Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mundo 07/Mar/2016 às 12:42
4
Comentários

Coreia do Norte ameaça 'ataque nuclear preventivo' após exercício dos EUA

Estados Unidos e Coreia do Sul iniciam exercícios militares e Coreia do Norte responde com ameaça de 'ataque nuclear preventivo'

Militares da Coreia do Sul EUA ataque nuclear
Militares da Coreia do Sul e EUA (reprodução)

A Coreia do Norte ameaçou realizar “ataques nucleares preventivos” contra Coreia do Sul e Estados Unidos em resposta às manobras militares conjuntas anuais que os dois países iniciaram nesta segunda-feira (07/03).

Tais ameaças são recorrentes por parte do governo de Kim Jong-un, mas tendem a se intensificar durante a realização dos exercícios militares anuais entre Seul e Washington, que Pyongyang considera como ensaio para uma futura invasão.

O Exército Popular (da Coreia do Norte) executará atos militares preventivos de neutralização que poderiam representar golpes mortíferos e sem piedade contra o inimigo“, afirmou em comunicado a Comissão Nacional de Defesa do país, divulgado pela agência estatal norte-coreana KCNA.

O órgão também afirmou que as forças norte-coreanas contam com alvos militares sul-coreanos de importância estratégica “dentro de seu alcance”, assim como com bases norte-americanas na região Ásia-Pacífico.

Se apertássemos atualmente os botões para aniquilar nossos inimigos, todas as bases de origem de suas provocações seriam reduzidas a mares de chamas e cinzas em um instante“, acrescentou o comunicado, divulgado em inglês.

Em resposta à ameaça de Pyongyang, o porta-voz do Ministério da Defesa sul-coreano, Moon Sang Gyun, declarou que a Coreia do Norte deve evitar um “ato impensado que provocaria sua autodestruição”.

Observadores internacionais questionam a capacidade da Coreia do Norte de realizar tais ataques, mas as ameaças do governo de Kim Jong-un aumentam a tensão na região, especialmente após os recentes testes nucleares e de mísseis realizados por Pyongyang e as novas sanções estabelecidas pelo Conselho de Segurança da ONU contra o país na última semana.

Leia também: Por que as ‘ameaças’ da Coreia do Norte não assustam os sul-coreanos?

As manobras militares deste ano são as maiores já realizadas em conjunto entre Coreia do Sul e Estados Unidos, contando com a participação de cerca de 17 mil militares norte-americanos e 300 mil militares sul-coreanos.

Os exercícios anuais denominados “Key Resolve” e “Foal Eagle”, orientados a coordenar a defesa de Seul e Washington perante um eventual conflito com a Coreia do Norte, se prolongarão até o dia 18 de março e 30 de abril respectivamente, anunciaram as Forças dos EUA na Coreia do Sul (USFK) em comunicado.

Opera Mundi

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Guilhermo Postado em 07/Mar/2016 às 14:08

    Ansioso pela chegada da primavera norte-coreana. Vai ser lindo quando aquele povo sofrido finalmente puder ver o sol brilhar.

    • vinicius Postado em 13/Mar/2016 às 02:02

      vai poder ver o sol brilhar quando o ditador comunista sair do poder.

  2. Rogerio Postado em 07/Mar/2016 às 19:54

    Estamos caminhando para uma terceira guerra mundial? Como lidar com isso? Como evitar, se possível?

  3. José de Pindorama Postado em 07/Mar/2016 às 22:53

    Foristas, boa noite. É necessário ponderação e diplomacia sempre em relações internacionais, onde as partes barganham com as armas que têm em mãos. Países não têm amigos, têm interesses! É óbvio que declarações como a do Kim Jong-un não ajudam em nada num momento de crise. Contudo, uma observação na postura dos USA, desde do século XIX ao XXI, contabilizam mais de cem conflitos mundiais onde foram protagonistas diretos ou indiretos. Quais foram as nações que lucraram com as duas guerras mundiais? Onde estão as armas de destruição em massa no Iraque? Não encontraram; então que pena a ONU deveria impor aos membros da coalizão que atacaram o Iraque? E a Líbia vive melhor agora? E a Síria? E a África? E o 'Estado Islâmico' quem o constituiu, armou, e continua financiando? Qual é a verdadeira história da guerra da Coreia? E o muro de 240 km, dividindo um país que era único? Quantas bases militares têm os USA em todo o mundo, o que justifica isso? Quantas tem a Russia, a China, o Irã, a Coreia do Norte? E os golpes aplicados nos Países, inclusive o que está sendo aplicado nesse momento no Brasil? Não se tem respeito algum a autodeterminação dos povos. Palavras de um 'falcão' do departamento de Estado Estadunidense 'Guerras existem não para ser vencidas; mas para serem continuadas'. Diante disso tudo, para não se tornar enfadonho, com todos os embargos que o povo norte coreano sofre, e já vem sofrendo há muito tempo, pois, a 'grande mídia' não mostra; e na iminência de um ataque, que visa na realidade minar a China; qual seria a postura de um comandante militar e/ou presidente minimamente nacionalista? Sou contra a resolução de conflitos por meios armados, principalmente nucleares, onde todos perdem; mas infelizmente, eles existem por uma infinidades de motivos. É necessário que se faça uma análise fria da história e seu curso. Os 'Donos do Mundo', que não são os USA, querem a subordinação incondicional da China, Russia, Brasil, Índia, Irã, Coreia do Norte, Península Escandinava, Islândia; afim de prosseguir com seu projeto sinistro. A conjuntura mundial mostra claramente isso.