Redação Pragmatismo
Compartilhar
Dilma Rousseff 20/May/2016 às 11:14
13
Comentários

As chances de Dilma para reassumir a Presidência da República

Difícil? Possível? Jogo perdido? Analistas avaliam o que Dilma Rousseff precisa fazer para reverter o atual quadro e retornar ao cargo que está ocupado pelo presidente interino Michel Temer

dilma rousseff michel temer impeachment

O processo de impeachment e a derrubada da presidenta Dilma Rousseff não são fato consumado, apesar de ser essa a ideia disseminada diretamente ou nas entrelinhas dos discursos midiáticos.

“É possível reverter e é possível resistir ao golpe. A imprensa ocultou, mas a votação que eles tiveram no Senado só foi de dois votos acima do que eles precisam na decisão final do julgamento. Se eles perderem apenas dois votos, o impeachment é derrotado”, lembra o professor de Ciência Política da Universidade de Campinas (Unicamp) Armando Boito.

Dilma Rousseff foi afastada da presidência pelo Senado em decisão que terminou em 55 votos pela admissibilidade do impeachment contra 22. Nessa fase, a votação do plenário é por maioria simples. Mas, para ela ser afastada definitivamente, são necessários dois terços dos votos do Senado, ou 54 votos dos 81 senadores. Em tese, Dilma precisaria mudar apenas dois votos da votação do dia 12 de maio, além de manter os que lhe foram favoráveis.

A sessão do Senado que definirá o destino de Dilma será presidida pelo presidente do STF, Ricardo Lewandowski. Se o processo chegar até setembro, o tribunal já terá outra presidenta: a ministra Cármen Lúcia.

O professor reconhece que a reversão do processo “é algo difícil, mas perfeitamente possível, pelo caráter extremamente conservador do governo Temer”.

“A presidente foi tirada provisoriamente, mas não derrubada ainda. Tem um processo em curso, um processo cuja probabilidade de terminar com uma derrota do governo Dilma é grande, mas os parlamentares podem mudar de opinião”, avalia Humberto Dantas, coordenador do curso de pós-graduação da Fundação Escola de Sociologia e Política (Fespsp).

Para ele, “a chegada de André Moura (do PSC de Sergipe, escolhido como líder do governo provisório) apenas mostra de onde esse governo é criado, mas parte significativa da sociedade vai questionar esse governo”. Na avaliação do professor da Fespsp, um complicador político que pesa contra Dilma é o fato de ela ter sido afastada do poder por inabilidade política. “Isso, o próprio PT reconhece: ela tem dificuldade de articulação com o Congresso e com os próprios partidos da base dela.”

Na opinião de Boito, o governo Temer provavelmente será objeto de grande pressão da sociedade organizada. “Porque não apenas reúne um conjunto de conservadores, mas muitos deles são corruptos.”

Ele também menciona o novo líder do governo na Câmara. “André Moura tem três processo no STF, mais três em Sergipe, um deles por tentativa de homicídio. Temer organizou um governo sob influência de Eduardo Cunha, reunindo muitos corruptos, perseguidos pela lei. Há elementos que vão provocar insatisfação e até revolta da população”, acredita. “Esse governo está longe de se consolidar, apesar da imagem que a mídia quer criar.”

O professor da Unicamp afirma também considerar “muito grave” democratas, socialistas e militantes de movimentos populares irem atrás “de cantos de sereia como eleições gerais”. “Isso seria admitir o encurtamento do mandato eleito em 2014, o que os golpistas querem nos impingir.”

Educação

Na opinião de Humberto Dantas, a situação a que o país chegou, cujo governo é liderado, na Câmara dos Deputados, por André Moura, deve ser analisada sob uma perspectiva mais profunda do que simplesmente tratar uma eventual reforma política como remédio para todos os males. “Mudar o sistema não é exatamente o meu passo. A minha reforma política é educar. Questiona-se como uma figura como essa é ministro, como aquela outra é líder do governo. Mas a questão principal é: como um fulano desse é deputado federal?”, questiona.

Para ele, analisada de um ponto de vista estrutural, a questão é “muito mais grave”. “Que eleitores votam num sujeito acusado de homicídio? O que é o Legislativo para a sociedade brasileira?”

RBA

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. João Paulo Postado em 20/May/2016 às 13:46

    Acho que é hora de negociar PESADO com os partidos insignificantes. É hora de prometer mundos e fundos, especialmente para aqueles que foram pouco privilegiados no governo do Michel "Putinh... do Tio Sam" Temer. Não se pode obliterar também o fato de que dois golpistas em potencial deixaram de votar pelo afastamento da Presidenta, logo, é necessário converter no mínimo 04 votos.

    • sandro Postado em 20/May/2016 às 14:19

      Apoiado.

    • Custodia Postado em 22/May/2016 às 13:43

      Concordo !

  2. Saulo Postado em 21/May/2016 às 07:36

    Seria bem melhor do que os números no início do governo do Lula. Eu pago para ver. Principalmente porque boa parte deste "rombo" é artificial.

    • Custodia Postado em 22/May/2016 às 13:55

      A traição maior veio do PMDB que deixou nossa presidenta sem base. O Golpe foi muito bem articulado. Quem viver verá.

  3. enganado Postado em 21/May/2016 às 09:16

    Bom! Para quem acredita em mula sem cabeça, boi tatá, coelhinho da Páscoa, acredita nos 170 bi. Porque será que não se confronta a equipe da RATAZANA e a outra equipe! MEDO! Porque é mentira o número. Mentira, ou será que a outra equipe não tem conhecimento de economia? A outra equipe era TODA do mercado, agora já se transformaram-na em bode expiatório. Pqp, para a Direita! Porra esses caras não têm um mínimo de senso, pois a outra equipe e essa, do RATAZANA, e deste viado já se conhecem desde a última encarnação. É, pelo visto a Direita como sempre querendo passar atestado de burro em quem não os defende, porra isto tem se acabar! Para quem trabalha para os USraHell, acho que era bom que tivessem inventado um número maior, que tal 350 bilhões de Dólares? Se acharem pouco podem inventar qq outro número! Isto aqui voltou a ser o """CX da Mãe da Joana""". A Pátria está desmoralizada e com a moral no chão! É, quem deveria cuidar dela, apoia o GOLPE-2016 e se dizem ainda que estão cumprindo o que está escrito no GIBI. ___"""braZil"""___ acabou com Z e letra minúscula. ___“” braZil, –– slogan –– ___””””” ÓDIO e RETROCESSO ””””___ ___“” braZil,__Pátria de INJUSTIÇAS, Viciados em COCAÍNA e LADRÕES ””___ ___”” GOLPE-2018 “””, PLUTORACIA Eterna___ ___“” Golpe é na gRoubo ””__

  4. SCAFI Postado em 22/May/2016 às 10:24

    Sem o apoio dos dePUTAdos não conseguiu e nunca conseguirá. Grande parte dos problemas de retrocesso que passamos aconteceram ou se agravaram muito mais por conta dessa queda de braços "Governos X Oposição". Facil verificar, é só ir no historico dos sites de pesquisa (IBGE, FGV, Ipeadata, Vox Poppuli,....). A merda real começou a rolar a partir de 2014 com as freiadas da crise politica.

  5. Custodia Postado em 22/May/2016 às 13:50

    Naro Solbo, vc esqueceu que o congresso de maioria golpista barraram durante mais de um ano todas as providência nossa presidenta concluir para evitar essa crise ? Será que não enxerga a verdade ?

  6. luiz a s monjelo Postado em 22/May/2016 às 16:44

    nao precisa de muito, basta o compromisso com ivestimentos maciços em educaçao e cultura um voto é garantido de cristovam buarque, ai e só buscar mais um...buarque como ministro e com autonomia de escolher sua equipe.

  7. luiz a s monjelo Postado em 22/May/2016 às 16:44

    nao precisa de muito, basta o compromisso com ivestimentos maciços em educaçao e cultura um voto é garantido de cristovam buarque, ai e só buscar mais um...buarque como ministro e com autonomia de escolher sua equipe.

  8. carlos jorge martins Postado em 23/May/2016 às 00:25

    O desgoverno Temer já nasceu doente.

  9. eu daqui Postado em 24/May/2016 às 09:48

    Não quero volta. Quero a extensão da situação de Dilma ao Temer e a mais alguns. E que venha e viva o novo !

  10. Mauricio de Souza Matos Postado em 13/Jun/2016 às 09:56

    Olha Naro acho que você está se lembrando do governo FHC. Inflação de dose e meio por cento; onze milhões e quatrocentos e cinquenta mil de desempregados; dívida EXTERNA DE SESSENTA E QUATRO POR CENTO DO PIB; 13ª economia do mundo; gasolina com aumento de trezentos e quarenta e cinco por cento e oito anos; cinquenta reais de aumento no salário mínimo em 8 anos; zero de aumento para servidores públicos; dólar a R$4,00 e de joelhos para o FMI. Bem pior que o País de hoje.