Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mídia desonesta 02/Mar/2016 às 12:16
18
Comentários

Christiane Pelajo bate-boca e protagoniza “barriga” em estreia desastrosa

Reestreia de Christiane Pelajo na GloboNews teve bate-boca e “barriga”. A jornalista, que foi afastada da bancada do Jornal da Globo há 4 meses, tomou um desmentido, ao vivo, e foi obrigada a admitir o erro na edição posterior do telejornal

Christiane Pelajo GloboNews
Imagem: Christiane Pelajo na bancada do Jornal da Globo. Jornalista agora está apresentando um telejornal na GloboNews

Daniel Castro, Notícias da TV

Quatro meses e meio depois de deixar o Jornal da Globo, Christiane Pelajo teve uma reestreia “desastrosa” na GloboNews, na avaliação de profissionais do próprio canal de notícias.

A primeira edição do telejornal comandado por Pelajo, na segunda-feira (29), foi marcada por um bate-boca da apresentadora com o ministro da Saúde e por uma barriga — termo que no jargão jornalístico significa erro de informação.

O programa confundiu casos suspeitos de microcefalia com casos confirmados. Foi objeto de uma nota de desmentido por parte do ministério. Ontem (1º), o telejornal admitiu discretamente que errou.

O Edição das 16h, nome do telejornal de Pelajo, apresentou na segunda-feira um levantamento mostrando divergência entre os números de casos de microcefalia reportados pelos Estados e pelo Ministério da Saúde. Afirmou que em São Paulo haveria 149 casos confirmados, de acordo com a secretaria estadual de Saúde, enquanto o ministério, equivocadamente, sustentava que não havia nenhum caso confirmado. No Rio, seriam 252 casos confirmados pela secretaria e apenas dois confirmados pelo governo federal.

Ao vivo no estúdio da GloboNews em Brasília, o ministro Marcelo Castro travou um bate-boca com Christiane Pelajo e com a jornalista Cristina Tardáguila, responsável pelo levantamento de dados. Pelajo e Tardáguila pressionaram o ministro a explicar o motivo das divergências e da fragilidade dos dados do ministério. Castro, sem sucesso, tentou mostrar que as informações estavam erradas.

“Não existe nenhuma fragilidade nos dados do Ministério da Saúde. O que há é uma confusão entre casos confirmados, suspeitos, e casos notificados”, disse o ministro. “Confirmados no Rio de Janeiro só há dois casos”, insistiu.

O apelo do ministro não foi levado em consideração. À noite, o ministério emitiu nota dizendo que lamentava que o Edição das 16h “tenha classificado como ‘falsos’ as informações do grupo de especialistas e os dados encaminhados pelos Estados, contidas nas falas públicas do ministro da Saúde”. E deu uma rápida lição de jornalismo:

“O Ministério da Saúde considera importante o trabalho da imprensa, com seus questionamentos e críticas. Quando feita de maneira adequada, contribui para o controle social e correção das ações do poder público. A indução ao erro e o reforço a boatos, em uma situação de emergência nacional em saúde pública, no entanto, traz insegurança e confunde a população”.

O ministério encerrou a nota anexando documentos oficiais enviados pelos Estados que confirmavam que o ministro estava certo e o jornal da Globo News, errado. Da Secretaria de Saúde de São Paulo, um documento oficial atestava a existência de 149 casos notificados de microcefalia, dos quais 30 foram descartados e 119 continuam sob investigação.

O desmentido do Ministério da Saúde causou um rebuliço nos bastidores da GloboNews. Ainda na tarde de segunda-feira, jornalistas do canal confirmaram que os dados divulgados estavam errados, mas o estrago já tinha sido feito. Ontem, o Edição das 16h admitiu o erro, mas não deu o braço a torcer, não reconheceu que confundiu casos suspeitos com casos confirmados. Pelajo leu a seguinte nota:

“Ontem [anteontem], o Edição das 16h classificou como falsa a informação do Ministério da Saúde sobre casos de microcefalia em vários Estados brasileiros. O Ministro da Saúde, Marcelo Castro, explicou que os números sobre microcefalia divulgados pelo ministério e pelas secretarias estaduais de Saúde muitas vezes são diferentes. Isso porque o boletim do ministério é fechado às segundas-feiras, com base em dados recebidos dos Estados até o sábado da semana anterior. Os dados que o Edição das 16h divulgou ontem só seriam atualizados nesta semana pelo ministério. O ministério divulgou nota reiterando as explicações sobre as disparidades dos números e lamentou que os dados tenham sido colocados em dúvida. O programa acolhe as explicações do ministério, mas entende que ontem ofereceu excelente oportunidade para o público entender melhor de que forma são contabilizados os dados pelo Ministério da Saúde”.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. JH Corvetto Postado em 02/Mar/2016 às 12:57

    Ademais, a única coisa que o Ministério da Saúde está fazendo de efetivo é combater os números divulgados, pois o Brasil está literalmente jogado às moscas.

    • INACIO ZANIN Postado em 03/Mar/2016 às 22:46

      É COMO DIZ O VELHO DITADO.....MENTIRA TEM PERNA CURTA.....HUUUUMMMM????

  2. lucila sa Postado em 02/Mar/2016 às 13:04

    Esses erros da Globo, tem acontecido em muitas situações justamente para gerar suspeitas sob quaisquer atos do Governo Federal, e assim, desacreditá-lo junto à população.

    • Rogerio Postado em 02/Mar/2016 às 18:33

      Discordo. Se a Globo difamar então é gente boa. Se apoiar é safado.

  3. poliana Postado em 02/Mar/2016 às 13:25

    globo sendo globo..nada demais. apenas a penúltima deles...aguardemos a próxima...

  4. Márcio Dib Postado em 02/Mar/2016 às 13:37

    Por mais que pelejemos pelejemos...Pelajo não fica boa...não aprende... rsrsrsrsrsrsrsrsrs

    • Jonas Schlesinger Postado em 02/Mar/2016 às 20:05

      Dava bem certinho lá na Globo, vc. Nível Zorra Total ever! Dá praçality direto.

  5. Rogério Britto Postado em 02/Mar/2016 às 14:01

    Os Deuses da Rede Roubo nunca erram!

  6. Leonardo Postado em 02/Mar/2016 às 14:31

    É o velho "padrão Globo" de desinformação.

  7. Eduardo Ribeiro Postado em 02/Mar/2016 às 15:32

    "Padrão Globo de Jornalismo". Essa notinha aí que a Pelajo leu é de uma desfaçatez cavalar. E a outra jornalista estava mais agressiva e descontrolada que a própria Pelajo. Tudo errado.

  8. Jorge Viana Postado em 02/Mar/2016 às 15:43

    A preocupação com possíveis novas demissões esta levando os jornalistas da Globo a cometerem erros primários. Já os erros com segundas intenções... estes continuam acontecendo normalmente.

  9. Marines De Conto Postado em 02/Mar/2016 às 19:54

    Foi uma vergonha para quem diz que o programa revisa e revisa as informações antes de irem ao ar. Que feio!!!

  10. Izaias Cardozo Postado em 02/Mar/2016 às 20:50

    Não entendi a nota da Globonews, não admitiram o erro e essa repórter sempre foi petulante, aprendeu muito bem com o waak. A verdade é que o grupo globolixo não é a melhor referência jornalística.

  11. Vinicius Postado em 02/Mar/2016 às 22:47

    Vindo da Globo é normal.Tem muito tempo que não considero o que vem da Globo jornalismo e quem trabalha lá também não considero jornalista.Para mim são só "robos" (bem pagos) ali defendendo os interesses dos patrões convencendo uma legião de alienados. Para mim jornalista é um profissional que tem compromisso com a verdade e sobretudo possui educação, coisa que as duas senhoras "jornalistas" não têm. *Outro Vinicius

  12. Miriam Postado em 02/Mar/2016 às 22:54

    A Globo continua sendo Globo, ou seja, uma M que tomou o poder nas comunicações com o aval da ditadura, encheu as burras de dinheiro e manipula a opinião pública a seu bel prazer. Um belo exemplo de parcialidade na informação, uma organização de poder político, disfarçada de meio de comunicação.

  13. Vera Lucia Postado em 03/Mar/2016 às 10:25

    É a mídia despejando lixo na cabeça dos midiotas que sofreram lavagem cerebral e se deleitam com qualquer notícia ruim referente ao Governo.

  14. Carlos Magno Barbosa Postado em 03/Mar/2016 às 10:58

    Quem tem um mínimo de discernimento sabe que o PIG aumenta a gravidade dos problemas brasileiros e diminui as suas conquistas. Uma imprensa entreguista que apoiou a ditadura e com ela enriqueceu, tem zero em credibilidade.

  15. SILVIO MIGUEL GOMES Postado em 03/Mar/2016 às 14:56

    Os municípios recebem recursos para a SUCEN. Os Prefeitos são muito relapsos. Nunca tem dinheiro pra nada, mas os Prefeitos gastam com festas o ano inteiro. Como acontece na cidade onde moro. Quanto ao "jornalismo" praticado no Brasil já foi bem denominado de "jornalixo".

O e-mail não será publicado.