Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mulheres violadas 11/Dec/2015 às 17:39
16
Comentários

Experimento: o que você faria ao ver uma mulher ser agredida pelo namorado?

Dentro de um elevador, uma jovem é agredida pelo seu namorado. Como você reagiria? Experimento social quer testar até onde vai a tolerância pela violência contra a mulher

violência contra a mulher

Você entra em um elevador e presencia uma cena, no mínimo, desagradável.

No local, o homem diz para sua namorada: “Te bato aqui, te bato em casa e não estou nem aí pra quem está do lado. Você quer apanhar de novo? Se você falar de novo com ele eu te mato”.

Como você reagiria a uma situação dessas?

Em um elevador, foi colocada uma câmera (vídeo abaixo). Dois atores, um homem e uma mulher, encenaram situações de violência na frente de pessoas que entraram com eles no local.

As pessoas filmadas demonstraram desconforto, mas apenas se afastaram e esperaram as portas do elevador abrirem para saírem. Ao final das gravações, apenas duas das 41 pessoas tentaram intervir. O vídeo já foi assistido mais de 300 mil vezes.

No Brasil, cada ano, mais de um milhão de mulheres ainda são vítimas de violência doméstica, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ao final da gravação, há um alerta para que as pessoas não deixem “uma agressão ser apenas ‘mais uma agressão'” e denunciem no 180.

Vídeo:

Andréa Martinelli, HuffPost Brasil

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Jonas Schlesinger Postado em 11/Dec/2015 às 19:49

    Mas o que fazer numa situação dessa? Se for apenas uma mulher naquele elevador, também seria agredida pelo cara. Um homem até que poderia intervir, mas corre o risco do namorado troglodita estar armado. Olhe, me pegaram. Eu não sei o que faria. Talvez ligaria depois de sair do elevador, mas eu não intervia não. Não que eu seja a favor da violência, mas que nesse caso iniciar uma outra briga num local apertado... Lembro de ter visto um catador agredindo a mulher dele e ninguém estava nem aí eu passei direto. Mas é isso, vão aparecer aqueles que intervem e aqueles que não.

  2. Thiago Teixeira Postado em 11/Dec/2015 às 23:23

    Eu arrancaria sangue da cara dele na frente de todo mundo.

    • herbo Postado em 12/Dec/2015 às 08:09

      ahahhhahha, todo macho, faz o experimento contrário pra ver o que acontece.

      • Thiago Teixeira Postado em 14/Dec/2015 às 11:00

        Você por exemplo iria dar uma gravata na mulher. Já nesse, iria passar reto e usar o jargão covarde "briga de marido e mulher blá blá blá ...".

      • eu daqui Postado em 24/Dec/2015 às 10:58

        mas não é oque vc tem vontade de fazer comigo por simplesmente divergir de vc?

  3. graziela Postado em 11/Dec/2015 às 23:26

    Daí vem a definição de covarde, Jonas. E brasileiro é tudo covarde. Um homenzinho ridículo tentou me agarrar enquanto eu dormia num ônibus de viagem. Eu me joguei no chão do corredor pra fugir dele. Eu o xingava aos berros. Ninguém nem levantou os olhos. Povinho covarde. Eu reajo sempre. Se morrer vai ser com honra.

  4. João Paulo Postado em 11/Dec/2015 às 23:32

    Não houve agressão física. Basta a mulher cair fora. Ninguém em sã consciência vai se meter em briga para defender mulher de malandro.

  5. Pedro Postado em 12/Dec/2015 às 09:31

    Putz, ja vi, eu abordei o casal e o rapaz ameaçou me "matar". Chamei a policia que ainda bem chegou rapidamente. O rapaz estava completamente fora de si, e era um desses geniais "lutadores" que nossas classes médias tem produzido.

  6. João Carlos Postado em 12/Dec/2015 às 09:47

    Covarde por não intervir em briga de um casal que você não tem noção se é malandro? Correr o risco de morrer? Sinceramente, eu também não faria nada. Quem sabe um dia revoguem o estatuto do desarmamento, daí sim a história será outra. Enquanto isso, me resumo à conduta que a lei nos impõe, a saber, ficar quieto, aguardar o bandido fazer o que dá na telha, e depois ainda vê-lo ser defendido por "marias do rosario". Aliás, se eu descer a porrada em um cara desse, ainda é capaz de alguém defende-lo, sob o argumento que é mais uma vítima da sociedade. Enfim, o excessivo garantismo de hoje nos obriga a ser mero espectador da violência.

  7. BRUNNO MARXX Postado em 12/Dec/2015 às 16:09

    EU APENAS OBSERVO, SE DER CHAMO A POLICIA E NÃO ME IDENTIFICO...Aconteceu comigo: ano 2013 rua dona veridiana santa cecilia sãp paulo ,ocorrencia registrada 77º DP...casal discutindo intensamente estava bem proximo na porta de uma lanchonete com uns amigos,quando vi covardão dando um murro na cara da moça cheguei gritando "opa,opa,paro,paro, não vai bater na moça não" o cara veio igual logo pra cima de mim não tive outra alternativa ou corria,ou apanhava optei pela terceira dei um murraçao no meio da cara entre nariz e boca,resultado muito sangue do nariz do covardão...chegou a policia o que aconteceu...A MOÇA LOGO GRITOU eu estava apenas discutindo com meu marido e esse brucutu espancou meu marido,policial perguntou porque seu rosto esta vermelho porque ele (eu) me agrediu tambem...hoje carrego um 129 agressão...

    • Ricardo Postado em 13/Dec/2015 às 21:11

      *Bruno Marxx Também não faria absolutamente nada na hora sob o risco de também ser agredido. Não tenho porte físico e/ou treino de luta e não tenho arma alguma (e nem quero ter). Assim que saísse do elevador, se fosse o caso, chamaria a polícia e tentaria identificar o covarde perguntando para porteiros, síndico, etc. Também não está escrito na testa dele se está armado ou não. Por isso reitero: não tentem intervir sob o risco de serem vítimas, chamem a polícia de maneira anônima.

  8. enganado Postado em 13/Dec/2015 às 21:36

    Metia a porrada nele, porque quem gosta de covardia com mulheres é coisa dos Coxinhas/PSDB/cel. Metralha/Boçalnaro/AERÓPIO/çERRA/ ... . Aliás não perderia tempo em perguntar seu qual sua preferência política, porrada nele!

  9. Cecimila Calc Postado em 14/Dec/2015 às 10:07

    Atualmente é muito arriscado interferir em qualquer tipo de desentendimento. Independente de ser contra mulher, contra homem, contra criança. Acho que o importante é ligar para a polícia, denunciar. Mas intervir, não. A não ser que esteja armado, ou que realmente saiba como agir caso o outro esteja armado. O mundo está muito perigoso. Temos que em alguns momentos sermos egoístas para sobreviver.

  10. Rosendo Postado em 14/Dec/2015 às 12:31

    Dificil falar,mas a melhor coisa a se fazer é chamar a policia, afinal,não é covardia agir com inteligência,dependendo da situação,vc pode arrumar um problema pra vc e na semana seguinte passar pela rua e ver novamente a mulher com o cara.

  11. SERGIO MODOLO Postado em 14/Dec/2015 às 13:40

    Vou contar meu "causo". Lá eu lendo um bom livro em casa e começo a ouvir gritaria de socorro, pratos e copos se quebrando num barulho de embrulhar o estômago... Pego meu taco de beisebol(sorte dele que não tenho mais porte, fazer o quê... Culpa da manipulação do desarmamento, bom isso fica pra outro dia...) e vou lá socorrer a pobre esposa sendo esmurrada por um troglodita, novamente de estômago embrulhado. Quase nos pegamos depois da conhecida troca de gentilezas a que dois homens fazem antes de se arrebentarem... O Zé Ruela entra em casa e eu aciono a polícia... Os policiais chegam, prontos a arrastarem o vagabundo... Eu e uma vizinha como testemunhas, pensamos: "- Vamos ferrar com este vagabundo, covarde!!!" Tudo cai por terra quando a esposa agredida aparece no quintal e diz estar tudo bem... No dia seguinte conto às minhas colegas na empresa, à minha ex-companheira e pasmem... Ninguém me apoiou!!! Não queria elogios, entretanto o fato de desejarem me desencorajar demonstra como a sociedade interfere nos ditos assuntos individuais e domésticos... Talvez ele parasse... Talvez ela estivesse agora a sete palmos de terra!!!

  12. Eduardo Ribeiro Postado em 14/Dec/2015 às 14:32

    Tem uma rapaziada aí que está dando a entender que mesmo se tivesse condições - sejam físicas ou estando armado - não faria nada pra intervir numa agressão porque """periga da mulher de malandro, que gosta de apanhar, não concordar com a idéia de ser defendida do homem que a agride, aí eu que saio de errado da história porque me intrometi..""".....estamos de olho nisso aí..