Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mobilidade Urbana 02/Feb/2016 às 16:38
29
Comentários

Taxista dispara contra Uber: “Agora é no cacete. Vai ter morte!”

Presidente de sindicato de taxistas de SP ameaça motoristas do Uber em vídeo gravado no Facebook. “Acabou a moleza prefeito Haddad. Chega de palhaçada nessa cidade. Agora é cacete”

Táxi uber clandestino morte violência

O presidente do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores de Empresas de Táxi de São Paulo (Simtetaxis), Antonio Raimundo Matias dos Santos, conhecido como Ceará, é investigado pela Polícia Civil de São Paulo. A informação foi prestada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP). Ele deverá depor nesta semana, de acordo com a pasta.

O inquérito contra Matias vai apurar o “eventual delito de incitação à pratica de crime”. Na última quinta-feira (28), motoristas do aplicativo Uber foram alvos de ataques em frente ao hotel Unique, nos Jardins, onde acontecia o baile de carnaval da revista Vogue. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, taxistas intimidavam quem tentava embarcar em veículos pretos. Pelo menos um carro foi depredado.

As pessoas que participaram das agressões à motoristas de veículos pretos e depredações na última quinta-feira (28), estão sendo identificadas pelas fotografias que registraram a ocorrência e serão chamadas para depor no 15º Distrito Policial”, diz a nota da SSP.

Logo após o episódio das agressões, Matias postou um vídeo no Facebook no qual ‘alerta’ o prefeito da cidade, Fernando Haddad (PT), que ele não está cumprindo o acordo com os taxistas, que “a palhaçada acabou” e “agora é no cacete”.

Acabou a moleza prefeito Haddad. Chega de palhaçada nessa cidade. Agora é cacete. Ou regulamenta os aplicativos certos para trabalhar com táxi ou vão trabalhar fora dessa cidade”, afirmou Matias no vídeo.

Os ânimos estão acalorados com a nova declaração do prefeito Fernando Haddad, a Simtetaxi mostrou repúdio e o presidente Antônio Matias mandou seu recado…

Publicado por Táxi em São Paulo em Quinta, 28 de janeiro de 2016


Matias é o mesmo que, em junho do ano passado em audiência na Câmara dos Deputados, afirmou que “vai ter morte” caso os parlamentares não regulamentem o funcionamento do Uber no País. “Eu quero dizer aos nobres deputados para que tomem providências porque, se não tomarem, não temos como conter a categoria”, disse ele na ocasião.

Outro a mandar recados a Haddad foi o vereador Adilson Amadeu (PTB), autor da lei que pediu a proibição do Uber na capital paulista. “O senhor prefeito, que deu uma declaração que vai regularizar o Uber, o senhor é doido. Um doente mental se fizer isso, o senhor não sabe com quem está mexendo”, avisou ele.

VEREADOR ADILSON AMADEU MANDA RECADO PARA O DIRETOR DO DTP/SP E PREFEITO HADDAD DURANTE EVENTO NO HOTEL UNIQUE 28/01/2016, ONDE HOUVE DENÚNCIA PREMEDITADA E NADA FOI FEITO PELAS AUTORIDADES PARA COIBIR A ATUAÇÃO DOS CLANDESTINOS.

Publicado por Táxi em São Paulo em Sexta, 29 de janeiro de 2016

Thiago de Araújo, HuffPost Brasil

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Carol Postado em 02/Feb/2016 às 17:10

    Será que os taxistas não conseguem perceber que essa não é a solução? O Uber ta ai e uma vez criado e aceito pela população não adianta espernear, se ele sumir ( o que é difícil) a ideia já está plantada e outros apareceram. Falta de bom senso e raciocínio não ajuda. São pessoas de bem em sua grande maioria, que estão deixando o medo de perder seu espaço e estão tomando atitudes precipitadas. Fui chamada de v**** nojenta, por um taxista em BH e o carro em questão ( que se encaixava no padrão), nem era um Uber na verdade, era o carro de um amigo. Eu consigo entende o medo dos taxistas, mas não consigo justificar as atitudes extremas.

    • Jonas Schlesinger Postado em 02/Feb/2016 às 18:48

      E por que você não denunciou o filho da puta do taxista? Quem faz isso não nasceu, foi cuspido no mundo.

      • Rogerio Postado em 03/Feb/2016 às 11:12

        Concordo. É pior que cuspido. Defecado.

    • Rogerio Postado em 03/Feb/2016 às 11:10

      O que impede esses taxistas burros de sair do serviço de táxi e trabalhar como motorista do uber? Não é a mesma coisa? Se o uber da mais grana vai nessa! Taxista tem que pagar impostos à prefeitura. Ubeiros não. Os taxistas estão defendendo o imposto que eles pagam. É burrice.

  2. DANIEL Postado em 02/Feb/2016 às 17:16

    e viva a livre iniciativa viva a concorrência à brasileira!

  3. poliana Postado em 02/Feb/2016 às 17:29

    alguém poderia me explicar a cerne desse problema? até hj n entendi....pq os taxistas não aceitam o uber? qual é a verdadeira questão por trás de toda essa gritaria?

    • Guilhermo Postado em 02/Feb/2016 às 20:11

      Porque não aceitam perder clientes, e consequentemente dinheiro, para um outro tipo de carro de transporte. Há concorrência em tudo no mundo, mas parece que os taxistas ainda não se deram conta disso.

    • gustavo0 Postado em 02/Feb/2016 às 20:13

      Poliana, o cerne do problema é a configuração de uma concorrência desleal que afeta negativamente os taxistas, uma vez que a categoria é extremamente regulamentada pelo estado. O Uber tecnicamente oferece um serviço clandestino, porém devido a qualidade do serviço prestado que gerou alta aceitação do mercado, somado a robustez da empresa, criou-se um cenário extremamente difícil de ser fiscalizado. O setor responsável pela fiscalização é deficitário, porém este assunto é mais complexo. Em suma, tudo isso favoreceu o aumento da hostilidade, sem saída a categoria dos taxistas estão cada vez mais recorrendo a violência. Estamos diante de um impasse, e o risco de um grande derramamento de sangue é iminente.

      • poliana Postado em 02/Feb/2016 às 21:48

        gustavo, obrigada pela explicação. mas me diz: onde está a concorrência desleal? te pergunto como leiga mesmo pq tô absolutamente por fora dessa questão...e se o serviço do uber foi tão amplamente aceito pela sociedade, pq os taxistas n migram pra ele? o q o uber tem de melhor q deu tão certo? qual a diferença entre ambos os segmentos?

      • poliana Postado em 02/Feb/2016 às 23:22

        gustavo0, n vou te incomodar mais. li algumas matérias aqui na net sobre essa polêmica. mas obrigada por me responder.

      • Alexandre Postado em 02/Feb/2016 às 23:43

        Poliana como o Guilhermo disse eles não aceitam perder a mamata da exclusividade, a competição do Uber é desleal porque oferece um serviço de qualidade bem superior ao serviço de porco que essa máfia de taxistas esta acostumada a oferece para a sociedade, a fiscalização de qualidade é feita pelo passageiro, no final da corrida podemos colocar uma nota e dar feed back para o motorista e o motorista pode fazer o mesmo pra nós passageiros, se as notas e feedback forem negativas tanto cliente como motorista poder ser expulsos do serviço, o que inclusive colabora para que ambos queiram um serviço de qualidade, sem contar que tudo é feito online, ou seja o valor da corrida e cobrado diretamente de sua conta, antes da corrida vc tem as informações do carro (placa, modelo do carro, nome e foto do motorista), o valor da corrida estimado vc sabe com antecedência.

      • Eduardo Postado em 03/Feb/2016 às 14:48

        Poliana, o cerne da questão é o MONOPÓLIO. Os taxistas sempre tiveram direito exclusivo de exercer o serviço de taxi. Se você quiser se tornar taxista terá alugar a licença e o carro de quem tem, por pelo menos, 200 reais por dia. Você pode "comprar" sua licença, o que é ilegal mas acontece, por uns 300 mil, dizem. Agentes públicos estão envolvidos nisso e não querem perder o direito de controlar o mercado. Não há como negar que o Uber opera ilegalmente, só que a lei não é feita para o benefício da população, mas para manter uma reserva de mercado e o direito a esse monopólio.

      • Atilio Postado em 03/Feb/2016 às 19:55

        Isso aí Gustavo. O problema é a REGULAMENTAÇÃO DO ESTADO. Essa regulamentação gera monopólio, serviços caros e ruins. Isso tudo tá acontecendo porque o sindicato dos taxistas e claro, alguns políticos, não querem perder a "boquinha". Vejo muito bla blá blá aqui. Uber é pirata, Netflix é pirata, whattsapp é pirata Quanta idiotice. O problema no Brasil é ideológico... Enquanto continuarmos com essa mentalidade estatista esquerdista retrógrada continuaremos nessa lama.... Precisamos de livre mercado. Além do Uber, que venha o Lyft... Na livre concorrência ganha quem oferece os melhores produtos a um preço menor... Os 50 países mais ricos do mundo são liberais A briga hoje no Brasil não é entre direita e esquerda, mas entre o indivíduo e o estado. Quanto maior o estado menor as liberdades individuais..... Estamos uns 30 anos atrasados....

    • Eduardo Postado em 02/Feb/2016 às 23:16

      eles, taxistas, acham que são os donos da rua, é igual aos donos de onibus com relação as vans, brigam do mesmo jeito.... mas ameaçar de morte é um pouco de mais e o prefeito tem que dar um basta nisto através da procuradores do município, ou quem manda em São Paulo são os taxistas....e tem um detalhe que faz uma diferença danada, os carros do UBER são verdadeiras limousines....

      • Rogerio Postado em 03/Feb/2016 às 11:34

        Não tem passageiro que reclama do uber. Taxi x uber tá igual médicos brasileiros x cubanos.

      • Fernando Postado em 03/Feb/2016 às 12:42

        Pois é, Eduardo, desde a ditadura que foram criados os cartéis do transporte público e de cargas neste pais. Nas cidades - pode ser numa vila mixuruca qualquer - a regulamentação de táxis e ônibus é cheia de entraves de modo a privilegiar quem já esteja no esquema, funciona como uma licitação fraudada onde se sabe antecipadamente quem irá vencer e os donos das licenças de táxi e donos das empresas de ônibus são ligados ao poder público, quando não são prefeitos ou vereadores, em sua grande maioria. Chegam a criar empresas públicas para gerenciar o transporte coletivo de um município que faz, na verdade, o gerenciamento de empresas particulares com o dinheiro dos impostos dos contribuintes. A mesma máfia se vê no transporte de cargas, leia caminhoneiros e empresas de transporte de cargas, que não admitem o transporte feito em ferrovias e se organizam em cartéis subsidiados pela indústria de pneus, caminhões e auto-peças que não admitem concorrência. Essa é a livre iniciativa à brasileira: espertalhões que não querem concorrência, extrapolam no preço de seus serviços, são relaxados em relação à qualidade dos mesmos e ainda abocanham uma grana dos impostos para bancarem suas organizações mafiosas que, por sua vez, nada mais fazem do que chantagear o poder público para que faça o seu jogo.

  4. gustavo0 Postado em 02/Feb/2016 às 17:47

    É o que acontece quando o estado burocratiza, regulamenta e monopoliza um setor tão importante do mercado. Assim surgem esta bizarrice; uma pessoa querendo pagar, a outra disposta a prestar o serviço, tudo certo...SQN! O estado neste caso se comporta como uma criança que invade o quarto dos pais e interrompe o inicio da brincadeira. Deixem o povo decidir qual serviço lhe agrada mais. Mais liberdade pô!

  5. Eduardo Ribeiro Postado em 02/Feb/2016 às 21:59

    Não uso e vejo com extrema desconfiança todo esse blablabla de "economia colaborativa" - isso tem nome, se chama "agenciamento"....."economia colaborativa" é uma asneira craneada por algum marqueteiro talentoso e que a playboyzada compra - , assim como vejo com ainda mais desconfiança a empolgação dos meninos debilóides liberais mimimises "ainn estamos livres do estado malvadão ao menos nos taxis", que acham que "tudo que vem da internet não precisa regulamentar", está acima das leis, caiu do céu...e esquecem que se trata de uma empresa imperialista, extorsiva, impulsionada por reservas de capital cavalares que massacra a concorrência local no intuito de monopolizar o mercado (tiveram uma pequena amostra das reais intenções do Uber no reveillon...corridinhas curtas beirando 600,00...e burros que são, não aprenderam), e por fim a patetice que é a glamourização dos meninos buchudos fetichizando a coisa toda, "oba...finalmente chegou a empresa multinacional que vai nos prestar um serviço de primeiro mundo". Meninada afetadinha fica louca..."ainn os carros são novos, tem ar, banco de couro, tem wifi, eu exijo wifi...e tem balinhas e agua, e posso mudar a estação do rádio ou sincronizar com meu smartphone de ultima geração"....é o serviço que a "classe-media-sofre" tanto esperava, serem tratados com danoninho e bolachinha como faz o motorista particular do papai....TRANSPORTE É COISA SÉRIA. Evidente que eu fecho com os taxistas.

    • Guilhermo Postado em 03/Feb/2016 às 17:22

      Wi-fi é essencial. Do que adianta ter um iPhone 6s sem internet? Minha cidade nem tem 4g ainda. -.-

      • Eduardo Ribeiro Postado em 03/Feb/2016 às 20:07

        É um diferencial importantissimo pra "classe media sofre", junto com as bolachas recheadas, as sementes de girassol torradas e o assento climatizado, coisas que somente uma empresa internacional predadora que abusa do dumping e da concorrência desleal e que bota de joelhos autoridades municipais e estaduais poderia oferecer.

    • tatiana Postado em 03/Feb/2016 às 18:49

      Claro, é apenas afetação preferir algo melhor...

      • Eduardo Ribeiro Postado em 03/Feb/2016 às 19:58

        A afetação, o deslumbramento e a fetichização da "classe media sofre" é apenas uma parte do problema.

  6. José de Pindorama Postado em 02/Feb/2016 às 22:50

    Caros Comentaristas, boa noite. Obviamente, não apoiamos, manifestações com base na violência, há não ser em legítima defesa, como diante da mais pura tirania. Peço licença ao prestigioso Blog para reproduzir parte do conteúdo, bem didático, por sinal, do site da Wikipédia; buscando eliminar as possíveis dúvidas. Uber é uma empresa multinacional americana de transporte privado urbano baseado em tecnologia disruptiva em rede, através de um aplicativo E-hailing que oferece um serviço semelhante ao táxi tradicional, conhecido popularmente como serviços de "carona remunerada". A grande diferença entre os serviços é que para ser um motorista da Uber, bastaria cadastrar-se seguindo uma lista de exigências de segurança.Estas exigências são questionadas nos Estados Unidos, já que acusados de assassinato, violação infantil e assalto conseguiram se cadastrar como motoristas do aplicativo em São Francisco e Los Angeles. A empresa alega que faz a checagem de antecedentes dos últimos sete anos da vida do motorista. Os motoristas Uber não cobram diretamente por carona, mas recebem uma remuneração diretamente da empresa, que observa na formação de seus preços a relação de oferta de motoristas conforme a demanda dos usuários e baseando-se também na duração e distância da corrida, o que permite uma alocação mais inteligente - e econômica - do transporte urbano, essa alocação inteligente é a base de lucros da empresa. Cerca de cinco anos após sua fundação a empresa foi avaliada em 18,2 bilhões de dólares, em junho de 2014, contando com investidores como a Google e Goldman Sachs. Vamos aos fatos; para se estabelecer como taxista, em São Paulo e sua região metropolitana, é necessário atender uma série de requisitos formais e de regulação da profissão. Toda essa formalidade tem custos para o taxista e consumidor final, e também gera arrecadação para o Estado. Portanto, há forte regulação jurídica nessa atividade. O Uber deseja entrar no mercado, sem respeitar essa regulamentação jurídica, ofendendo a soberania do Código Jurídico Brasileiro, e o pior, pelo que estou sentindo, Agentes Públicos, Prefeitos e Governadores, pronunciam um sonoro amém! Aqui no município de São Paulo o Prefeito tenta encontrar um meio termo. Porém, a Justiça em São Paulo, concedeu acredito que, temporariamente, que o Uber atue, sem nenhuma regulação e concorrendo em condição comercial privilegiada com os taxistas que geram tributos . É a mesma Justiça que autuará o Prefeito se ele não cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal. Muitos trabalhadores não conseguiram retornar ao mercado de trabalho após serem demitidos, às duras penas, conseguiram se estabelecer como taxistas, atendendo todos esses requisitos. Se o Poder Público, olhasse melhor, produzindo ações concretas, poderia torná-lo mais atrativo para o usuário, pois esse serviço complementa o modal de transporte denominado de público. Agora imaginemos o Uber, custos mais baixos tornando-se atrativo para o usuário, uma vez tendo conseguido liderar o mercado será que o aplicativo E-hailing terá o mesmo preço; sem regulamentação o que ganha o Estado? Lembrem-se, com todos esses impostos, sem entrar em detalhes, são pobres os benefícios, que dirá com redução de arrecadação. Essa história de deixar o mercado se auto-regular, sempre foi, e sempre será uma falácia; com a palavra os oligopólios... A título de curiosidade vejam os investidores do Uber. É evidente, que talvez acontecimentos posteriores podem, amenizar o piorar o quadro desse embate, e enquanto escrevo, certamente, algumas das informações citadas podem ser alteradas, complementadas, ou até mesmo retificada pelos Colegas Comentaristas. Precisamos estar atentos, que por trás de uma aparente grande ideia, em se tratando de gestão da coisa pública, sempre vem acompanhado de um gigantesco "Cavalo de Tróia".

    • Jonas Schlesinger Postado em 03/Feb/2016 às 02:35

      Aff, só li até o boa noite kkkkkkkkkkk

    • Eduardo Postado em 03/Feb/2016 às 14:56

      Se o mercado for livre assim que o Uber começar cobrar preços abusivos outros concorrentes passarão a oferecer preços menores.

  7. João Paulo Postado em 03/Feb/2016 às 17:11

    Inocência acreditar no besteirol propagado pelo Uber de "carona solidária", etc. Na pátria do vagabundo do Tio Sam, há greve de motoristas de Uber, exploração, crimes tributários e tudo mais. Aqui não é nem será diferente. Agora, esses vagabundos travestidos de taxistas devem ser por no seu lugar. Há regulamentação, mas fiscalização zero e serviço medíocre. Possuem diversas isenções ou vantagens tributárias. Mesmo assim duvido que paguem Não pagam IRRF, tampouco previdência. A verdade é que a máfia do táxi é forte e os "galos de briga" se colocam pateticamente na posição de massa de manobra em prol das figuras que possuem 10/20/1.000 licenças de fato quando só poderiam ter uma. Contra os desunidos motoristas de Uber e Prefeito, é só valentia. Contra aqueles que os exploram, é só medo e subserviência. Em São Paulo (capital), cobram uma tarifa com acréscimo de 70% ao levar passageiros para o aeroporto. Isso sem avisar antes aos incautos e pessoa que vêm de fora, óbvio. Um país leniente com criminosos, seja com as práticas lesivas do Uber e seus motoristas, seja com a máfia de táxis e seus motoristas, só fomenta a violência.

  8. Jonas Schlesinger Postado em 03/Feb/2016 às 22:18

    Se me oferecerem o menor valor da corrida eu fecho com que o fez. Pra mim não interessa Uber ou Táxi. Mas o carro tem que ser no mínimo um sedan bem apresentável, com ar condicionado e sem rádio pois odeio barulho no carro. Isso é por enquanto não tenho o meu próprio carro.

  9. Thiago Teixeira Postado em 05/Feb/2016 às 14:33

    Como tenho saudades do glorioso Médici, Costa e Silva e Castelo Branco nessas horas, iria colocar uns 60 taxistas desocupados num pau de arara e enfiar uns 15 UBERS na bunda deles. Quanta babaquice, se todos os profissionais susceptíveis a concorrência fizessem isso, ninguém trabalharia. Apareceu o UBER? Se unam e façam a diferença. ofereçam um serviço diferenciado e atraia novamente a clientela, todo o mercado faz isso porque estes estrelinhas não querem se adaptar?

    • Jonas Schlesinger Postado em 05/Feb/2016 às 22:13

      Tava vendo na internet que os taxistas eles são rudes até mesmo quando não é Uber. Pra que essa violência toda? O Uber é mais barato e consequente mais confortável. Quem escolhe é o povo. Se o povo escolhe que quer os dois, pra que o governo (estadual) vai querer ir contra o gosto do povo. Por acaso aqui não é mais uma democracia?