipe Postado em 10/May/2016 às 17:55

      kkkkkkkk Eduardo viaja nas coisas impossível não rir com esse cara, bando de vagabundo pago para protestar atrapalhando a vida de quem precisa chegar no seu emprego..... protesto dos caminhoneiros não pode fechar a rua.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 10/May/2016 às 20:07

      não dou cabimento pra troll...volte pro g1.

    • felipe Postado em 11/May/2016 às 08:51

      Deixa eu pegar minha SUV aqui como todo cidadão que estava nas ruas e ir pro G1 kkkkk é muita groselha.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 11/May/2016 às 10:28

      Mas troll....onde eu falei "todo cidadão que estava na rua tinha"? Troll que não consegue nem entender o texto que quer trollar não se cria não. Nem os outros trolls vão te respeitar, você denigre a imagem deles. Vai escrever kkk no G1, troll.

    • felipe Postado em 11/May/2016 às 14:41

      Tadinho do tiozinho..... o ódio cega a criatura, não sinto raiva de você eu sinto pena por pensar assim sobre tantas coisas e por ser extremamente preconceituoso e partidário.

      • Halter Maia Postado em 13/May/2016 às 04:20

        Felipe, estude um pouquinho. Pelo menos a Revolução Francesa que foi a revolução que inaugurou a hegemonia da burguesia que vc parece prezar bastante. Depois leia alguma coisa de Hubermann, talvez a História Econômica do Homem (é um livrinho gostoso de ler, escrito pra colegiais) e se tiver coragem, leia O Capital de Marx (são 3 volumes muito densos) e depois emita opinião com alguma propriedade... sobrinhosinho.

  3. sandro Postado em 10/May/2016 às 15:22

    Quando meia dúzia de caminhoneiros fecharam estradas,os coxinhas bateram palmas,agora é vandalismo.

    • Pedro Accioli Postado em 10/May/2016 às 17:45

      Hipocrisia dos coxinhas pouca é bobagem cara!!!

    • felipe Postado em 10/May/2016 às 17:56

      O mais estranho é quem não apoiou os caminhoneiros e agora batem palmas, bem coerente.

  4. Ricardo Postado em 10/May/2016 às 17:00

    Vc está vendo uma entidade coletiva do ponto de vista individual, o que prejudica a análise. O fato de um trabalhador, individualmente considerado, não concordar com a manifestação da categoria não a deslegitima.

  5. Ricardo Postado em 10/May/2016 às 17:01

    Ah, agora ficaram com medinho, é?! Quando falamos para respeitarem as leis respeitarem a Constituição, ficaram falando merda. Como Rawls já ensinava: se vc prega a intolerância, não pode invocar a tolerância para se defender. Agora aguenta.

  6. Ricardo Postado em 10/May/2016 às 17:03

    Engraçado que, para apoiar o impeachment, a polícia até fechou a paulista para os manifestantes e tá tudo certo (oi?! paulista fechada por funcionários pagos pelo Estado?!). Quando se fecha uma via por uma pauta que não lhes interessa, daí é "vagabundagem". Cara de pau é pouco para descrever vcs.

  7. Joao Postado em 10/May/2016 às 17:18

    Ué , agora aguente mané , é só o começo , rasteira na democracia é isso aí !!

  8. Carol Postado em 10/May/2016 às 17:52

    Não, vamos parar as estradas e deixar trabalhadores perderem o dia do trabalho, perderem a mercadoria, perderem a entrega, pagarem multa por atraso, vamos afinal nós pensamos no povo e reclamamos dos nossos governantes sem atrapalhar a vida deles.

  9. Jonas Schlesinger Postado em 11/May/2016 às 05:48

    vagabundos