Redação Pragmatismo
Compartilhar
América Latina 24/Feb/2016 às 18:06
12
Comentários

Morales é derrotado em referendo e age democraticamente: "Respeito as urnas"

Evo Morales é derrotado em referendo na Bolívia e não poderá concorrer a novas eleições. Presidente boliviano declarou que “Respeita os resultados das urnas” e que “uma batalha foi perdida, mas a luta segue”

Evo Morales derrota Bolívia
Evo Morales reconhece primeira derrota nas urnas em dez anos

O presidente da Bolívia, Evo Morales, reconheceu nesta quarta-feira (24) a primeira derrota nas urnas em dez anos de governo e prometeu respeitar os resultados do referendo realizado há três dias.

No domingo (21), os eleitores bolivianos foram às urnas para votar na reforma constitucional proposta pelo governo, que permitiria a Evo Morales disputar um quarto mandato consecutivo em 2019. A maioria votou contra.

A votação foi apertada, e o Tribunal Superior Eleitoral demorou três dias para concluir a contagem. Com 99,8% dos votos apurados, a vitória da oposição foi confirmada por uma estreita margem: 51,3% dos eleitores votaram “Não”, contra os 48,7% que optaram pelo “Sim”.

Hoje, Evo Morales criticou o que chamou de campanha suja da oposição, mas não questionou os resultados. O presidente lembrou que, mesmo derrotado, tem um índice de popularidade alto (50%) e quatro anos de governo, para continuar implementando suas politicas.

Primeiro presidente indígena da Bolívia, Evo chegou ao poder em 2006, com a promessa de uma revolução socialista, para acabar com a pobreza e a discriminação. Mal assumiu, o ex-líder sindical dos cultivadores de coca estatizou os recursos naturais e investiu em infraestrutura e educação.

Em uma década, ele eliminou o analfabetismo e viu a economia crescer em média 5% ao ano – um desempenho elogiado pelo Fundo Monetário Internacional, que ele tanto critica.

Com o argumento de que seria preciso mais tempo para consolidar o processo revolucionário, o governo propôs reformar a Constituição. Mas a oposição reagiu, argumentando que a falta de alternância política é sinônimo de autoritarismo.

Contribuíram para a derrota de Evo Morales, a morte de seis pessoas em um protesto e o aparecimento de denúncias, nas redes sociais, de que ele teria favorecido uma ex-namorada, com a concessão de contratos governamentais.

“Perdemos a batalha, mas não a guerra”, disse o presidente, ao prometer continuar com seu programa de governo até o fim do seu atual mandato.

“Nós não somos um governo, somos uma revolução democrática e pacífica. O movimento [MAS, Movimento Ao Socialismo, seu partido] que temos na Bolívia é único no mundo, e sua verdadeira base são os movimentos sociais. Respeitamos o resultado das urnas, mas a luta segue. Temos muitas responsabilidades”, concluiu Morales.

Evo não quis responder às perguntas sobre quem vai ser o candidato de seu partido, Movimento ao Socialismo, nas eleições presidenciais de 2019.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Eduardo Postado em 24/Feb/2016 às 21:27

    o povo parece que nutre saudade de ser oprimido ser espoliado, ser feito de escravo por uma castazinha nojenta e colonizadora.... e tem quem acha que pertence a esta, mas nada mais é que massa de manobra, bucha de canhão para que ela se estabeleça, depois os coitados entram na fila para pedir esmolas, migalhas. A revolução Francesa não ensinou nada aos pobres, a não ser que eles tem que ser subservientes, capachas, servidores, escravos, babacas.... é isto que o povo parece que é.... desprezam que luta, faz por ele, se mistura com lama para ter condição de manter o conquistado para ele, povo, e o que recebe.....

  2. Isabela Postado em 24/Feb/2016 às 22:08

    Estive na Bolívia em janeiro por 15 dias e fiquei encantada com o envolvimento político da população. A campanha foi acirrada e pela primeira vez a esquerda, muitas frentes contrárias ao governo, se uniu pelo Sí. Amei a Bolívia, um país orgulhoso de suas origens, uma nação campesina... Jallalla Pacha Mama!

  3. Deisi Postado em 25/Feb/2016 às 08:54

    Quanta diferença da oposição golpistas brasileira, um democrata aceita a derrota, muito diferente da corja bicuda. Já se passaram dois anos e ainda querem ganhar no grito. Viva a democracia!

  4. felipe Postado em 25/Feb/2016 às 09:36

    Com exceção do Mujica que vive se de seu exemplo, a esquerda do nosso continente é decadente, menos um.

    • Vinicius Postado em 25/Feb/2016 às 19:58

      Cara, desculpe, mas recomendo você trocar a Veja por um livro de história, vai passar menos vergonha. Agora falando da reportagem, ele só não teve direito de participar das eleições de 2019, mas continua até lá e quem suceder ele possui grandes chances de ganhar. Decadente para mim é a direita brasileira que tenta derrubar a democracia a qualquer custo em nome de seus interesses, iludindo uma legião de alienados. *Outro Vinicius

      • Deisi Postado em 26/Feb/2016 às 02:06

        Disse tudo Vinicius! Decadente, patética, golpista e inconformada!

      • felipe Postado em 26/Feb/2016 às 09:47

        ainnnn vai ler a Veja, livro de história..... Vinícius passe menos vergonha e passe a respeitar a opinião dos outros, pare de preconceitos e pare de tirar conclusões sobre as pessoas, sou muito bem informado, obrigado, e vc? quando quiser debater com argumentos e não com o papinho ridículo de veja, globo etc pode conversar comigo, no mais a esquerda esta decadente sim, prova disso é a sequencia de líderes que estão caindo um a um por aqui, fora as derrotas políticas que estão tendo inclusive aqui no Brasil, e se vc resume a direita ao PSDB azar o seu.

  5. André Nelson Postado em 25/Feb/2016 às 13:39

    A direitalha se deleita pensando que quem perde uma eleição perde tudo. A luta segue, velho.

  6. poliana Postado em 25/Feb/2016 às 14:38

    colombianos??? tá sabendo bem!!!!

  7. Eduardo Ribeiro Postado em 25/Feb/2016 às 16:08

    Colômbia....(!!!!!!!!!).....tá sertinhu....conte-me mais sobre o esquerdismo marxista populista ""colombivariano""..

  8. poliana Postado em 25/Feb/2016 às 17:04

    ele apenas n poderá concorrer nas próximas eleições. n quer dizer q um candidato da direita foi eleito...tenha certeza q o candidato q ele apoiar irá ganhar nas próximas eleições. e o direitista macri tá sendo um sucesso na argentina, hein???!!! vcs n aprendem nunca!

  9. Aristóteles Postado em 25/Feb/2016 às 23:40

    Parabéns, Presidente Evo Morales, pelo exemplo de democracia. Até a vitória, companheiro!

O e-mail não será publicado.