Redação Pragmatismo
Compartilhar
EUA 26/Apr/2016 às 16:57
4
Comentários

Obama explica como suas filhas mudaram sua opinião sobre o casamento gay

"Eu tenho que confessar que minhas filhas geralmente exercem impacto em mim". O presidente dos EUA, Barack Obama, revela que mudou de opinião acerca do casamento gay por causa das duas filhas adolescentes, Sasha e Malia

obama filhas casamento gay lgbt
Barack Obama e suas filhas, Sasha e Malia (reprodução)

O presidente dos EUA, Barack Obama, contou neste final de semana que suas filhas, Sasha e Malia, tiveram um papel fundamental na sua mudança de visão – e de opinião – sobre o casamento gay.

Eu tenho que confessar que minhas filhas geralmente exercem impacto em mim“, contou ele a 500 líderes que se reuniram em Londres, durante a visita do mandatário ao Reino Unido.

Inicialmente, o presidente dos EUA pensou que apenas as uniões civis entre casais do mesmo sexo seriam suficientes. De acordo com ele, não era necessário “rotular” a união entre pessoas do mesmo sexo como casamento, afinal de contas, os direitos conquistados por casais homossexuais e heterossexuais seriam os mesmos.

Foi com a ajuda das duas filhas adolescentes e de ativistas LGBT que Obama conseguiu entender porque o casamento gay era tão importante, segundo o site Pink News.

Pessoas que eu amo e que estavam em relações homossexuais e monogâmicas me explicaram o que eu deveria ter entendido antes“, contou.

Não é apenas uma questão de direitos legais, mas de sentimento e estigma. Se você se refere a algo de um jeito diferente, significa que, de alguma forma, seu significado é menor aos olhos da sociedade.”

Obama descreveu ainda o movimento de casamentos igualitários como “o mais rápido conjunto de mudanças em termos de um movimento social que já vi“, e também elogiou ativistas que argumentaram com aqueles que, inicialmente, não concordavam com o casamento gay.

Segundo o Huffington Post Obama também falou com os participantes do encontro sobre igualdade. Recentemente, o Reino Unido emitiu um alerta de viagem para a comunidade LGBT que tenha como destino os estados americanos da Carolina do Norte e do Mississippi, que aprovaram leis discriminatórias.

Leia também:
O Estado Democrático de Direito e os homossexuais no Brasil
Métodos de “curas gay” utilizam choque elétrico, estupro e submersão
O papa Francisco e o casamento homossexual

HuffPost

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Sérgio Carneiro Postado em 26/Apr/2016 às 22:26

    As filhas de Obama vão se casar entre si. Que bom, espero que sejam felizes.

    • Joao Postado em 27/Apr/2016 às 08:35

      Dâââârde !!

    • Anne Postado em 27/Apr/2016 às 10:06

      Mas que pérola. Fala mais. :)

  2. Jonas Schlesinger Postado em 27/Apr/2016 às 23:23

    Certo, mas obrigar igrejas católicas ou de outras religiões que condenam o homossexualismo não é um ato democrático. Mesmo assim está de parabéns.