Redação Pragmatismo
Compartilhar
Rede Globo 08/Jan/2016 às 19:08
12
Comentários

Internautas repudiam cena de estupro em minissérie da Globo

internautas repudiam estupro minisserie globo

Segunda Tela

Vem gerando repercussão nas redes sociais, desde a noite desta quinta-feira (7), a cena de violência sexual que foi ao ar pela minissérie “Ligações Perigosas”, da TV Globo. Depois de estrear na última segunda-feira (4) com bons índices de audiência, a trama foi alvo de críticas nas redes sociais por conta da cena protagonizada pelo personagem Augusto (Selton Mello), que estupra Cecília (Alice Wegmann).

“Isso não é sedução. É estupro e estupro é crime!”, escreveu uma internauta pelo Twitter assim que viu a cena, ao que centenas de outras pessoas começaram a se manifestar contra a cena e a emissora.

“#LigacoesPerigosas ensina tudo contra o qual lutamos: #assédiar, #molestar e cultura do #estupro. A sociedade diz NÃO a isso, @RedeGlobo”, tuitou outro telespectador.

Além de comentários que expressavam “nojo” ou pediam alguma atitude de autoridades como o Ministério Público, internautas fizeram também análises com outras temáticas consideradas como “tabu” para a emissora. A colunista da Boitempo Editorial Daniela Lima, por exemplo, questionou a “moral” imposta pela Globo com questões como a LGBT.

“A Globo passou anos debatendo se faria uma cena de beijo gay ou lésbico. Consultou várias vezes o público. No entanto, para mostrar uma cena longa e perturbadora de estupro, como aconteceu ontem em Ligações Perigosas, não houve nenhum tipo de preocupação ou consulta. Ainda estou tentando entender essa “moral” que interdita o amor e romantiza a violência”, postou em seu perfil do Facebook.

Confira abaixo algumas reações:

internautas manifestam repudiam minisserie globo
internautas manifestam repudiam minisserie globo

http://www.revistaforum.com.br/segundatela/2016/01/08/cena-de-estupro-em-minisserie-da-globo-gera-revolta-na-internet/

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. enganado Postado em 08/Jan/2016 às 19:57

    Peçam a rede gRoubo para ver conseguem passar estas cenas aqui na matriz=EUA em canal aberto. Certo?

  2. wladimir teixeira Postado em 09/Jan/2016 às 16:50

    Bem feito pra quem ainda assiste televisão ... lavagem cerebral no mais baixo nível possível ... comparável à campanha de ódio político ...

  3. Trajano Postado em 10/Jan/2016 às 01:32

    Lógica da publicidade da Globo: por que não colocamos logo nos primeiros capítulos de certa minissérie uma cena que romantiza o estupro? Resultado: muita gente que não assiste, independentemente do motivo, agora sabe que existe uma produção em exibição da Rede Globo chamada “Ligações Perigosas” e que está causando “polêmica” nas redes sociais. Interessante, falem mal, mas falem de mim! Quem usa Twitter tem acesso à internet e se quiser poderá obter informações que não são divulgadas na TV aberta, críticas difundidas, discussões, denúncias, constatações negativas envolvendo o nome da própria emissora através de fontes diversas etc. Entretanto as pessoas escolhem que continuarão a ver seus programas e divulgar os nomes dos produtos através da internet... Bom, cada um faz o que quer, patrocina ou deixa de patrocinar aquilo que bem entender. De qualquer forma, Globo sendo Globo; as grandes marcas que injetam dinheiro nos cofres da família Marinho e de seus lacaios não deixarão de fazer isso porque parte da audiência confessa sua audiência publicamente, gratuitamente. A interferência da empresa nos rumos políticos do país através da manipulação da opinião pública em prol de sua própria agenda política desde a ditadura militar, por exemplo, parece não ser um problema para os que consomem os enlatados da emissora. Por mim, sinceramente, que se danem as “ligações perigosas” entre a Rede Globo e seus telespectadores junto com as “polêmicas” calculadamente fabricadas pela empresa, seguida dos pitis eventuais em Twitter por parte do seu mercado consumidor que completam a estratégia da propaganda do produto. Um abraço!

  4. José Ferreira Postado em 11/Jan/2016 às 09:29

    Para mim a série inteira é ruim. Coisa de Globo.

  5. sergio ribeiro Postado em 11/Jan/2016 às 16:14

    Quanta bobagem! Não tem apologia nenhuma: a cena faz parte do livro, que foi escrito no século XVII. E mesmo assim tanto o estuprador quanto a outra protagonista (Isabel na série, no livro Marquesa Merteuil) são descritos, que incentivou o abuso, são retratados como pessoas pérfidas, imorais e manipuladoras. Reação de gente sem cultura e/ou de tolos anti-globais (não tenho a menor simpatia por esta emissora). Pelo jeito, nunca ouviram falar de Nelson Rodrigues e Marquês de Sade, que sempre retrata coisas ainda piores. SPOILER - no final do livro, os dois acabam punidos por suas condutas.

  6. Brunno Postado em 11/Jan/2016 às 16:34

    Respeito o seu baixo senso cognitivo, mas já está virando mau-caratismo, "HOMOSSEXUALISMO"? termo designado apenas até o séc XX, ainda colocando no mesmo "pacote" que crimes. Sua esquizofrenia paranóide já está beirando a psicopatia! Paz

    • Trajano Postado em 11/Jan/2016 às 21:15

      Ué? Hoje em dia aborto é proibido, mas o que tem de clínica clandestina por aí, bem como clientela pra pagar pelos serviços... E fora as mulheres que falecem nesses lugares, além, claro, das pessoas de “bem” (?) que torcem para que elas morram mesmo. E drogas? Desde a Antiguidade se usa; atualmente, proibido... Quer dizer, depende, né? inalantes, bebidas alcoólicas, cigarro, certos medicamentos, tudo livre aos olhos da lei pra quem quiser se esbaldar. Mas tem coisa proibida, claro, alguém tem que gerar riqueza no submundo para posterior lavagem de dinheiro. Mas... Ué? A proibição impede alguém de usar drogas ilícitas!? A gente está falando do Brasil mesmo ou do seu Brasil imaginário? Aliás, só dentro da bolha do mundo fantástico do nacionalista Pereira que considera que na Suécia ninguém liga para estupro (?), ou do cara que diz que a “agenda progressista” (?) é um imenso crime contra a humanidade (?). Eu hein... Mas se pararmos pra pensar, a entidade andréjuliomariacesarpereiraxongasouza e seu discurso de ódio parecidíssimo sempre fala alguma bobagem e quando questionado com um “por que”, começa a não dizer coisa com coisa, fala de assuntos aleatórios e descamba para a fantasia. Em tempo: pacotes de crimes, oras! Você não entendeu o que você mesmo escreveu? Se você diz que a globo incita o uso de drogas, estupro, prostituição e coloca no mesmo nojo a homossexualidade, sim, está colocando tudo no mesmo pacote. Aparentemente, nem o Pereira mais está se suportando.

    • Trajano Postado em 12/Jan/2016 às 10:57

      Ué? Você acabou de confirmar o que todo mundo está dizendo aqui. Sim, você colocou no mesmo patamar coisas que só tem equivalência na sua cabeça, como homossexualidade e incentivo ao estupro, ao passo que, agora, engendrou em colocar também roubo e assassinato. Não é segundo o meu raciocínio, garoto, mas, sim, segundo a sua falta de honestidade intelectual. Realmente você não aguenta um “por que”, um questionamento qualquer, pois automaticamente já se embanana todo, faz birra igual criança, começa a confundir focinho de porco com tomada, entra em uma fantasia e tasca seus comentários característicos. Aborto é mais antigo do que Aristóteles, o que dirá Sanger! O que você está falando é sistematização do aborto eugênico, coisa que nunca vi ninguém no Brasil defender, salvo os delírios futuristas de um tal deputado aí. A tal racista Margaret Sanger era estadunidense e compõe o grupo histórico eugenista dos... Estados Unidos. Você não fala coisa com coisa, um perdido, um autodeclarado funcionário público que certamente deveria estar fazendo coisa melhor do que ficar enchendo o saco dos outros com suas sandices através da internet. Me responda uma coisa: você é da Frente Nacionalista? Um abraço!

  7. João Postado em 11/Jan/2016 às 18:28

    Seguindo seu raciocínio : logo todos os islamicos refugiados são estupradores......

  8. julia Postado em 11/Jan/2016 às 18:56

    Mamãe disse que o fim dos tempos haveria sinais no céu e que a besta fera com sete cabeças disseminaria o ódio, o crime, a injúria, a injustiça e a coisificação do ser humano como uma coisa normal e aceitável diante de todos. Palmas de pé e parabéns Besta Fera de Televisão à serviço da destruição da humanidade e da esperança de vivermos num mundo melhor.

  9. Maria Célia Postado em 14/Jan/2016 às 10:22

    A referida cena está no livro o qual intitula a minissérie?

  10. Caio Postado em 01/Feb/2016 às 22:57

    O povo de humanas podem começar a assistir ursinhos carinhosos para pararem de sofrer

O e-mail não será publicado.