Redação Pragmatismo
Compartilhar
Impeachment 30/Mar/2016 às 11:45
22
Comentários

Wagner Moura publica texto pontual sobre o golpe em curso no Brasil

Em texto publicado no jornal Folha de S.Paulo, Wagner Moura diz que presidente Dilma Rousseff é vítima de um golpe clássico. De acordo com o ator, país vive Estado policialesco movido por ódio político. Moura também criticou o modus operandi do juiz Sergio Moro

Wagner Moura golpe Brasil Dilma
O ator Wagner Moura (divulgação)

Em texto publicado na Folha de S.Paulo, Wagner Moura escreve sobre a crise política brasileira e afirma que a presidente Dilma Rousseff está sendo alvo de uma tentativa de golpe.

“O que está em andamento no Brasil hoje é uma tentativa revanchista de antecipar 2018 e derrubar na marra, via Judiciário politizado, um governo eleito por 54 milhões de votos. Um golpe clássico”, diz o ator.

Para Moura, o Brasil vive um Estado policialesco movido por ódio político:

“Sergio Moro é um juiz que age como promotor. As investigações evidenciam atropelos aos direitos consagrados da privacidade e da presunção de inocência. São prisões midiáticas, condenações prévias, linchamentos públicos, interceptações telefônicas questionáveis e vazamentos de informações seletivas para uma imprensa controlada por cinco famílias que nunca toleraram a ascensão de Lula”, afirma.

Leia abaixo a íntegra do artigo de Wagner Moura:

PELA LEGALIDADE,
Wagner Moura

Ser legalista não é o mesmo que ser governista, ser governista não é o mesmo que ser corrupto. É intelectualmente desonesto dizer que os governistas ou os simplesmente contrários ao impeachment são a favor da corrupção.

Embora me espante o ódio cego por um governo que tirou milhões de brasileiros da miséria e deu oportunidades nunca antes vistas para os pobres do país, não nego, em nome dessas conquistas, as evidências de que o PT montou um projeto de poder amparado por um esquema de corrupção. Isso precisa ser investigado de maneira democrática e imparcial.

Tenho feito inúmeras críticas públicas ao governo nos últimos 5 anos. O Brasil vive uma recessão que ameaça todas as conquistas recentes. A economia parou e não há mais dinheiro para bancar, entre outras coisas, as políticas sociais que mudaram a cara do país. Ninguém é mais responsável por esse cenário do que o próprio governo.

O esfacelamento das ideias progressistas, que tradicionalmente gravitam ao redor de um partido de esquerda, é também reflexo da decadência moral do PT, assim como a popularidade crescente de políticos fascistas como Jair Bolsonaro.

É possível que a esquerda pague por isso nas urnas das próximas eleições. Caso aconteça, irei lamentar, mas será democrático. O que está em andamento no Brasil hoje, no entanto, é uma tentativa revanchista de antecipar 2018 e derrubar na marra, via Judiciário politizado, um governo eleito por 54 milhões de votos. Um golpe clássico.

O país vive um Estado policialesco movido por ódio político. Sergio Moro é um juiz que age como promotor. As investigações evidenciam atropelos aos direitos consagrados da privacidade e da presunção de inocência. São prisões midiáticas, condenações prévias, linchamentos públicos, interceptações telefônicas questionáveis e vazamentos de informações seletivas para uma imprensa controlada por cinco famílias que nunca toleraram a ascensão de Lula.

Você que, como eu, gostaria que a corrupção fosse investigada e políticos corruptos fossem para a cadeia não pode se render a esse vale-tudo típico dos Estados totalitários. Isso é combater um erro com outro.

Em nome da moralidade, barbaridades foram cometidas por governos de direita e de esquerda. A luta contra a corrupção foi também o mote usado pelos que apoiaram o golpe em 1964.

Arrepio-me sempre que escuto alguém dizer que precisamos “limpar” o Brasil. A ideia estúpida de que, “limpando” o país de um partido político, a corrupção acabará remete-me a outras faxinas horrendas que aconteceram ao longo da história do mundo. Em comum, o fato de todos os higienizadores se considerarem acima da lei por fazerem parte de uma “nobre cruzada pela moralidade”.

Você que, por ser contra a corrupção, quer um país governado por Michel Temer deve saber que o processo de impeachment foi aceito por conta das chamadas pedaladas fiscais, e não pelo escândalo da Petrobras. Um impeachment sem crime de responsabilidade provado contra a presidente é inconstitucional.

O nome de Dilma Rousseff não consta na lista, agora sigilosa, da Odebrecht, ao contrário dos de muitos que querem seu afastamento. Um pedido de impeachment aceito por um político como Eduardo Cunha, que o fez não por dever de consciência, mas por puro revide político, é teatro do absurdo.

O fato de o ministro do STF Gilmar Mendes promover em Lisboa um seminário com lideranças oposicionistas, como os senadores Aécio Neves e José Serra, é, no mínimo, estranho. A foto do juiz Moro com o tucano João Doria em evento empresarial é, no mínimo, inapropriada.

E se você também achar que há algo de tendencioso no reino das investigações, não significa que você necessariamente seja governista, muito menos apoiador de corruptos. Embora a TV não mostre, há muitos fazendo as mesmas perguntas que você.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Leonardo Postado em 30/Mar/2016 às 13:02

    Belíssimo texto marcado pela lucidez e coragem. Ele sabe que será alvo dos fascistas.

  2. Deisi Postado em 30/Mar/2016 às 13:11

    Wagner Moura, como sempre maravilhoso, disse tudo.

  3. João Carlos Postado em 30/Mar/2016 às 13:15

    Wagner Moura, vá fazer filme que é o melhor que vc ainda faz! Quando vc estudar um pouquinho de direito, talvez vc nao falará tanta besteira

    • Airton Prestes Postado em 30/Mar/2016 às 15:50

      Ora..., pois é justamente a turma do direito que está cometendo um estupro à constituição!

    • Ricardo Postado em 30/Mar/2016 às 16:35

      Direito... O ensino jurídico no Brasil é um VERGONHA, serve apenas para legitimação de uma relação de dominação e só. A única questão que cabe é: o ensino é uma piada por causa do domínio conservador nesse meio ou justamente porque não se propõe a estudar seriamente o Direito acaba por atrair os conservadores? Ninguém estuda seriamente o Direito no Brasil. Ou melhor: poucos, muito poucos, como o prof. Lênio Streck - mas quem há de ouvi-los, se o que dizem, por característica do pensamento científico, desagrada aos conservadores?

    • Maximilen Postado em 30/Mar/2016 às 16:47

      Qual besteira que ele falou ai?

    • Alessandra Postado em 31/Mar/2016 às 09:11

      Ele apresenta a lucidez que raramente encontro em muitos detentores do diploma de direito. Na verdade, vejo muitos advogados com formação jurídica, mas com pouca consciência jurídica.

    • Edmar Postado em 31/Mar/2016 às 13:04

      Mais um que diz ser "de direita, com orgulho". De que?

  4. Pedro Accioli Postado em 30/Mar/2016 às 13:43

    Perfeito!!! Não é a toa que Wagner Moura é o melhor ator do Brasil!!!

  5. Carlos Prado Postado em 30/Mar/2016 às 13:43

    Golpe igual ao que o PT sempre tentou fazer contra todos os outros presidentes eleitos? Ou golpe igual ao que o PT ameaça fazer contra o Temer (que faça! quem ligará?) caso ocorra o impeachment?

  6. eu daqui Postado em 30/Mar/2016 às 14:23

    Se tiver prova cabal e irrefutável de crime de responsabilidade, o impedimento será constitucional. É isso que temo, pois o que há aí pra substituir é tanto pior.

  7. Eduardo Ribeiro Postado em 30/Mar/2016 às 14:50

    Gabarito dado é gabarito lido, meu capitão. Cada dia fica mais patente a verdade: 2016 entrará pra história da nação brasileira como o ano em que tivemos mais um vergonhoso GOLPE conduzido pela direita canalha. "O Golpe do Seculo XXI" gerará vergonha em nossos netos enquanto eles folheiam as páginas dos livros de história do Brasil.

  8. Alexandre Miranda Postado em 30/Mar/2016 às 15:25

    Um excelente ator mais um péssimo critico de política , não sabe nem interpretar a constituição brasileira.... Uma pena!!! Gostaria que ele explicasse como uma presidente do conselho da maior empresa do Brasil a Petrobras tem o aval para aquisição de uma empresa super avaliada como Passadina???

    • João Paulo Postado em 30/Mar/2016 às 18:37

      O que isso tem a ver com interpretação da Constituição Federal e, principalmente, com o texto?

  9. Ércio Postado em 30/Mar/2016 às 15:47

    Fugindo um pouco ao foco do artigo, só gostaria de expressar a minha opinião sobre a comunicação nos tempos atuais (ou a impossibilidade dela). Faz muito tempo que eu leio o PP e, às vezes, cometo o erro de ler os comentários (cada absurdo que a gente vê por aqui!). Não me entendam mal, li muitos comentários bons aqui, por exemplo do Trajano, (Outro)Rodrigo, entre outros(as), que realmente refletem sobre um determinado tema. Mas o que me chama a atenção nos comentários do pessoal, e geralmente dos que discordam da linha seguida pelo site, é a inacreditável incapacidade (ou falta de interesse) de entender o que o artigo realmente está dizendo. Isso realmente me leva a pensar (e levar ao extremo a ideia de que não se pode conversar com um fascista, como disse a Márcia Tiburi) que não existe mais diálogo, não é possível discutir ideias opostas e ponto final. As pessoas não conseguem (não querem) nem tentar entender o que o autor quis dizer. São tempos tristes estes em que a gente vive! Ah, e só para esclarecer minha visão, penso que a incapacidade de entender o outro não seja monopólio da direita, só fica mais evidente ali, principalmente por causa do ódio cego contra a "corrupção" (do PT). Como disse Einstein, duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana.

  10. Jotaluxus Postado em 30/Mar/2016 às 15:58

    li o texto,esta realmente perfeito , não devemos cambater corrupção com corrupção, mas será mesmo que tem jeito de se fazer uma faxina neste país? Todos os partidos representante do povo ,não são 100 % honestos , e de hoje que isso acontece ? não ! sempre aconteceu e sempre acontecerá pois seria necessário uma faxina de 100% na politica brasileira.Quantos ao crescimento social pelo PT , não foi nada menos do que sua obrigação com este país ,pois o povo não pediu favores para receber benefícios do governo , Nós ,o povo pagamos impostos para isto acontecer,mas parabéns pela a atitude do ator.

  11. Antonia Postado em 30/Mar/2016 às 16:02

    Concordo com vc Leonardo, coragem digna dos grandes!!!!

  12. poliana Postado em 30/Mar/2016 às 19:41

    que orgulho desse conterrâneo!! maravilhoso!!!

  13. João Postado em 30/Mar/2016 às 23:07

    Sérgio Moro: - Juiz Federal especializado em crimes financeiros, de lavagem de dinheiro e praticados por grupos criminosos organizados. - Trabalhou como Juiz instrutor no Supremo Tribunal Federal - Mestre e doutor em Direito do Estado pela Universidade Federal do Paraná - Professor Adjunto de Direito Processual Penal - Cinco artigos completos publicados em periódicos - Quatro livros publicados Wagner Moura: - Ator e diretor - Aproximadamente trinta filmes - Sete peças de teatro - Quinze séries de TV - Três novelas Um dos atores mais respeitados e premiados do Brasil. Sem sombra de dúvidas. Mas Wagner Moura dizer que o juiz "age como promotor" e que "as investigações evidenciam atropelos aos direitos consagrados da privacidade e da presunção de inocência" é o mesmo que Sergio Moro dizer que o ator/diretor não respeita as técnicas cinematográficas, como planos, enquadramentos etc.

  14. Ronaldo Postado em 30/Mar/2016 às 14:07

    Você se deu conta de que apresenta a chamada "Tendência de confirmação" (tendência do observador de procurar ou interpretar informações de forma que estas confirmem pré-concepções próprias.)?

  15. Airton Prestes Postado em 30/Mar/2016 às 15:55

    Pereira, você não entendeu uma vírgula do texto do ator. Por favor, leia novamente, vá lendo...,lendo..., lendo..., Vamos...! Você consegue!!!

  16. Guilhermo Postado em 31/Mar/2016 às 10:12

    As vezes as pessoas surpreendem. Vai saber se o porteiro da empresa que você trabalha não tem o hobby de ler sobre física quântica nas horas vagas? Da próxima vez que passar por ele, dá uma espichada no pescoço e tenta ver se não há nenhum manual sobre o tema dentro da 'casinha' que ele fica para recepcionar le peuple!

O e-mail não será publicado.