Redação Pragmatismo
Compartilhar
Política 09/Dec/2015 às 12:13
12
Comentários

20 integrantes da comissão do impeachment respondem a inquérito no STF

Um terço dos integrantes da comissão que vai analisar o impeachment de Dilma Rousseff responde a acusações criminais no STF. Crimes de responsabilidade, corrupção, lavagem de dinheiro, crimes eleitorais e contra a Lei de Licitações são algumas das acusações criminais que pesam contra os deputados

comissão impeachment Dilma
Comissão do impeachment é formada por 20 parlamentares que respondem a ação criminal no STF

Pelo menos um terço dos integrantes já definidos da comissão especial que vai analisar o processo de impeachment é alvo de acusações criminais no Supremo Tribunal Federal (STF).

Dos 61 deputados escolhidos em votação tensa no plenário da Câmara, nessa terça-feira (8), ao menos 20 respondem a inquéritos (investigações preliminares) ou ações penais (processos que podem resultar em condenação) no Supremo. As informações são do Congresso em Foco.

Crimes de responsabilidade – como os atribuídos à presidente Dilma, no pedido de impeachment a ser analisado –, corrupção, lavagem de dinheiro, crimes eleitorais e contra a Lei de Licitações são algumas das suspeitas que se repetem contra esses parlamentares.

Entre os investigados, 14 serão titulares e seis ocuparão a suplência da comissão. A relação é encabeçada pelo PSDB, com seis nomes, seguido pelo PP, com quatro. Na sequência, aparecem o PMDB, o PSD e o SD, com dois cada. PSC, PTB, PPS e PSB têm um nome cada.

Entre os indicados, há três deputados do PP investigados na Operação Lava Jato. Jerônimo Goergen (RS) e Luiz Carlos Heinze (RS), que serão titulares, e Roberto Balestra (GO), que atuará como suplente, são suspeitos de ter recebido dinheiro desviado da Petrobras. Todos eles negam envolvimento com o petrolão.

Alguns dos investigados já são réus. É o caso, por exemplo, do deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), que responde a ação penal por corrupção no Supremo. Presidente licenciado da Força Sindical e criador do Solidariedade, um dos principais partidos de oposição a Dilma, Paulinho é acusado de desviar recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O deputado ainda é investigado em outros três inquéritos por peculato e corrupção passiva.

A chapa, formada basicamente por parlamentares pró-impeachment, foi eleita pela maioria do plenário, derrotando as indicações apoiadas pelo governo. O colegido será formado por 65 titulares e 65 suplentes. O restante de seus integrantes seria definido nesta quarta, mas o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu, em caráter liminar, o andamento de qualquer procedimento relacionado ao impeachment até que a corte se posicione sobre o assunto, de maneira definitiva, no próximo dia 16.

Veja abaixo a relação dos integrantes da comissão do impeachment que respondem a inquérito ou ação penal no STF:

PSDB – Titulares:
Nilson Leitão (PSDB-MT)
Rossoni (PSDB-PR)
Shéridan (PSDB-RR)
Suplentes:
Izalci (PSDB-DF)
Rocha (PSDB-AC)
Rogério Marinho (PSDB-RN)

SD – Titular:
Paulinho da Força (SD-SP)
Suplente:
Genecias Noronha (SD-CE)

PPS – Titular:
Alex Manente (PPS-SP)

PSC – Titular:
Pastor Marco Feliciano (PSC-SP)

PMDB – Titular:
Flaviano Melo (PMDB-AC)
Suplente:
Geraldo Resende (PMDB-MS)

PTB – Titular:
Benito Gama (PTB-BA)

PSD – Titular:
Delegado Éder Mauro (PSD-PA)
Suplente:
Silas Câmara (PSD-AM)

PP – Titulares:
Jair Bolsonaro (PP-RJ)
Jerônimo Goergen (PP-RS)
Luiz Carlos Heinze (PP-RS)
Suplente: Roberto Balestra (PP-GO)

PSB – Titular:
Danilo Forte (PSB-CE)

Comissão do impeachment

O Plenário da Câmara decidiu ontem, por 272 votos a 199, e duas abstenções, que a Comissão Especial do Impeachment será formada, em sua maioria, por deputados favoráveis ao afastamento da presidente Dilma Rousseff (Chapa 2, de viés alternativo). A votação foi realizada depois de briga entre deputados e policiais legislativos, com direito a urnas de votação quebradas e cabines de votação obstruídas por parlamentares que queriam abrir o processo de escolha.

Recomendados para você

Comentários

  1. Ricardo Edmundo Postado em 09/Dec/2015 às 12:33

    DELAÇÃO PREMIADA NO "AR": QUEM TEM MEDO DO DELCÍDIO SE CONFESSAR PARA O "BISPO" MORO? Ricardo Edmundo Cecconello, em 09/12/2015 De acordo com os paus mandados da BANDalheira, "clitóris" casóy e ricardo boechato, o "preso" Senador El Cídio está oferecendo delação premiada, o que vem preocupando seriamente o "planalto", principalmente a "dilma", Conforme "boechato" disse no programa matinal da BANDalheira news, a "famiglia" do Senador Delcídio resolveu contar tudo o que sabe, porque já a "chefia" teria ficado preso "tempo demais". Ora, rufiões de quinta, seus bostas de marmita paga, quem poderia estar sumamente preocupado com uma delação premiada do El Cídio seria a turma do FHC, onde Delcídio teria começado sua longa e contumaz carreira de "agregado" ao crime organizado sócio político, quiçá religioso. A não ser que a "turma de cima do Moro", contumaz no teleprompter com script pronto para ser lido pelos "delatores", ajam da forma costumeira: Após o preso mofar na masmorra da Guantánamo de Curitiba, é obrigado a contar o que "interessa" aos seus algozes carcereiros. O que não estiver no teleprompter, para ser lido pelo preso e ganhar a rede globo veja falha de SP, como sempre é usado soez: "NÃO VEM AO CASO". Dilma ou Lula estariam preocupados se Delcídio falasse tudo o que sabe dos "desvios de sua conduta" nos anais da Petrobrás antes de 2.002? Como começou sua carreira quiçá criminosa, nos postos públicos, na Petrobrás, e no governo de quem, de qual partido político o Delcídio foi "catequizado" a receber e conceder propinas? Claro que eu desconfio da espontaneidade das "colaborações mafiosas premiadas". Eu, no lugar do Delcídio, teria um baita medo de "queima de arquivo", aparecer suicidado como o novo Herzog, nas dependências do DOI CODI Curitibano do Moro. Isso sim. Ou o passarinho preso na gaiola da PF e do MP de Curitiba "canta" como eles querem que "cante", ou o pau come. Como poucos sabem, Delcidio trabalhou como diretor da Shell na Holanda. Ele também foi presidente da Eletrosul e do Conselho de Administração da Companhia Vale do Rio Doce. Soube de tudo um pouco. Sabe de tudo, o "canário" Delcídio. Quem condenou, a priori, o Delcídio foram seus eternos "companheiros" de achaque, de roubalheira, de "votações secretas", de desvios de conduta, de "toma lá, dá cá", os políticos do Congresso Nacional, da estirpe de Agripepinos Maias, todos limpinhos caiados de novo, com auréolas da inocência lotados no DEMoníaco estado quo do PSDB, Que Delcídio conte tudo. Que venha a "público" se receber pressão indevida para "acusar" falsamente. Que se proteja, mas sem falsear a verdade. Que seja, pelo menos uma vez na vida, um patriota digno, um salvador da pátria. Realmente o Delcídio do Amaral conviveu desde sua "posse" em emprego público, principalmente como "ministro" das Minas & Energia do FHC em 1994, com o crime organizado. Antes disso participou, ativamente, do Governo Itamar do PMDB. Era "assim", ânus e unha com Cunha, com Paulo Roberto Costa, com Cerveró e Ricardo Pessoa. Sabia de tudo o Delcídio. Sabe muito o "arquivo vivo", Delcídio. Imagine o que sabe o Aécio Neves? Um Agripino Maia? Um Ronaldo Caiado? Uma ruralista Santa Amélia? Um cacicão tucano como José Serra? Delcídio deve realmente ter sido cantado em prosa e verso, depois que ingressou no PT, para ser o "espia" ali dentro. Imaginem como "presidente" nomeado pelo próprio cacique mor do PSDB, Fernando Henrique Cardoso, na diretoria de Gás e Energia da Petrobrás. O "passarinho" nasceu forte de "famiglia" no governo Fernando Henrique Cardoso. Bem alimentado pelo crime organizado tucano, em 1998 filiou-se ao PSDB, onde ficou até 2001. Realmente se estivesse no lugar do "inocente" Delcídio, eu "cantaria" em público, como um novo "canário" buscando a tão sonhada absolvição pública: "FUI LADRÃO. Mas de onde nasci, de onde eu vim, de onde entrei, de onde saí, quem não é?" Que o "pavarotti" Delcídio comece a cantar as "maracutaias" vividas na Petrobrás desde os áureos tempos do FHC PSDB, quando "amestrado" no comando do crime organizado sócio político religioso brasileiro. Que comece o espetáculo. Ou a "farsa" debaixo do "moro".

    • Cirley Borba Postado em 09/Dec/2015 às 14:21

      Perfeito! Parabéns, Ricardo.

    • EVANDRO DE OLIVEIRA Postado em 10/Dec/2015 às 08:26

      Excelente.

    • EVANDRO DE OLIVEIRA Postado em 10/Dec/2015 às 08:32

      20 integrantes respondem a inquérito no STF. Deveriam ser integrantes ?

  2. Galvão Postado em 09/Dec/2015 às 12:58

    Muito interessante, porque será que eles querem de todas as maneira derrubar a Dilma e colocar no poder alguém do lado deles? Será os eleitores coxinhas acreditam que se a Dilma cair, vai continuar as investigações da lava jato do jeito que é hoje. Se o Aécio tivesse ganho, provavelmente ela já teria sido abafada e a Polícia Federal estaria em outra operação que não teria nada a ver com esses corruptos. Outro fato, como é que São Paulo elege um senhor como esse Paulinho da Força? E o Rio elege esse Eduardo Cunha? Graças ao povo brasileiro de bem o PT chegou ao poder e podemos ter uma Polícia Federal isenta e livre para trabalhar, prendendo bandido de qualquer lado, doa a quem doer. A propósito, alguém acha que (na sua grande maioria) aqueles investigados e presos na operação Lava jato, são petistas? Por favor não insultem o meu cérebro. Ladrão e bandido se infiltra em tudo que pode, até no PT, mas notem que é raro. Contra Dilma e Lula não provaram nada até agora, segundo o Ministério público, e olha que eles estão investigando mesmo, não estão para brincadeira. Fico imaginando se tivessem encontrado conta da Dilma e do Lula na Suíça, com dinheiro público roubado, com documentos, comprovados pela justiça suíça (COMO É O CASO DO SR. EDUARDO CUNHA), provavelmente os coxinhas já os teriam executados em praça pública. Nesta relação de deputados com processos, parece que não tem ninguém do PT, os coxinhas devem achar estranho. Ainda bem que em 2018 LULALÁ novamente, graças a Deus e ao povo brasileiro de bem e inteligente.

  3. George Postado em 09/Dec/2015 às 12:59

    só "ficha-limpa" rsrs. O 'impedimento' (me recuso a falar a palavra em inglês que virou verbete-badalado na boca de vira-lata) nasceu morto, nasceu putrefeito de corrupção.

  4. junior maia Postado em 09/Dec/2015 às 13:35

    Vergonha e Covardia

  5. Eduardo Ribeiro Postado em 09/Dec/2015 às 15:55

    Só gente boa....gente bacana, de classe, bem intencionada, gente honesta e preocupada com os rumos do país e do povo brasileiro....dá até gosto...

  6. Esmael Leite da Silva Postado em 09/Dec/2015 às 16:21

    Embora o STF tenha brecado o andamento desta comissão, e isso seja significativo, isso não basta, é preciso extirpar Cunha do Congresso. Eduardo Cunha é a base da crise, ele articulou sua tendência criminosa de ferir as leis ostensivamente, com um grupo de mentes doentias que o veem como aquele que dará vazão aos seus mais íntimos desejos, são pessoas doentes, como são todos que seguem um bandido sanguinário para satisfazer á própria sanha assassina, como fizeram os seguidores de Charles Manson, não se trata de ofender os deputados da oposição, mas de tentar observar o estimulo psicológico que os move, acreditam que tirar Dilma do seu cargo, os absolverá, que seus crimes serão esquecidos e que assim como ele, não responderão pelos crimes que cometeram durante suas caminhadas ao parlamento ou durante suas vidas, o perdão a Cunha representa para eles, o auto perdão e a continuidade de seus crimes em paz, parte parlamentares da posição, alguns também doentes, ficam paralisados diante de tais figuras, pois o processo de como isto se dá, não é político é mental. A distorção lógica é tão grande que é capaz de gerar conflitos físicos, a sociedade também não consegue compreender o que se passa, pois foi afetada por uma máquina de propaganda que tem seus próprios interesses e impinge aos leitores à versão que lhes propiciará vantagens econômicas e políticas, o judiciário por sua vez foi afetado quando se afastou do garantismo e começaram a inovar no campo penal, ministros do STF passaram a condenar sem provas, a forçarem penas, a modificarem e forçarem sentenças fugindo as regras do direito penal, a se comportarem como se fossem integrantes de partido ou justiceiros, a transformarem o legal em ilegal, a emitir pareceres que não são respaldados na lei, a serem seletivos, emitiu a sociedade um sinal de que vivemos numa era em que a lei pode ser burlada, pois não tem consistência segura e não é inteligível suficientemente pelos aplicadores da lei, ficando subordinada a sorte e a uma boa argumentação, ou seja, sujeita a distorções, tendo observado isto, grupos ou pessoas a frente de instituições do Estado viram brechas para criarem suas próprias regras, sempre distorcendo leis, o que leva a um a cumulo de ilegalidades que afrontam o Estado de Direito, a cidadania e a democracia. O cidadão comum se espelha nas instituições, nos meios de produção e nas informações que a mídia propaga, nos exemplos que vêm prosperar e por eles se guiam, raramente o fazem baseado na pesquisa e no conhecimento, sua capacidade de compreensão fica restringida aos seus limites e as suas parcas técnicas de análise (senso comum) que tem pouca massa crítica, o que o torna presa fácil de ideias autoritárias por onde possa caminhar em uma falsa segurança. Os bandidos incomuns, psicopatas sociais, porém não se preocupam com a lei senão na medida de sua segurança física e necessidades, são dotados de alto QI, de formação acadêmica ou de alguma forma de poder institucional, sabem melhor como se protegerem fisicamente, se preocupam com o próprio futuro e se beneficiam das distorções propagadas e propaladas pelos próprios atos e estão instalado em todas as instituições do Estado, Eduardo Cunha, como pessoa e representante de poder, é uma destas pessoas que tem determinado isto, mas não é o único doente a levar sua doença contaminante a sociedade, conforme descrito acima. Extirpar Cunha do Congresso Nacional é evitar que uma doença se propague pela sociedade. A questão de fundo é que o deputado Eduardo Cosentino Cunha, manobra o tempo inteiro para que a Comissão de Ética da Câmara não se reúna e o STF nada faz nem a PGR, a forma arbitrária de como ele preside a Câmara dos Deputados faz um mal á Democracia e a próprio Congresso Nacional quase sem precedentes, aliou-se a um grupo de deputados da oposição e alguns do senado formando, a meu ver, uma verdadeira quadrilha e o utiliza para perpetrar seus golpes e o apoiam para que continue a atropelar as regras do Regimento Interno da Câmara e a própria Constituição Federal. A Comissão de Ética da Câmara precisa se reunir e decidir sobre o acatamento da denuncia contra Eduardo Cunha, ele é neste momento o centro de toda a crise, ele é inconsequente quanto aos rumos do país, utiliza toda a sua deformidade de caráter para sair livre de uma possível e bastante provável perda de mandato, deixar um bandido conduzir seu próprio julgamento é permitir que sua doença se propague, o que é inaceitável, ele obstrui reuniões da Comissão, interferindo no processo legal, reúne-se com determinado grupo com a clara intenção de promover um golpe inconstitucional, atenta contra as institucionalidades, faz uso arbitrário da lei interpretando-a e aplicando conforme suas próprias necessidades dando-lhes um caráter aparentemente legal, ele está disposto a tudo para se livrar das dezenas de processos que correm na justiça, onde figura como réu ou corréu, o judiciário está sendo moroso quanto a estes processos, alguns correm a mais de uma década, de alguma forma, seja por omissão ou leniência, deixaram que um indiciado, a mais de 184 de prisão, chegasse ao 3º lugar mais importante do país na linha sucessória do executivo, e este mesmo elemento trama impunemente sua própria impunidade tramando toda espécie de chicanas, seja junto ao judiciário, seja no congresso, utilizando seu cargo para isto, enfim a mantença deste homem a frente da casa, fere toda e qualquer possibilidade de estabilidade política, legal e econômica do país, que precisa de paz para que se possa dar continuidade nas aspirações do Estado, que é a busca do Bem Comum. Não é muito, mas é um bom começo.

  7. Thiago Teixeira Postado em 09/Dec/2015 às 17:59

    TV Record virou a casaca mesmo é o mais feróz integrante do PiG, 6 segundos de cobertura da manifestação contra o Impeachment e uns 3 blocos só repercutindo a festa da oposição. Cunha sorria com a farra dos Taradinhos do Golpe.

  8. Galvão Postado em 09/Dec/2015 às 18:15

    Me dá medo a ideia de conseguirem derrubar a Dilma e consequentemente colocarem o Temer como presidente. O próximo na linha de sucessão é o Eduardo Cunha. Eu não acredito que o Temer governará por muito tempo, o Cunha já articula para ele ser o presidente. Isso é o principal motivo para ele não sair da presidência da câmara. Pobre do Brasil e de seu povo. Precisamos impedir de todas as maneiras que ele consiga isto. Não podemos ter um BANDIDO e sua quadrilha na presidência.

    • leonardo Postado em 09/Dec/2015 às 19:47

      " Não podemos ter um BANDIDO e sua quadrilha na presidência". sempre tivemos!