Redação Pragmatismo
Compartilhar
Polícia Militar 10/Dec/2015 às 11:44
45
Comentários

Vídeo viral mostra como jovens negros são tratados pela Rota

Abordagem de jovens negros pela Rota – batalhão de elite da Polícia Militar de São Paulo – viraliza no Facebook e dá uma boa noção de como negros e pobres são tratados por policiais que se acham onipotentes e ignoram a lei. Imagens causaram indignação

Rota vídeo negros pobres

Marcos Sacramento, DCM

Tem um vídeo (assista abaixo) circulando na internet que mostra a rotina de uma equipe da Rota, batalhão de elite da Polícia Militar de São Paulo. A gravação é parte de uma episódio do programa Alerta Policial, produzido por um tal Canal Itu. A julgar por um episódio disponível no Youtube, o programa está mais para relações públicas do que para jornalismo.

O vídeo dá uma boa noção de como jovens pobres e negros são tratados em abordagens corriqueiras, muitas vezes nas mãos de policiais que se acham onipotentes e ignoram a lei e procedimentos operacionais.

Na primeira cena, os policiais saltam da viatura e abordam três rapazes. O policial que parece ser o chefe da guarnição pergunta a um deles:

“Mão na cabeça. Preso já bacana? Já foi preso?”. Diante da negativa, pergunta o que ele tem “de menor”, possivelmente se referindo a crimes cometidos quando era menor de idade.

“Não tenho nada”, responde o jovem.

O PM, que não carrega identificação, insiste na pergunta.

“Você tem o quê de menor? O papo vai ser na comédia? Se for nós vamos para a caminhada diferente”.

O policial teima em perguntar se o jovem tem já foi detido.

“Você foi para a delegacia por causa de quê”?

“Nunca fui para a delegacia não, senhor”, responde o rapaz.

Em seguida ele pega o celular do abordado e começa a vasculhar o telefone, desprezando o direito constitucional à intimidade assegurado a todo cidadão brasileiro. Pergunta o modelo e o valor do aparelho. Ao descobrir que custa 700 reais, pergunta se o rapaz trabalha e qual o salário dele.

Quando ouve que o jovem recebe 700 reais de salário, o policial fica impressionado e questiona como ele pode ter um celular do mesmo valor.

“Ganha 700 e pagou 700 reais no celular?”

O rapaz respondeu o óbvio: “Estou pagando ainda na prestação, cartão do meu tio. Comprei pela internet”.

O PM mais um vez pergunta se ele tem um boletim de ocorrência e novamente ouve um não como resposta.

Na abordagem seguinte, a jovens que estavam batendo papo em frente às suas casas, o tratamento foi parecido. O PM perguntava várias vezes, em tom ameaçador, se os jovens tinham passagem na polícia ou processos nos tempos em que eram menores de idade.

Nos dois casos, eram rapazes de periferia, a maioria deles negros. Será que o valentão da Rota iria abordar sem motivo um jovem branco no bairro mais rico da cidade, vasculhar o celular e questionar como ele teria adquirido?

Não, certamente não. No vídeo há uma situação em que um casal, ambos brancos, são abordados enquanto namoravam no carro. Dá para perceber a diferença de tratamento em relação ao rapazes de pele mais escura. Apesar de ouvirem um sermão, nenhum dos dois precisou responder se tinha passagem pela polícia. Nem precisaram sair do carro.

Após a primeira abordagem, aquela do telefone, o chefe da guarnição comentou a ocorrência:

“Três indivíduos, a atitude deles. Eles deram uma segurada quando viram a gente e resolvemos abordar. A princípio não tinham nada mas ficou claro pelo nosso levantamento que um deles pertence ao crime, não estava fazendo nada agora, tem que ser liberado, mas o pessoal está envolvido no crime, de alguma forma”.

Um policial experiente, já com cabelos grisalhos, não explica à reportagem do programa qual indício ligaria um dos abordados à criminalidade. É assim, movidos por fatores subjetivos, o chamado “tirocínio policial”, que muitos policiais fazem seus trabalhos, tornando sofrida a vida de quem é pobre, preto, de periferia e não tem a sorte de estar sendo filmado.

Vídeo:

Veja como funciona nas periferias.Ps. imagina se a câmera estivesse desligada.Curta: Pense, é grátis

Posted by Pense, é grátis on Segunda, 7 de dezembro de 2015


Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. rogerio Postado em 10/Dec/2015 às 12:28

    Há algum tipo de resposta da própria PM a respeito dessa , como chamar, abordagem? Alguém se manifestou para saber se PM sabe como o coitado está no crime? Militar tem direito a achar algo ou só segue ordem? Enfim, qualno critério de alguém Julgar quanto outro alguém ganha e por isso deduzir que ele não pode ter o que tem? Por isso que político quando declara bens diz que tem Tipo 1999 ou Corolla 2001? Chocado com essa excrescência que é a Polícia Militar

  2. JOÃO VICTOR Postado em 10/Dec/2015 às 13:14

    todos humanos queiram ou não são humanos! por tanto deve-se um humano tratar o outro como um semelhante humano, a pigmentação da pele não faz um cerebro superior ou inferior ao outro em nenhum aspecto de bem ou mal, sábio ou não, verdadeiro ou mentiroso; cerebro ignorante involutivo não deveria existir em tempos presentes, necessitamos amar mais não a nós mesmos mas também ao próximo, o ser individual não prospera em nada nunca achará a verdadeira felicidade. AMEMOS-NOS UNS AOS OUTROS E A MÃE TERRA.

  3. Junior de lima Postado em 10/Dec/2015 às 13:26

    Abordar é o trabalho deles humilhar não! Perguntar é o trabalho deles jugar não! Aconselhar é o trabalho deles impedir de está em local publico não! O poior de tudo é que o salário desses caras somos nós que pagamos para eles se acharem com toda razão do mundo e nus humilhar, na reportagem se uma serie te perguntas mas não mostra eles ferificando via sistema nem um deles.

  4. Cristina Costa Postado em 10/Dec/2015 às 14:02

    Não era, faça tudo o que o policial manda. Não reclame, não levante a cabeça, não fale, não se mova, não ande, não corra, não respire, não exista!

  5. Glaucia Postado em 10/Dec/2015 às 14:05

    O mínimo de educação já é o bastante.

  6. Cássio Postado em 10/Dec/2015 às 14:06

    Eu agradeceria as flores e os beijinhos, mas há quem gostaria (ué?). Só queria que fossem garantidos e respeitados os meus direitos em uma abordagem. É tão difícil assim? Se sim, me explica a dificuldade em ler um textinho (aquele publicado em 88) e agir dentro daqueles moldes? Não é exaltado pela doutrina militar a obediência, a disciplina? Que tal agir de modo compatível com a Constituição?

  7. Laura Postado em 10/Dec/2015 às 14:11

    A abordagem necessita respeito à pessoa. E, acima de tudo, confiança. O que esse jovem fez para ser abordado, além de ser negro? Nada. O que ele fez que mereceu a suspeita do policial dessa forma? nada. Ele estava na dele, tranquilamente, e o policial presumiu que era bandido, criminoso. Cadê o inocente até que se prove o contrário? Me diga. Não me surpreenderia nem um pouco se esse jovem apanhasse se não houvesse uma câmera sobre o policial.

  8. Leandro Postado em 10/Dec/2015 às 14:18

    Não, com respeito e legalidade.

  9. Elias Jr Postado em 10/Dec/2015 às 14:21

    "Nos dois casos, eram rapazes de periferia, a maioria deles negros. Será que o valentão da Rota iria abordar sem motivo um jovem branco no bairro mais rico da cidade, vasculhar o celular e questionar como ele teria adquirido?" Como assim? Na segunda abordagem a maioria dos rapazes eram brancos e havia 1 negro entre eles, o qual o policial de cabelos grisalhos sequer fez perguntas ou falo diretamente. Achei o o texto legal, aborda um problema que, de fato, ocorre na sociedade e não pode ser ignorado. Mas acho que foi um pouco forçado dizer que haviam apenas rapazes negros no vídeo, porque não haviam. O policial agiu, tanto com brancos, quanto com negros, da mesma forma. Claro que isso não entra no mérito de ser certa ou errada a atitude do policial. Quanto a mexer no celular do rapaz, achei exagerado e incisivo sim, concordo neste ponto.

  10. carambola Postado em 10/Dec/2015 às 14:22

    basta ter educação. eu já fui abordado , mas o fato de eu ser branco louro e de olhos azuis me garantiu uma abordagem beeeeeeeeeeeem diferente dessa aí . "vao querer abordagem com beijinho e flores ???" na minha só faltou isso.

  11. Bruno Postado em 10/Dec/2015 às 14:22

    Não, queremos abordagens sem que cometam crimes, e que essas abordagens sejam instigadas por motivos não diretamente relacionados com o preconceito ou racismo.

  12. Zé Rodrigo Postado em 10/Dec/2015 às 14:23

    A questão é: Qual o motivo da abordagem, André? O cara é negro, pobre e tem cara de bandido, vamos abordá-los! O que é uma atitude suspeita? Num grupo de jovens lavando o carro. Uma turma de jovens, conversando tomam dura, e o cara no carrão pegando a novinha (que nem precisou mostrar a identidade, pra provar a maioridade) leva uma bronca, pq tem que tomar cuidado com a segurança... Acho que a questão não é a forma como o policial faz a abordagem, mas sim a seletividade na abordagem e o tratamento diferenciado entre os abordados. Pq o policial não mandou os dois saírem do carro e pediu os documentos, pq o policial não intimou perguntando quantas vezes ele foi pra FEBEM? Não são todos os PM que têm esse tipo de atitude, eu sei disso, e acho errado que viralizem o vídeo, falando: "Olha como a PM age" ou "Olha, a PM sendo racista". Tá errado isso, quem age mal e é racista é esse PM, essa pessoa, que por mais que tenha seus pares dentro do sistema, ainda não representam todos os Militares.

    • Douglas Postado em 11/Dec/2015 às 09:11

      Você nunca foi abordado pela PM? Sou branco, e não costumo utilizar roupas que marginais gostam. Mas já cansei de ser abordado pela PM, tanto pela PMGO, quanto pela PMDF, esse é o trabalho deles, abordar quem eles quiserem, esse mimimi vitimista é um saco.

  13. Helton Postado em 10/Dec/2015 às 14:24

    Você não entendeu nada.

  14. Eduardo Postado em 10/Dec/2015 às 14:27

    Não, mas com respeito seria bom.

  15. Patrick Postado em 10/Dec/2015 às 14:30

    O branco é vítima, o negro é criminoso! Policial de merd*, corrupto!

  16. Rosendo Postado em 10/Dec/2015 às 14:31

    Tomara que um dia te abordem e te façam beijar o chão,e quanto as flores,essas serão pro seu enterro, se der o azar de cruzar com algum deles na madruga. IDIOTA FUNCIONAL

  17. Bruno Postado em 10/Dec/2015 às 14:38

    Pelo menos um pingo de respeito e dignidade.

  18. Trajano Postado em 10/Dec/2015 às 14:43

    Como é que é, Pereira/André/Xonga? Você concorda com este tipo de ação policial? Você é de Brigada Militar, é? Nada disso! As pessoas precisam ser tratadas como gente! Não é beijinho e flores, é com dignidade, com cidadania, com respeito. Se você não tem isso ou despreza a vida dos outros, não pode andar armado. Seu comentário é indecoroso até último fio de cabelo. Até dias atrás, adolescentes negros foram assassinados com mais de 100 tiros no Rio de Janeiro justamente por causa desse pensamento brutal, genocida, de que jovens negros são culpados por causa da cor de sua pele e de sua condição socioeconômica. E o que o Pereira/André/Xonga tem a dizer quando vê matéria que evidencia o abuso policial? “vão querer abordagem com beijinho e flores??”, ora essa! Vai se tratar! Vai fazer alguma coisa que preste! Você é podre!

  19. Grazi Postado em 10/Dec/2015 às 14:53

    Não, andre, apenas com respeito aos direitos constitucionais que não por acaso se aplicam a todos de forma indistinta.

  20. Thiago Postado em 10/Dec/2015 às 14:54

    "VIDEO VIRAL MOSTRA COMO JOVENS SÃO TRATADOS PELA ROTA" Só lembraram de mencionar os negros! Esquecerem que na segunda abordagem tem brancos e o terceiro cara tbm é branco!! Muito vitimismo nesse Brasil! Muito mimimi!! Achei abusivo sim como ele tratou o primeiro cara, mas se achou suspeito, tem que abordar mesmo, independente se é branco, preto, amarelo...

  21. João Postado em 10/Dec/2015 às 14:58

    Absolutamente. Beijinhos e flores só na senhora sua mãe.

  22. Tiago Postado em 10/Dec/2015 às 15:00

    Não seria nada diferente se fosse com branco, amarelo ou pardo, o tratamento é igual diante de qualquer suspeita, o policial encontra um jovem a noite, muitas vezes em locais proprios para o trafico de drogas, outras vezes é percepitivel o nervosismo do suspeito proximo a viatura, todas essas situações levam a abordagem, acrescento ainda, o policial pergunta várias vezes se ele já foi preso, muitos negam essa informação, e logo em seguida ao consultar o nome dos agentes descobre-se varias passagens, nesse caso não houve, mas isso é muito comum, a abordagem é assim mesmo, procurando qualquer tipo de fato que possa ser ilícito, , parabéns aos policiais, e me desculpe ao administrador da pagina que pouco conhece a policia e seu serviço.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 10/Dec/2015 às 15:54

      """""""""""""""""" parabéns aos policiais """""""""""""""""

  23. Alberto Postado em 10/Dec/2015 às 15:01

    por que não? eles não merecem? por que tanto ódio?

  24. Alexandre Postado em 10/Dec/2015 às 15:07

    Não, mas com seriedade, respeito e com alguma razão que justifique a abordagem. Se fosse com você, aposto que xingaria muito no Twitter.

  25. Jean Postado em 10/Dec/2015 às 15:08

    André, espero que abordem a senhora sua mãe com a mesma eficácia. Utilizem a mesma metodologia que utilizarem com estes adolescentes.

  26. Thiago Postado em 10/Dec/2015 às 15:23

    Policial ruim é isso aí mesmo.

  27. Jonas Schlesinger Postado em 10/Dec/2015 às 15:24

    Que droga hein. Cada vez mais esses cretinos querem se achar os donos da moral. Enquanto a polícia continuar defendendo o estado e não o cidadão, vão continuar ocorrendo abordagens truculentas e seletivas, chacinas, policiais corruptos, policiais que alteram cenas do crime e que matam pessoas alegando o contrário e muito trabalho para a corregedoria. #desmilitarizaçãojá #corregedorianeles......... Se fuder viu!

  28. Bruno Postado em 10/Dec/2015 às 15:45

    Não!!!!Mas um policial tem que cumprir a lei e abordar baseado em indícios concretos e não achismos baseados em racismo!!!!!Mas um coxinha como você que só tem 2 neurônios dificilmente consegue entender que nenhum policial pode fazer o que der na telha.

  29. Eduardo Ribeiro Postado em 10/Dec/2015 às 15:52

    andre é moleque vagabundo....é trollzinho sem carater nenhum, sem um pingo de ética e sem um resquício que seja de respeito à vida humana. é preciso ser imensuravelmente canalha pra assistir a porra do vídeo e achar que a abordagem desses porcos fardados é a correta.

    • Aline Postado em 10/Dec/2015 às 23:09

      Exato Eduardo, esse tal de André é um ser que me dá pena. Seus comentários são permeados de ódio, preconceito e falta de conhecimento. É o mesmo do mesmo no universo coxinha fascista de ser. André, busque ser uma pessoa melhor, ou vá conversar com seus amiguinhos no seu playground, não estrague o dia das pessoas com seus comentários nojentos.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 11/Dec/2015 às 07:07

      Que "respeito e dignidade"? Declarações como a sua, semeadoras de ÓDIO, tem que ser atacadas e massacradas. Na minha frente o mínimo que voce levaria dando uma declaração dessas seria uma cusparada na cara. Se quer ser respeitado busque ser uma pessoa melhor, tente deixar de ser esse monte de bosta sem alma, sem humanidade, sem carater que demonstra ser. Sem diálogo e sem respeito com fascistas.

  30. Eduardo Ribeiro Postado em 10/Dec/2015 às 16:15

    É simplesmente a polícia mais truculenta do planeta. Não existe paralelo nenhum, nada parecido com isso, nem em ditaduras existe algo semelhante. O contraste do primeiro guri que estava indo pro shopping para o último que estava com a namorada é um chute no saco. O rapaz do shopping, que não fez nada e não devia sequer ter sido abordado, ele não morreu EXCLUSIVAMENTE porque tinha uma camera em cima dele (estamos falando da ROTA). É a única razão pra ele não ter sido cravejado de balas. Por outro lado quase deu 50 conto e um beijinho na testa do branquinho do final...."meu querido, aqui é quebrada....pega tua menina e vai pro motel, garotão....". Como é que é possível ter vagabundo que nega o racismo? Como é possível ter vagabundo que defende esse tipo de abordagem, falar de vitimismo? Quem defende é tão ou mais canalha que o PM do vídeo. Os que defendem são a escória, são pessoas enojantes, ruins e desumanas, são o atraso do país, são o fardo pesado que o povo humilde trabalhador brasileiro tem que carregar.

  31. Saulo Postado em 10/Dec/2015 às 18:59

    Entendo que a abordagem é bem agressiva verbalmente, mas só quem é policial sabe a necessidade de usar desses artificios para desmascarar quem esta na rua com mau intuito. Agora se a abordagem para os riquinhos é diferente as coisas tem que ser revistas.

    • Thiago Teixeira Postado em 11/Dec/2015 às 13:54

      Policial de verdade deve ser isento, não ter preferencias pessoais por A ou B e bater de frente com o crime independente das condições sociais do meliante. Isso que estamos vendo no vídeo é um policial querendo de auto vangloriar de seu "poder" diante do coagido.

  32. Luiz C. Cardoso Postado em 10/Dec/2015 às 22:08

    É por causa de policiais como esse, que fazem abordagens cheias de humilhações, que de vez em quando alguns deles aparecem com a boca cheia de formiga.

  33. Rodrigo Couto Postado em 11/Dec/2015 às 06:09

    Seus comentários denotam sua capacidade argumentativa. NULA.

  34. Paulo Roberto Postado em 11/Dec/2015 às 09:33

    O "senhor" assistiu todo o video ??? Porque pelo visto acredito que nao.

  35. Paulo Roberto Postado em 11/Dec/2015 às 09:47

    O problema nao esta nas abordagens em si, mas sim na MANEIRA DE COMO ELAS ACONTECEM, no "modus operandi" mesmo. Pergunto eu: No curso de formacao a soldado `e ensinado esse tipo de atuacao ? A maneira de como o elemento fardado ( nao da para chama-lo de policial) fala com as pessoas `e correta ? E se alguem disser que sim, tente colocar-se no lugar daqueles que estao sendo questionados. Nao sei como o cara fardado conseguiu ser aprovado no processo seletivo.

  36. Victoria Postado em 11/Dec/2015 às 16:27

    O que VOCÊ acharia de ser abordado dessa forma?

  37. Pedro Postado em 04/Jan/2016 às 18:32

    isso é como o fascismo opera nas ruas.

  38. Pedro Postado em 04/Jan/2016 às 18:35

    abordagem dentro da lei. Esse policial é criminoso, não respeita a lei. Sem mais nem menos.

  39. enganado Postado em 05/Jan/2016 às 03:16

    Os mesmos=UX PULIÇA devem ter sido treinados nas escolas de educação moral e cívica do Beto Bicha e Picolé de Chuchu; cuja aula inaugural dada pelo filósofo-pilantra-vagabundo FHC. Educação Judaica-Americana feita na abordagem de Palestinos/Iraquianos/Afgãos/ ... etc foi passada integralmente para estes Letrados da PM-SP e PM-PR.

  40. ALFREDO DE VITA Postado em 08/Jan/2016 às 16:20

    E ai ALCKMIM, vc não vai exonerar esse PM, Quem é ele para julgar uma pessoa, se está desconfiado leva para a Delegacia, quem julga é o judiciário.