Redação Pragmatismo
Compartilhar
Educação 07/Apr/2016 às 15:25
4
Comentários

Tropa de Choque da PM-SP trata meia dúzia de estudantes como terroristas

Pouco mais de meia dúzia de adolescentes são atacados pela Força Tática do estado de São Paulo como se fossem terroristas ou bandidos de elevado grau de periculosidade. As imagens são revoltantes e falam por si

pm sp estudantes tropa de choque
Ato de estudantes em São Paulo é reprimido pela PM. Jovens secundaristas realizavam manifestação pacífica na região central da cidade para reivindicar a abertura de uma CPI para investigar desvios na merenda escolar no estado

Uma manifestação de estudantes secundaristas realizada ontem (6), no centro da capital paulista, terminou com repressão por parte da Polícia Militar. Pelo menos uma estudante desmaiou, e dois foram atingidos por estilhaços.

O protesto, que começou na Praça da República, teve como objetivo cobrar o Legislativo estadual, bem como o governo de Geraldo Alckmin (PSDB), investigações sobre o escândalo da merenda escolar. Eles também reivindicaram livre organização dos grêmios estudantis e o fim de uma “reorganização escolar disfarçada”.

Os estudantes seguiam em passeata até chegar à Avenida Rio Branco, próximo ao Largo do Paissandu. Ali, a Tropa de Choque da PM já esperava os estudantes. Os policiais conseguiram dispersar os estudantes que, ao tentar rearticular a mobilização, foram novamente atacados.

Em um determinado momento, pouco mais de meia dúzia de estudantes exibiam uma faixa e protestavam, quando foram reprimidos pela Tropa de Choque da PM (assista ao vídeo abaixo)

De acordo com os estudantes, a principal reivindicação é a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembleia Legislativa para averiguar desvios nas verbas da merenda escolar no estado, escândalo que vem sendo vinculado ao presidente da Casa, Fernando Capez (PSDB).

Outra demanda está relacionada com o fechamento de salas de aula, promovido pela gestão Alckmin, mesmo após a derrota do governo no fim do ano passado, ao tentar promover uma “reorganização escolar”, que iria fechar salas de aula e escolas inteiras no estado. Já a terceira reivindicação exige a não intervenção do governo – sugerida pelo atual secretário da Educação, Renato Nalini – no processo de organização dos grêmios estudantis.

Durante o ato, um estudante chegou a ser detido pela Polícia Militar, por usar uma máscara e “portar” uma mochila. Após revistado, foi liberado, pois nada foi encontrado em seus pertences.

Vídeo:

Fim de tarde no estúdio.Força Tática reprime meia dúzia de adolescentes que protestavam sem qualquer violência contra o roubo de merendas em São Paulo. Comparem com a ação policial em qualquer manifestação esquerdofóbica “contra a corrupção” que obstrui ruas.A cena fala por si. Para quem ainda tem alguma dúvida de que é a ideologia – e não a manutenção da ordem pública – que move as mãos, as bombas e a cabeça da Polícia Militar. Que age, concordemos ou não, em nosso nome. Nojo. E mais nojo de quem finge que não vê.

Publicado por Bruno Torturra em Quarta, 6 de abril de 2016


RBA

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. José Ferreira Postado em 07/Apr/2016 às 16:09

    Faltou mostrar as imagens das "estudantes" que estavam quase peladas. Bem coisa de feminazi e não tem nada a ver com a suposta demanda. Eu queria ver essa revolta em relação ao roubo na Petrobras ou quando a presidente diminuiu as verbas para a educação.

    • Vitor Postado em 07/Apr/2016 às 21:22

      Tava demorando para aparecer um lambedor de coturno misógino

      • Gustavo Postado em 08/Apr/2016 às 14:17

        Tava demorando...

  2. sandro Postado em 07/Apr/2016 às 18:19

    O correto é assaltar a merenda dos alunos,afinal é o PSDB,e esse pode,é por essas e outras que estudante nenhum apoia esse partido,minto tem aqueles que são contra cotas,Mackenzie que o diga.