Redação Pragmatismo
Compartilhar
Corrupção 08/Jan/2016 às 18:06
10
Comentários

Governo expulsa mais de 300 servidores por corrupção em 2015

De cada dez servidores federais demitidos pelo governo Dilma em 2015, seis foram afastados em definitivo por corrupção. Este é o maior número registrado nos últimos cinco anos. Dados foram divulgados pela Controladoria-Geral da União (CGU)

corrupção propina servidor público justiça

De cada dez servidores federais demitidos pelo Executivo em 2015, seis foram afastados em definitivo por corrupção. De acordo com dados divulgados pela Controladoria-Geral da União (CGU), os casos de corrupção foram responsáveis pela saída de 332 (61,4%) dos 541 funcionários expulsos no ano passado. Foram contabilizadas, ao todo, 447 demissões de servidores efetivos, 53 cassações de aposentadorias e 41 destituições de ocupantes de cargos em comissão. Este é o maior número registrado nos últimos cinco anos.

Esses dados não incluem os empregados de empresas estatais, a exemplo da Caixa Econômica, dos Correios, da Petrobras, entre outras. Segundo a CGU, os atos de corrupção foram o principal motivo para as penalidades. Em seguida aparecem o abandono de cargo, o número abusivo de faltas ou a acumulação ilícita de cargos, responsáveis por 138 demissões. Também houve afastamento de servidor que participava de gerência ou administração de sociedade privada.

Desde 2003, início do primeiro governo Lula, o governo federal já expulsou 5.659 servidores. Desses, 4.729 foram demitidos; 426 tiveram a aposentadoria cassada; e 504 foram afastados de suas funções comissionadas, informa a CGU.

Ainda de acordo com o levantamento, nos últimos 12 anos, os estados com número mais elevado de punições foram Rio de Janeiro (980) e São Paulo (600); além do Distrito Federal (705). Já as pastas com maior quantidade de estatutários expulsos foram o Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS), Ministério da Educação (MEC) e Ministério da Justiça (MJ).

Os servidores punidos, nos termos da Lei Ficha Limpa, ficam inelegíveis por oito anos. Conforme o tipo de infração cometida, também podem ficar impedidos de voltar a exercer cargo público. Segundo a Controladoria, todas as condutas irregulares ficaram comprovadas após condução de Processo Administrativo Disciplinar, que garantiu aos envolvidos o direito à ampla defesa e ao contraditório.

A Controladoria mantém na internet o Cadastro de Expulsões da Administração Federal (CEAF), disponível no Portal da Transparência do Governo Federal. Pela ferramenta, é possível consultar, de forma detalhada, a punição aplicada ao servidor, órgão de lotação, data da punição, a Unidade da Federação (UF) e fundamentos legais.

Congresso em Foco

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. enganado Postado em 08/Jan/2016 às 20:09

    Roteiro dos demitidos. 1__ Filiar-se ao PSDB/DEM; __2) Entrar com processo judicial contratando advogados e juízes indicados pelo MORO; __ 3) Subornar as testemunhas; __4) Entrar com um pedido de um mandato de segurança para suspender a ação do governo; __5) Entrar com um pedido de cautelar para o retorno imediato as funções que exercia; __ 6) Ameaçar todos a sua volta no emprego com a famosa ""Delação Comprada""; __ 7) Contratar bandidos (tipo Eduardo Cúnha) contra a chefia que o denunciou. Isto é o princípio dos métodos usados pelo PSDB/DEM para inocentar seus ladrões. No final ainda resta um processinho de danos morais para fechar com chave de ouro. Assim a Direita vai longe ..... até chegar na AIPAC.

    • oitizeiro Postado em 09/Jan/2016 às 20:55

      estou contigo assino em baixo

  2. Fernando Brito Postado em 10/Jan/2016 às 15:59

    A matéria está errada. Não é o governo que demite. Ele exonera. Ele só o faz porque é obrigado por lei. Governo não investiga. Quem investiga, após uma denúncia ou indícios de irregularidades, é uma comissão de apuração interna de cada órgão, MP, a polícia, ou até um juiz. O governante pode no máximo encaminhar ao MP ou Polícia o suspeito de ilícito. Por isso quando se diz que esse governo ou outro qualquer investigou ou apurou é MENTIRA. Ele não tem esse poder e nem o de brecar uma apuração a não ser por meios ilegais. O que há é um melhor aparelhamento dos órgãos fiscalizadores devido à informatização de todo o sistema de controle. Caso clássico é o da Receita Federal que é informada de qualquer quantia depositada em conta corrente acima de R$ 10.000,00.

    • Thiago Teixeira Postado em 11/Jan/2016 às 10:54

      Quem paga os salários dos funcionários do MP? Quem disponibiliza veículos, combustível, despesas para viagens, informática, estrutura física ... quem? A Globo? O ITAÚ? Então não venha desmerecer o governo quando as investigações, se o governo fosse omisso deixava o MP sem recursos para que não se investigasse nada. Já ouvir falar no Engavetador Geral da República?

    • poliana Postado em 11/Jan/2016 às 13:22

      fernando britto, dê uma lida no artigo 141, inciso I, da lei 8112/90, por favor. lá vc verá q o presidente da república, aplica sim, pena de demissão.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 11/Jan/2016 às 15:19

      O problema é que negar que o governo Dilma tem papel ATIVO na investigação e no combate a corrupção é fundamental. Primeiro, para evitar comparações com governos anteriores, quando a leniência com a corrupção atingiu níveis estratosféricos (Geraldo Brindeiro...oi). E segundo, porque admitir que há um papel ativo do governo no combate a corrupção é admitir méritos deste governo, e implica em perder/invalidar a bandeira "governo corrupto" que sustenta filosoficamente as pretensões de GOLPE. Estamos de olho em textos bonitinhos e pretensamente bem estruturados que nada mais são do que regurgitação dos já batidos clichês anti-Dilma. A dor de admitir que Dilma é firme combatente da corrupção é quase tão grande quanto a dor de ter visto um peão semi-analfabeto ter sido o maior presidente da história deste país. Agora, ao invés de uma dor eterna, reacinhas terão 2 dores eternas para lidar. O maior presidente e a mais firme combatente da corrupção da história da nação são petistas. Lidem com isso.

  3. Maurício de Souza Matos Postado em 11/Jan/2016 às 13:42

    A nossa sorte é que o PT combate a corrupção. No "governo" do FHC a corrupção correu solta e ninguém fala nada. Agora aparece a denúncia do Serveró de que o "governo" FHC recebeu cem milhões de dólares de propina na negociação da refinaria de petróleo da Argentina. A imprensa neste caso não dará a menor cobertura.

    • Thiago Teixeira Postado em 11/Jan/2016 às 14:45

      ... isso não vem ao caso ... !!!

  4. Maurício de Souza Matos Postado em 12/Jan/2016 às 10:37

    É aAdré pelo jeito você é daqueles maria vai com as outras. Acredita em tudo que a imprensa fala e não pesquisa para saber direitinho o que foi o governo mais corrupto deste País. Vou refretar sua memória: BANESTADO em valores de hoje mais de um trilhão de reais; SUDENE em valores da época desseis bilhões e seiscentos milhões; Lalau cento e setena e seis milhões, o menor entre tantos escândalos do "governo" FHC; Cacciola trinta e oito milhões de dólares; SIVAM cinco bilhões de reais; isso sem contar com as privatizações que enriqueceram Gustavo Franco, Daniel Dantas, Carlos Jereisate(leia Oi), Luiz Estevão, Paulo Otávio e muitos outros que se locupletaram dos cofres públicos. Te pergunto: alguém foi preso? alguém devolveu pelo menos um centavo? Não foram porque era proibido investigar e punir. O Geraldo "Blindeiro" blindava tudo. Pelo menos hoje estão predendo e tomando parte do dinheiro de volta. Coisa que seu partido nunca fez.

  5. eu daqui Postado em 12/Jan/2016 às 14:54

    expulsou quem exatamente? Os subalternos? E quanto aos superiores hierarquicos que perseguem até fazer adoecer ao ponto de incapacitar os subordinados que se recusam a se corromper? Quando serão esses expulsos?