Redação Pragmatismo
Compartilhar
Contra o Preconceito 30/Mar/2016 às 18:17
23
Comentários

Negro e cotista, estudante se forma com o melhor desempenho da turma

“O percurso até minha formação foi muito difícil, mas eu sempre me dedicava em todas as matérias. Trabalhar de dia e estudar a noite realmente não é fácil”. Estudante negro e cotista se forma com a melhor nota média no curso de Engenharia Mecânica

estudante negro cotista melhor desempenho engenharia mecânica
Edgar Nascimento teve a melhor nota média no curso de Engenharia Mecânica (reprodução)

Pedro Borges, Alma Preta

O percurso até minha formação foi muito difícil, mas eu sempre me dedicava em todas as matérias. Trabalhar de dia e estudar a noite realmente não é fácil”. Edgar Nascimento, 23 anos, morador do Jardim Helena, Zona Leste de São Paulo, é agora engenheiro mecânico formado pela Universidade Cruzeiro do Sul.

Edgar tinha o sonho de entrar na Escola Preparatória de Cadetes do Exército. E foi durante os estudos para seguir carreira militar, que o jovem descobriu algo novo, o carinho e a aptidão com os números. O grande tempo dedicado foi a medida necessária para o estudante ingressar no curso de Engenharia Mecânica pelo sistema de cotas via ProUni, na Universidade Cruzeiro do Sul no ano de 2010.

Apesar das dificuldades durante o curso, como a necessidade de trabalhar, Edgar se sobressaiu na turma desde o início. “No meu primeiro ano me destaquei e fui convidado pelos professores a ministrar monitorias para os alunos que tinham dificuldades. E assim foram os cinco anos de estudos, finais de semana estudando para as provas e noites em claros fazendo trabalhos”.

Mesmo com o Prouni e o sistema de cotas, a quantidade de estudantes negros na sala de aula e mesmo nos demais cursos era ínfima. “Na minha turma no início éramos em quatro negros porém infelizmente apenas eu e mais um colega concluímos o curso”. Mesmo sem números exatos, o jovem engenheiro ressalta. “É visível que o número de negros estudantes na minha universidade é pequeno”.

Cotas e Fraudes

As cotas raciais nas universidades brasileiras entraram em vigor em 2003, com a iniciativa da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, UERJ. Desde então, uma luta é travada para que outras instituições de ensino superior adotem o sistema e aumentem a presença de afrodescendentes nas salas de aula.

A implementação da lei 12.711 no ano de 2012 obrigou todas as universidades e institutos federais a adotar o sistema. De acordo com os dados da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, SEPPIR, cerca de 150 mil jovens negros entraram nas universidades federais via cotas raciais. A medida vige também no Programa Universidade para Todos, ProUni, e no Fundo de Financiamento Estudantil, FIES, fatores que propiciaram o aumento significativo de pretos e pardos nas instituições de ensino superior. O Ministério da Educação, MEC, apresenta também que tanto no FIES, (50,07%), quanto no ProUni (52,10%), a maior parcela dos beneficiários é composta por negros.

Para Edgar, as cotas são fundamentais para um país como o Brasil, marcado pelo racismo desde a criação do seu Estado. “A política de cotas é muito importante. O país tem uma extensão territorial gigantesca e existem muitos negros que não têm a oportunidade de ingressar em diversas carreiras”. Ele ainda completa que, “se a cota existe é porque de certa forma não tem igualdade”.

Em universidades elitistas, como as estaduais paulistas, a porcentagem de estudantes negros é ínfima. Dos 10 cursos mais disputados para o vestibular da USP de 2015, enquanto 74,7% dos ingressantes eram brancos, 18,3% eram negros. Destes, somente 3,5% eram pretos.

Mesmo diante dessa realidade e da importância das cotas para que mais negros ocupem os espaços públicos, muitas são as denúncias de fraude no Brasil. No Espírito Santo, o Coletivo Negrada fez denúncia ao Ministério Público Federal por conta da falsa autodeclaração de estudantes brancos.

Sobre isso, Edgar pensa que a maior fiscalização é uma possível saída. “A definição de cor ainda é por autodeclaração e isso abre margem para muitas fraudes. Pessoas que se sentem no direito de tirar uma vaga, que por uma dívida histórica pertence a uma pessoa negra. Esses casos devem ser mais investigados e divulgados. Não só fraudes em universidades, mas também em concursos públicos”.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 30/Mar/2016 às 19:14

    Infelizmente estas notícias estão com os dias contados, quando Temer - Serra - Aécio - Cunha - Freire - Carlos Sampaio - Paulinho do Golpe - Armínio Fraga assumirem o governo federal ...

    • eu daqui Postado em 31/Mar/2016 às 11:51

      Mas quem vem preparando o terreno pra semente do golpe é o pt com seus extremismos e corruptismos........

  2. Sérgio Postado em 31/Mar/2016 às 03:46

    Parabéns!

  3. Eduardo Ribeiro Postado em 31/Mar/2016 às 10:28

    Chute na boca dos racistas e meninos brancos preocupadíssimos com a perda de privilégios e chateados por dividirem a mesma sala de aula com um "pretinho do Jd. Helena". Infelizmente, mediante a iminência de GOLPE e todo o retrocesso que com ele virá, o risco de notícias assim se tornarem coisa do passado é grande.

    • José Ferreira Postado em 31/Mar/2016 às 11:10

      Para de terrorismo. Com o impeachment não vai haver modificações nos programas sociais. Essa mesma falácia é dita em todo ano eleitoral. Ninguém é louco para mexer nisso, nem mesmo o Temer.

      • Isabela Postado em 07/Apr/2016 às 09:29

        espere e verá

  4. eu daqui Postado em 31/Mar/2016 às 11:49

    E pq precisou das cotas?

    • Line Postado em 07/Apr/2016 às 14:16

      Esse 'eu daqui' é uma figura rsrsrsrsrsrsrsrsrs

  5. José Ferreira Postado em 31/Mar/2016 às 09:13

    Mas esse fato é inédito e fora da normalidade. Além disso, são consideradas as notas nos trabalhos individuais e em grupo, sem separação. Não há como saber se ele não "chupinhou" ao fazer os trabalhos em grupo com os não cotistas. Os negros que carregavam a marca da escravidão, agora carregarão a marca das cotas.

  6. Rosangela Postado em 31/Mar/2016 às 17:13

    Não Sergio Carneiro, talvez você não saiba mas os estudantes cotistas tem demonstrado uma enorme capacidade de superação de suas deficiências -plantadas por governo elitistas e pessoas elitistas - e suas médias são iguais ou superiores as médias dos alunos não cotistas.

  7. Gersier Postado em 31/Mar/2016 às 09:29

    Quem está acabando com o País não é a Dilma,mas um bando de PICARETAS que são comandados pelo CORRUPTO e ENLAMEADO CUNHA que sistematicamente BOICOTAM o ajuste fiscal. São os vagabundos que junto com uma mídia facínora,fazem de tudo para atrapalhar o desenvolvimento do Brasil. Pra esses canalhas, quanto pior melhor. Nem todos os brasileiros são midiotas, acredite nisso.

  8. Galvão Postado em 31/Mar/2016 às 09:43

    Não esquenta não Rodrigo. A hora que a quadrilha (Temer - Serra ´Aécio, Cunha, Freire, Carlos Sampaio , e Paulinho do GOLPE) que o Thiago Teixeira mencionou acima, assumir o poder, ele vai ter emprego sim.

  9. eu daqui Postado em 31/Mar/2016 às 11:50

    naziesquerdistas e nazidireitistas se empregam em sues respectivos governos: onde está a injustiça ?

  10. Maurício Postado em 31/Mar/2016 às 18:18

    Rodrigo reclama do país, mas torce por um governo Temer/Cunha...espera só a terceirização radical do trabalho e a destruição da CLT chegar pelas mãos dessa turma. Dai você vem aqui postar quem é que não vai conseguir emprego. Isso é se você ainda tiver o seu...

  11. Eduardo Ribeiro Postado em 31/Mar/2016 às 11:15

    Olha o esforço hercúleo que você está fazendo pra não admitir o mérito do "pretinho ousado que não sabe seu lugar". Puta que pariu....ele se formou com O MELHOR DESEMPENHO DA TURMA, porra. De onde você tira toda essa cara de pau e desfaçatez pra colocar em xeque o desempenho dele, "ainn será que ele não chupinhou os não-cotistas blablabla".....como que um cara consegue ter O MELHOR DESEMPENHO DA TURMA "chupinhando os não-cotistas", bicho? Você é louco? O cara que se forma "carregado nas costas" pelos colegas nunca, jamais, chance inferior a zero, NUNCA exibirá ao final de 4/5 anos de curso de engenharia o título de formando com O MELHOR DESEMPENHO DA TURMA. Ele se forma aos trancos e barrancos, carregando DP aqui e ali, penando pra tirar aquele 5,5 chorado. Você digitou esse monte de bosta com dois cactos enfiados no reto, pra sair tanta bosta em forma de texto. Se conforme: o "pretinho cotista" é melhor, mais competente e deixou os playboys da classe dele comendo poeira. E será um engenheiro melhor que eles também, para o desespero e emputecimento dos racistas.

  12. eu daqui Postado em 31/Mar/2016 às 11:53

    É isso o que vejo e prevejo com relação ao mercado de trabalho para os cotistas: o estigma das cotas.

  13. Fabiano Postado em 31/Mar/2016 às 12:21

    Nossa cara, como você é desinformado. Não é nenhuma novidade que as notas de cotistas são iguais ou maiores que a de não cotistas, basta você ter o bom senso de fazer uma pesquisa. Ai, como meus olhos ardem de ter que ler tanta asneira.

  14. José Ferreira Postado em 31/Mar/2016 às 13:09

    Você, Eduardo Ribeiro, é que está a ser deselegante. Eu não uso a expressão "pretinho" ou outra de mesmo nível. E mais uma vez você mostra a sua educação refinada ao mandar que eu enfie um cacto lá no meu reto. Pelo menos por enquanto prefiro não dizer mais do que o que eu havia escrito.

  15. eu daqui Postado em 31/Mar/2016 às 13:35

    Seus olhos vão morrer de arder pq a liberdade de escrever o que te desagrada vai permanecer. Quem não estiver satisfeito com a liberdade de expressão que arrume seus panos de rabo e rume pra arabia saudita. VAZA CANHÃO.

  16. Eduardo Ribeiro Postado em 31/Mar/2016 às 15:10

    Eu não mandei você enfiar nada, eu afirmei. E não te chamei de deselegante. Deselegante sou eu mesmo, quando leio as bostas que você escreve e as mil voltas que você dá pra não admitir os inquestionaveis méritos desse "pretinho cotista". Neste ambiente aqui eu posso ser apenas deselegante, infelizmente é tudo que eu posso ser. Porra de "chupinhar os não-cotistas"....que tipo de imbecil é você? Você refletiu meio minuto sobre a completa e absoluta impossibilidade de um vagabundo de faculdade que é carregado nas costas pelos amigos se formar com O MELHOR DESEMPENHO DA TURMA? Voce fez faculdade? Você sabe que a maioria dos trabalhos em grupo são feitos entre os colegas de maior proximidade, e que nem sempre nossos melhores amigos são as melhores fontes de notas boas, mas pelo companheirismo a gente faz, sempre que possível, junto? Você sabe que nota de trabalho não é a preponderante na nota final? Você sabe que tem provas pra caralho, INDIVIDUAIS, que compõem a média final? Se você tivesse sentado a bunda numa cadeira de faculdade saberia disso, porque isso é be-a-bá. Reflita sobre essa bosta. Assuma que escreveu esse "argumento" sem pensar, apenas com o fígado dolorido, e diga logo que se incomoda com o fato de um "pretinho do Jd Helena" ter currado todos os playboys brancos da classe dele. E de fato, prefira realmente não dizer mais porra nenhuma. Esgotou sua cota de imbecilidades pro ano inteiro só com essa participação estúpida. E foda-se o que você acha sobre educação refinada. A última coisa que você merece depois de escrever o que escreveu é diálogo refinadamente educado.

  17. Galvão Postado em 31/Mar/2016 às 17:06

    Eduardo Ribeiro, você esta coberto de razão, esse José Ferreira é um completo ignorante,racista, homofóbico. Não consegue aceitar que o rapaz teve os méritos pela sua simples e pura capacidade. Que pena José Ferreira que você não entende e não aceite isto. E Parabéns ao Edgar Nascimento pela sua dedicação e competência. A propósito José Ferreira, não fique triste, você não está sozinho, existem muitos idiotas preconceituosos como você.

  18. José Ferreira Postado em 31/Mar/2016 às 23:01

    Quando alguém parte para o xingamento é porque perdeu a capacidade de argumentar.

  19. Line Postado em 07/Apr/2016 às 14:15

    O mercado de trabalho é para quem tem o famoso 'pistolão', tanto faz se tem cotas ou não. Inclusive tem muita gente que critica as cotas, mas estuda em faculdades particulares de fundo de quintal e já estão com emprego garantido.

O e-mail não será publicado.