Redação Pragmatismo
Compartilhar
Rede Globo 19/Feb/2016 às 12:21
6
Comentários

O dia em que um pescador esnobou o 'todo poderoso' da Globo

"Não conheço essa Rede Globo". Amigo pessoal de Roberto Marinho conta como o 'todo-poderoso' foi esnobado por um pescador que não quis lhe entregar alguns peixes sem receber o pagamento na hora

rede globo roberto marinho pesca submarina esnobar
Roberto Marinho (direita), fundador da TV Globo

É difícil de acreditar, mas o todo-poderoso Roberto Marinho (1904-2003), trinta anos atrás, foi esnobado por um pescador que não quis lhe entregar alguns peixes sem receber o pagamento na hora. O então presidente das Organizações Globo tinha como hobby a pesca submarina e, além de praticar, apoiava e patrocinava eventos do gênero. Nos anos 1980, era um dos homens mais ricos e poderosos do país, mas o humilde pescador, sem televisor em casa, não sabia o que era Rede Globo.

Quem conta essa história é o jornalista Carlos Tavares, 92 anos, amigo pessoal e companheiro de pesca submarina de Marinho. Tavares foi colunista do jornal O Globo. Antes, trabalhou na TV Tupi. Conheceu Marinho antes da Globo, em 1965.

Tavares conta que foi bicampeão brasileiro de pesca submarina, em 1958 e 1959. Em 1960, Roberto Marinho começou a patrocinar o evento nacional e apoiou a realização de um campeonato internacional da modalidade. Com a grande repercussão em torno do evento, Marinho se interessou pela pesca submarina e passou a mergulhar junto com Tavares.

A partir daí, foram mais de 20 anos de aventuras nos litorais de São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Bahia (Abrolhos), sempre a bordo do iate Tamarind, de Marinho.

O fato mais inusitado ocorreu na década de 1980, quando eles saíram para mergulhar em Paraty (RJ). “Estávamos no Tamarind junto com o comandante quando ocorreu uma forte tempestade, que deixou as águas sujas, impróprias e perigosas para o mergulho“, explica o jornalista. “Mas o Roberto estava com visitas e queria levar alguns peixes para casa. Só que, com o mar sujo, era impossível“, completa.

Foi aí que eles avistaram um pequeno barco e foram até lá. “Nos aproximamos da embarcação e vimos que os pescadores tinham quatro badejos. O Roberto então teve a ideia de comprar os peixes e levá-los para casa, mas se lembrou de que não tinha dinheiro“.

Marinho, então, pediu 50 cruzeiros emprestados para Tavares, mas ele também não havia levado nada. “Afinal, quem vai levar dinheiro na roupa de mergulho?”, lembra.

A única opção era tentar comprar fiado. Seria fácil para Roberto Marinho, certo? Ledo engano. Ele pediu para o pescador lhe dar os peixes e ir buscar o dinheiro em sua casa na segunda-feira. “Propôs pagar não apenas 50, mas 200 cruzeiros ao pescado“.

Mas o pescador disse que não entregaria os peixes sem o dinheiro. “Vendo que não conseguia convencer o pescador, ele resolveu dizer quem era: ‘Eu sou Roberto Marinho, dono da Rede Globo’, pensando que, dessa forma, o homem lhe entregaria os peixes. Mas qual foi a surpresa ao ouvir a resposta do pescador? ‘Não conheço essa Rede Globo’, ele falou. Moral da história: Roberto Marinho foi para casa sem nenhum peixe e, sempre espirituoso, achou muito engraçado o pescador nunca ter ouvido falar da emissora“, conta Tavares.

Thell de Castro, Notícias da TV

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Jonas Schlesinger Postado em 19/Feb/2016 às 17:46

    Quem assiste a Rede Grobo? Tirando o futebol e o carnaval, o resto não presta. Novelas com temáticas nefastas que só retratam sexo, drogas, favelas, gays e tudo o que há de imoral. Os jornais são todos manipuladores e sensacionalistas. Programas idiotas como Faustão, Issssssshhhquenta, Mais Você, Encontro, Video Show, ZORRA TOTAL (esse é de lascar), Huck entre outros. PQP, quanto mau gosto tem essa tv aberta. Há tempos eu boicoto a globo, mas os ralés e analfabetos preferem assistir o plim plim. As únicas coisas que assisto são 3: Netflix, TV a cabo e Youtube. ABAIXO A REDE GROBO.

    • Gersier Postado em 19/Feb/2016 às 22:31

      Já perdi a conta dos anos que deixei de assistir essa famigerada emissora que eu considero um câncer enraizado na democracia brasileira. Já nasceu sacaneando a concorrente, a então líder de audiência, aTV Tupi fazendo com que os generais marionetados pela CIA, não renovasse a concessão da mesma e para completar a sacanagem de vez, tiraram até o cristal do transmissor da mesma. Depois, burlando as leis brasileiras e com a complacência de políticos safados, alguns ainda vivos, se associou ao grupo time-life recebendo na época SEIS milhões de dólares.na época uma quantia considerável. E continuam se achando os "donos" do Brasil até hoje, com a complacência de um xexelento togado, o tal do moro e de políticos tal e qual ela, que cobram juntos o que nunca tiveram, hombridade, caráter, ética e acima de tudo, preocupação com o bem estar do povo brasileiro. E só não me sinto melhor porque ainda existem aqueles que lhe dá audiência.

    • Carlos Morelli Postado em 20/Feb/2016 às 21:39

      Dizem que seu corpo é aquilo que você come e te sustenta., então, pode-se dizer que seu intelecto é, aquilo que você assisti e aprende. O que você diz, de uma pessoa, que assisti big-brother?

    • simone Postado em 21/Feb/2016 às 03:58

      E quem disse que o carnaval presta quem não assiste a rede globo não perde tempo com carnaval que é igual ou pior que as novelas.

    • Marcio Postado em 21/Feb/2016 às 21:24

      Nossa..., você é bem preconceituoso Jonas..., não curto mais tbm TV aberta faz tempo. Mas ainda tem uma ou outra "coisinha" que ainda presta na TV aberta. Pra mim a verdade é que a TV aberta, que usa da concessão do governo federal de transmissão pública de radiodifusão, ou seja, usa o espaço para transmitir a seu bel prazer, e se esquece que há limites num país que a Educação é hiper precária, nada de leitores, porque preferem somente assistir e receber informações sem questionar, e aí a TV aberta usa e abusa de imagens e sons para direcionar, moldar comportamentos, vender produtos, idéias, etc., somente baseada no que ela acha melhor, de acordo com o seu patrocinador, financiador, etc, porque a TV aberta antes de mais nada é uma empresa que precisa lucrar. Agora em relação a Zorra Total, aposto se colocarem os comediantes dos anos 60, 70, 80, 90 vc, ou a atual geração não curtiriam. Então o bonde (os programas, os formatos, as piadas, etc), anda de acordo com o momento histórico que se está vivendo, e qual esse momento histórico? Adevento da internet (web), digital, bluray, mp3, mais opções e fontes de contéudos encontrados na internet (como vc citou Netflix, etc), globalização, etc. Bom, na minha opinião, o programa Esquenta é a melhor coisa que Grobu tem feito em termos de programa para o povão, porque pela primeira vez (posso estar enganado) ela abriu para o povão aparecer e esse povão é o autentico povo brasileiro, negro, afro-brasileiro, mestiço, indígena, ou tudo misturado, etc. Gays..., ouvi falar, e ainda estou procurando a saber mais a respeito que, sempre existiram na face do planeta Terra. Não é nada empurrado na minha opinião, acho que tanto eles como os brasileiros na sua maioria afrodescendentes estão lutando e conquistando seu espaço tbm nos meios de comunicação pois nesse meio só eram retratados (representados), de forma jocosas (satíricas, inferiores, engraçados, vil, de baixo nível, etc), e na verdade eles não são, pois boa parte deles estão em posições ou numa boa escala da sociedade brasileira. CAra, agora..., que bom que hoje existe formas variadas de entretenimento ou consumos de conteúdos audiovisuais como vc mesmo citou (netflix, tv a cabo, youtube, etc), mas vou lhe dizer uma coisa, acho que os conteúdos pagos (esses q vc citou), deveriam ser mais exibidos, tais eles como o conteúdo que falam do Brasil, pois esses que vendem somente filmes e séries brasileiras, que valor isso tem para construção duma nação ou da identidade de um país que estampadamente (em números comprovados), é mestiço? Pra que tenho que construir meus valores em cima de idéias e comportamentos de conteúdos que nem brasileiros são? E outra, eles não são melhores que nós. Eu creio que só precisamos ser mais nós, nos assumir, ou procurar ser quem somos. Bom, acho que vc tem que fazer assim, não gostou do programa, faça como eu esta manhã, muda de canal. Por exemplo, liguei a TV e não sei em qual canal estava falando de cultura gaúcha e depois italiana. Penso: a quem interessa saber isso? na minha cidade, infemos são esses descendentes. Agora resta saber por que só esse tipo conteúdo mais se divulga, e indiretamente se coloca como bom? Por que só esses conseguem usar horas na TV e divulgar essa cultura estrangeira? Já existe estudos que comprovam que não existe raças, mas por que insistem enfiar-nos indiretamente essa cultura goela abaixo? Queria ver, consumir outros conteúdos televisivos do povo brasileiro..., enfim, mudei no ato de canal. Não sou um cara totalmente fechado, mas há trinta e poucos anos isso ainda continua. E outra, eu que no meu caso, branco, ou caucasiano, mas consciente da minha mestiçagem, não acho feio ser preto, ter cabelo crespo, mestiço, etc. Pois acredita que essa idéia é de inferioridade e que a criaram para nós não nos aceitarmos? pois então, vc que tem um sobrenome de descendência estrangeira é racista num país que na sua maioria é mestiço? Se sim, não está sendo incoerente? E outra, gostaria que falasse mal dos povos que deram origem ao seu sobrenome? pense nisso..., passar bem.

  2. poliana Postado em 20/Feb/2016 às 11:58

    "Eu sou roberto marinho, dono da rede globo"! Sem comentários...

O e-mail não será publicado.