Redação Pragmatismo
Compartilhar
Lula 25/Mar/2016 às 12:25
6
Comentários

Fernanda Torres: Grampo de dona Marisa me causou impressão

Atriz Fernanda Torres critica a decisão do juiz Sergio Moro de divulgar os grampos das conversas pessoais dos familiares do ex-presidente Lula: "divulgação só serve a um desejo hediondo de satanizá-la. Nenhum de nós sobreviveria a uma exposição pública dessa ordem, não é aceitável, não pode ser"

Fernanda Torres atriz Moro Lula Marisa

A atriz Fernanda Torres criticou a decisão do juiz Sérgio Moro de divulgar os grampos de conversas da família do ex-presidente Lula: “Dentre todos os grampos da Lava Jato, um, de menor relevância, me causou impressão. Nele, dona Marisa solta um palavrão para desabafar com o filho o incômodo com o panelaço. É uma conversa íntima, cuja reprodução em rede aberta só serve a um desejo hediondo de satanizá-la. Nenhum de nós sobreviveria a uma exposição pública dessa ordem, não é aceitável, não pode ser”, diz.

Leia abaixo a íntegra do texto de Fernanda Torres, publicado no jornal Folha de S.Paulo:

Fernanda Torres
O nascimento da tragédia

Uma das maiores dificuldades de escrever para um caderno de cultura, hoje, é escrever sobre cultura.

Os livros se acumulam na cabeceira. Leio, trabalho, insisto, mas a cabeça vaga, escrava dos acontecimentos.

Dentre todos os grampos da Lava Jato, um, de menor relevância, me causou impressão.

Nele, dona Marisa solta um palavrão para desabafar com o filho o incômodo com o panelaço. É uma conversa íntima, cuja reprodução em rede aberta só serve a um desejo hediondo de satanizá-la.

Nenhum de nós sobreviveria a uma exposição pública dessa ordem, não é aceitável, não pode ser.

Mas o desconforto que experimentei não aplaca meu mal-estar com a retórica populista de que a classe média não quer que o povo coma ou ande de avião.

Trata-se de um primarismo tão nocivo quanto a vilania da divulgação da escuta.

Lula provou que a classe C é uma força econômica maior do que as classes A e B reunidas, e deixou o Planalto com 83% de aprovação.

Empresas, produtores de conteúdo, o mercado publicitário –sou atriz, vivi isso–, todos correram para retratar, satisfazer, conquistar a massa de consumidores que ascenderam com Lula.

A classe média apoiou seu mandato.

A rejeição veio depois, com a Nova Matriz Econômica; com a queda do barril do petróleo aliada à Lava Jato, que expuseram a gestão criminosa da Petrobras. O descompasso veio com a seca e o aumento do custo de energia, com a política fiscal irresponsável e a incapacidade de articulação do Executivo.

Uma crise que culminou numa campanha eleitoral que retesou preços para garantir votos, obrigando o governo recém-empossado a descumprir com sua promessa de não reajustar juros e tarifas, empurrando a inflação para dois dígitos.

Lula deveria ter assumido a Casa Civil há um ano; Dilma foi escolha pessoal dele. Empossado, teria condições de refazer as bases do partido e estaria, hoje, tão blindado quanto outros políticos ameaçados pelas investigações.

Assusta ver um impeachment conduzido a toque de caixa por Cunha, mentor das pautas-bomba, com o apoio de uma oposição que, muitas vezes, colocou os próprios interesses acima dos do país.

Mas o PT alimentou o fogo amigo, preferindo nadar no sentido oposto ao das demandas do governo a comprometer sua imagem com a reforma da previdência.

Espanta a ausência de outras legendas na investigação, já que as empreiteiras costumam distribuir benesses à direita e à esquerda. Agora, com todas ameaçadas pela planilha de apelidos da Odebrecht, a chance de acórdão é grande.

Afundada num buraco a céu aberto, em meio aos conchavos e trincheiras armadas, resolvi consultar o oráculo e reler “O Nascimento da Tragédia”, de Nietzsche.

O homem dionisíaco, assim como Hamlet, diz ele, se defronta com a incapacidade de modificar a essência daquilo que o rodeia.

Para ambos, é ridículo e humilhante endireitar o mundo, pois só é possível agir quando se está cego por uma ilusão. Tal consciência leva a um estado de paralisia que não vê sentido na ação.

Soa familiar?

“Neste supremo perigo da vontade”, conclui o filósofo, “aproxima-se qual feiticeira da salvação, a arte”.

Só ela teria o poder de transformar o horror em sublime e o absurdo em comédia.

Urge recuperar esse poder transcendente.

VEJA TAMBÉM: Leandra Leal: Nunca estarei de luto, mas em luta pelo meu país

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Esmeraldo Cabreira Postado em 25/Mar/2016 às 19:01

    Fernanda Torre toca o fundo do demoníaco coração de SERGIO MORO! O Nazi-Juiz da Suprema Corte da República Fascista do Paraná! Porque Sergio Moro seria ele próprio o Guardião da Inviolabilidade da Vida Privativa de todos os cidadãos sob sua Tutela Legal! Nós outros, focados ao cenário político, embrutecidos pela luta, nos perdemos em disputas diversas de dúbia veracidade. Então, passados todos estes dias, me deparo com esta crítica. Me impacta a alma e a mente! É um fato único, simples e essencialmente cru! É uma verdade completa e indiscutível! E é uma lição de observação do mundo, que atinge à todos nós como um tiro! Eu fiquei impactado por duas coisas... Pelo que o fato significa em si mesmo, e como nós todos não discutimos isto antes! Fernanda Torres tirou a roupa do PRÍNCIPE! É isto... o PRÍNCIPE ESTÁ NU! E, o que vemos é uma verdade terrível e horrorosa! O Juiz Sergio Moro estuprou a privacidade da Cidadã Dona Marisa! E, é só isso! Ele não apenas fez algo ilegal e criminoso. Ele foi além... destruiu a sua dignidade! E a nossa! Então, este é Sergio Moro sem as suas artimanhas fascistas... é mais um Hitlerzinho dando plantão em um Estado qualquer, onde Constituição e Direitos Individuais não contam! Obrigado Fernanda Lima. As vezes, na luta, perdemos o senso da verdade. Esmeraldo Cabreira. Mestre e Doutor UFRGS.

    • Helena/S.André SP Postado em 26/Mar/2016 às 06:50

      Assino embaixo o seu comentário, Esmeraldo. Só um adendo: Obrigado Fernanda Torres e não Fernanda Lima.

  2. Alan Kevedo Postado em 25/Mar/2016 às 22:07

    TIRO POR MIM QUE ME ESMEREI NO ESTUDO DA GRAMÁTICA E TENHO RECEBIDO RASGADOS ELOGIOS DE NÃO SER "INCENDIÁRIO", MAS SE INSTALAREM UM "GRAMPO" PRA MIM, VAI SAIR COISAS COMO : AH, CARA !!! ENFIA O DEDO NO CU E RASGA ATÉ NA NUCA, FILHO DA PUTA !!!

  3. pedro Postado em 26/Mar/2016 às 21:13

    Primeiro quero parabenizar minha fã Fernanda Torres, pelo texto,mais uma atriz Global que esta peitando o juiz Moro. depois quero tirar o chapel para o Brilhante comentario,do SR Esmeraldo Cabreira, Mestre e Doutor pela federal do RG,é importante pessoas com nivel de estudo,tecerem tais comentarios ,minha filha é Mestre em Fisica e o marido dela é DR tambem em Fisica pela UNICAMP, eles tambem tem este mesmo pensamento, então penso que quanto mais estudo, mais as pessoas enchergam a politica, ou sabem oque passa por traz dela.

  4. Thiago Teixeira Postado em 28/Mar/2016 às 12:19

    Excelente texto, inteligente, verdadeiro, pragmático e com muito conteúdo, só poderia sair de uma pessoa conectada com a política e com viés crítico, sem jargões, sem achismo ou repetição de comentarias golpistas.

  5. Neusa Postado em 28/Mar/2016 às 16:33

    Ainda bem que temos pessoas como a Fernanda, Caetano, Chico, Gilberto, Wagner , Jose de Abreu e outros para nos lembrar que não devemos nos transformar em pessoas sem memória, rancorosas à ponto de perder a lucidez para ver os meios de comunicação manipulando o povo à favor de interesses obscuros.