Redação Pragmatismo
Compartilhar
Protestos 01/Apr/2016 às 15:05
25
Comentários

Jean Wyllys e jornalista da Globo discutem e agitam as redes sociais

Jean Wyllys rebate jornalista da Globo que estava aparentemente incomodada com as manifestações em defesa da democracia neste 31 de março. Deputado do PSOL expôs algumas verdades que Leilane Neubarth não gostaria de ler

jean wyllys jornalista globo golpe

Nesta quinta-feira (31), Leilane Neubarth e Jean Wyllys protagonizaram um pequeno debate no Twitter.

A jornalista da GloboNews e o deputado do PSOL discutiram o golpe em curso no Brasil, comandado por Eduardo Cunha e Michel Temer, para tirar Dilma Rousseff da Presidência da República.

Wyllys havia publicado uma imagem na qual convocava seus seguidores para as manifestações em defesa da democracia deste 31 de março.

“Há 52 anos o Brasil foi mergulhado em mais de vinte anos de escuridão”, dizia o texto, em uma alusão ao golpe de 1964.

A jornalista da Globo News decidiu comentar a postagem e logo se iniciou uma discussão que gerou bastante repercussão nas redes sociais.

“Te respeito muito mas comparar 64 com 2016 é como comparar peixe com Saturno”, disse Leilane.

Jean replicou e acusou a jornalista da Globo de “dar outro nome à realidade” e “servir à postura” da emissora.

“Também a respeito, mas negar evidências e dar outro nome à realidade em função de seus interesses foi o que a Globo fez em 64”, afirmou o deputado.

“Desculpe, mas achei que estávamos falando do Brasil…”, respondeu a jornalista da GloboNews.

Jean Wyllys não deixou a jornalista sem reposta: “Sim, estamos. Mas talvez pertençamos a ou queiramos Brasis diferentes. Deve ser isso, amada”, escreveu. O deputado ainda anexou na mensagem o pedido de desculpas da Globo por ter apoiado o golpe de 1964.

O bate-boca terminou depois de Leilane dizer que os dois eram amigos e para as pessoas não brigarem por assuntos políticos. Ela alegou que os ânimos começaram a se exaltar quando outros internautas entraram na discussão.

“Isso foi bem ofensivo….Não ‘sirvo’ a nada nem ninguém. Trabalho como milhões de brasileiros. E chega desse assunto. Gostaria de pedir que os extremistas (dos 2 lados) se contenham. Eu e Jean Wyllys somos amigos e nos respeitamos”, encerrou Leiliane.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Alan Kevedo Postado em 01/Apr/2016 às 15:20

    Uma das regras do jornalismo que fez história no Brasil pretérito é ser livre pensador e nada de viver com a mão no saco do patrão como sói acontecer na Globo. Nesse sentido, tirando Lílian Witte Fibe só deu puxa-sacos. Cruz-credo.

  2. Georges Postado em 01/Apr/2016 às 15:27

    Dois sem-o-que-fazer.

    • juliano Postado em 01/Apr/2016 às 16:02

      você é que tem o que fazer né... vindo comentar isso sobre eles hahahaha

      • Sônia Postado em 03/Apr/2016 às 06:53

        Kkkk pensei nisto também

  3. Otavio Postado em 01/Apr/2016 às 15:38

    Depois que ela deixar a globogolpista, talvez ela fale alguma coisa interessante.

  4. Jonas Schlesinger Postado em 01/Apr/2016 às 16:16

    Com certeza foi a minha amada Eu Daqui que falou por último. Ela adora apaziguar os ânimos até aqui no PP. Ninguém sabe o que essa garota tem na mente hahahaha

  5. Tchekowski Postado em 01/Apr/2016 às 17:00

    Assistir no youtube o vídeo "O dia que durou 21 anos" é bem esclarecedor. Ali tem gravações telefônicas do arquivo oficial americano do presidente Kennedy e, depois de sua morte, Lyndon Johnson, ambos em conversas com Lincoln Gordon, o embaixador americano no Brasil que convenceu a ambos que o comunismo cubano era o caminho que Jango traçava. Em 31/03/1964 havia uma esquadra da marinha americana no litoral brasileiro, pronta para intervir se os militares golpistas fossem derrotados. Mas Jango optou por não derramar sangue e não reagiu. Hoje não se tem mais a "ameaça" do comunismo, mas tem o Pré-Sal que livra os gringos de estarem sempre envolvidos em guerras no Oriente Médio. Nem são embaixadores que hoje organizam e financiam a direita, comprando deputados e senadores. Em seu lugar atuam as petrolíferas e outras grandes multinacionais. Os militares de 1964 foram substituídos por magistrados e policiais federais parciais e partidários da oposição, que atuam como militantes sem nem mesmo disfarçar. A única força golpista que age exatamente como em 1964 é o monopólio da comunicação, tentando destruir reputações e conduzindo as operações de marketing. A tentativa de golpe de 2016 utiliza as mesmas táticas de 1964, apenas variando a composição de sua trupe de atores.

    • Teodoro Postado em 01/Apr/2016 às 17:41

      Muito bom. É isso aí.

  6. João Carlos Postado em 01/Apr/2016 às 18:35

    O ponto positivo do " jeaunilies" é que ele diverte o ambiente. As manifestações dele na casa legislativa são desastrosas. Ngm o respeita. Ele faz falta no lugar do qual nunca deveria ter saído: bbb.

    • Cesar Ribeiro Postado em 02/Apr/2016 às 16:52

      Se metade do congresso fosse a metade do homem que é Jean Wyllys, este país seria outro, muito melhor!!!!

      • Deisi Postado em 03/Apr/2016 às 09:29

        Sem dúvidas César, mas coxinha tem como ídolos, Bolsonaro, Feliciano e Cunha. Também adoro Jean Wyllys!

  7. Rodrigo Postado em 01/Apr/2016 às 22:04

    (Outro Rodrigo) De um lado, saiu vencedor o danoso projeto de ditadura militar de direita. E, de outro, derrotado o danoso projeto de ditadura socialista, como bem confessado por Eduardo Jorge e outros tantos no youtube, quando o ex-candidato à Presidência chega a dizer: "[...] Nós éramos contra a ditadura militar, mas éramos a favor da ditadura do proletariado. Isso aí é preciso dizer a verdade toda. E às vezes eu ouço meias verdades. Como a ditadura militar nos oprimiu barbaramente, de forma violenta, muitas vezes as pessoas pensam que não existia no campo da esquerda coisa igual e até pior, em vários aspectos.”

    • Cesar Ribeiro Postado em 02/Apr/2016 às 16:55

      Não existia apenas um grupo de resistência e o pensamento não era uniforme. Sem contar que Jango não era comunista, a sua história fala por ele, foi ministro do trabalho de Getúlio Vargas e nunca manifestou este lado que a direita empurrou goela abaixo como verdade.

      • Rodrigo Postado em 04/Apr/2016 às 14:26

        (Outro Rodrigo) Bom, diversos são os da guerrilha que expõem a mesma fala acima.

  8. C.Paoliello Postado em 01/Apr/2016 às 22:59

    Por falar em Globo, há um movimento iniciado no Twitter de boicote aos produtos anunciados nessa emissora. Já aderi e conclamei amigos e parentes a fazer o mesmo e eles concordaram.

  9. Thiago Teixeira Postado em 02/Apr/2016 às 08:51

    A omissão do PSOL, PSTU e PCB na luta contra o golpe ficará para a história.

    • Onda Vermelha Postado em 02/Apr/2016 às 14:24

      Thiago, não sou psolista, mas pelo menos aqui no Rio o Freixo e o Chico Alencar tem participado das manifestações sim. Na verdade, acho que a Luciana Genro está "isolada" no PSOL...

      • Deisi Postado em 03/Apr/2016 às 09:32

        Sim Onda Vermelha, a Luciana é igual a Marina.

      • Deisi Postado em 03/Apr/2016 às 09:32

        Sim Onda Vermelha, a Luciana é igual a Marina.

    • eu daqui Postado em 04/Apr/2016 às 12:47

      nem passa pela cabeça de um extremista que o que aqui se chama de omissao é, em verdade, decepção, né?

  10. Jorge Luiz Postado em 03/Apr/2016 às 10:03

    Eu já fechei minha conta no ITAU e fui pra Caixa Econômica Federal!

    • eu daqui Postado em 04/Apr/2016 às 12:48

      É TUDO BANCO. ALÉM DO QUE, É NAS INSITTUIÇÕES PÚBLICAS QUE SE PERSEGUE TRABALHADOR AINDA MAIS DO QUE NO SETOR PRIVADO.

  11. Alcindo Postado em 03/Apr/2016 às 13:43

    Ela tem a pretensão de achar que é vista por "milhões de brasileiros", fazendo um programa que não atinge 1% de média diária no IBOPE, e que na média alta, são sempre os mesmos telelespectadores. Sonha criança!!!...

  12. Eduardo Ribeiro Postado em 04/Apr/2016 às 14:52

    Foi um massacre. Vitória contundente de JW por desistência da adversária. Amplamente dominada e admitindo sua incompetência e despreparo, sem forças, a "jornalista" deu 3 tapinhas na lona e reconheceu sua inferioridade intelectual e argumentativa, uma vez que, sendo uma "jornalista" global, não há como reverter a desvantagem quando alguém saca o """pedido de desculpas da Globo""" que, assim como faz hoje, apoiou solidamente o golpe em 64. JW humildemente parou de bater a partir de então.

  13. Ricardo Postado em 06/Sep/2016 às 11:53

    Se ela não serve à Globo, então ela concorda. E, por isso, é tão canalha quanto.