Redação Pragmatismo
Compartilhar
Corrupção 24/Mar/2016 às 15:05
3
Comentários

Viagra, Lindinho, Caranguejo: Os apelidos dos políticos no listão da Odebrecht

listão Odebrecht apelidos políticos

Documentos apreendidos e depoimentos colhidos em duas fases recentes da Operação Lava Jato, a 23ª (Acarajé) e a 26ª (Xepa), revelaram mais do que a sistematização de um suposto “departamento de propina” que funcionava dentro da empreiteira Odebrecht, mas também “nomes de guerra” utilizados para realização de pagamentos (saiba mais sobre o listão da Odebrecht aqui).

Segundo a PF, esses nomes eram usados para identificar determinadas pessoas ou políticos nas comunicações internas.

Havia de tudo, de Viagra a Lindinho. Ninguém sabe direito o porquê de cada um dos apelidos, mas é possível deduzir alguns deles.

O ex-senador José Sarney (PMDB-AP) tinha o codinome Escritor, possivelmente por ser poeta e membro da Academia Brasileira de Letras.

Já a mulher do marqueteiro João Santana, a jornalista Mônica Moura, seria a Feira, talvez porque seja natural de Feira de Santana.

A bela deputada estadual (PC do B-RS) Manuela D’Ávila seria a Avião, provavelmente por ser considerada uma mulher bonita.

Outros nomes bem conhecidos são de Sergio Cabral (PMDB-RJ), o Proximus, e também Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o Caranguejo. O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB-RJ), também tem um apelido: Nervosinho.

Aécio Neves e os caciques do PSDB que constam na lista não foram apelidados.

Veja a lista de apelidos dados em planilhas da Odebrechet:

Marcelo Nilo (PDT-BA) – Rio
Edvaldo Brito (PTB-BA) – Candomblé
Daniel Almeida (PCdoB-BA) – Comuna
Paulo Magalhães (PSC-BA) – Goleiro
Raul Jungmann (PPS-PE) – Bruto
Geraldo Júlio (PSB-PE) – Neto
Etore Labanca (PSB-PE) – Cacique
Fabio Branco (PMDB-RS) – Colorido
Mário Kertesz (PMDB-BA) – Roberval
Artur Maia (PMDB-BA) – Tuca
Jarbas Vasconcelos Filho (PMDB-PE) – Viagra
Renan Calheiros (PMDB-AL) – Atleta
José Sarney (PMDB-MA) – Escritor
Eduardo Paes (PMDB-RJ) – Nervosinho
Sergio Cabral (PMDB-RJ) – Proximus
Eduardo Cunha (PMDB-RJ) – Caranguejo
Jorge Picciani (PMDB-RJ) – Grego
Jairo Jorge (PT-RS) – Nordeste
Nelson Pelegrino (PT-BA) – Pelé
Humberto Costa (PT-PE) – Drácula
Paulo Garcia (PT-GO) – Pastor
Lindberg Farias (PT-RJ) – Lindinho
Manuela D’Avila (PCdoB-RS) – Avião

Vídeo — Deputada Manuela D’Ávila comenta seu nome citado em lista da Odebrecht

Queridos amigos e amigas, queridos companheiros militantes de meu partido:Hoje, ao meio dia, tive acesso, a partir das informações publicizadas pelo jornalista do UOL Fernando Rodrigues, que meu nome está incluído em uma planilha apreendida na 23ª fase da operação Lava-Jato. Assim como vocês, fiquei surpresa. Após imprimir os documentos divulgados pela imprensa, tenho algumas observações a fazer. Os gaúchos conhecem minha trajetória e sabem que jamais estive envolvida em nenhum ato ilícito. Além disso, os porto-alegrenses acompanharam minha campanha para prefeita em 2012. Tive uma campanha dura, resultando em mais de 600 mil reais de dívidas na conta nominal de minha candidatura e mais de 150 mil reais em dívidas no comitê financeiro de meu partido. Sou a maior interessada em conhecer esse material divulgado pela imprensa. Para isso, irei requerer judicialmente acesso à documentação para ter acesso às informações; recebi em todas as minhas campanhas contribuições de empresas, essa era a lei brasileira nas eleições de 2004, 2006, 2008, 2010, 2012 e 2014. Todas as doações que recebi foram lícitas, todas as prestações de contas foram aprovadas. Entretanto, NÃO RECEBI DOAÇÃO DE NENHUMA EMPRESA DO GRUPO ODEBRECHT PARA A CANDIDATURA de 2012. Especulo – a partir da impressão que fiz das listas disponibilizadas para a imprensa – que a Odebrecht – munida das pesquisas de opinião – fez projeções de contribuições à minha candidatura a partir de meu favoritismo pré-eleitoral. Com a queda vertiginosa que tive nas pesquisas (fui derrotada no primeiro turno das eleições), tais doações não aconteceram. As próprias planilhas – que tive acesso pela imprensa – fornecem informações desencontradas sobre projeções e realizações de contribuições. chegando a constar que nada deveria ser repassado ao meu partido em uma daquelas disponibilizadas pela imprensa. Parece evidente que, se tivesse recebido os valores que constam na lista, o resultado de minha prestação de contas não seria tão negativo. Sobre o apelido dado na tal planilha, talvez evidencie que os autores dos documentos apreendidos sequer tenham me visto num processo eleitoral duro e estressante quanto o de 2012, ao qual muitas vezes me referi como o pior de minha vida. Estou à disposição de qualquer autoridade para qualquer esclarecimento. Como disse, estou tão surpresa e triste quanto todos e tenho muita pressa em esclarecer. Obrigada pela confiança e carinho de todos! Sei que todos sabem que eu jamais me envolveria em nenhum escândalo político. Tenho profundo respeito pelo cargo que ocupo, pela história de meu partido e por todos que em mim confiam.Um beijo e boa luta!Confira:Planilha PCdoB RS: http://goo.gl/BF17rKDívidas campanha: http://goo.gl/lqfahV http://goo.gl/bbM7jE

Publicado por Manuela D’Ávila em Quarta, 23 de março de 2016


Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Wylie Postado em 24/Mar/2016 às 16:52

    É Jarbas... ta dificil de subir as coisas por aí hein!

  2. Márcio Ferreira Postado em 24/Mar/2016 às 19:37

    Renan Calheiros é o "Atleta" porque, em matéria de trambique, ele deixa todos os outros comendo poeira.

  3. enganado Postado em 28/Mar/2016 às 00:57

    Acredito que o FHC deveria ser """Ali Babá""" e o P$$$DB, """Os 400 LADRÕES""".