Redação Pragmatismo
Compartilhar
América Latina 17/Feb/2016 às 14:55
20
Comentários

Contas de energia sobem 600% na Argentina e cerca de 100 mil estão sem luz

Mais de 100 mil pessoas estão sem luz na região de Buenos Aires. Governo Macri decidiu fazer cortes programados de eletricidade no pico de consumo diário; tarifas subiram mais 600% no começo do ano. Alguns moradores relatam estar sem eletricidade há dias

Buenos Aires Argentina energia luz
Mais de 100 mil pessoas estão sem luz na região de Buenos Aires (divulgação)

Um novo apagão atinge a região de Buenos Aires nesta quarta-feira (17/02), em mais um dia de falta de energia elétrica na capital do país. Segundo o órgão regulador de energia da Argentina, 118.639 pessoas estavam sem eletricidade às 8h de hoje.

As cidades de Avellaneda, Quilmes, Wilde, Florencio Varela, Lomas de Zamora, Martínez, Vicente López, na Grande Buenos Aires, e os bairros portenhos de San Nicolás, Flores, San Cristóbal, Villa Crespo, Belgrano, Palermo, Recoleta e Saavedra” são as localidades mais afetadas pelo apagão, afirmam as fornecedoras Edesur e Edenor.

Há moradores que relatam estar sem eletricidade há dias.

De acordo com o jornal La Nación, o governo decidiu fazer cortes programados de eletricidade no pico de consumo diário (por volta das 13h). As autoridades apontam o intenso calor dos últimos dias na região como responsável pelos apagões, já que mais gente usa equipamentos como, por exemplo, ar condicionado.

No começo do ano, o governo do presidente Mauricio Macri retirou os subsídios que barateavam as contas de energia no país. Com isso, houve aumentos de até 600% no valor da eletricidade. Somente os cerca de 2 milhões de argentinos que vivem abaixo da linha da pobreza e os cerca de 2 milhões de aposentados do país tiveram o subsídio mantido.

Opera Mundi

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Jane Postado em 17/Feb/2016 às 15:23

    esse é o salvador da pátria na Argentina, quanta gente deu graças à Deus quando a presidenta perdeu a eleição, agora chupa povo fdp.

  2. renan Postado em 17/Feb/2016 às 15:37

    Para de demagogia....os apagoes lá são frequenrtes a muito tempo

    • Salomon Postado em 17/Feb/2016 às 21:58

      Renan, gostei do seu argumento. Bastante inteligente...Mas, quem sabe, talvez, o Aécio deles tenha sido eleito para acabar justamente com os apagões? Vamos acompanhar. Aliás, São Paulo, 25 anos de PSDB, ficou sem água, o que é frequente, há muito tempo.

  3. Deisi Postado em 17/Feb/2016 às 15:44

    O Aécio da Argentina tá causando, me lembro do apagão do FHC, foram tempos bem difíceis, éramos obrigados a economizar energia ao extremo. Porque se ultrapassasse o máximo de consumo, tinha multa, banho frio, ventiladores desligados, passar roupa nem pemsar, vivia uma pressão muito grande. Cheguei a pensar em comprar aquele chuveiro de balde e ferro a brasa. Aos coxinhas de hoje com memória curta, deveriam mudar para Argentina, para viver a experiência de ter o Aécio na presidência.

  4. Lucas Postado em 17/Feb/2016 às 15:53

    Bem feito Hermanos ninguém mandou eleger um imbecil.

  5. Ricardo Postado em 17/Feb/2016 às 16:25

    É o Aécio deles.

  6. nadja Postado em 17/Feb/2016 às 16:32

    Eu acredito que canalha é aquele que acusa sem provar

  7. felipe Postado em 17/Feb/2016 às 17:40

    "Somente os cerca de 2 milhões de argentinos que vivem abaixo da linha da pobreza e os cerca de 2 milhões de aposentados do país tiveram o subsídio mantido." quase 10% da pop da Argentina vai continuar com subsídio do governo, quem ganha menos do que 2 salários mínimo (uns 3 mil reais, pasmem) vai continuar com o subsídio, antes o rico que usa mais tinha o mesmo subsídio do pobre, super justo né? Dona Cristina acabou com país, vai dar trabalho mas o Macri parece ser um cara muito bom, esta cortando tudo que é benefício desnecessário, cargos apadrinhados, passagens caras, esta enxugando a máquina pública e sinceramente na minha opinião esta servindo de exemplo como um governo que esta cortando custos e tentando se recuperar de uma grande crise, um belo exemplo de gestão para os amigos aqui da América do Sul.

    • Sergio Postado em 17/Feb/2016 às 20:10

      Cara você não passa de coxinha imbecil tentado ser erudito !

      • beto Postado em 17/Feb/2016 às 21:28

        Não preciso concordar com o que o felipe disse para atestar que tu, Sergio, não tem argumentos, infelizmente! Contribuiria mais se nos apresentasse algum. Bjs

      • felipe Postado em 18/Feb/2016 às 08:46

        Pois é Beto, tem gente que só tem esse tipo de argumento, lamentável..... toda discussão é boa quando se existe dados, informações e bons argumentos dos dois lados, o foco não é vencer um debate, é se informar e formar opinião.

    • Vinicius Postado em 18/Feb/2016 às 17:41

      Desculpa, mas vou dar um conselho, leia menos Veja e Folha e estude mais História. *Outro Vinicius

    • Luiz Dantas Postado em 22/Feb/2016 às 10:21

      trabalho feito para resultados a longo prazo, daí daqui a 4 anos antes do resultado real, voltam com o populismo imediato votando na oposição e se calhar dos frutos do trabalho de machi começarem a aparecer , vão ser eles os heróis até acabar as ideias e voltarem a ferrar com o país.... opa peraí, isso é o retrato do Brasil desde a criação do real?

  8. Jean Postado em 17/Feb/2016 às 18:03

    ??? sério ??? Depois reclama que os comentarios foram apagados...nao tem nenhuma verdade ou conteudo...

  9. beto Postado em 17/Feb/2016 às 20:34

    Desde que acompanho a corrida presidencial argentina sempre ficou claro que a opção Macri nunca foi de salvador da pátria, ao contrário do que os brasileiros (principalmente de direita) exaltam, logo acho errado este julgamento por parte de alguns, o fato é que a argentina estava cansada do kirchnerismo, para bem ou para mal. Eu pessoalmente não sei como o país poderia progredir na linha que seguia, acredito também, como alguns amigos argentinos, que Macri não irá por a argentina no caminho para um "primeiro mundo", mas quem pode? Admiro o realismo dos argentinos, assim como admiro o fato que nas próximas eleições valerá mais o que Macri conquistou ou não, ao nome de uma família, que não será o maior cabo eleitoral. Minha opinião amigos, quem discordar o faça de forma civilizada. Bjs

    • Salomon Postado em 17/Feb/2016 às 22:24

      Cara, não é preciso ir muito longe no seu comentário para identificar um baita complexo de vira latas. "Mas, quem pode?". Que é isso? A História está repleta de exemplos contrários a sua tese. Desnecessário enumerá-los. Mas, só por amor ao debate, vamos lá: os isteitis eram um pais de caipiras antes da primeira guerra mundial. Os russos morriam de fome e de frio na época de Dostoievski. A China, até pouco tempo, era um país assolado pela miséria. Israel sequer existia no mapa. O Japão saiu da idade média depois da segunda guerra. Quer dizer então que a Argentina não pode galgar o primeiro mundo? Que dirá o Brasil, né? Sem querer ofender, vá se tratar, que complexo de inferioridade é coisa que fere a alma (dos outros).

      • Beto Postado em 18/Feb/2016 às 02:00

        Salomon, tudo bem? Parece não estar, pela forma com que me atacaste! Mas tranquilo, tolerância sobra aqui em casa :D Bom, para contra argumentar quero lhe questionar quem, no cenário das eleições do ano passado na argentino, poderia ter feito o trem andar com destino à um "primeiro mundo"? Acreditas na continuidade do kirchnerismo? Pois bem, trouxestes como exemplo os EUA, que caracterizastes como caipiras antes da I GM, entretanto não concordo com esta tua visão, mas, mesmo sendo eles caipiras, eram colonizadores não colonizados e acredito que esta já é uma das principais distinções que levam à nossa diferença com os vizinhos do norte. Enquanto ainda não entramos em consenso entre situação e oposição, mesmo sobre os assuntos imprescindíveis, eles possuem temas em que já não há debate, foi assim com a conquista do oeste, onde se mataram nativos, avançaram território, anexaram outros afim de ter controle total sobre o continente e os dois oceanos, outro exemplo é a manutenção da hegemonia mundial, que permeia discursos, tanto do querido Bernie quanto dos caricatos republicanos. Além disso não me recordo de ter sido necessário uma continuidade tão grande de um único governo, o consenso parece, para eles, na minha opinião, ter sido o suficiente. Usou o exemplo da Rússia, mas esta nunca foi primeiro mundo, na época do nosso querido escritor era uma monarquia absolutista, pós revolução, segundo mundo. Se esta minúcia histórica não garante a você que meus argumentos não vão contra à nossa America Latina garanto que preferiria morar na argentina kirchnerista a viver na grande mãe rússia, independente de seu momento histórico. A China deu muito sangue pra chegar onde está, além de receber muito dinheiro do ocidente e fazer exatamente o que o kirchnerismo não estava fazendo. A o invés de se fechar abriu as ZEE's ( na primeira resposta havia escrito sobre a diferença de regimes e outros fatos históricos como uma cultura milenar, mas sem querer fechei a aba e não vou reescrever) e criou, também, um consenso que é unir os territórios, expandir as zonar urbanas para o interior e dominar sua costa (sinto, mas não lembro de todos objetivos nacionais chineses). Israel só existe com dinheiro que vem dos EUA e de sua comunidade judaica que vive pra mandar dinheiro pra lá. Japão desde antes da segunda guerra ja atraía capital estrangeiro, tinha um desenvolvimento similar ao chines hoje, com o fim da segunda guerra e através do plano Marshall o Japão ressurge( mas evite ser inocente, a quantia recebida de U$ ultrapassou em muito a que o Brasil recebeu por ser aliado). Finalmente finalizando, é claro que a Argentina e o Br podem ser primeiro mundo, na verdade a Argentina( na verdade Buenos Aires) já foi por muitos considerada primeiro mundo! O que não podemos esperar são salvadores da pátria ( o que justamente quis expor no meu comentário) e que sem consenso iremos apenas nos dividir e não sairemos do lugar. Assim como fez em desconstruir meu comentário de forma deturpada, não vamos sair do lugar, amigo! Então espero que resolva esta frustração que está sentindo, todos nos sentimos assim as vezes! Reflita bem sobre seu dia-a-dia, ser agressivo, principalmente de forma gratuita, não forma pessoas melhores! Forma pessoas dividas, sem consenso, a deriva no mundo, guiado pela vontade dos outros! Bjos, fique na paz Salomon! Lindo nome! Do seu admirador Beto!

  10. Guilhermo Postado em 17/Feb/2016 às 21:12

    OMFG! Tive meu primeiro post excluído. To chorando de emoção aqui! *_*

    • Thiago Teixeira Postado em 17/Feb/2016 às 23:29

      Sério? Nos blogs do grupo Abril nunca postaram meus comentários.

      • Guilhermo Postado em 18/Feb/2016 às 14:01

        Faz parte. Eu nunca comentei nada lá.

O e-mail não será publicado.