Redação Pragmatismo
Compartilhar
FHC 18/Feb/2016 às 15:16
10
Comentários

Mirian Dutra: “Não quero morrer e levar isso comigo”

Em novas revelações, Mirian Dutra diz que FHC usou empresa para bancá-la na Europa. Contrato fictício foi articulado para financiar gastos com o filho dela, Tomás. Jornalista conta ainda detalhes de como realizou dois abortos custeados pelo ex-presidente

FHC Mirian Dutra Filho revelações
FHC usou empresa para bancar jornalista na Europa. Ex-repórter da TV Globo com quem FHC teve relação extraconjugal, Mirian Dutra revela detalhes de contrato fictício articulado para financiar gastos com o filho dela, Tomás, com quem ex-presidente tucano tem relação paternal

Um fantasma do passado do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso voltou a assombrá-lo com a volta da jornalista Miriam Dutra – com quem o tucano teve relacionamento extraconjugal nos anos 1980 e 1990 – ao noticiário.

Despachada para a Europa depois que engravidou, Mirian agora reaparece e, em entrevista à Folha de S.Paulo, revela que a empresa Brasif S.A.Exportação e Importação ajudou FHC a enviar recursos ao exterior para custear gastos dela e do filho, Tomás Dutra, com quem o ex-presidente mantém relacionamento paternal.

Segundo Miriam, as transferências foram feitas por meio de contrato fictício de trabalho celebrado em dezembro de 2002 e com validade de quatro anos. A contratante que aparece nos registros da contratação é a empresa Eurotrade Ltd., cuja sede a Brasif mantém nas Ilhas Cayman.

De acordo com o contrato, a jornalista Mirian, ex-funcionária da Rede Globo de Televisão, ficaria responsável por executar “serviços de acompanhamento e análise do mercado de vendas a varejo a viajantes”, além de fazer prospecções “tanto em lojas convencionais como em duty free shops e tax free shops” em países europeus. Tais informações deveriam ser repassados à Brasif, que naquela época explorava free shops – lojas com isenção de impostos – em aeroportos brasileiros.

Segundo o jornal paulista, FHC admitiu ter bancado Mirian e Tomás em países da Europa e possuir contas bancárias no exterior, mas disse que não usou a estrutura da Brasif para sustentar os dois.

Serviço não prestado

Apesar das designações de função postas em contrato, Mirian afirma que “jamais pisou” em uma loja, duty free ou não, para trabalhar. Ela declarou ainda que a remuneração mensal acertada no contrato, de US$ 3 mil, serviu para complementar a renda familiar.

“Eu trabalhava na TV Globo e tive um corte de 40% no salário em 2002. Me pagavam US$ 4 mil. Eu estava superendividada, vivia de cartão de crédito e fazendo empréstimo no banco. Me arrumaram esse contrato para pagar o restante”, declarou a jornalista, segundo a Folha, acrescentando que o acerto foi mediado pelo também jornalista e lobista Fernando Lemos, que foi casado com Margrit Dutra Schmidt, irmão de Mirian.

“Ele [Fernando Lemos] disse que tinha de arrumar um jeito de melhorar a minha vida financeira, já que eu tinha uma hipoteca [de apartamento comprado em Barcelona, Espanha] e a Globo tinha cortado meu salário”, acrescenta a jornalista, que recentemente revelou pressões de FHC para que ela dissesse à revista Veja que Tomás era filho de um biólogo.

Mirian afirmou também que o dinheiro enviado ao exterior era de FHC, e não da Brasif. “Ele me contou que depositou US$ 100 mil na conta da Brasif no exterior, para a empresa fazer o contrato e ir me pagando por mês, como um contrato normal. O dinheiro não saiu dos cofres da Brasif e sim do bolso do FHC”, revela Mirian.

O esquema de repasses ao exterior foi confirmado pelo empresário Jonas Barcellos, dono da Brasif, que nega conhecer detalhes do acordo, no entanto. “Tem alguma coisa mesmo, sim. Eu só não sei se era contrato. Vou fazer um levantamento na empresa para esclarecer tudo”, avisou Jonas, que disse estar em Aspen (EUA) e voltará ao Brasil na próxima semana.

ABORTO

À Folha, Mirian disse que FHC sugeriu que ela abortasse Tomás e revelou que realizou dois abortos que foram custeados pelo ex-presidente. Confira trechos da fala da jornalista:

“Eu estava grávida de quase três meses. Eu não estava aguentando mais essa história toda de ser amante, de ser a outra. Aí eu fiquei quieta, esperei ele voltar [de viagem] e, quando voltou, foi jantar na minha casa. Quando disse que estava grávida, ele disse “você pode ter este filho de quem você quiser, menos meu”. Eu falei: “não acredito que estou escutando isso de uma pessoa que está há seis anos comigo”.

(…)

Ele me pediu para abortar. “Eu te pago o aborto agora”, disse. Aliás, vou te contar uma coisa mais séria ainda. Durante os seis anos com ele, fiquei grávida outras duas vezes, e eu abortei.

(…)

Ele pagou. Pagou por dois abortos. Eu não queria ter outro filho, eu tinha minha filha estava muito feliz. Nunca pude tomar pílula, colocar DIU [método intrauterino], porque tenho um problema de rejeição absoluta a hormônio que venha de fora. Ele sabia disso.

(…)

Aí que, pela primeira vez, em seis anos, ele deixa de falar comigo. Porque sentiu que a decisão era firme. Aí eu disse que não tinha que contar para ninguém quem era o pai, que era livre e desimpedida.

Questionada sobre as razões de só agora reaparecer a fazer as revelações, Mirian diz: “Eu não quero morrer amanhã e tudo isso ficar na tumba. Eu quero falar e fechar a página. E quero tentar ser feliz, porque eu não consegui até hoje”.

DNA

Nas décadas de 1980 e 1990, quando FHC despontou nacionalmente na política, ele e Mirian tiveram um caso extraconjugal – o ex-presidente sempre foi casado do Dona Ruth Cardoso (1930-2008). Na época, Mirian engravidou e, desde então, rumores sobre a possibilidade de o ex-presidente ser o pai da criança se multiplicaram. Há mais ou menos 30 anos, um filho fora do casamento poderia significar uma ameaça aos planos de ascensão do tucano à Presidência da República, e então ele pediu que a TV Globo a transferisse para Portugal.

Congresso em Foco e Folha

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. João Paulo Postado em 18/Feb/2016 às 16:34

    O corno da amante colocou essa pensão na conta do povo brasileiro. Vendeu sua alma à rede bobo por causa de um filho que sequer é seu.

  2. luiz augusto gomes Postado em 18/Feb/2016 às 16:53

    Pouco a pouco a mascara vai caindo, sem contar que tem um exame de DNA negativo, pressões, pedidos para abortos, dólares depositados em empresas laranjas no exterior para intermediar pagamentos, no meu entender PSDBistas são piores que PTistas já que estes são amadores e deixam muitos rastros, pouco a pouco PSDBistas começam a ser pegos!!!

  3. Paulo Barros Postado em 18/Feb/2016 às 17:30

    Quem acompanhou o caso desde o início sabe muito bem como fora feita a blindagem do FHC, queridinho da grande mídia.

  4. Fabio Hideki Postado em 18/Feb/2016 às 18:58

    Quando os blogs progressistas se juntarão para uma campanha de financiamento coletivo para criar um material(documentário, vídeos e desenhos curtos, memes) fácil de ser entendido por midiotas/coxinhas, explicando o funcionamento do PIG ? E lembrando que o crescimento de blogs como esse, depende da diminuição na importância que o público dá à grande mídia.

  5. Elaine Postado em 18/Feb/2016 às 20:27

    A vida privada das pessoas deveriam interessar somente a eles mesmas . As pessoas são livres para viverem a sua vida intima como quiserem . Se FHC teve ou não uma amante é irrelevante do ponto de vista público . O Brasil tem coisas mais importantes para discutir .

  6. Claudia Postado em 18/Feb/2016 às 21:24

    Uma mulher esclarecida como ela se fazendo de vítima por ter sido amante de um homem, e não era um qualquer, e agora resolveu fazer uma faxineira na na consciência, me poupe....ela no mínimo é cúmplice de todas falcatruas....tem que ser responsabilizada também....

  7. enganado Postado em 19/Feb/2016 às 00:42

    O jornalista Hélio Fernandes reportou na Tribuna da Imprensa este ocorrido deste fdp, FHC, qdo o Apátrida ainda ""dava ordens aqui no BRASIL"", e comentou também o caso com Ana Paula Padrão. Será que alguém ainda tem dúvidas a respeito da moralidade do chefe da gangue do P$DB? Como escrevia Hélio Fernandes, que a ""Dona Rute"" era a única que honrava o sobrenome __CARDOSO__ na família, apesar de ser emprestado pelo vagabundo-marido. Parabéns Miriam! Antes tarde que NUNCA!

  8. Eduardo Ribeiro Postado em 19/Feb/2016 às 09:48

    Mirian não precisa justificar nada. Acabaram com a vida dela. Exilaram a mulher, foi silenciada, abriu mão de uma vida, foi abandonada por um canalha inescrupuloso interessado apenas em preservar sua imagem e seu poder. Precisa justificar nada não. Tem que botar a boca na mídia mesmo, ainda que com todo esse tempo de atraso, e abrir toda a história. Não tem essa de "foro íntimo" porra nenhuma. Quero ver quanto tempo esse assunto vai ficar em pauta, porque dessa vez parece que a blindagem de adamantium falhou (finalmente). Espero no mínimo 3 semanas de debate intenso das mesmas pessoas que contaram com precisão as 111 vezes que Lula foi pra Atibaia (não foram 110...foi rigorosamente 111) e que sabem quantos gramas de mortadela Dona Marisa comparava na padaria pra tomar um café....se fosse um esquema de Lula teria 20 milhões de malucos nas ruas levantando faixas de "bêbado, analfabeto e imoral", drones seguindo a Mirian, e já saberiamos até a marca de cueca preferida do Tomás...aliás, Lula PERDEU UMA ELEIÇÃO por menos, e quando teve a chance se recusou a usar essa informação de Mirian - que sempre foi de amplo dominio - em campanha eleitoral. A novidade de verdade é essa conversa de empresa das Ilhas Cayman dando dinheiro.....vão investigar isso ou "não vem ao caso e podemos ignorar se achar melhor"?

    • Paula Postado em 19/Feb/2016 às 15:01

      Perfeito Eduardo Ribeiro.

  9. Luiz Postado em 21/Feb/2016 às 17:17

    O ídolo parece que não era tão irretocável como alguns achavam.