Redação Pragmatismo
Compartilhar
Política 29/Mar/2016 às 14:33
5
Comentários

Portugueses se assustam com encontro de políticos e juízes brasileiros em Lisboa

Evento de Gilmar Mendes em Lisboa reúne Aécio Neves e José Serra (recebido aos gritos de 'fascista') e assusta portugueses. Seminário, que tem tema sugestivo (Crise e Constituição), se encerra em dia simbólico: 31 de março (52 anos depois do golpe que depôs Jango). Michel Temer participou por videoconferência e elogiou as privatizações de FHC

Lisboa Serra Gilmar Mendes golpe
Em evento de Gilmar Mendes em Lisboa, Serra é recebido aos gritos de ‘não vai ter golpe’

Organizado pelo IDP (Instituto Brasiliense de Direito Público, de propriedade do Ministro Gilmar Mendes, do STF), o 4° Seminário Luso-Brasileiro de Direito esteve envolvido em polêmicas tanto no Brasil quanto em Portugal desde que a lista de oradores começou a circular.

Gilmar levou com ele os principais atores políticos pró-impeachment: José Serra e Aécio Neves. Michel Temer desistiu de última hora após a repercussão negativa do evento, mas chegou a participar por videoconferência.

Depois da ampla repercussão da presença dos nomes pró-impeachment em Portugal, os políticos portugueses adotaram o distanciamento do evento, como divulgou o portal Publico.pt.

Para a imprensa portuguesa, o encontro com figuras pró-impeachment “assustou” os políticos do país.

O presidente português Marcelo Rebelo de Souza – anunciado como orador no encerramento do evento – não deverá comparecer. Fonte do governo português, ouvido pelo Publico, declarou que por “problemas de agenda”, dificilmente ele comparecerá. Fontes em off admitiram o incômodo com o que parece ser “um governo brasileiro no exílio”.

O constitucionalista Jorge de Miranda, que preside o Instituto de Ciências Jurídico-Políticas da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, admitiu ao Publico que “poderá haver algum aproveitamento do Seminário” para fins políticos.

Outras desistências foram do ex-primeiro ministro Pedro Passos Coelho e de Miguel Prata Roque, secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, ambos alegando problemas de agenda.

Michel Temer

O vice-presidente Michel Temer seria o orador principal do primeiro dia do evento, mas preferiu não comparecer in loco após as denúncias de que o encontro serviria para articular o golpe político no Brasil. Ele participou do seminário por videoconferência.

Em mais uma demonstração de aproximação com o PSDB, Temer elogiou as privatizações ocorridas no Brasil na década de 1990, durante o governo FHC.

‘Fascista’

Sob vaias e gritos de “não vai ter golpe”, o senador José Serra (PSDB-SP) foi recebido por manifestantes que protestavam contra o evento.

O tucano chegou ao local acompanhado do ministro do STF José Antonio Dias Tofolli, que também foi alvo dos protestos.

Enquanto os demais palestrantes utilizaram uma entrada secundária para evitar os manifestantes, Serra e Toffoli acabaram entrando pela porta principal, onde o grupo se concentrava.

Para ironizar a oposição brasileira, os manifestantes também levaram ao evento a garrafa de um vinho chamado “Golpe”.

Vídeo:

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. André Nelson Postado em 29/Mar/2016 às 15:29

    Então essa corja de políticos anda de braço dado com esses "magistrados" e nenhum coxinha acha isso suspeito. Por isso fica impossível não chama-los : coxinhas.

  2. poliana Postado em 29/Mar/2016 às 15:57

    "Michel Temer participou por videoconferência e elogiou as privatizações de FHC"...........................................não digo mais nada!!!!! o tempo é o senhor da razão!

  3. Eduardo Ribeiro Postado em 29/Mar/2016 às 17:40

    Políticos de Portugal inventando que tem ensaio de balé, jantar com a sogra e tratamento de canal no mesmo dia e horário, qualquer desculpa esfarrapada tá valendo pra não pisar no mesmo lugar que essa escória. Compreensivel. Os caras tem uma imagem a zelar.

  4. Thiago Teixeira Postado em 29/Mar/2016 às 18:18

    Nem precisa grampear os golpistas, é tudo muito explícito. A blindagem da mídia golpista e cumplicidade dos coxinhas com estas atrocidades é nojenta. Vale tudo para os mimados DERROTADOS DE 2014 tirarem o PT do poder.

  5. Salomon Postado em 29/Mar/2016 às 18:23

    Coxinha tipo exportação. Já viraram até piada de português.