Redação Pragmatismo
Compartilhar
Impeachment 18/Apr/2016 às 17:35
9
Comentários

A repercussão da votação do impeachment na mídia internacional

The Guardian: "Dilma Rousseff sofre grande derrota em um Congresso hostil e contaminado pela corrupção". El País: "Deus derruba a presidente do Brasil". Vitória do impeachment na Câmara dos Deputados repercute na imprensa dos EUA, América Latina e Europa. Confira o que disseram os veículos de comunicação

mídia internacional impeachment dilma domingo

A votação da admissibilidade do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff no plenário da Câmara dos Deputados teve ampla repercussão em países sul-americanos, na Europa e nos Estados Unidos.

Na manhã desta segunda-feira, a emissora norte-americana CNN questionou: “Impeachment de Dilma Rousseff e agora?”. A CNN destacou que o processo contra a primeira presidente mulher do Brasil ganhou confortavelmente e foi muito tumultuado nas ruas e no Congresso.

A rede de televisão norte-americana CBS News também deu enorme destaque à notícia de que a Câmara dos Deputados aprovou, em votação, a acusação de que a presidenta Dilma Rousseff cometeu ‘pedaladas fiscais’. A acusação, segundo a rede de televisão, fortaleceu o argumento de que a ação contra Dilma “é um golpe”.

América Latina

Um “festival de agressões verbais” e “falta de argumentos”. Assim o jornal colombiano El Espectador se referiu ao impeachment aprovado na Câmara. A publicação comenta o fato de a maioria dos deputados justificarem seus votos em argumentos que não estavam diretamente relacionados às acusações contra o governo de Dilma . Em vez disso, evocaram aspectos religiosos, familiares e até contra o comunismo.

“‘Por minha família, por meus filhos, por minha esposa, por minha neta, por meu pai, sempre presente em minha vida’, por eles votavam os deputados”, diz o artigo.

Segundo o texto, a votação “se converteu logo em um festival de agressões verbais e em uma mostra de que a política na América Latina é, também, um jogo de retórica que pretende ocultar a falta de argumentos”.

Alguns deputados baseavam seus votos favoráveis ao impeachment em uma suposta “rede de corrupção” no governo de Dilma Rousseff. No entanto, “tanto os partidos de oposição, como o governista PT, estão implicados”, diz a publicação, que lembra que 60% dos membros da Câmara e do Senado são investigados por crimes eleitorais, de corrupção ou homicídio.

“A votação foi se tornando, pouco a pouco, em um retrato rupestre do nacionalismo mais rasteiro e do espetáculo mais vergonhoso. Já não era política: era uma peça de teatro”.

O jornal La Nacion, da Argentina, diz que “Dilma Rousseff ficou à beira do julgamento político”. Segundo o jornal, a crise no Brasil está longe de acabar e o país se encontra com “uma presidenta na porta da saída de emergência, um Congresso que festeja com euforia o trauma político que divide o país e um eventual novo mandatário também suspeito de corrupção”.

A imprensa chilena também destacou a divisão no Brasil. “Luz verde ao julgamento politico contra Dilma e o Brasil se parte em dois”, anunciou o “La Tercera”. Segundo o “El Mercurio”, ao votarem a favor do impeachment, os deputados federais brasileiros “deixaram à beira do precipício a experiência mais emblemática do ciclo de governos de esquerda da América Latina”.

Europa

Na Europa a notícia também repercutiu. Na Itália, o Corriere della Sera destacou a vitória da oposição “com larga maioria”. “Na prática, todos os partidos aliados abandonaram Dilma menos o seu PT e alguns aliados tradicionais”, escreveu a publicação. Já o La Repubblica destacou a “chocante” derrota da mandatária e que agora o Senado definirá se afasta ou não a líder política.

O jornal espanhol El País, na reportagem “Deus derruba a presidente do Brasil”, citou os muitos deputados que justificaram o voto pelo impeachment com argumentos religiosos. De acordo com o veículo, caso Temer assuma a presidência enfrentará dura oposição do PT.

O Le Monde, da França, destacou o que classificou como um ambiente de fatos e gestos insólitos na sessão da Câmara, no artigo intitulado “Os 10 segundos de celebridade dos brasileiros”. “Cada um dos 511 deputados presentes se beneficiou de seus 10 segundos de palavra para deixar sua marca nessa sessão histórica transmitida ao vivo”, ressaltou.

No jornal The Guardian, a matéria sobre o impeachment é a de maior destaque na versão online. “A presidente Dilma Rousseff sofreu uma grande derrota neste domingo em um Congresso hostil e contaminado pela corrupção”, escreveu.

O jornal Tagesspiegel, de Berlim, chamou a votação deste domingo de “show do impeachment”. “Foi a sessão mais longa que o Parlamento brasileiro já teve. Foi, ao mesmo, tempo, a mais assistida, seguida por milhões de brasileiros em locais públicos, em praças e em casa. E foi uma das mais curiosas: com uma votação como em um estádio de futebol, deputados cuspiram, traíram e mandaram cumprimentos à mamãe”, afirma o periódico.
“O voto do domingo é uma grande decepção para Rousseff, que, junto com seu mentor, o ex-presidente Lula da Silva, tentou até a última hora ganhar votos. Mas o vento havia se virado há algum tempo contra Rousseff: seu parceiro de coalizão mais importante [o PMDB] pulou fora. Além disso, o vice-presidente Michel Temer conspira abertamente contra ela”, diz.

com informações de Agência Brasil e O Dia

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Galvão Postado em 18/Apr/2016 às 22:03

    ONTEM ME DEU VERGONHA DE SER BRASILEIRO. Saber que mais de 300 destes deputados que votaram a favor do impeachment estão com processos contra eles nos tribunais, muitos já condenados. Tirando o poder de governar de uma presidenta legitimamente eleita pelo povo e que não existe nenhum processo contra ela e nenhuma acusação de crime. Essa corja de bandidos falando em moral, em combate a corrupção, em dignidade ( A ONDE), Falando em nome de Deus, da família, da moralidade. CANALHAS. Mas, o pior a meu ver, é a população apoiando eles, dizendo que querem a acabar com a corrupção, querem destruir o PT , Dilma e Lula, simplesmente pelo ódio.Ódio, não nos esqueçamos, criado e ampliado pela mídia golpista, manipuladora e apoiadora deste grande GOLPE. Como muitos deste deputados gritaram, agora acabou a corrupção no Brasil. Estamos em uma Nova era. Coxinhas idiotas e manipulados, vão lamber as bolas desta turma e depois aplaudir. Como são imbecis. Até o Juíz da quadrilha já avisou que vai encerrar a lava a jato, ELA JÁ CUMPRIU O SEU PROPÓSITO (Derrubar a Dilma), e se ele continuar vai ter que prender seus amigos. PARABÉNS AO POVO BRASILEIRO, ACABOU-SE A CORRUPÇÃO EM TODOS OS NÍVEIS DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DO BRASIL. O câncer do Brasil (PT) vai ser extirpado e todos seremos felizes. Os ricos ficaram cada vez mais ricos, os aeroportos não mais serão frequentado por "aquelas pessoas (gentes)", os filhos dos pobres não vão mais frequentar as escolas e universidades de nossos filhos, pretos, pobres, prostitutas não mais frequentaram os lugares que gostamos de frequentar, não precisaremos mais registrar nossas domésticas e a maioria de nossos funcionários.etc, etc, etc. Que bom que o pesadelo do PT esta acabando, onde se viu incluir esse tipo de gente junto a nós a elite do povo brasileiro. Dar Bolsa Família para quem tem fome, dar mais médicos para os necessitados, remédios de graça para quem precisa e não pode pagar, ajudar pobre a comprar casa própria, colocar esse povo nas universidades e eles não pagarem nada e ainda por cima, deixarem muitos deles serem os melhores alunos, a frente de nossos filhos, que ódio desse PT Maldito, esse políticos de merda que se preocupam com os menos abastados, com a maioria que é excluída a vida inteira. Esse PT nojento, idealizado por aquele LULA safado,que se preocupa com esse povinho de merda, e ainda por cima acabou sendo admirado pelo mundo afora. Deixando a sombra os políticos de verdade (FHC, Temer, Cunha, Bolsonaro, Aécio, Feliciano, Agripino, o Grande Caiado, entre tantos outros). Há maldito LULA e PT. Ainda bem que Deus nos abençoou e vamos tirar o PT do poder.

  2. C.Paoliello Postado em 18/Apr/2016 às 22:06

    Temer manda Aloysio Nunes aos EUA para pedir apoio ao golpe: http://www.telesurtv.net/news/Oposicion-de-Brasil-viaja-a-EE.UU.-tras-aprobar-juicio-politico-20160418-0062.html

  3. enganado Postado em 19/Apr/2016 às 00:58

    Os 12 Passos para a mudança de regime, empregados pelos EUA descritos abaixo: 1. Despachar oficiais da CIA, MI6 e outros agentes da inteligência estrangeira disfarçados como estudantes, turistas, voluntários, empresários e jornalistas para o país alvo. (Atualmente o Embaixada dos EUA em Brasília dispõe de cerca de 500 agentes da CIA, ou simplesmente pagos pelos EUA com o objetivo fixo de subornar, orientar e comandar a 5ª coluna implantada no Brasil). 2. Instalação de organizações não-governamentais (ONGs), sob o pretexto de humanitarismo para lutar por “democracia”, “direitos humanos”, “ecologistas” Para atrair os defensores da liberdade e dos ideais. (No Brasil usam ONGs como Greenpeace, HRW, Anistia Internacional, NED, entre centenas de outras [Nrc]). 3. Atrair traidores locais e, especialmente, acadêmicos, políticos, jornalistas, militares, etc., ou através de suborno, ou ainda ameaçar aqueles que têm alguma mancha em sua vida. (Chantagem pura e simples [Nrc]). 4. Se o país de destino tem sindicatos e centrais sindicais, suborná-los ou cooptá-los. 5. Escolher um tema cativante ou cor para a revolução. Exemplos incluem a Primavera de Praga (1968), Revolução de Veludo (Europa Oriental, 1969), Revolução Rosa (Geórgia, 2003), Revolução do Cedro (Líbano, 2005), Revolução Laranja (Ucrânia), Revolução Verde (Irã), Revolução Jasmin, Primavera Árabe e mesmo os protestos em Hong Kong da Revolução Guarda-Chuva. 6. Iniciar protestos por quaisquer razões para começar a revolução. Poderia ser direitos humanos, democracia, corrupção do governo ou de fraude eleitoral (no Brasil usaram o aumento das passagens de ônibus urbanos em São Paulo/junho/2013 numa tentativa de golpear os governos federal e municipal, ambos do PT [Nrc]). As evidências não são necessárias; qualquer motivo serve. 7. Escrever cartazes de protesto e faixas em inglês para deixar que norte-americanos, europeus e políticos desses países vejam os manifestantes civis destes países envolvidos nos protestos. 8. Deixar os políticos corruptos, os intelectuais e líderes sindicais se juntarem aos protestos e fazer apelo a todos os eleitores com quaisquer queixas para que adiram ao movimento. 9. As mídias dos EUA e europeias continuamente estarão enfatizando que a revolta é causada pela “injustiça” ganhando assim o apoio da maioria no mundo ocidental. 10. Quando o mundo inteiro estiver assistindo, pode-se cometer um atentado de falsa bandeira (como no caso do vôo MH17 na Ucrânia, ou na morte de centenas de pessoas por armas químicas na Síria [Nrc]). O governo alvo em breve será desestabilizado e perderá o apoio do povo. 11. Agregar agentes provocadores violentos (como os atiradores treinados e pagos pela CIA que mataram centenas de pessoas na Praça Maidan em Kiev [Nrc]) para provocar a polícia a usar a força. (Tudo devidamente reportado e manipulado pela imprensa-empresa ocidental [Nrc]). Isso fará com que o governo alvo perca o apoio de outros países e se torne “deslegitimizado” pela “comunidade internacional”. 12. Enviar para os EUA, a UE e ONU petições para que o governo alvo enfrente a ameaça de sanções econômicas, zonas de exclusão aérea e até mesmo ataques aéreos e uma insurreição rebelde armada. (Tal como Irã, Síria, Líbia, Rússia, Venezuela, e muitos outros países [Nrc]). Qualquer pessoa que presta apenas um pouco de atenção nos eventos mundiais pode reconhecer esse padrão. Psicopatas não são muito criativos e, portanto, tendem a usar o mesmo método repetidas vezes. E isto trabalha principalmente para o benefício dos psicopatas no poder, a quem não importa que na mudança de regime a sua atuação fique exposta após a instalação de um governo fantoche. A mídia subserviente estará sempre à disposição para promover a propaganda e derrubar quaisquer opiniões contrárias a mão de quem esteve por trás da cortina, e sempre partem para xingamentos quando faltam argumentos. Um exemplo de como isso funciona em relação aos protestos de Hong Kong pode ser visto aqui: A memória do público é convenientemente muito curta, e isso ainda com toda a distração que Hollywood, os meios de comunicação social e da Lei Geral podem criar em acima. Se os 12 passos acima não funcionarem, então os EUA encontram uma desculpa para intervir militarmente e derrubar o governo pela força. De fato, estes passos têm provado ser muito eficazes. (Temos os recentes exemplos do Iraque, Afeganistão, Líbia, Mali, Somália, Iêmen, Síria, Paquistão, só pra mencionar os mais óbvios… [Nrc]). Portanto, não é por movimentos civis espontâneos que os governos são derrubados. Pelo contrário, as revoltas são cuidadosamente planejadas e traçadas. De fato, derrubar um governo por meio de agitações civis é muito mais barato do que o envio de tropas para atacar e destruir. É por isso que os EUA mantiveram a aplicação destas 12 medidas contra países que consideram como inimigos.

  4. enganado Postado em 19/Apr/2016 às 02:15

    ___“”BRAzIL, Pátria de Injustiças, Viciados e Ladrões”” ___ “”Golpe é na gRoubo””__ .

  5. Thiago Teixeira Postado em 19/Apr/2016 às 09:36

    O JN de ontem só coletou as manchetes que interessavam ao Ali Kamel.

  6. Eduardo Ribeiro Postado em 19/Apr/2016 às 10:49

    Resumindo: Brasil = a piada do mundo.

    • antonia Postado em 19/Apr/2016 às 16:31

      eu pensei que a maior vergonha mundial que o Brasil tivesse sido o 7 a 1

  7. Roberto Pedroso Postado em 20/Apr/2016 às 10:53

    Gostaria de perguntar aos apoiadores do impeachment se a melhor alternativa para o Brasil tanto politicamente quanto economicamente será a ascensão de Michel Temer como presidente? este cidadão o tipico representante do fisiologismo e clientelismo da republica velhaca governará para o capital financeiro privado especulativo e lançará mão dos mesmos expedientes tão criticados pela gestão de Dilma para também se garantir no poder,pois o que deveria ser analisado é o sistema politico partidário corrompido e viciado tendo em vista que sem uma reforma politica que estabeleça dois princípios simples a aprovação da clausula de barreira e o voto distrital misto toda mudança será apenas superficial e insuficiente, será apenas como a máxima de Lampedusa:"tudo deve mudar para que tudo fique como está”.

    • Alan Postado em 19/Aug/2016 às 08:00

      Eu não votei nele como vice, vocês que colocaram ele lá junto com aquela vaca...