Redação Pragmatismo
Compartilhar
Educação 06/Jan/2016 às 12:57
7
Comentários

Obrigatoriedade do Novo Acordo Ortográfico entra em vigor no Brasil

Novo acordo ortográfico passa a ser obrigatório no Brasil neste mês de janeiro. Padronização da língua já está também em vigor em Portugal e Cabo Verde. Confira as principais mudanças

acordo ortográfico Brasil

As regras do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa se tornaram obrigatórias no Brasil neste mês de janeiro de 2016. Em uso desde 2009, mudanças como o fim do trema e novas regras para o uso do hífen e de acentos diferenciais agora são oficiais com a entrada em vigor do acordo, adiada por três anos pelo governo brasileiro.

Assinado em 1990 com outros Estados-Membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) para padronizar as regras ortográficas, o acordo foi ratificado pelo Brasil em 2008 e implementado sem obrigatoriedade em 2009. A previsão inicial era que as regras fossem cobradas oficialmente a partir de 1° de janeiro de 2013, mas, após polêmicas e críticas da sociedade, o governo adiou a entrada em vigor para 1° de janeiro de 2016.

O Brasil é o terceiro dos oito países que assinaram o tratado a tornar obrigatórias as mudanças, que já estão em vigor em Portugal e Cabo Verde. Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste ainda não aplicam oficialmente as novas regras ortográficas.

Com a padronização da língua, a CPLP pretende facilitar o intercâmbio cultural e científico entre os países e ampliar a divulgação do idioma e da literatura em língua portuguesa, já que os livros passam a ser publicados sob as novas regras, sem diferenças de vocabulários entre os países. De acordo com o Ministério da Educação, o acordo alterou 0,8% dos vocábulos da língua portuguesa no Brasil e 1,3% em Portugal.

Alfabeto, trema e acentos

Entre as principais mudanças, está a ampliação do alfabeto oficial para 26 letras, com o acréscimo do k, w e y. As letras já são usadas em várias palavras do idioma, como nomes indígenas e abreviações de medidas, mas estavam fora do vocábulo oficial.

O trema – dois pontos sobre a vogal u – foi eliminado, e pode ser usado apenas em nomes próprios. No entanto, a mudança vale apenas para a escrita, e palavras como linguiça, cinquenta e tranquilo continuam com a mesma pronúncia.

Os acentos diferenciais também deixaram de existir, de acordo com as novas regras, eliminando a diferença gráfica entre pára (do verbo parar) e para (preposição), por exemplo. Há exceções como as palavras pôr (verbo) e por (preposição) e pode (presente do indicativo do verbo poder) e pôde (pretérito do indicativo do verbo poder), que tiveram os acentos diferenciais mantidos.

O acento circunflexo foi retirado de palavras terminadas em “êem”, como nas formas verbais leem, creem, veem e em substantivos como enjoo e voo.

Já o acento agudo foi eliminado nos ditongos abertos “ei” e “oi” (antes “éi” e “ói”), dando nova grafia a palavras como colmeia e jiboia.

O hífen deixou de ser usado em dois casos: quando a segunda parte da palavra começar com s ou r (contra-regra passou a ser contrarregra), com exceção de quando o prefixo terminar em r (super-resistente), e quando a primeira parte da palavra termina com vogal e a segunda parte começa com vogal (auto-estrada passou a ser autoestrada).

A grafia correta das palavras conforme as regras do acordo podem ser consultadas no Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (Volp), disponível no site da Academia Brasileira de Letras (ABL) e por meio de aplicativo para smartphones e tablets, que pode ser baixado em dispositivos Android, pelo Google Play, e em dispositivos da Apple, pela App Store.

Saiba mais detalhes sobre o Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa aqui.

Agência Brasil

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Rodolpho Domingues Postado em 06/Jan/2016 às 13:15

    Falam que no Brasil mudaram 0,8% das palavras contra 1,3% em Portugal mas esqueceram de mencionar que muitas mudanças de ortografia do Português Europeu são FACULTATIVAS... enquanto as mudanças do Português Brasileiro são OBRIGATÓRIAS... Síndrome de vira-lata... Mudar a língua por decreto desconsiderando a dinâmica e cultura do povo falante... BEM COISA DE PAÍS COLONIZADO...

  2. enganado Postado em 06/Jan/2016 às 16:09

    Menos um país a ser destroçado/invadido/arruinado/chantageado/dominado ...etc, ou seja todos aqueles predicados aplicados/usados pelos Anglo-Sionistas qdo entram qq país para obrigarem a serem DEMOCRATAS nos moldes do capital Anglo-Sionista, ex: UScrânia. E aí Japão vai correr para debaixo das saias do papaizão. Se pode iSSraHell, ___"""PODE TODO MUNDO"""___ . Parabenizo a C. do Norte pela bombinha H, assim sendo me lembro que enquanto o KADAFI manteve seu programa nuclear em andamento, os EUA/iSSraHell/OTAN não se atreveram em tirá-lo do poder. Depois que o mesmo o extinguiu, a Líbia está no que está: “”Literalmente DESTRUÍDA””. É este o prêmio que se ganha qdo não se protege dos EUA/iSSraHell. Só para lembrar: “”A ex-embaixadora dos EUA”” no BRASIL, disse em muito bom tom e ainda bem explicado que o BRASIL não era respeitado porque não possuía BOMBA ATÔMICA. Imagino que o sr. Enéias-56 deve ter dado dez voltas no túmulo de alegria. Dá para entender VC possuir um submarino atômico sem ter bombas atômicas? Será que os Anglo-Sionistas vão permitir tal fabrico? E a soberania ficará onde? Na cabeça do Apátrida, FHC-çERRA-AÓPIO? Me respondam! Voltando, peço encarecidamente que a C. do Norte faça pelo menos uma 50 Bombas destas e espalhem pelo mundo, e então só assim nos mortais ((7P’s)) conseguiremos por freio nos Anglo-Sionistas. Esses Anglo-Sionistas pensam que estão lidando com árabes, aqueles que só tem metade do cérebro, se degolam entre si e com isto iSSraHell morre de felicidade de tanta burrice/ignorância/analfabetismo juntos. Vale lembrar que os cientistas da C. do Norte estudaram nas universidades da RÚSSIA na época da guerra fria, portanto agora estão pondo em prática tudo aquilo que aprenderam, pois sua Pátria se encontra ameaçada pelo EUA/iSSraHell, diga-se de passagem, o Japão-Alemanha continuam OCUPADOS (vassalos) dos EUA/iSSraHell e não matam nem baratas sem ordens de Washigton/Tel Aviv. Parabéns aos cientistas Nortecoreanos.

    • gustavo0 Postado em 06/Jan/2016 às 18:05

      Rapaz, que coisa mais maluca é essa que você escreveu? Você, se tivesse que escolher entre três lugares para viver; Israel, Coréia do Norte ou E.U.A, escolheria qual?

      • Divina Rocha Corte Postado em 06/Jan/2016 às 22:00

        Sem querer me intrometer mas já me intrometendo, acho que o enganado deveria ir pra Coreia do Norte. E agora pergunto: o que a bomba de hidrogênio tem a ver com a nova ortografia? Hidrogênio continua com acento.

    • Guilhermo Postado em 07/Jan/2016 às 09:18

      O problema nem é tanto a construção dessas bombas. O problema real é se decidirem usá-las. Se ocorrer uma guerra com essas bombas, a vida humana e não-humana estará seriamente ameaçada. Guerra é burrice. Guerra nuclear é algo muito maior que burrice, nem sei se tem adjetivo pra definir.

  3. Jonas Schlesinger Postado em 06/Jan/2016 às 21:04

    Pode ser absurdo o que vou falar, mas ainda acho que o brasil precisaria fabricar bombas nucleares também.

  4. eu daqui Postado em 07/Jan/2016 às 16:18

    mas dano nuclear não fica assim tão localizado...............

O e-mail não será publicado.