Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mundo 04/Feb/2016 às 10:00
10
Comentários

Na Dinamarca, agência faz promoção para estimular sexo e gravidez

Agência de turismo faz promoção para estimular sexo e gravidez na Dinamarca. Atualmente, a taxa de fecundidade no país é de 1,7 filho por mulher e a idade média em que as dinamarquesas se tornam mães pela primeira vez é 29 anos

dinamarca propaganda sexo gravidez publicidade

Uma agência de turismo na Dinamarca está fazendo uma promoção com o objetivo de estimular os dinamarqueses a fazerem mais sexo e terem filhos.

Atualmente, a taxa de fecundidade na Dinamarca é de 1,7 filho por mulher, o que tem preocupado o governo. A idade média em que as dinamarquesas se tornam mães pela primeira vez é 29 anos, cinco anos a mais que a média registrada em 1970.

A agência Spies Rejser criou, em vídeo, uma campanha que trata do tema com bom humor e diz que a pouca quantidade de bebês nascendo preocupa a todos, e principalmente às potenciais avós.

Veja o vídeo (com legendas em inglês):

Você estava lá quando seu filho aprendeu a andar. Você estava lá quando ele aprendeu a pedalar uma bicicleta. Você estava lá quando ele aprendeu a ler. Mas, quando se fala em ter netos, pode ser um pouco estranho ajudar“, diz o anúncio.

A empresa destaca que fazer exercícios físicos aumenta o desejo sexual, por causa da liberação de endorfina no cérebro, e que as pessoas também costumam fazer mais sexo quando viajam para locais ensolarados.

A proposta da Spies Rejser é que a candidata a vovó dê uma contribuição para que seu filho saia em férias ativas (com a prática de muita atividade física), o que aumentaria as chances de uma concepção e poderia resultar na chegada de um bebê depois de nove meses.

A agência oferece um desconto de 1.000 coroas dinamarquesas (cerca de R$ 580) e um pacote de atividades físicas incluída no preço.

Vamos juntar forças e dar ao mundo mais netos. Se eles não fizerem pelo seu país, com certeza vão fazer pela sua mãe“, finaliza o anúncio.

Em 2014, a agência já tinha convocado os dinamarqueses a fazerem sexo “em prol do país”, distribuindo prêmios aos casais que comprovassem ter engravidado durante as férias.

Uol

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

 

Recomendados para você

Comentários

  1. Rogerio Postado em 04/Feb/2016 às 10:44

    Essa baixa natalidade preocupa os europeus. Daí que ocorre a imigração árabe. E falando nisso, olha essa charge brasileira do menino sírio: https://www.instagram.com/p/7ORjpWPuHg/

    • Denisbaldo Postado em 04/Feb/2016 às 23:03

      Demais essa homenagem. Uma das imagens mais tristes de nossa história merece um final feliz, pelo menos em nossa imaginação.

  2. Pedro Accioli Postado em 04/Feb/2016 às 11:49

    É compreensível esta campanha, não só na Dinamarca, como na Europa em geral, o crescimento populacional está abaixo de 2,1 filhos por mulher (taxa mínima para a reposição populacional) desde o início da década de 70, mesmo naquela época, a Europa já estava recebendo uma grande quantidade de estrangeiros logo após o final da segunda guerra mundial, devido ao fato de muitas pessoas terem morrido durante o conflito e estes ajudaram a reconstruir as cidades destruidas.

  3. Pablo Postado em 04/Feb/2016 às 11:56

    A Dinamarca tem que contratar o Mr. Catra para fazer um workshop lá, só ele faz cinco filhos em uma semana de aula. heheheheh

  4. Guilhermo Postado em 04/Feb/2016 às 11:57

    Enquanto isso no terceiro mundo, as pessoas engravidam só de olhar. HAHAHA. É só a Dinamarca abrir suas portas para os refugiados islâmicos. Esses costumam reproduzir bastante. Claro que daí a Vikinglandia se tornaria uma república islâmica. Complicado.

  5. Pedro Postado em 04/Feb/2016 às 12:24

    Essa noticia ja é bem antigaaaaaaaaa....... PP precisa acelerar um pouco.

  6. Guilhermo Postado em 04/Feb/2016 às 12:34

    Gente mas é ótimo para o planeta o fato das pessoas terem poucos filhos. O mundo já está começando a saturar de humanos. Daqui a pouco começarão a faltar recursos para manter a crescente população humana. Estudos dizem que o planeta conseguiria suportar até 9 bilhões de pessoas. Já estamos em 7,4. Pensar em aumentar apenas para manter o sistema econômico nos moldes atuais é danoso à Terra.

  7. Jonas Schlesinger Postado em 04/Feb/2016 às 12:43

    Faz uns cinco anos que quase fui pra Dinamarca, mas tava muito caro por isso não rolou. Diferentemente da Alemanha, de Portugal e até do Reino Unido, não tenho interesse em visitar esse país. Mas dá pra ver que nos países de 1º mundo as pessoas são mais conscientes, as mulheres só se tornam mães perto dos 30 anos, o que é recomendado se uma pessoa querer seguir uma carreira antes. Já nos países pobres é diferente. Mães adolescentes. Ah, não me esqueço desses países árabes que nem seguir o Alcorão seguem, eles seguem a Sharia onde uma menina de 9 anos já pode ser esposa. Aberrações do mundo islâmico fundamentalista, do povinho muçulmano que acha que os islã vai dominar o mundo ocidental. Só digo uma coisa e não vão gostar: sou a favor do controle rígido de imigrantes sim. Na terra dos outros tem regras. Tira a burca que logo logo é aceito no ocidente.

    • Moacir Postado em 07/Feb/2016 às 15:40

      Melhor seria o mundo ocidental imperialista parar de apoiar ditaduras opressoras para continuar saqueando o petróleo de lá que logo o povo de lá se livraria da opressão e não precisaria fugir para o ocidente. O imperialismo otomano era menos fundamentalista e menos opressor. Inglaterra e França ajudaram a "libertar" os árabes no século passado e passaram a "tomar conta" de lá. Tal como já haviam feito com a Índia, a China, a África a América Latina etc. Posteriormente os EEUUAA substituíram os países europeus e passaram a ditar as regras na terra dos outros.

      • Jonas Schlesinger Postado em 14/Feb/2016 às 02:13

        antes os Eua do que a União Soviética. Aceita que dói menos