Redação Pragmatismo
Compartilhar
Lula 10/Dec/2015 às 16:16
4
Comentários

Lula diz que manobras pró-impeachment são "afronta jamais vista no País"

Durante conferência na Alemanha, Lula denuncia golpe da oposição no Brasil: "Não desceram do palanque desde que foram derrotados nas urnas em 2014. Ex-presidente também se referiu às constantes manobras de Eduardo Cunha como "afronta jamais vista no País"

Lula Berlim impeachment Dilma
Durante palestra em Berlim, Lula falou sobre o processo de impeachment contra Dilma

Em discurso na Alemanha nesta quarta-feira (9), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chamou o pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff de “aventura golpista” e prometeu ir às ruas para defender o mandato de sua sucessora.

O petista falou como convidado na conferência internacional do SPD (Partido Social-Democrata da Alemanha), em Berlim. A agremiação de centro-esquerda compõe a coligação com o CDU (centro-direita) da chanceler alemã Angela Merkel.

“Vou falar do Brasil, porque não posso vir aqui e fingir que nada está acontecendo no meu pais”, afirmou Lula, acrescentando: “Nós vamos pra rua para defender o mandato legitimamente eleito da nossa presidente”.

O ex-presidente afirmou ainda que, se a cada crise econômica houvesse motivo para impeachment, “não haveria nenhum [líder] governando nenhum país no mundo hoje”.

“Achamos que é uma anomalia o que está acontecendo no Brasil, sem negar que existe uma crise econômica e política, sem negar que existe uma denúncia de corrupção no meu país”, disse.

Em seguida, Lula afirmou que a atual crise só está acontece porque o governo criou instrumentos de transparência e autonomia para as investigações. “Só tem um jeito de você não ser investigado no Brasil: é não fazer nada errado”.

AFRONTA

Lula chamou a votação para a formação da comissão do impeachment – cheia de manobras do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de “afronta jamais vista no País”. A votação foi considerada ilegítima pelo Supremo Tribunal Federal.

“Ontem seria votada uma comissão que analisaria o impeachment… 62 nomes foram indicados pelos partidos. E o presidente da Câmara, numa afronta jamais vista no País, não aceitou a lista apresentada pelos partidos e apresentou a lista dele para concorrer. E resolveu que a votação seria secreta. Houve muita confusão, e a votação foi secreta, e ele ganhou”, contou Lula.

O brasileiro foi apresentado pela secretária-geral do SPD, Yasmin Fahimi, que disse ao petista: “Você conseguiu dar ao Brasil uma relevância internacional, especialmente que você recriou um modelo moderno de social-democracia, que nos é muito familiar. Você também provou que é possível superar o neoliberalismo”.

Lula começou seu discurso com uma piada: “Eu não vou ler todo esse papel comigo. Eu faço isso para causar uma boa impressão”.

Ele fez uma homenagem ao ex-chanceler alemão Helmut Schmidt, morto no mês passado, ratificando a “importância” do social-democrata em sua carreira quando, em visita oficial ao Brasil durante a ditadura militar em 1979, ele aceitou receber o então líder sindical brasileiro.

Em seu discurso de pouco mais de 30 minutos, o ex-presidente exaltou ainda sua atuação internacional como presidente e as ações de seu governo contra a crise econômica de 2008.

EBC e Folhapress

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Márcio Ferreira Postado em 11/Dec/2015 às 06:20

    Mas não é o PT que dia sim e outro também pedia o impedimento de todos os presidentes antes dele? Está previsto na Constituição e é do jogo político, como bem sabem. Aceitem o fato, encarem com dignidade e acabem logo com esse teatro. Muito pior fez a Luciana Genro, que propôs eleições gerais no meio do mandato. Isso é que não existe. Mas o PP não vai publicar essa ideia dela, vai?

  2. Juliana Postado em 11/Dec/2015 às 15:43

    Lula está corretíssimo. Brasil virou terra de ninguém. É engraçado como aqueles que defendem o impeachment da Dilma, ignoram a conduta vergonhosa da oposição que se associou ao Picareta Mor da República. A Dilma pode ser chamada de incompetente, mas ainda não foi divulgada nenhuma prova de que tenha sido desonesta. Entretanto, pesam sérias e robustas acusações contra Cunha, justamente com quem a oposição se aliou. O problema não é pedir o impeachment, é pedi-lo sem a devida base legal e tentar aprová-lo por meio de manobras inconstitucionais. Como alguém pode defender Eduardo Cunha com toda a sua falta de vergonha na cara, ética, usando seu cargo para fugir do próprio julgamento? Como alguém pode defender Temer, que se elegeu na chapa de Dilma pela SEGUNDA vez e agora vem reclamar de ser decorativo? Como alguém pode defender a oposição que se alia com o que há de pior na política brasileira para alcançar seu intento sem ao menos um projeto decente para o país? Prefiro a Presidente incompetente ao Vice golpista e aproveitador, ao Presidente da Câmara sabidamente corrupto e à Oposição birrenta e sem caráter.

  3. Thiago Teixeira Postado em 11/Dec/2015 às 23:32

    Na boa Pereira, colar link do G1 aqui? É brincadeira, não é?

  4. Angela Postado em 13/Dec/2015 às 12:17

    Eles morrem de inveja do Lula, olha onde ele tá! Querem prender ele de qq maneira pra ele não abrir a boca e falar as verdades! Não adianta, quem saiu com 90%de aceitação quando presidente foi Lula. Muitos agora cospem no prato que comeram! Nem acho que Lula deveria voltar em 2018.Lula tem uma causa a qual batalha mundialmente, a extinção da fome,agora principalmente nos países africanos.Tem presidentes que sairam, deram banana pro Brasil e roubaram milhões e nunca vão ser investigados, porque o alvo é o Lula.Realmente ninguém joga pedra em árvore que não da fruto.Parabéns Lula.