Redação Pragmatismo
Compartilhar
Direita 05/Apr/2016 às 12:47
17
Comentários

Professor universitário é agredido na frente da namorada por dizer que é petista

Professor estava em uma lanchonete com a namorada quando um homem pergunta várias vezes se no local havia algum petista. O acadêmico, que é do PSTU, disse que era petista. Em seguida, foi chamado de ladrão e levou um tapa. Na delegacia, agressor se justificou: "sofro com a crise financeira e recorro a empréstimos"

professor salomão petista crime
O professor universitário Salomão Nunes Santiago, agredido, levou o caso para a delegacia. Agressor confessou o crime.

O professor universitário Salomão Nunes Santiago e a namorada estavam, no último domingo (3), tranquilamente na lanchonete Perua Maluca, no bairro da Serraria, em Maceió. De repente, um veículo preto para, um homem baixa o vidro e pergunta se havia algum petista no local.

Todos ficam em silêncio. O constrangimento é geral. O nome do inquiridor é Júlio Emerson Gomes Rocha, que, por não ouvir respostas, continua a perguntar elevando o tom da voz. Segundo a versão de Salomão Nunes, publicada no blog do jornalista Odilon Rios (http://reporteralagoas.com.br/novo/maceio-professor-e-agredido-apos-dizer-que-era-petista/), embora filiado ao PSTU decidiu dizer que era petista.

Júlio desceu do carro, se aproximou do professor universitário, chamou-o de ladrão e safado e deu-lhe um tapa. Ao tentar reagir Salomão foi contido por funcionários da lanchonete e Júlio Emerson deixou o local.

Minutos depois, por volta das 21h30, o professor acionou a polícia e seguiu para a Central de Flagrantes, que fica no bairro do Farol. Lá também estiveram o agressor e parentes, que pediram desculpas. Júlio Emerson teria dito estar arrependido, reconheceu que o chamou de ladrão, petista e safado, mas negou a agressão e de tê-lo chamado de viado. Disse, ainda, como justificativa, que sofria com a crise financeira e estava recorrendo a empréstimos.

O professor Salomão Nunes Santiago afirmou que processaria o agressor. Um Boletim de Ocorrência de número 0012-F/160159 foi aberto.

Alagoas 247

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. guedes Postado em 05/Apr/2016 às 12:59

    Faça ele pedir mais um empréstimo para lhe pagar pelo constrangimento.

    • Roberto Palmeira Postado em 05/Apr/2016 às 18:00

      kkkkkkkkkk

  2. poliana Postado em 05/Apr/2016 às 13:30

    Na delegacia, agressor se justificou: "sofro com a crise financeira e recorro a empréstimos"................sei,sei...e isso é culpa dos "petistas"! ok!!!!

  3. Marcos Vinicius Postado em 05/Apr/2016 às 13:30

    "Lá também estiveram o agressor e parentes, que pediram desculpas. Júlio Emerson teria dito estar arrependido, reconheceu que o chamou de ladrão, petista e safado, mas negou a agressão e de tê-lo chamado de viado. Disse, ainda, como justificativa, que sofria com a crise financeira e estava recorrendo a empréstimos". Essa raça imunda num isntante se acovarda quando há uma reação. Desculpas? É muita palhaçada mesmo.

  4. milton Postado em 05/Apr/2016 às 13:48

    agora a melhor parte, seria o cidadao ser preso, e depois ter que pegar novo emprestimo para pagar fianca. Talvez ele aprenda alguma licao.

  5. Ozeias Souza Postado em 05/Apr/2016 às 14:01

    Tá sofrendo com emprestimos pq é burro e gastão. Na crise o remédio é trabalhar um pouco mais

  6. A.FREITAS Postado em 05/Apr/2016 às 14:14

    RIDÍCULO ESSA ATITUDE E SEM RESPEITO.

  7. gustavo0 Postado em 05/Apr/2016 às 15:26

    Não há justificativa que caiba para uma atitude louca, a lógica do agressor é torpe, fundamentada em seu desequilíbrio emocional severo. Oque me fez pensar é porque cacetas Salomão, na presença de alguém claramente enlouquecido, resolveu ''bulir a onça'' e afirmar-se petista, mesmo não o sendo! Faltou malandragem ao professor, pois supõe se que ninguém gostaria de ser agredido, ser vítima e virar notícia nas redes sociais acirrando ainda mais os já exaltadíssimos ânimos.

    • poliana Postado em 05/Apr/2016 às 17:34

      entendi..a culpa foi da vítima q provocou o ataque do estúpido agressor. tá "sertinhu"....sempre o mesmo discurso.

      • gustavo0 Postado em 05/Apr/2016 às 19:19

        Não flor, não é isso. Tenho pra mim apenas que não me parece prudente apagar um incêndio com gasolina. Pessoas em surto não são razoáveis, não estão disponíveis ao debate, podem oferecer perigo quando se apresentam agressivas. A tentativa de diálogo com um louco é impraticável. Recomenda-se cautela em uma situação dessas, o senso de auto-preservação deve sempre prevalecer. Em uma sociedade violenta como a nossa, a vida é frágil, e deve ser preservada. Se colocar na defensiva não é covardia nos dias atuais, a inteligência emocional é uma arma importante contra o ódio e a loucura.

      • Jonas Schlesinger Postado em 05/Apr/2016 às 20:25

        kkkk eu juro que não vi esse comentário do gustavo kkkkk

      • poliana Postado em 05/Apr/2016 às 21:52

        "O que me fez pensar é porque cacetas Salomão, na presença de alguém claramente enlouquecido, resolveu ''bulir a onça"''..................eles sempre dão um jeito de culpar a vítima, jonas. n tem jeito.

    • Alfa Postado em 06/Apr/2016 às 23:41

      Gustavo, em tempos de fascismo, ele foi corajoso. A coragem sempre exigirá certa dose de imprudência. Cautela em excesso muitas vezes é covardia.

  8. Line Postado em 05/Apr/2016 às 15:41

    Ele deveria estudar mais, trabalhar mais, ser mais competente e gastar menos. Essa é a mesma turminha que defende com unhas e dentes a famosa meritocracia absoluta.

  9. Rafa Postado em 05/Apr/2016 às 16:16

    Se ele precisa de empréstimo então ele é mais uma vítima do capitalismo, a culpa não é dele que gasta demais e sim do capitalismo.

  10. João Paulo Postado em 05/Apr/2016 às 18:46

    Eu ficaria muito tentado em levantar pronto para briga e dizer que era petista. Mas não custa muito para um pseudo-valente vagabundo criminosos desgraçado desses aparecer inquirindo os outros e armado.

  11. eu daqui Postado em 07/Apr/2016 às 12:30

    Eu, dentre outros, já fui agredida por dizer que não mais sou petista.