Redação Pragmatismo
Compartilhar
Bolsa Família 21/Jan/2016 às 18:15
16
Comentários

52 países se inspiraram no modelo do Bolsa Família

Segundo o Banco Mundial, 52 países utilizam o mesmo formato do Bolsa Família em seus programas de transferência de renda inspirados no sucesso do Brasil na inclusão social

bolsa família desenvolvimento referencia mundo

O Bolsa Família apresentou resultados importantes ao longo de seus 12 anos de existência. Desde a sua criação, em 2003, o programa de transferência de renda ajudou a manter 36 milhões de pessoas fora da linha da extrema pobreza. Os números do programa acabaram chamando atenção do resto do mundo. Hoje, segundo o Banco Mundial, 52 países utilizam o mesmo formato do Bolsa Família em seus programas de transferência de renda.

Entre 2011 e 2015, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) recebeu 406 delegações de 97 países, interessadas em entender melhor o funcionamento do programa. Nesse período, o ministério também participou de mais de cem eventos internacionais, como seminários, workshops e oficinas, com o objetivo de apoiar e facilitar o intercâmbio de conhecimentos e experiências, principalmente no hemisfério sul.

Inicialmente, na criação do programa, não prevíamos esse reconhecimento internacional”, diz Helmut Schwarzer, secretário de Renda de Cidadania do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). “O objetivo era construir um programa de combate à pobreza e à fome. Sabíamos que alguns resultados seriam alcançados. O que entrou na conta do imprevisto foi a forma articulada como o programa se desenvolveu com outras políticas, como isso gerou sinergias altamente impactantes.”

VEJA TAMBÉM: BOLSA FAMÍLIA, ser contra ou a favor?

Para Schwarzer, o Brasil também se beneficia das relações internacionais de troca de experiências em torno do programa. “Ajuda na imagem, superando a ideia de um País extremamente desigual”, avalia.

Destaque no Relatório de Desenvolvimento Humano 2015

No fim do ano passado, o Bolsa Família voltou a ser citado internacionalmente como exemplo de sucesso. O Relatório de Desenvolvimento Humano 2015, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), afirma que o programa foi essencial para a redução da pobreza multidimensional no País, por promover o acesso à saúde, à educação e à assistência social.

De acordo com o documento, o Bolsa Família tem ajudado a reduzir as taxas de inatividade e informalidade e permitido aumentos na taxa de emprego da população economicamente ativa, na proporção de trabalhadores que contribuem para a seguridade social e nos salários.

Baixo custo de administração

Maria Concepcion Steta Gandara, analista sênior de Proteção Social do Banco Mundial, explica que algumas características do Bolsa Família ajudam a entender o sucesso do programa. “O pagamento automatizado por meio de cartão, o Cadastro Único e a coordenação entre os governos federal, Estadual e municipal são fundamentais para os resultados do programa, para a sua credibilidade e legitimidade”, afirma.

O Bolsa Família acompanha a frequência escolar de 17 milhões de alunos anualmente e a saúde de 9 milhões de famílias por semestre. Essa ação integrada trouxe resultados como a redução da deficiência nutricional crônica, que caiu pela metade entre 2008 e 2012 – de 17,5% para 8,5%. Na educação, a análise do Banco Mundial aponta que o Bolsa Família aumenta em 21% a probabilidade de uma jovem de 15 anos frequentar a escola.

O baixo custo do Bolsa Família é outro ponto destacado por países que buscam acordos de cooperação para implantação de políticas de transferência de renda e redução da pobreza. Apenas 5% do valor investido no programa é gasto com custos administrativos – no resto do mundo, a média é de 15%.

Cadastro Único

Destacado por Maria Concepcion Steta Gandara, o Cadastro Único abrange 40% da população mais pobre do País, com uma taxa de atualização de 72%, sendo também referência internacional na implementação de políticas públicas. “É uma ferramenta fundamental para evitar duplicidades entre programas, além de ser eficiente na coordenação entre políticas e programas das diversas esferas governamentais”, explica a analista do Banco Mundial.

Concebido inicialmente para a operação do Bolsa Família, o Cadastro Único passou a ser utilizado por outros programas de proteção social, Estados e municípios. Hoje, mais de 20 programas do governo federal utilizam os dados do Cadastro Único obrigatoriamente, e mais de 30, não obrigatoriamente. Cerca de 15 milhões de entrevistas são realizadas anualmente para manter o cadastro atualizado. “Não tenho notícias de outros países que consigam manter um cadastro tão atual e com tanta qualidade como esse”, diz Helmut Schwarzer.

VEJA TAMBÉM: BOLSA FAMÍLIA, ser contra ou a favor?

Portal Brasil

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Carlos Alberth Postado em 21/Jan/2016 às 21:44

    A ELITE E A TUCANALHA PIRAAAAAAAAAMMMM!!!!!

  2. João Paulo Postado em 21/Jan/2016 às 22:26

    Já tem muita gente enfiando o dedo no cúxinha e rasgando de ódio.

  3. Felipe Postado em 21/Jan/2016 às 23:34

    Na falta de boas notícias desse governo tenta a todo custo talar o sol com a peneira, mas sim excelente programa social e como todos sabem é a u unificação de alguns pequenos programas sociais criados por FHC que inteligentemente Lula fez ser tão bom e inusive a população pobre

    • felipe Postado em 22/Jan/2016 às 08:32

      # tapar, inclusivo

  4. Jorge Viana Postado em 22/Jan/2016 às 07:23

    Se na política atual não é feita justiça ao verdadeiro mentor do programa, que a História seja mais honesta e um dia reconheça a ideia visionária e revolucionária de Cristovam Buarque que, assim como Itamar Franco, em relação ao Plano Real, não recebe os devidos créditos pela paternidade do programa que, se foi posto em prática inicialmente pelo PSDB, teve no PT o espaço e a importância de uma política de Estado para transformar a realidade econômica e social das camadas mais pobres, ao invés de um simples programa de governo com propósito eleitorais.

  5. Joao Postado em 22/Jan/2016 às 08:36

    Fale isso para quem já deu jornal diluído em água para alimentar seu próprio filho.

  6. Eduardo Ribeiro Postado em 22/Jan/2016 às 11:18

    Não faz muito tempo o BF era "palhaçada do PT". Agora "temos que dar os créditos aos verdadeiros criadores". Não faz muito tempo a rapaziada tinha na ponta da língua mil "defeitos" do BF. """"""aaiiinnnnn...cria vagabundos...gera dependencia...estimula essa pobraiada a se encher de filhos....as crianças saem da escola...é compra de votos...e sai do meeeu bolso, do meeeeu suor...aaiiinnn""""", e ninguem reivindicava autoria de porcaria nenhuma, ninguem lembrava de programas pequenos anteriores, tudo não passava de uma aventura irresponsável de Lula, uma invencionice eleitoreira e onerosa do PT. Agora que INCONTESTAVELMENTE deu certo, somente agora, passou a ser interessante lembrar do panorama pré-BF, porque agora todo mundo quer ter participação (ain os programas anteriores), todo mundo quer ser pai de filho forte e bonitão. Aprendam: vários programas pequenos, dispersos, sem efetividade e sem abrangência nenhuma, é nada. Unificar esses programas desarmônicos e sem eixo e, contrariando interesses, criar uma AMPLA E EFETIVA POLITICA PUBLICA DE TRANSFERENCIA DE RENDA é outra coisa, completamente diferente. Os méritos cabem integralmente a Lula. Podem se rasgar. E estamos de olho no oportunismo da reaçada que ontem esculhambavam e hoje CATAM MIGALHAS NO CHÃO almejando diluir a autoria do programa entre Papai Lulão e gente que notadamente tem nojo de povo, nojo de pobre.

    • Deisi Postado em 22/Jan/2016 às 13:14

      Eduardo, concordo plenamente com você!

  7. junior maia Postado em 22/Jan/2016 às 12:19

    Como proceder?

  8. Thiago Teixeira Postado em 22/Jan/2016 às 12:30

    Que HORROR!!!!! Bolsa Família??????? Fora PT!!! Bolsonaro 2018 (aperte a descarga agora).

  9. Deisi Postado em 22/Jan/2016 às 13:11

    Eu há apertei! Kkkkkk!

    • Thiago Teixeira Postado em 22/Jan/2016 às 16:58

      Quanto tempo???? Sumiu!!!!!!!! Tá tudo bem com você?????

      • Deisi Postado em 23/Jan/2016 às 08:46

        Tiago, estou bem! Na verdade aderi ao celular para internet, não conseguia digitar na tela, agora aprendi. Tecnologia pega,kkkkkkkkk.Tudo bem com você?

      • Deisi Postado em 23/Jan/2016 às 08:46

        Tiago, estou bem! Na verdade aderi ao celular para internet, não conseguia digitar na tela, agora aprendi. Tecnologia pega,kkkkkkkkk.Tudo bem com você?

  10. Doríber Guazzelli Postado em 22/Jan/2016 às 16:08

    Convém esclarecer, Rodrigo. Que Governo fez isso. Em que país, quando?...

  11. Ronaldo Dias Duarte Postado em 22/Jan/2016 às 19:01

    Não vejo nada demais ter se inspirado em programas sociais de outros governos. Se no Brasil fosse hábito de quem governa dar prosseguimento ao que é bom, não teríamos tantas obras inacabadas e tantos programas sociais extintos. Programas como os dos CIEP , que praticamente acabou, só porque recebeu o apelido de Brizolão.