Redação Pragmatismo
Compartilhar
Homofobia 06/Jan/2016 às 18:08
27
Comentários

11 respostas sinceras sobre relações homossexuais entre mulheres

lésbicas dúvidas casais

The Huffington Post, Noah Michelson. Tradução: HuffPost Brasil

Quando o assunto é sexo entre lésbicas, muitas pessoas têm perguntas diversas sobre o que de fato acontece debaixo das cobertas (ou em cima da mesa da cozinha ou no banco de trás de um carro).

Como qualquer tipo de sexo, não existe uma resposta “tamanho único” sobre o sexo entre lésbicas. Mas existem algumas coisas relacionadas ao sexo entre mulheres que parecem surgir e causar confusão com mais frequência que outras.

Observação: o termo “lésbica” é usado aqui em relação a atos e atividades. Não deve ser interpretado como algo que limita o possível envolvimento de alguém que pode se identificar como uma mulher que transa com mulheres mas que não se identifica especificamente como “lésbica”.

Além disso, embora as respostas sejam corretas em muitos casos, nem todas as homossexuais ou mulheres que transam com mulheres vão se identificar com todas as experiências ou situações mencionadas abaixo. Para concluir, este post contém linguagem explícita que pode não ser própria para ser vista em todos os ambientes.

Responderam aos questionamentos Jenny Block (escritora), Alex Berg (produtora) e Arielle Scarcella.

• O que é o sexo entre duas mulheres?

Qualquer coisa que queiramos que seja, para ser franca. O sexo lésbico tem a ver com intimidade e prazer, como deveria ser qualquer tipo de sexo. Como você quer se relacionar física/sexualmente com essa pessoa? O que é gostoso? O que lhe dá tesão? As respostas que lésbicas dão a essas perguntas são a resposta do que constitui sexo entre mulheres homossexuais. — Jenny Block é escritora. Autora de “O Wow: Discovering Your Ultimate Orgasm” (Uau: descobrindo o seu orgasmo, em tradução livre)

• Existem coisas específicas que as lésbicas fazem na cama?

O sexo lésbico não se limita à “tesoura”, “strap-ons” ou sexo oral. Há uma infinidade de maneiras que as mulheres lésbicas fazem sexo e uma infinidade de maneiras como elas definem o sexo. Na realidade, “sexo” pode ter um significado diferente de mulher para mulher. — Alex Berg

• Os casais de lésbicas transam de verdade?

Muitos filmes pornô parecem ter dado às pessoas a ideia de que nós, lésbicas, fazemos pouco mais que pentear os cabelos de nossas parceiras e trocar abraços com elas.

Mas lésbicas fazem sexo, sim. Fazemos aquele sexo quente, suado, safado, cheio de tesão, que não tem nada a ver com velas perfumadas e lençóis de cetim. Também fazemos amor. Mas não há nada de “menininha” no sexo entre lésbicas, a não ser o fato de nós duas sermos garotas. — Jenny Block

• Vocês não sentem falta do pênis?

Nem um pouco. Não precisamos de um pênis para termos orgasmo. Na realidade, algumas lésbicas nem precisam de penetração. A penetração é só um prazer a mais.

Os dedos são muito mais ágeis que um pênis, e há um milhão de brinquedos para ajudar. A gente se vira muito bem sem pênis! — Jenny Block

• Uma de vocês é o “homem” na cama?

Não. Não. Mil vezes não. A penetração não é a chave para o orgasmo feminino. É um dos componentes.

O sexo entre lésbicas não é uma imitação do sexo heterossexual, ainda bem, porque estudos mostram que as lésbicas têm mais orgasmos.

Por que? Porque temos os equipamentos, sabemos o que fazer com eles e não temos ideias preconcebidas de como o sexo precisa ser feito.

É isso que faz o sexo entre lésbicas ser tão maravilhoso. Eu queria que minhas amigas heterossexuais também pudessem curtir esse prazer. — Jenny Block

• Uma de vocês sempre é a agressora na cama?

Não necessariamente. Cada relacionamento é diferente e cada encontro é diferente, como é o caso com os héteros. O tipo de sexo entre lésbicas que eu curto mais é o que costumo chamar de “switch play”, ou troca de papéis.

Trocamos de papel, dependendo do astral e dos desejos de cada uma. — Jenny Block

• Lésbicas não gostam de fazer sexo oral com um dildo ou pênis, certo?

Nem todas as lésbicas querem fazer sexo com homens, mas isso não quer dizer que a gente não goste de dar ou receber sexo oral. Os “strap-ons” (cintaralhos) possibilitam jogos de poder excitantes entre mulheres e podem nos empoderar, permitindo que tomemos posse de atos sexuais héteros ou gays. — Alex Berg

• As lésbicas fazem ménages à trois?

Quando você ouve a expressão “ménage à trois”, geralmente não imagina isso envolvendo três mulheres. As lésbicas têm fama negativa de serem super-ciumentas e ansiosas, mas algumas de nós curtimos emoções mais intensas. Nesta casa não existe essa história de desinteresse sexual entre lésbicas. — Arielle Scarcella

• O sexo entre lésbicas é sexo seguro por natureza, certo?

A incidência de doenças sexualmente transmissíveis é mais baixa entre lésbicas, mas isso não quer dizer que sejamos totalmente livres de riscos.

Há muitas maneiras de fazer sexo mais seguro entre lésbicas, incluindo barreiras de látex para o sexo oral e luvas para a penetração com os dedos e o “fisting”, e não se esqueça de ferver aquele dildo antes de reutilizá-lo! Ou, se o estiver usando com várias parceiras ao mesmo tempo, coloque uma camisinha nele. — Alex Berg

• As lésbicas curtem sexo anal?

Os homens gays e os casais héteros não são os únicos a se divertir. Quer seja com um dildo, vibrador ou dedos, o sexo entre lésbicas também podem incluir a “porta dos fundos”. — Alex Berg

• As lésbicas às vezes querem só sexo e nada mais?

Aquela velha piada segundo a qual as lésbicas vão morar juntas já no segundo encontro pode ter algum fundo de verdade, mas, como os homens gays e os héteros, há momentos em que queremos sexo e nada mais.

O sexo entre lésbicas pode ser só isso: sexo sem envolvimento emocional, porque é gostoso. — Alex Berg

VEJA TAMBÉM: Lésbicas registram a chegada de seu 2º filho e inspiram outras mulheres

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Guilhermo Postado em 06/Jan/2016 às 20:57

    Que matéria sem importância. Até pensei que estava lendo uma espécia de tabloide.

  2. Jonas Schlesinger Postado em 06/Jan/2016 às 21:10

    As duas ali da imagem, podem fazer sexo lésbico na minha casa. Eu deixo #IAMTHUGLIFE

  3. Rogerio Postado em 06/Jan/2016 às 21:48

    O termo "lesbianismo" é correto? Se sim porque o termo "homossexualismo" é considerado incorreto?

    • Filipe Postado em 07/Jan/2016 às 01:05

      É incorreto?

    • Trajano Postado em 07/Jan/2016 às 07:43

      Rogério, depende de onde e como o termo foi utilizado ou simplesmente se ignorarmos os problemas que o seu uso ainda ocasiona para muita gente. Em minha opinião, lesbianismo é extremamente pejorativo em qualquer ocasião, uma vez que, pelo que sei, o sufixo ismo forma substantivos abstratos que dentre muitos significados incluem condição patológica, ideologia, pensamento político, doutrina, ou seja, podem inserir a sexualidade em contextos ou de doença, ou de posicionamentos, escolhas, conotação filosófica, ideológica. Ainda que também signifique estado de, comportamento de, a ambiguidade pode ser evitada com o sufixo dade que apresenta significados mais próximos e restritos de condição, situação, qualidade. Ou seja, se alguém quiser atacar os homossexuais com a ideia de que sexo é escolha, ideologia, patologia, “homossexualismo” resolve. Se a pessoa considera sexo como condição, então, “homossexualidade” dá conta. De qualquer forma, os dois substantivos estão corretos segundo as normas gramaticais, o que muda é o contexto, o que pode levar certas pessoas aos neologismos “homofobismo”, “cretinismo”, “escrotismo”, “bundarachadismo”, “enrustidismo” sem qualquer ambiguidade e totalmente fiel ao contexto. Um abraço!

      • Rogerio Postado em 07/Jan/2016 às 10:41

        Não concordo. Da à impressão de que os chamados homofóbicos agridem os gays com um simples sufixo, uma simples meia palavra. Ite ou ose, entre outros sufixos, é que significam doença. Cite uma doença terminada em ismo. Não me vem à mente nada nesse momento.

      • José Ferreira Postado em 07/Jan/2016 às 11:26

        Os dois termos (homossexualismo e homossexualidade) são corretos. Entretanto, o "politicamente correto" implica com o primeiro termo.

      • Trajano Postado em 07/Jan/2016 às 13:56

        Ué? Parkinsonismo, nanismo, albinismo, hipotireoidismo, hipopituitarismo... ismo que forma substantivo com significado de patologia, certo? Você não lembrou mesmo ou é só exposição de seu argumento que virou sucata? Se for a segunda opção, confesso que nem tinha notado que suas perguntas iniciais eram retóricas. Sério. E claro: da mesma forma que ismo e dade podem ser equivalentes em significado, ite ou ose também transformam o significado da palavra, com a diferença de serem mais específicos, como o ite para inflamação. Por outro lado, José Ferreira, cara, aí você tropeça nos próprios cadarços ao passo que respondeu indiretamente à impressão do Rogério. Se homossexualidade e homossexualismo são gramaticalmente aceitos, ambos podem ter o mesmo significado pela norma - não necessariamente pelo contexto que se emprega -, então por que mesmo sabendo disso uma pessoa irá optar por uma palavra que poderá ofender alguém? Pra que escolher termo potencialmente agressivo, pejorativo, dado o contexto social e histórico senão, justamente, para agredir, para ofender alguém, um grupo e/ou uma população inteira? Sério mesmo, por quê e de onde vem essa necessidade? É uma escolha, outro substantivo cumpre o dever da comunicação sem qualquer ambiguidade. Os motivos do “politicamente correto” parecem ser bem claros nessa situação, já o politicamente incorreto, não.

      • José Ferreira Postado em 07/Jan/2016 às 14:46

        O "ismo" pode ser usado para o Capitalismo, Comunismo, Agnosticismo (eu sou agnóstico). Há muita implicância, mas as duas formas estão corretíssimas e as uso na elaboração de textos.

    • Rogerio Postado em 07/Jan/2016 às 22:09

      Os nomes que vc citou são deficiências. Não doenças.

  4. Thiago Teixeira Postado em 06/Jan/2016 às 22:29

    Falaram, falaram, mas não acrescentaram ou revelaram absolutamente nada. Vou fazer um seguinte, vou participar de um sexo lésbico como voyeur e já volto para explicar! (ai eu acordo, kkkkk)

  5. Ricardo Postado em 06/Jan/2016 às 23:24

    Nada mais lindo do q 2 mulheres se pegando. Sem falar apenas da conotação sexual... mas fico fascinado com a feminilidade e a química entre 2 mulheres na cama. É algo que apenas elas sabem como fazer e dominam melhor do q qlqer homem a arte dos "dedos e língua" mágicos.

  6. Trajano Postado em 07/Jan/2016 às 00:38

    Faltou um vídeo explicativo.

  7. EuMesmo Postado em 07/Jan/2016 às 02:01

    A matéria teve como intuito esclarecer a vida íntima de casais de lésbicas e os comentários foram infestados por homens que parecem ter vindo de algum site pornô e não tem realmente nada melhor pra fazer do que as piadinhas sem graça e velhas sobre se meterem em um sexo lésbico que no momento em que você se mete nele o sexo deixa de ser lésbico então pf não achem que lésbicas iriam querer vocês afinal elas não gostam dessa fruta.

    • Joao Postado em 07/Jan/2016 às 09:16

      Parabéns pelo comentário .O ser humano está somente no começo da sua evolução , um dia tudo isso será normal (o que sempre deveria ser) e asneiras conservadoras deixarão de existir.

  8. Marco Postado em 07/Jan/2016 às 03:00

    Como tudo o que temos visto nesse país, desde que todo mundo passou a ter acesso a rede sociais e se acha especialista em tudo, os comentários só mostraram machismo, preconceito e até um envolvimento político fora de contexto. Viva a ignorância.

    • Trajano Postado em 07/Jan/2016 às 06:49

      VocêMesmo e Marco, não concordo com vocês. O assunto é sexo, não gênero ou sexualidade, mas simplesmente sexo, linguagem explícita, preferências sexuais de algumas mulheres homossexuais. Algumas não são todas, não se está esclarecendo as intimidades da população de lésbicas inteira de forma alguma, isso, sim, seria preconceito, VocêMesmo, seria criação de estereótipos, padronização, coisa que a matéria atentamente não o fez ao enfatizar que nem todas as lésbicas irão se identificar com as práticas. Ainda que eu considere que esta matéria pode ilustrar a necessidade moderna do sexo ser declarado, quase que uma confissão eclesiástica medieval sem igreja, um exemplo de demanda de monitoramento social contemporâneo, bom, isso é apenas uma interpretação. Por outro lado, Marco, da mesma forma que a Arielle Scarcella curte “emoções mais intensas” em pergunta sobre ménages à trois e Alex Berg assume que pode rolar sexo sem emoção “porque é gostoso”, quem comentou aqui também tem os seus fetiches, desde ménages à trois até voyeurismo, por que não? E ninguém está sendo machista ou preconceituoso pelo que disse, nem ninguém está pretendendo ter mais ou menos direito por conta de sua sexualidade. É sexo e pronto. E em se tratando de sexo, gostar da anatomia de uma mulher, do cheiro de uma mulher, do gozo de uma mulher não é um ato machista. Muito menos preconceito. É sexo, oras! Ou vocês dois esclarecem melhor o porquê de levantarem o dedo para os outros com acusação incompleta, ou ambos é que precisam prestar contas sobre o preconceito que vocês mesmos deixaram transbordar e, principalmente, deixar de levantar bandeira de forma vulgar e fora de contexto, uma vez que o movimento feminista e LGBT merece mais do que suas babaquices. Ou, simplesmente, como as mulheres entrevistadas lá em cima, arrumar coisa melhor pra fazer com os seus dedos intimamente. Em tempo: sobre o comentário de política fora de contexto de um usuário, não posso responder pelos possíveis problemas psicológicos dele. Isso é de outra ordem, requer outro tipo de intervenção. Um abraço!

      • Joao Postado em 07/Jan/2016 às 09:39

        Amigo , quando todos tomarem consciência que isso é natural não precisaremos de "vídeo explicativo" e nem de blá blá blás para justificar o que sempre existiu .

      • Trajano Postado em 07/Jan/2016 às 11:41

        Por gentileza, alguma alma generosa e com paciência poderia me explicar afinal por que homem com fetiche por mulheres se pegando é machismo, preconceito ou sei lá mais o quê? Sério, é a primeira vez que escuto isso. Estamos falando de sexo entre adultos de forma consensual ou estamos falando de alguma coisa abstrata que não entendi muito bem? Da mesma forma que as mulheres entrevistadas revelaram fetiches, incluindo o famoso ménage à trois, por que o homem quando fala das suas taras recebe em troca um monte de acusações? Sexo é sexo! Quando homens heterossexuais, por exemplo, casados e com filhos recebem investidas de determinados gays por tara pelo “pai de família”, oras, isso não é preconceito por parte dos gays nem nada que consta na cartilha. É tara! Quando algumas mulheres ou homens também apresentam fetiche por ver dois homens mandando brasa, também não significa que é hora do protesto ou do piquete. Claro que é natural, mais um não é mais natural do que o outro! Por favor, expliquem isso ou do contrário vou assumir que o preconceito é de vocês que parecem que estão querendo hierarquizar as demandas do desejo em prol de uma causa política, coisa que jamais irei concordar. Sobre o “vídeo explicativo”, sério que você não entendeu o que eu quis dizer? Olha, nesse caso infelizmente não posso fazer nada. Não tenho como explicar... A Moderação do Pragmatismo tem limite e tá me mandando um abraço. Em tempo: acredito que é mais fácil o petróleo deixar de ser fonte de energia do que sexo deixar de ser motivo de blábláblá. Abs

      • eu daqui Postado em 07/Jan/2016 às 12:58

        Trajano, uma hetero ter preferencia por homens mudos é femismo ou é tédio mesmo? Se acertar a resposta ganha eu de estomago vazio........

      • Trajano Postado em 07/Jan/2016 às 14:37

        Hahahahahaha!!! Melhor comentário! Bom, responda a minha dúvida de cima que eu aceito o desafio promocional das Casas Bahia.

      • Rodrigo Postado em 07/Jan/2016 às 18:24

        (Outro Rodrigo) Concordo com Trajano e curti o de Eu Daqui kkkkkkkkkkkkkk A gente nem conversa tanto, moça kkk

    • Thiago Teixeira Postado em 07/Jan/2016 às 14:12

      Desde quando gostar de mulher é machismo?

  9. eu daqui Postado em 07/Jan/2016 às 12:56

    Se não fosse este tópico acho que iria acabar morrendo de curiosidade............

  10. Thiago Teixeira Postado em 06/Jan/2016 às 22:31

    Rapaz, a Dilma não sai da sua cabeça? Vai se tratar cara. Pense na Fabiane Thompson, é muito melhor!

  11. Eduardo Ribeiro Postado em 07/Jan/2016 às 10:55

    Prêmio ""Comentário Mais Nada A Ver de 2016"" já tem dono no sétimo dia do ano. Que coisa impressionante, meu irmão. É doença demais.

  12. José Ferreira Postado em 07/Jan/2016 às 11:27

    A Patrícia Kimberly é melhor. É a miscigenação nacional em sua melhor forma.

O e-mail não será publicado.